A escolha de qual carreira seguir é o primeiro passo rumo ao sucesso profissional. Porém, esse processo pode ser bem difícil se você não conhece o que os cursos que te chamam a atenção abordam.

No caso da Engenharia Florestal, é preciso que você se identifique com as ciências exatas e biológicas. Muitas vezes o aluno não possui aptidão para alguma das duas áreas, mas pode adquirir com o tempo.

Então, que tal conhecer um pouco mais sobre esse curso e como atua o profissional da área?

 

O que é Engenharia Florestal?

 

A Engenharia Florestal é um segmento da engenharia que aborda, de maneira geral, tudo relacionado à floresta, que vai desde o entendimento de ecologia, passando pela conservação de água, solo e seres, até o seu manejo.

No Brasil, a Engenharia Florestal é um curso amplo, que aborda uma gama de áreas de atuação. Sendo assim, o graduando precisa escolher o seu foco o quanto antes, para que possa iniciar atividades (estágios, bolsas de iniciação, etc) que o ajude a se preparar para o mercado da especialização escolhida.
 

Curso de graduação em Engenharia Florestal

 

No ciclo básico da Engenharia Florestal, temos disciplinas básicas da área de Matemática, Física, Química e Biologia. Após os primeiros anos, começam as matérias específicas do curso, voltadas para ciências exatas, ciências agrárias e principalmente para as ciências biológicas.

A nomenclatura e carga horária de cada disciplina da grade curricular pode variar de acordo com a instituição, mas podemos destacar como principais:   

 

  • Análise, Conservação e Proteção de Recursos Naturais;

  • Controle de Incêndio;

  • Ecologia;

  • Estudos de Impacto Ambiental;

  • Produtos Florestais;

  • Gestão de Recursos Hídricos;

  • Gestão e Legislação Ambiental;

  • Colheita Florestal;

  • Inventário e Manejo Florestal;

  • Silvicultura.

 

Além disso, o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) e o estágio são obrigatórios ao final do curso, como nas outras engenharias.

 

Softwares que auxiliam na Engenharia Florestal

 

Na Engenharia Florestal, os softwares são mais utilizados para criação e desenvolvimento de projetos de reflorestamento, facilitar as análises de mapas e dados, modelagem e resolução de problemas. Como exemplo, temos:

 

  • ArcGIS: é sistema de informação geográfica (Geographic Information System – GIS). Utilizado para criar mapas, compilar dados geográficos, analisar informações geográficas e muito mais.

  • ENVI: processa e analisa imagens para extração das informações necessárias para projetos. Realiza modelagem topográfica, análise de detecção de mudanças, entre outras ferramentas.

  • Mata Nativa: dentre tantas funcionalidades, temos o cálculos de inventário florestal e análise fitossociológica, diagnóstico de qualitativos e quantitativos de formações vegetacionais e análises fitossociológicas completas.

  • Matlab: software de desenvolvimento que pode ser aplicado para diversos fins. Apresenta interfaces que permitem resolver, analisar e simular vários problemas na área da engenharia, utilizando linguagem própria, não muito diferente da C/C++, além da linguagem de blocos (Simulink).

 

Áreas de atuação

 

O trabalho do engenheiro florestal é bem abrangente. No geral, temos 6 áreas onde o profissional pode atuar:

 

Gestão Ambiental

 

Aqui, é feita a gestão das unidades de conservação e preservação ambiental, o manejo integrado de bacias hidrográficas e da fauna silvestre, criação e execução de projetos de arborização e paisagismo e estudo de impactos ambientais.

Além disso, o profissional pode realizar o planejamento de propriedades rurais e zoneamento ambiental.

 

Sensoriamento Remoto

 

O foco dessa área é o gerenciamento de softwares ligados às áreas florestais e ambientais e também os cadastros multifinalitários.

 

Manejo Florestal

 

Nessa área é feito o planejamento e gerenciamento da produção e organização florestal (em florestas naturais e plantadas e em áreas com sistemas agro-florestais), além de ser responsável pela colheita e transporte de produtos florestais.

O licenciamento de projetos (política e legislação florestal e ambiental) e a administração de empresas e projetos florestais também participam desse ramo de atuação.

 

Silvicultura

 

No setor de Silvicultura, é feito o desenvolvimento de tecnologias de melhoramento florestal, aplicação de técnicas de florestamento e reflorestamento e aplicação de práticas de proteção florestal.

Aqui, são desenvolvidas técnicas de sistemas agrossilvipastoris e silviculturais em geral, tecnologias de produção de culturas regionais e também produção de produtos não-madeireiros da floresta.

