Atualmente o dia a dia de várias empresas depende muito de soluções relacionadas ao desenvolvimento de softwares e serviços e é por isso que o desenvolvedor full stack vem ganhando espaço no mercado

Além disso, cada vez mais as empresas necessitam de profissionais aptos a criarem sistemas, desenvolverem aplicações mobile e que também saibam tudo sobre banco de dados, data science, HTML, CSS, Javascript  e outras linguagens de programação.

O profissional full stack possui conhecimentos que o tornam apto a atuar em várias partes de uma empresa, sempre trazendo soluções ágeis para os mais variados tipos de projetos.

Para saber mais sobre as atribuições e o quanto ele é relevante nós separamos os seguintes tópicos para você:

  • O que faz um desenvolvedor full stack;

  • Como é o mercado de atuação;

  • Quanto ganha um desenvolvedor full stack;

  • Quais são as habilidades e competências necessárias que um desenvolvedor full stack deve possuir?

  • O que fazer para se tornar um desenvolvedor full stack?

  • O mercado de trabalho está de braços abertos para o desenvolvedor full stack.

 

 

O que faz um desenvolvedor full stack?

 

desenvolvedor-full-stack.png

 

Imagine um profissional que tem como uma das suas principais características a versatilidade. Pois então, a partir daí já é possível compreender o que faz um desenvolvedor full stack.

O termo full stack, oriundo do inglês, denota um serviço pesado. A palavra “stack” em português denota “pilhas de papéis”, “acúmulo”, entre outros termos relacionados.

Sendo assim, é possível afirmar que o desenvolvedor full stack é o encarregado de ter um conhecimento aprofundado em vários aspectos de programação e informática.

Além do mais, não é um exagero afirmar que esse tipo de desenvolvedor atua tanto no sentido “Front-end” quanto no “Back-end”. Complicou agora? Calma, aqui vão algumas breves definições para esses termos que apareceram para você. 

 

Back-end

Podemos definir como o alicerce de um determinado trabalho na web. Sendo assim, fazem parte do back-end aqueles detalhes que são a estrutura básica de um site, aplicativo ou outro projeto.

Tais detalhes são o servidor, os códigos de programação, os bancos de dados, a modelagem e as estruturas.

Leia nosso artigo sobre esse assunto: Desenvolvedor back-end: conheça as funções e especialidades desse profissional.
 

Front-end

Front-end é como podemos conceituar “a cara” do projeto. Alguns dos conceitos básicos que constituem um Front-end são a interface, o layout e experiência ao usuário. Esse último, por exemplo, consiste em uma série de fatores responsáveis por tornar mais fácil a interação entre um usuário e um programa.

Por necessitar conhecer tanto o Back-end quanto o Front-end, o desenvolvedor full stack deve ter um amplo conhecimento das mais variadas áreas.

É ele o legítimo “carregador de piano”, quem faz o serviço pesado e que conhece uma boa base de dados, entende de servidores, compreende o funcionamento dos serviços em nuvem e, caso necessário, ainda manja do Illustrator se precisar efetuar ajustes no layout.

Esse profissional também não fica restrito apenas aos conhecimentos técnicos. Ele também deve estar preparado para trabalhar sob pressão, ser um bom líder e cumprir prazos apertados.

Leia nosso artigo sobre esse assunto: Desenvolvedor front-end: o profissional responsável por “dar cara” aos projetos na web.

 

Como é o mercado de atuação?

desenvolvedor full stack.png

Devido ao amplo conhecimento que o desenvolvedor full stack tem que apresentar, é possível afirmar que o mercado sempre está em busca desse tipo de profissional.

Em suma: caso um desenvolvedor tenha aptidão para sanar todas as etapas de um projeto, desenvolver o sistema e ainda mantê-lo no ar, ele tem condições de dizer que se trata de um desenvolvedor full stack

Vale destacar que ele não possui a obrigação de dominar com maestria todos os setores, mas é fundamental que saiba se virar na maioria das situações que envolvem desenvolvimento web.

