Devido às suas vastas extensões de terra e um clima adequado para diversas plantações, a agricultura no Brasil é, há muito tempo, uma das bases da economia do país.

Com a chegada da era digital e tecnológica, a engenharia se tornou uma grande aliada no setor primário, modernizando atividades antes repetitivas, manuais e ineficientes do âmbito rural.  

Sendo assim, surgiu a necessidade do desenvolvimento de novas tecnologias que dessem suporte a um setor com tanto potencial, fazendo da Engenharia Agrícola uma carreira de grande destaque no mercado de trabalho atual.

 

O que é Engenharia Agrícola?

 

A Engenharia Agrícola é a ponte entre a engenharia e agricultura, ou seja, a área que estuda, pesquisa e implanta a tecnologia voltada para as criações e lavouras.

Assim como em outras engenharias, tem como objetivo otimizar processos e potencializar recursos, aplicando os conhecimentos de mecânica, elétrica e civil de uma maneira mais específica para o ambiente rural.

Para os que desejam fazer esse curso, é interessante ter aptidão para as ciências exatas e já ter brincado na infância com um desses (ou pelo menos parecido):

 

 

Porém, não se preocupe! Se não teve esse tipo de brinquedo quando era pequeno, faça Engenharia Agrícola e construa o seu trator de verdade!

 

Curso de Engenharia Agrícola

 

A formação básica do curso superior de Engenharia Agrícola, nos dois primeiros anos, envolve disciplinas da Física, Matemática, Biologia e Química, com ênfase nas duas últimas. Depois, iniciam-se as matérias mais específicas do curso, a exemplo:

 

  • Topografia / Planimetria

  • Tecnologia dos Materiais

  • Tratores e Motores

  • Mecânica dos Solos e Fundações

  • Agrometeorologia

  • Sensoriamento Remoto

  • Armazenamento de Produtos Agrícolas

  • Energização de Sistemas Agroindustriais

  • Física do Solo e Conservação do Solo e Água

 

Na grade, também temos diversas disciplinas voltadas para ética e meio ambiente, já que a profissão lida com a utilização de vários recursos naturais.

Além disso, faz parte da graduação o estágio obrigatório e o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

 

Softwares que auxiliam na Engenharia Agrícola

 

Na Engenharia Agrícola, alguns softwares são utilizados tanto pelos formandos quanto pelos profissionais da área. A exemplo deles, temos:

 

  • MAQCONTROL: realiza uma estimativa do custo operacional de máquinas agrícolas. Nele, encontram-se os custos fixos e variáveis, como as despesas com depreciação, juros, seguros e manutenção.

  • QGIS: é uma multiplataforma de sistema de informação geográfica (SIG) que permite a visualização, edição e análise de dados georreferenciados. Apresenta diversas ferramentas e um código aberto para programação de acordo com as necessidades do usuário.

  • GeoFielder: voltado para agricultura de precisão, ele possibilita a geração de mapas que refletem a situação da lavoura, maior precisão nos processos de vistoria e controle de execução de atividades, deslocamento e localização.

 

Áreas de atuação

 

O engenheiro agrícola cuida de todas as etapas de produção agrícola. Utiliza de seus conhecimentos para desenvolver tecnologias que potencializam os processos e auxiliam na utilização de recursos de forma sustentável.

Dessa maneira, o engenheiro agrícola se faz necessário nos seguintes campos de atuação:

 

Armazenamento e Processamento de Produtos Agrícolas

 

Essa área se estende a todos os processos da cadeia produtiva dos produtos agrícolas, incluindo a colheita, transporte, limpeza, secagem, controle de qualidade e armazenamento.

Há também um foco no desenvolvimento e difusão de tecnologias e inovações para potencializar e otimizar a produção em todas as suas etapas.

 

Construções Rurais e Ambiência

 

Aqui, o engenheiro agrícola determina e especifica as dimensões de estruturas, a forma de utilização, os materiais necessários para as construções de açudes, barragens, sistemas de irrigação e drenagem, estufas, entre outras instalações de sistemas de produção animal e vegetal.

Realiza o orçamento de construções e da elaboração de cronograma físico-financeiro, assim como o planejamento, projeto e execução de habitações rurais e agrovilas.

Além disso, faz o controle de poluição das estruturas para tratamento de resíduos orgânicos rurais, manejo de dejetos e saneamento rural.

 

Energia na Agricultura

 

Cabe ao profissional que trabalha na área buscar soluções para problemas no que se refere à gestão de recursos energéticos (energia elétrica) no meio rural.

Realiza atividades como: aproveitamento de pequenas quedas d’água; instalações elétricas domiciliares; cálculo de demanda e distribuição elétrica na fazenda; dimensionamento de alimentadores; contato com concessionárias de eletrificação rural e proteção contra descargas atmosféricas na fazenda.

 

Mecanização Agrícola

 

O trabalho do engenheiro agrícola aqui é a realização de projetos de otimização e a construção de máquinas e equipamentos agrícolas que serão empregados no preparo do solo, plantio, cultivo, na colheita, no transporte e manejo de produtos.

Também atua na automação de máquinas agrícolas, mecanização da pequena propriedade, implementação de máquinas agrícolas, energização rural e mecânica de solos agrícolas.

