O uso de ferramentas da qualidade, como o diagrama de Ishikawa, é fundamental para manter uma boa gestão,  entregar produtos/serviços dentros das especificações e atender as expectativas clientes. 

Dessa forma, toda empresa deve procurar saber quais são as 7 ferramentas básicas da qualidade e como elas podem beneficiar o funcionamento dos processos da organização. Caso você tenha interesse em obter esse conhecimento, recomendo fortemente a leitura do ebook abaixo: 

 

 

Neste artigo, falarei tudo o que você precisa saber sobre uma dessas ferramentas, o diagrama de Ishikawa, desde o que é até como montá-lo. Vamos lá?

 

Afinal, o que é e pra que serve um Diagrama de Ishikawa?

 

 

O Diagrama de Ishikawa foi proposto por um engenheiro japonês de controle de qualidade, no início da década de 60, chamado Kaoru Ishikawa.

Também conhecido como Diagrama de Causa e Efeito ou Diagrama de Espinha de Peixe, o Diagrama de Ishikawa é basicamente uma ferramenta que objetiva organizar o raciocínio na identificação de causas raiz de problemas. Ele relaciona o efeito a ser analisado com as causas mais influentes.

As causas dos problemas podem ser classificadas em 6 tipos no Diagrama de Ishikawa: máquina, materiais, mão-de-obra, meio ambiente, medida e método.

Você reparou que todos esses tipos começam com “M”, não reparou? Então, devido a isso, a ferramenta também possui outro nome: diagrama 6M.

O Diagrama de Ishikawa nem sempre utiliza todos esses M’s para o levantamento das possíveis causas de um efeito, com isso, é importante avaliar quais são importantes para o  processo a ser estudado.

 

Os 6 M’s do Diagrama de Ishikawa

 

1. Máquina

 

Resultado de imagem para manutenção

 

Muitos problemas são derivados das falhas das máquinas e equipamentos. Isto pode ser causado pela falta de manutenção ou pela sua realização incorreta. 

Com isso, é importante analisar funcionamento dos equipamentos para que prejuízos sejam evitados e a produção seja mantida nos níveis previstos.

 

2. Materiais

 

Bean bag free icon

 

O segundo “M” do Diagrama de Ishikawa está relacionado ao uso da matéria prima no processo, de forma a analisar situações nas quais existem materiais fora das especificações ou em quantidade incorreta.

 

3. Mão-de-obra

 

Imagem relacionada

 

A mão de obra está relacionada com as atitudes dos colaboradores na execução das atividades, algo muito importante de ser levado em conta ao criar um Diagrama de Ishikawa. 

Isso porque muitos problemas podem ser originados devido a pressa na execução das tarefas, imprudência, falta de qualificação ou, até mesmo, ausência de competência.

Uma ferramenta que pode ajudar a reduzir a taxa de erros dos funcionários é o Poka Yoke.

Não sabe o que é? Simples! O Poka Yoke é um dispositivo à prova de erros destinado a evitar a ocorrência de defeitos nos processos de fabricação. Para saber mais, confira o artigo:

 

4. Meio ambiente

 

Imagem relacionada

 

O quarto “M” do Diagrama de Ishikawa é formado pelos problemas que estão relacionados aos ambientes internos e externos da organização.

Quando se fala de externo, é possível citar como fatores que possuem influência a poluição e a instabilidade do tempo, por exemplo. E no ambiente interno, pode-se apontar a falta de espaço, layout incorreto, barulho, entre outros.

 

5. Medida

 

Flexometer premium icon

 

Já este “M” está relacionado com as métricas utilizadas para medir, controlar e monitorar os processos.

Mas como assim? Você pode estar usando uma forma de medir o seu processo de forma incorreta e gerando retrabalho, por exemplo, o que pode ser a grande causa do problema!

 

6. Método

 

Agile free icon

 

É a parte do Diagrama de Ishikawa que se refere aos procedimentos e métodos adotados pela organização durante as atividades, o que pode incluir softwares e ferramentas de planejamento. 

 

Benefícios de usar um Diagrama de Ishikawa 

 

  • Fácil entendimento e análise;
  • Promove o envolvimento e comprometimento dos colaboradores envolvidos na melhoria dos processos;
  • Identifica a causa raiz dos problemas, o que permite identificar como eliminá-los;
  • Pode ser utilizada como uma ferramenta estatística para o controle total da qualidade;
  • Permite uma análise com alto nível de detalhes, ajudando a tomar decisões mais eficazes;
  • Possui uma estrutura flexível, sendo aplicável a problemas das mais diversas naturezas.

 

Passo a passo de como fazer o Diagrama de Ishikawa:

 

1º passo: definir o problema ou efeito a ser estudado.

2º passo: juntar todas as informações a respeito desse problema. 

3º passo: reunir uma equipe multidisciplinar, vinda de diferentes áreas, para que possam ajudar na criação do Diagrama de Ishikawa através de um brainstorming.

4º passo: estudar, classificar e priorizar as causas principais para que, enfim, sejam elaboradas ações focadas em corrigir as causas prioritárias desse problema.

5º passo: desenhar o diagrama de ishikawa de acordo com os 6 M’s. Pronto!
 

Exemplo de Diagrama de Ishikawa


 

 

Você pode aprender muito mais!

 

Espero que você tenha gostado de aprender tudo sobre o Diagrama de Ishikawa, pois tem uma proposta tentadora a te fazer. Que tal se certificar no nosso curto gratuito e online de Introdução ao Lean Manufacturing?

Neste curso você terá um conhecimento prévio do surgimento dessa filosofia de gestão, além de saber um pouco mais das suas diversas ferramentas. Então corra, clique no botão abaixo e se inscreva já!