Com certeza quando você estava comendo um peixe, você se deparou e se sentiu incomodado com sua espinha, não é mesmo? Então, por incrível que pareça, vai ser dessa espinha que vou falar durante todo esse artigo.

Calma, não é um artigo de sobre alimentos. Quando falo da espinha, quero falar na verdade do Diagrama de Ishikawa. Isso tudo se deve ao seu formato, que lembra muito o esqueleto de um peixe.

Neste artigo, falarei tudo o que você precisa saber a respeito desse diagrama, desde o seu contexto histórico, a sua funcionalidade, os prós e contras, além de um breve caminho de como montá-lo. Chega de perder tempo e vamos ao que interessa!

 

Como que surgiu o Diagrama de Ishikawa?

 

O Diagrama de Ishikawa foi proposto por um engenheiro japonês de controle de qualidade, no início da década de 60. E o nome desse engenheiro, qual é? Kaoru Ishikawa, por isso o nome desse diagrama.

Durante todo esse tempo, esse diagrama foi sofrendo algumas alterações, foi evoluindo e adaptando de acordo com as necessidades.

Como o próprio Ishikawa disse: “a melhoria de qualidade é um processo contínuo e sempre pode ser aperfeiçoado”.

 

Afinal, o que é e qual a função desse diagrama?

 

 

O Diagrama de Ishikawa, também conhecido como Diagrama de Causa e Efeito e também como Diagrama de Espinha de Peixe é uma das 7 ferramentas que compõem a qualidade.

Basicamente é uma ferramenta que objetiva organizar o raciocínio na identificação de causas raiz de problemas. Ele relaciona o efeito a ser analisado com as causas mais influentes.

Essas causas dos problemas podem ser classificadas em 6 tipos diferentes de causas principais que afetam todo o processo (máquina, materiais, mão-de-obra, meio ambiente, medida e método).

Você reparou que todos esses tipos começam com “M”, não reparou? Então, devido a isso, essas causas também são conhecidas como 6 M’s.

Mas é importante lembrar que nem todos os processos utilizam todos esses M’s para levantamento das causas, com isso é importante avaliar quais são importantes ao processo.

Agora, você entenderá um pouco mais de cada um deles, suas principais características.

 

Entenda mais sobre os 6 M’s do Diagrama!

 

1. Máquina

 

Muitos problemas são derivados das falhas das máquinas e equipamentos. Isto pode ser causado por uma manutenção não feita ou feita de maneira incorreta.

Com isso, é importante estar sempre supervisionando o funcionamento de todos equipamentos para que o funcionamento beire à perfeição, evitando prejuízos.

 

2. Materiais

 

Este problema está relacionado ao uso de materiais no processo. Pode ser relacionado com matérias fora das especificações ou volume incorreto.

Por esse motivo, é de extrema importância o bom relacionamento com seu fornecedor, para que ele ofereça produtos corretos, na quantidade correta e claro, na qualidade ideal.

 

3. Mão-de-obra

 

Está relacionado com as atitudes dos colaboradores na execução das atividades. Esse problema pode ser causado por pressa dos mesmos, imprudência, falta de qualificação ou até mesmo por falta de competência.

Você sabe que os humanos estão suscetíveis a falhas, não sabe? Então, para que não ocorra erros em certos processos é recomendável, é recomendável utilizar o Poka Yoke.

Mas o que é Poka Yoke? É um dispositivo à prova de erros destinado a evitar a ocorrência de defeitos nos processos de fabricação.

 

4. Meio ambiente

 

Esses são problemas relacionados ao ambiente interno e externo da organização.

Quando se fala de externo, pode falar da poluição e da instabilidade do tempo, por exemplo. E no ambiente interno, pode ser a falta de espaço, layout incorreto, barulho, entre outros.

É imprescindível ter um ambiente de trabalho favorável para todos, pois assim eles têm um prazer maior em executar suas funções. Com tudo dentro do planejado, você diminui a rotatividade dos colaboradores, reduzindo custo e aumentando seu lucro, consequentemente.

 

5. Medida

 

Já este “M” está relacionado com as métricas utilizadas para medir, controlar e monitorar os processos.

Mas como assim? Você pode estar usando uma forma de medir o seu processo de forma incorreta, com isso está gerando retrabalho, prejudicando o seu processo.

 

6. Método

 

Se refere aos procedimentos e métodos adotados pela organização durante as atividades.