 

Tecnologia de produtos florestais

 

O profissional especialista nesta área realiza diversas práticas que envolvem a madeira. É feita a sua identificação e caracterização, processamento mecânico e industrial e sua secagem e preservação.

Também são estudadas as propriedades físicas e mecânicas da madeira e desenvolvidos projetos de construções florestais.

 

Mensuração florestal

 

Essa área de atuação aborda o monitoramento do crescimento e produção florestal, quantificação e avaliação técnico-econômica de usos múltiplos da madeira, de produtos florestais madeireiros, não-madeireiros e da biomassa florestal, além da modelagem e simulação florestal.

Cabe ao profissional especializado avaliar, pesquisar e desenvolver instrumentos empregados em medições florestais e métodos estatísticos empregados na quantificação dos recursos florestais.

 

Engenharia Florestal na sociedade

 

Um dos pontos que mais relaciona a Engenharia Florestal na sociedade é o produto de origem florestal. Muito do que consumimos no nosso dia a dia tem sua origem de rescursos madeireiros e não madeireiros. Temos como exemplo: móveis, sementes e óleos.

O manejo e conservação do meio ambiente e das bacias hidrográficas, a visão dos impactos ambientais de projetos e a recuperação de áreas degradadas, são parte da responsabilidade do profissional com a sociedade. Como exemplo de produto originado do manejo sustentável no Brasil, temos o açaí cultivado nas unidades de conservação da Amazônia.

Além disso, o país fez grandes avanços na aplicação de práticas de regeneração e melhoramento da utilização das áreas florestais, graças aos profissionais da área. Hoje, temos no Brasil um dos mais rápidos ciclos do eucalipto devido à silvicultura avançada.

 

Universidades que oferecem o curso de Engenharia Florestal

 

Bom, se você chegou até aqui e se interessou pelo curso superior, vai querer saber onde pode estudar, não é mesmo? Para encontrar as melhores instituições de ensino do país na área, utilizei como critério o ENADE, uma das avaliações do Ministério da Educação (MEC).

O site e-MEC apresenta 5 faculdades que tiraram nota máxima no ENADE:

 

 

Contudo, se você já tem alguma instituição em mente e gostaria de ver qual a sua nota nesses quesitos, consulte o site e-MEC para maiores informações (no site, vá em Consulta Avançada para efetuar a pesquisa ou em Consulta Textual para encontrar outras universidades).

 

Salário

 

Finalmente, um dos itens que mais interessam os futuros engenheiros: o salário. A Lei 4.950/A, de 22 de abril de 1966 dispõe sobre salário mínimo dos profissionais de Engenharia no Brasil:

 

  • Jornada de 6 horas: 6 salários mínimos

  • Jornada de 7 horas: 7,25 salários mínimos

  • Jornada de 8 horas: 8,5 salários mínimos      

 

Porém, quando vamos pesquisar os valores reais no mercado de trabalho, encontramos grandes oscilações. Isso pode ocorrer por vários fatores. Deve-se levar em consideração o porte da empresa, a sua localização no país e o nível de experiência profissional.

Na engenharia, temos profissionais em cargos de:

 

  • Trainee: até 2 anos no cargo;

  • Júnior: de 2 a 4 anos;

  • Pleno: de 4 a 6 anos;

  • Sênior: de 6 a 8 anos;

  • Master: mais de 8 anos.

 

A média salarial do engenheiro florestal com uma carga horária de 42 horas é de R$ 5.710,61, de acordo com o site $alário.com.br. Foi feita uma pesquisa com amostra de 399 salários em todo Brasil, que apresentou uma faixa salarial entre R$ 4.054,53 e R$ 12.569,84.

 

Se interessou pela Engenharia Florestal?

 

 

Agora que você conheceu mais sobre o curso e como o engenheiro florestal atua no mercado de trabalho, fica mais fácil identificar se esse curso é realmente o ideal para você.

Porém, é importante pesquisar mais sobre os outros cursos de engenharia para ter certeza do caminho que se pretende trilhar. Sendo assim, acompanhe nossa série de engenharias que sai toda semana aqui no Blog!

Ah! E dê seu feedback contando sua experiência na procura da sua futura profissão e o que você achou do artigo :)

 

Dica Bônus

 

Essa é pra quem realmente já está pensando no futuro e já quer começar a se organizar! O curso de Introdução ao Excel vai iniciar a sua capacitação e te oferece ferramentas que podem te auxiliar a estruturar seu horário de estudo.

 

 

Assim, fica mais fácil para você se preparar e também para entrar com tudo no curso de engenharia que escolher!