Esse perfil multidisciplinar torna o mercado bastante promissor para quem conta com as características de desenvolvedor full stack

Sendo assim, esse profissional é muito requisitado em agências de publicidade, empresas do segmento de tecnologia e também empreendimentos que, de uma forma geral, necessitem de alguém com conhecimentos em linguagens de programação e outras áreas.

 

Quanto ganha um desenvolvedor full stack?

 

A questão salarial do desenvolvedor full stack varia bastante. No entanto, é possível afirmar que os salários ficam em torno de R$ 4 mil a R$ 8 mil. Além disso, tais profissionais podem atuar como freelancers e o salário pode variar dependendo do tipo de projeto. 

Apesar disso, mesmo como freelancer, geralmente os ganhos serão superiores a quantia de R$ 4 mil. Além do mais, é importante destacar ainda que grandes empresas - tanto as internacionais quanto as nacionais - podem oferecer salários que superam os R$ 10.000.

Há também de se levar em conta a questão dos estágios. Nesse caso, um estagiário com o perfil de desenvolvedor full stack tem condições de faturar até mesmo R$ 2.000.

 

Quais são as habilidades e competências necessárias que um desenvolvedor full stack deve possuir?

 

Uma das principais características do desenvolvedor full stack é a curiosidade. Zona de conforto não combina com esse tipo de profissional e ele sempre está em busca de aprender e estudar mais.

Contudo, além da curiosidade inerente, é preciso estar atento para outros quesitos importantes como os elencados a seguir: 

 

Ser autodidata

O desenvolvedor full stack não consiste no profissional que sabe tudo, mas sim, no que aprende com mais facilidade. Por isso, a busca constante por conhecimento, aliada ao fato de estar sempre antenado com as novidades tecnológicas, completa o seu perfil.

 

Agilidade

Normalmente pelo fato dos projetos atualmente exigirem rapidez, a agilidade na hora de aprender um novo conceito e de encontrar soluções é uma habilidade necessária para esse tipo de desenvolvedor. 

 

Conhecimento em projetos

Estar por dentro de diferentes métodos de projetos, tais como o Scrum e o PMBOK, também é uma habilidade relevante para o desenvolvedor full stack. Com isso, ele adquire plenas condições de estar por dentro de todas as etapas e informações necessárias para realizar as suas tarefas. 

 

O que fazer para se tornar um desenvolvedor full stack?

 

Por ser um perfil que exige conhecimento multidisciplinar, é importante que o desenvolvedor full stack tenha interesse por uma área, porém não foque o seu conhecimento apenas em algo único, mas sim, seja capaz de aprofundá-lo em outras.

É interessante também não se aprofundar em cursos, mas acima de tudo, em um método de aprendizado. É aí que o perfil autodidata de um desenvolvedor full stack se destaca.

Uma opção interessante de trabalho para profissionais desse tipo é atuar em projetos como freelancer. Desse modo eles conseguem adquirir experiência trabalhando em várias áreas.

 

O mercado de trabalho está de braços abertos para o desenvolvedor full stack

 

Perfil multidisciplinar, capacidade de liderança e conhecimento em várias frentes. Tais características torna um desenvolvedor full stack valioso para os mais variados tipos de negócios.

Portanto, você também pode ser um profissional desse tipo. Para isso basta ter dedicação e não se acomodar em apenas uma área de conhecimento.

Então, para se destacar no mercado de trabalho e ser um profissional completo, você pode contar com o Voitto Premium! Nesse modelo de assinatura é possível escolher entre nosso Programa de Formação de Gestores de Alta performance e nosso plano All In, que engloba todos os nossos cursos!  

Não deixe de clicar no botão abaixo para saber mais sobre o Voitto Premium.

 

banner do pacote Voitto Premium.png