Eles podem ser através de softwares e ferramentas de planejamento. Ou seja, é a forma com que você planeja o andamento de suas atividades, a forma de controlar o que está acontecendo.

 

Quais são as vantagens de utilizar o Diagrama de Ishikawa? 

 

São muitas as vantagens de se utilizar essa ferramenta de qualidade no meio empresarial, vou listar agora 6 delas para que você possa se nortear a respeito:

 

1 - O primeiro benefício de se utilizar é porque é uma ferramenta visual de fácil entendimento e de fácil análise;

2 - Ela faz com que todos os colaboradores envolvidos no processo se comprometam com os resultados a serem alcançados;

3 - Como já foi falado nesse artigo, ajuda a encontrar a causa raiz do problema;

4 - Pode ser utilizada como uma ferramenta estatística para o controle total da qualidade;

5 - Ela prioriza uma análise com mais detalhes, ajudando a tomar decisões mais eficazes;

6 - Uma das grandes vantagens do Diagrama de Ishikawa é o seu uso genérico e sua estrutura flexível, sendo aplicável e problemas das mais diversas naturezas.

 

Nem tudo são flores...

 

Apesar de sua grande aplicabilidade e simplicidade no levantamento de causas, a ferramenta não possui somente pontos positivos, podemos citar algumas desvantagens, como:

 

  • Não sinaliza a real gravidade desse problema;
  • Muitas vezes o esforço é desperdiçado na identificação da causa de efeitos que não têm grande relevância.

 

Além dessas desvantagens, é preciso ainda tomar algumas precauções na hora de desenvolver e implementar o Diagrama de Ishikawa:

 

  • Deve ser utilizado preferencialmente por colaboradores que já tenham um certo conhecimento sobre o ciclo PDCA;
  • Por ser uma ferramenta relativamente simples é preciso ter uma estrutura empresarial favorável a este implemento;
  • Por abranger diferentes áreas, e um grande número de pessoas, é possível que tenham diversas opiniões, com isso, é preciso saber administrá-las.

 

Um breve passo-a-passo de como fazer o Diagrama de Ishikawa:

 

1º passo: antes de tudo, você tem que determinar qual que é o efeito (ou o problema) a ser estudado.

 

2º passo: com o efeito determinado, é preciso juntar todas as informações a respeito desse problema e isso será a base para a etapa a seguir.

 

3º passo: reunir uma equipe multidisciplinar, vinda de diferentes áreas, para que possam ajudar na criação do Diagrama de Ishikawa.

 

Depois de apresentar as devidas informações sobre o diagrama, é preciso promover uma sessão de brainstorming sobre o problema a ser resolvido.

Eu sei, você deve estar se perguntando: “O que é brainstorming?” Basicamente é uma atividade desenvolvida para explorar a potencialidade criativa de um indivíduo ou, como nesse caso, de um grupo.

 

4º passo: neste passo, deve-se estudar, classificar e priorizar as causas principais para que, enfim, sejam elaboradas ações focadas em corrigir as causas prioritárias desse problema.

 

5º passo: chegamos ao último passo! Nele é preciso que você desenhe o diagrama de acordo com os 6 M’s. Tenha muito cuidado, pois será esse desenhe que toda a equipe vai seguir.

 

Ferramenta extremamente importante!

 

O Diagrama de Ishikawa é uma ferramenta de grande valia no descobrimento da causa raiz de um problema. Ela traz uma série de benefícios para o processo como um todo.

Com uma visão mais clara sobre os efeitos é possível tomar medidas corretivas e preventivas sobre o problema de maneira mais eficaz, e posteriormente eliminar sua causa raiz.

Hoje em dia, todos os setores, seja na própria indústria, no marketing, em finanças e entre outros, esse diagrama é constantemente usado, mostrando a importância do mesmo.

E é importante lembrar, sempre mantenha o foco no cliente na hora de propor as ações, por são eles os mais responsáveis para o sucesso da sua empresa.

 

Você pode aprender muito mais!

 

Espero que você tenha gostado de aprender tudo sobre o Diagrama de Ishikawa, pois tem uma proposta tentadora a te fazer. Que tal se certificar no nosso curto gratuito e online de Introdução ao Lean Manufacturing?

Neste curso você terá um conhecimento prévio do surgimento dessa filosofia de gestão, além de saber um pouco mais das suas diversas ferramentas. Então corra, clique no botão abaixo e se inscreva já!