O balanço patrimonial é um dos principais relatórios de gestão dentro das organizações. Ele também é conhecido como balanço contábil.

Embora esse item seja obrigatório mediante a legislação vigente, muitos empreendedores não o executam de forma eficaz, isso porque muitas das vezes não sabem com exatidão como proceder.

Pensando nisso, nós do Grupo Voitto resolvemos elaborar esse post para esclarecer todas as suas dúvidas sobre o balanço patrimonial. Vamos lá?

Mas antes, que tal baixar o nosso Kit de Planilhas de Gestão Financeira? Nele você vai encontrar poderosas ferramentas para tornar o seu controle financeiro mais efetivo e facilitar o gerenciamento de recursos. Para baixar, clique na imagem abaixo! Vamos lá?

 

 

Assista gratuitamente nossa vídeo-aula sobre balanço patrimonial

 

 

O que é balanço patrimonial?

 

Para começar, vou te explicar o que é o balanço patrimonial. Ele é o demonstrativo contábil da posição patrimonial de bens, direitos e obrigações que uma empresa possui em determinado momento no tempo.

Uma analogia bem interessante é visualizar o balanço patrimonial como se fosse uma foto da posição patrimonial e financeira da empresa em um dado momento, enquanto que o DRE seria um filme do que está acontecendo na empresa ao longo do tempo.

Para falar de balanço patrimonial, primeiramente preciso falar dos tipos de patrimônio que existem dentro de uma organização.

 

Balanço patrimonial - Patrimônios

 

Existem três tipos de patrimônio: bens, direitos e obrigações. Vamos a eles?

 

Bens

 

Muitas das vezes os patrimônios da empresa são resumidos a todos os bens, porém, isso é um equívoco, os bens são apenas um tipo de patrimônio e não todo o patrimônio. Ou seja, os bens da empresa são tudo aquilo que está em seu poder.

Existem ainda dois tipos de bens: tangíveis e intangíveis. Os bens tangíveis, como o próprio nome já diz, são aqueles que podem ser tocados. Como por exemplo computadores, máquinas, prédios e terrenos.

Já os bens intangíveis, são os bens que não podem ser tocados, mas que ainda assim estão em poder da instituição, como por exemplo as marcas, patentes, etc.

 

Direitos

 

Os direitos são os bens da empresa que estão em poder de terceiros, mas são por direito da empresa. É como se a empresa pudesse exigir a sua posse em dado momento.

Alguns exemplos de direitos são: duplicatas; vendas a prazo; aluguel a receber; e qualquer outra coisa que pertence a empresa mas ela não está com a posse.

 

Obrigações

 

Já a obrigação pode ser entendida como sendo o contrário dos direitos, ou seja, são bens de terceiros que estão em poder da empresa.

Alguns exemplos são: salários a pagar; contas a pagar; compras a prazo, impostos, financiamento, dentre outros.

Agora que você já entende quais os tipos de patrimônios existentes, já está preparado para entender o funcionamento do balanço patrimonial, no tópico a seguir.

 

Como funciona o balanço patrimonial?

 

Beleza, entendi quais são os tipos de patrimônio, e agora? Para que isso serve? Esses conceitos são importantes para definirmos o patrimônio líquido de uma instituição, e com isso avaliar sua situação financeira.

Achou confuso? Para facilitar sua compreensão pense em uma situação em que a empresa realiza a compra de um terreno a prazo. Essa ação aumentaria o seus bens (ativo) e também aumentaria as obrigações da empresa (passivo).

A partir desses conceitos, conseguimos definir o que é passivo ou ativo dentro da organização, e com isso podemos definir o patrimônio líquido da empresa seguindo a equação abaixo.


 

Para entender melhor o que é ativo, passivo e patrimônio líquido, resolvi destrinchar cada um deles nos tópicos a seguir.

 

Balanço patrimonial - Ativo

 

O ativo é ainda subdividido em circulante e não-circulante. Veja!

 

Balanço patrimonial - Ativo circulante

 

As contas do ativo circulante nada mais são do que as contas já constituídas em espécie ou que podem ser convertidas no curto prazo.

Como exemplo posso citar estoques; dinheiro em caixa; contas a receber no curto prazo; e aplicações financeiras.

 

Balanço patrimonial - Ativo não-circulante

 

Já as contas dos ativos não-circulantes podem ser divididas em realizável a longo prazo; investimentos; imobilizado e intangível.

 

Realizável a longo prazo

 

É similar ao ativo circulante, mas o período de realização é maior que o exercício corrente.

