Já imaginou uma ferramenta que permita elevar exponencialmente a confiabilidade dos seus processos e produtos? Isso é possível através da utilização do FMEA!

A Failure Mode and Effects Analysis, ou no bom português Análise dos Modos de Falha e seus Efeitos, é uma ferramenta que identifica, prioriza e previne falhas nos processos e produtos da sua empresa.

O FMEA se coloca como, não só uma ferramenta, mas uma estratégia para a colocação do negócio no mercado como uma empresa que assegura a qualidade e a confiabilidade do produto ou processo que vende. Este fator pesa muito no processo de decisão de compra de qualquer cliente.

 

Afinal, o que é FMEA?

 

De acordo com a ABNT, FMEA é um método que utiliza variáveis qualitativas para realizar uma análise dos possíveis modos de falha que podem originar-se em componentes e gerar um efeito sobre a função de todo o conjunto.

Com a utilização do FMEA, é possível prever algumas falhas sistêmicas de nível crítico (e também as mais leves), assim como seu efeito sobre o conjunto. Portanto, a ferramenta cria a possibilidade de se minimizar as falhas potenciais e evitar seus efeitos.

 

Qual a importância da análise FMEA?

 

Vivemos em uma corrida constante por grandes inovações e novas tecnologias, mas além disso, precisamos também nos preocupar com a experiência e satisfação dos nossos clientes com os atuais serviços e produtos.

E para isso, é necessário identificar as falhas existentes, estudar suas causas e elaborar um projeto para as soluções.

Para te ajudar nesse processo, hoje iremos te ensinar como você pode utilizar o FMEA para fazer isso de forma eficiente.

Então, continue lendo este artigo e comece agora o seu processo próprio de melhoria contínua.

 

Faça junto com a gente a sua análise FMEA!

 

O grande objetivo do FMEA é propiciar um método estruturado para a realização da análise das causas e efeitos de falha, e isso pode ser feito através do preenchimento correto e completo de uma planilha, por exemplo.

Para você poder acompanhar este artigo de forma dinâmica, estamos disponibilizando a planilha FMEA totalmente GRATUITA para você!

 

Planilha FMEA

 

Com ela, vai ser possível aprender de forma rápida, simples e fácil como fazer uma análise FMEA e reduzir a ocorrência de falhas da sua organização. Clique no botão abaixo e baixe a sua!

 

Veja na vídeo-aula abaixo o funcionamento da planilha de análise FMEA

 

 

Entenda a Ferramenta FMEA

 

A navegação na planilha se dará por meio dos botões abaixo. Basta clicar no botão e você será remetido para a aba correspondente.

FMEA

Cadastramento de Dados para a análise com o FMEA

 

O cabeçalho deve ser preenchido normalmente com as informações respectivas.

 

FMEA

 

Os demais itens serão explicitados abaixo. Para fins didáticos iremos separar a explicação em grupos, de modo a facilitar a visualização e o entendimento.

 

FMEA IS

 

  • Etapa do Processo: Indica a etapa do processo na qual está se realizando a análise; 

  • Função e Requisitos do Processo: descrição simplificada do processo ou operação em análise (ex.: torneamento, filtragem, montagem,  peneiramento,etc );

  • Modos de Falha Potencial: É a descrição de uma não conformidade nesta operação que pode ser associada com o modo potencial de falha de uma operação anterior ou posterior.

  • Efeitos Potenciais da Falha: Descreve a falha em termos do que seria observado pelo cliente, definindo se o modo de falha poderia impactar na segurança ou causar o não cumprimento das legislações.

Exs.: Barulho, vazamentos, interrupção da produção, Põe o operador em risco, Inoperância do equipamento, não bombeia, não filtra, etc.. 

  •  Índice de Severidade: Classe de pontuação que mostra como as possíveis falhas estão na visão do cliente. 

1: Pouco perceptível;

2-3: Pouco importante;

4-5-6: Moderado;

7-8: Grave;

9-10: Extremamente grave. Não é recomendado modificar o critério de classificação para os valores 9 e 10. 

Quanto maior for a pontuação, mais rápido deve ser as ações corretivas daquela falha.

 

  • Causas e Mecanismos Potenciais de Falha: É definida como a forma pela qual a falha poderia ocorrer, descrita em termos de alguma coisa que possa ser corrigida ou possa ser controlada.

As falhas devem ser escritas de forma específica e não genérica. EXs.: Lubrificação inadequada, posicionamento errada do equipamento x, ferramental quebrado, operador falha ao instalar uma junta de vedação, etc..

FMEA IO

  • Índice de Ocorrência: É a probabilidade de ocorrência da falha de um mecanismo específico. Sua pontuação é dada por:

1: Remota;

2: Muito Pequena;

3: Pequena;

4-5-6: Moderada;

7-8: Alta;

9-10: Muito Alta.

 

  • Controles atuais do processo de prevenção e de detecção: Controles que podem detectar na medida do possível, a ocorrência do modo de falha ou o mecanismo da mesma.

Estes controles podem ser dispositivos a prova de erro ou até mesmo controles do próprio processo.

FMEA ID

  • Índice de Detecção: Deve-se assumir que a falha ocorreu e, então, avaliar a eficácia dos controles atuais do processo. Sua classificação é:

1: Muito alta;

2-3: Alta;

4-5-6: Moderada;

7-8: Pequena;

9: Muito pequena;

10: Remota.

 

  • Nível de Priorização de Risco (NPR): É o produto dos índices da severidade(S) x Ocorrência (O) x Detecção (D). Quando IS for 9 ou 10 deve-se tomar uma ação independente do resultado do NPR. 

A classificação do NPR é:

1-99: baixo;

100-500: moderado;

501-1000: alto.

Obs.: perceba que a coluna do “NPR” está com a cor cinza. Isso se deve pois essa coluna possui fórmulas e NÃO deve ser preenchida.

 

FMEA NPR

 

  • Ações a serem tomadas para a redução do NPR: Para redução do nível de ocorrência e severidade aconselha-se a revisão do processo.

Os demais campos são preenchidos com as informações pertinentes.

 

Gráficos

 

Com base nas informações cadastradas na aba anterior; serão gerados três gráficos com os índices de: Severidade, Ocorrência e Detecção. Esses gráficos apontam a distribuição dos índices em relação ao seu impacto.

Dessa forma, pode-se facilmente realizar uma análise dos mais frequentes e tomar isso como base de informação para reuniões de análise crítica, com o objetivo de determinar possíveis padrões de comportamento, bem como a solução para os problemas.

 

Gráfico FMEA

 

Quer se qualificar ainda mais?

 

Se você chegou aqui, acredito que está comprometido em resolver problemas, gerar mais resultados e, assim, ser valorizado por isso!

Para pessoas como você que querem se consagrar no mercado, o Lean Seis Sigma é a metodologia que propicia um up na carreira, considerando os aprendizados e a capacidade que você terá em reduzir desperdícios e aumentar receitas ao focar em qualidade. 

Portanto, não perca mais tempo e aprenda a liderar projetos de melhoria contínua com o uso da metodologia DMAIC. Inscreva-se já no Treinamento de White Belt em Lean Seis Sigma e demonstre seu comprometimento com a qualidade enquanto colaborador! Só clicar abaixo.

 

Treinamento de White Belt em Lean Seis Sigma


Ah, e antes de ir embora deixe o seu feedback aqui nos comentários, ele nos ajuda ainda mais enriquecer e melhorar nossos conteúdos.