 

Meteorologia Agrícola

 

Nesse ramo da meteorologia, o estudo é focado nos elementos meteorológicos e nas atividades agropecuárias. Aqui, ele irá quantificar as exigências hídricas para dimensionar e manejar os sistemas de irrigação.

Realiza projetos de otimização de conforto térmico das instalações agrícolas e das condições de umidade do ar para a determinação do tempo de secagem dos grãos.

 

Recursos Hídricos e Ambientais

 

O engenheiro agrícola faz, nessa área, a gestão dos recursos naturais, incluindo a avaliação, criação e implementação dos projetos de irrigação e conservação da água e solo de bacias hidrográficas.

Participa dos projetos de estruturas hidráulicas para a acumulação, captação, elevação e condução de água. Também atua controle da poluição e dos impactos ambientais, utilizando ferramentas tecnológicas para o tratamento de resíduos gerados nas atividades agroindustriais.

 

Engenharia Agrícola na sociedade

 

São diversos os problemas que preocupam a nossa sociedade atualmente em relação, principalmente, ao meio ambiente e à fome. Entre eles, temos a melhor utilização dos recursos naturais disponíveis e o plantio em regiões com condições inadequadas.

Segundo a SBEA (Associação Brasileira de Engenharia Agrícola), é grande a contribuição da Engenharia Agrícola na sociedade, com o desenvolvimento da tecnologia da área focada na sustentabilidade.

No âmbito dos problemas hídricos que as plantações enfrentam, foi desenvolvido um tipo de semente que é tolerante à seca. Dessa forma, em regiões onde há pouca ou nenhuma irrigação, essa semente consegue resistir melhor às chuvas limitadas e irregulares.

Além desse, outros exemplos são o plantio direto e a agricultura de conservação. O primeiro é um sistema de manejo do solo em que a palha e restos de outras culturas são mantidos no solo para sua preservação, e o segundo é um tipo de agricultura que visa a melhor utilização do solo, procurando aumentar sua fertilidade.

Com isso, a tecnologia do meio agrícola segue progredindo para gerar um menor impacto ambiental e auxiliar em uma produção de qualidade que melhor utiliza os recursos naturais necessários.

 

Universidades que oferecem a Engenharia Agrícola

 

Para encontrar as melhores instituições que oferecem a Engenharia Agrícola, utilizei as avaliações CC, CPC e ENADE, que são realizadas pelo Ministério da Educação (MEC). Assim, com universidades credenciadas, há uma maior segurança na hora de escolher o lugar certo.

 

 

Estas universidades possuem notas altas nos quesitos apresentados, porém, apenas a UFLA ganhou nota máxima (5) em todas as avaliações.

Mas, se você já possui alguma instituição em mente e gostaria de saber sobre as avaliações do curso de Engenharia Agrícola que ela oferece, acesse o portal e-MEC (no site, vá em Consulta Textual para mais informações).

 

Salário

 

Para muitos, o salário é um ponto determinante na hora de escolher a carreira, mas para outros, nem tanto. No entanto, é sempre bom a gente ter uma ideia desses valores para ter uma noção, não é?

Aqui no Brasil, a Lei 4.950/A, de 22 de abril de 1966 determina o salário mínimo dos profissionais de Engenharia, Arquitetura, Química e Agronomia:

 

  • Jornada de 6 horas: 6 salários mínimos

  • Jornada de 7 horas: 7,25 salários mínimos

  • Jornada de 8 horas: 8,5 salários mínimos

 

Porém, fatores como o porte da empresa, sua localização e o nível de experiência do profissional influenciam no valor do salário que encontramos no mercado.

Nas empresas, os níveis relacionados à engenharia são:

 

  • Trainee: até 2 anos no cargo;

  • Júnior: de 2 a 4 anos;

  • Pleno: de 4 a 6 anos;

  • Sênior: de 6 a 8 anos;

  • Master: mais de 8 anos.

 

O site  $alário.com.br disponibilizou uma pesquisa de 99 salários de amostra com a média salarial real dos engenheiros agrícolas. Com uma carga horária média de 43 horas, a faixa de valores ficou entre R$ 3.875,63 e R$ 11.662,13, sendo o valor médio de R$ 5.458,63.

 

Pronto para seguir o caminho da Engenharia Agrícola?

 

 

No Brasil, o agronegócio é explorado em todas as regiões, com ênfase na região Centro-Oeste, que emprega por volta de 70% dos profissionais do ramo no país. Sendo assim, fica claro que o mercado de trabalho para o engenheiro agrícola é abrangente e promissor.

Então, se você se interessou pelo curso e tirou todas as suas dúvidas aqui no artigo, vale a pena investir nessa carreira! Porém, para ter certeza dessa decisão importante, confira os outros artigos da nossa série de Engenharias que sai toda semana aqui no Blog.

Ah, e não se esqueça de comentar com o seu feedback, pois a sua opinião é muito importante para a gente!

 

Dica Bônus

 

Essa é pra quem realmente já está pensando no futuro e já quer começar a se organizar! O curso de Introdução ao Excel vai iniciar a sua capacitação e te oferece ferramentas que podem te auxiliar a estruturar seu horário de estudo.

 

 

Assim, fica mais fácil para você se preparar e também para entrar com tudo no curso de engenharia que escolher!