Como exemplo temos: contas a receber no longo prazo; impostos a recuperar; e empréstimos a sócios ou diretores.

 

Investimentos

 

Os investimentos são os bens e direitos que não são destinados para vendas e com isso não é necessário para as atividades empresariais, porém, geram renda.

Alguns exemplos disso são: obras de arte; investimento em ouro; participações societárias; terrenos e imóveis.

 

Imobilizado

 

São definidos como bens e direitos de natureza permanente e tangíveis utilizados para a manutenção das atividades empresariais.

Seus principais exemplos são: veículos; ferramentas; minas; jazidas; máquinas e equipamentos.

 

Intangível

 

Para terminar essa sessão, o ativo não-circulante intangível é definido como os bens que possuem valor econômico, mas não possuem forma física. Seu valor patrimonial depende do direito de propriedade imaterial.

Como exemplo, temos: softwares; direitos autorais; marcas e patentes.

 

Balanço patrimonial - Passivo

 

Agora que você já entende os tipos de contas do ativo, que tal aprender também sobre o passivo?

Assim como o ativo, esses também são divididos em circulante e não-circulante.

 

Passivo circulante

 

Os passivos circulantes são as contas que representam obrigações da empresa no curto prazo.

 

Não-circulante

 

Já o passivo não-circulante é similar ao passivo circulante, mas este são representados pelas obrigações da empresa no longo prazo, assim como ocorre na definição dos ativos.

Seus principais exemplos são: fornecedores; financiamentos no longo prazo; créditos de sócios e acionistas.

 

Balanço patrimonial - Patrimônio líquido

 

O patrimônio líquido é subdividido em algumas categorias de acordo com a aplicação de recursos.

 

Capital social

 

São investimentos feitos pelos sócios no momento da criação da sociedade e eventuais valores integralizados.

 

Reservas de capital

 

Já as reservas de capital são transações de capital com os sócios e valores recebidos pelas empresas para reforçar seu capital.

 

Reservas de lucros

 

A reserva de lucro nada mais é do que a conta constituída pelos lucros que ainda não foram distribuídos.

 

Prejuízos acumulados

 

Da mesma forma que o subtópico anterior, os prejuízos acumulados representam o acúmulo de resultados passados negativos que ainda não foram distribuídos.

 

A composição do balanço patrimonial

 

O balanço patrimonial é a demonstração da vida financeira da empresa em um dado momento. Para isso, os valores são agrupados em contas e sua ordem é determinada pela liquidez.

Liquidez? o que é isso? A liquidez nada mais é do que a capacidade de transformar um determinado valor em dinheiro. Ou seja, quanto mais líquido for um investimento, mais rápido se consegue transformá-lo em dinheiro em uma situação de emergência.

Voltando ao balanço patrimonial, temos uma estrutura que permite uma visão do patrimônio e dos investimentos e pode ser comparada com variações percentuais calculadas com relação ao total de ativos.

A seguir, há um modelo da estrutura de um balanço patrimonial.

 

 

É importante lembrar que o valor total do ativo obrigatoriamente deverá ser igual ao valor total do passivo mais o patrimônio líquido. Se isso não acontecer, você deve voltar e procurar onde está o erro.

 

Analisando o balanço patrimonial

 

Se chegou até aqui, provavelmente já está com uma boa bagagem sobre balanço patrimonial, e analisá-lo não será uma tarefa tão difícil.

Separei um exemplo para você. Veja!

 

 

O importante aqui é saber de onde coletar as informações. Na parte esquerda do diagrama, podemos reparar quais são os investimentos realizados na empresa.

De forma análoga, na parte direita do balanço patrimonial, fica nítido quais as fontes de recursos para realizar os investimentos.

É importante lembrar que o balanço patrimonial é realizado em um determinado período, e que a empresa deve utilizá-lo juntamente com outras ferramentas, como o fluxo de caixa e o DRE, por exemplo.

Dessa forma, será possível concluir se a empresa está tendo lucro ou prejuízo, assim determinando como está a saúde financeira da empresa.

 

Aprenda mais!

 

Agora que você já sabe o que é um balanço patrimonial, para que serve, como fazer e como utilizá-lo para analisar a saúde financeira de uma empresa, que tal aprender ainda mais sobre finanças?

Para saber mais sobre gestão, matemática financeira e análise de investimentos, e elevar seu nível executivo, se matricule agora mesmo no nosso curso de Gestão Financeira e Análise de Investimentos.

 

 

E aí, gostou desse post? Conte para mim em um comentário, para que  eu possa evoluir ainda mais esse conteúdo sobre balanço patrimonial. Seu feedback é muito importante para nós.