Você sabe o que ter uma mentalidade de  crescimento, ou Growth  Mindset, realmente significa?

Growth Mindset trata da maneira de  pensar e, mais do que isso, das etapas de como aplicar o  Growth Hacking dentro de uma empresa. O Growth Hacking é um framework, criado por Sean Ellis, que tem como objetivo aumentar a base de  clientes e a retenção de uma empresa, aumentando assim a  receita da mesma.

Para atingir tais  objetivos, o método faz uso de uma profunda  análise de dados, experimentação e aprendizado constantes, visando sempre a  melhoria contínua dos produtos, serviços e processos.

O criador resume o conceito como o  marketing orientado para experimentos, ou ainda, estratégias de posicionamento de  mercado a partir de análises de dados e testes práticos. O Growth Hacking vem sendo abordado aqui no blog da Voitto em artigos que exploram sua  estrutura, seus indicadores e métricas.

Mas para você leitor, que deseja se aprofundar e ir além dos artigos, o grupo Voitto traz o ebook gratuito, “ Guia prático do Growth Hacking”. Nele você vai aprender os principais conceitos, ferramentas e métricas do framework mais  inovador e disruptivo do mercado.

EBOOK Guia Prático do Growth Hacking

Como funciona o Growth Mindset

 

Growth Mindset se resume por equipes colaborativas, multidisciplinares e  autogerenciadas, que criam soluções, testam rapidamente e avaliam o impacto das mesmas através de dados dos usuários e métricas de sucesso. É uma busca constante da geração de crescimento para as empresas.

Growth Mindset tem 4 estágios principais que, juntos, formam um processo iterativo que visa otimizar algum processo, produto ou serviço.

Os quatro estágios são:

  • Analisar: olhar todas as variáveis e indicadores com uma visão crítica e especulativa;

  • Gerar hipóteses (ideação): a partir dos dados levantados na etapa anterior, criam-se  hipóteses e suposições do que causa determinado problema e de como melhorar estes resultados;

  • Priorizar: determinar quais hipóteses testadas apresentam maior grau de importância, devendo ser “atacadas” primeiramente;

  • Testar: testar soluções para, a partir de testes, validá-las, ter segurança ao aplicá-las e entender qual o comportamento apresentado diante dessas soluções.

 

Ao finalizar a última etapa, deve-se voltar à primeira, fechando assim um ciclo de melhoria contínua que nunca acaba.

 

Relação do Growth Mindset com PDCA

 

Apesar de estarmos falando de um método inovador e disruptivo, o Growth Mindset não foi o primeiro a utilizar um processo iterativo ou a ideia de melhoria contínua para otimizar processos. 

PDCA, ou ciclo de Deming, é um dos modelos de gestão mais clássicos do mundo e também faz uso desse conceito. Por isso, torna-se importante entendê-lo e analisar a sua relação com o Growth. Este modelo apresenta os seguintes raciocínios:

  • Planejar (Plan): essa é a etapa em que definimos os objetivos e metas do processo, analisamos o fenômeno envolvido com ele e criamos um plano de ação;

  • Executar (Do): aqui é o momento em que o plano de ação deve ser atacado;

  • Checar (Check): a partir da execução realizada anteriormente, deve-se colher dados sobre os resultados atingidos e especular sobre os motivos que levaram a eles; e

  • Agir (Act): aqui vamos aplicar correções, buscando melhorar o que deu certo e deixar de fazer o que deu errado.

 

PDCA é origem de muitos outros modelos de gestão. O modelo de Growth Mindset, como pudemos ver no tópico anterior, não foge muito a esse raciocínio. É nítida a semelhança entre os dois modelos e suas respectivas etapas.

 

Relação do Growth Mindset com Metodologias Ágeis

 

Como uma metodologia que visa acelerar o crescimento de uma empresa, para aplicá-la é fundamental agilidade e velocidade na tomada de decisões e adaptação aos diferentes contextos que o mercado pode trazer.

Por isso buscaremos entender agora os principais proventos das  Metodologias Ágeis (podemos citar o  Scrum como o principal deles) e como o Growth Mindset os incorpora para potencializar os resultados de uma empresa.

Metodologia Scrum traz, como premissas principais, os quatro seguintes pontos:

  • Entregas iterativas: tratam-se de  entregas incrementais, feitas em estágios definidos, para que os colaboradores estejam sempre entregando  valor pouco a pouco;

  • Só fazer o que faz sentido: em meio a tantos recursos,  ferramentas, funcionalidades e práticas deve-se ter em mente que só deve ser usado o que fizer sentido para sua cultura, sua organização e seu contexto;

  • Organização do time: equipes multifuncionais e autogerenciáveis que conseguem se motivar e direcionar de forma independente, autônoma, integrada e com múltiplas visões;

  • Transparência e comunidade: todos os colaboradores devem saber o objetivo da empresa e o caminho a ser percorrido até ele. As informações devem ser transparentes, disponíveis, rápidas e claras.

 

Growth Hacking faz uso integrado desses pilares dentro da sua maneira de pensar e de agir para melhorar processos de maneira contínua.

 

Funil do Growth Hacking

 

Assim como existe o famoso  Funil de Vendas, criado por Dave McClure, existe também o Funil do Growth Hacking. O framework propõe um funil em 5 etapas, que tem a função de auxiliar a aplicação da metodologia, com ações  assertivas, respectivas a cada etapa.

Veremos agora como cada uma dessas etapas deve ser aplicada e como ela vai aumentar a quantidade de pessoas que passam para a etapa seguinte e chegam até o final do funil, convertendo uma maior quantidade de leads em  negócios fechados.

Veja as etapas:

Aquisição

Na primeira etapa do funil deve-se formar o Growth Team, definir as principais alavancas para o crescimento e garantir o Product/Market Fit, ou seja, o casamento do seu produto ou serviço com o mercado em que ele está inserido.

É importante confirmar que seu produto seja bom e também que o mercado-alvo o deseje. Assim, foque seus esforços em garantir que sua linguagem e seus  canais sejam adequados para trabalhar com o seu  público-alvo. Dessa maneira, a aquisição de novos clientes será conquistada.

 

Ativação

Após atrair os leads em potencial, é preciso ativá-los. Para isso, a melhor estratégia é fazer com que esses leads vivam o Momento Aha! Você sabe o que é isso?

O Momento Aha! é o termo utilizado no Growth Hacking para descrever o momento em que o lead percebe que o benefício que a sua empresa oferece, seja por meio de um produto ou serviço, é a solução que ele estava procurando para o problema dele.

Talvez, ele nem mesmo esteja procurando, mas seu  discurso deve ser capaz de fazê-lo perceber esse problema e  de colocar o seu produto como a melhor solução.

 

Retenção

É fundamental para uma empresa fortalecer a sua relação com seus clientes. Tão importante quanto criar e adquirir novos clientes é mantê-los. E isso se mostra um grande  desafio que a maioria das empresas têm dificuldade de superar.

Para obter sucesso nessa etapa, é preciso muito foco no engajamento do cliente. Sempre reconheça e recompense o engajamento, fomentando comentários positivos e indicações da sua empresa.

 

Receita

Essa etapa esconde o erro de grande parte das empresas: o foco apenas aqui, justamente nessa etapa.

Obviamente, aqui está o objetivo principal de qualquer organização, gerar receita para o  reinvestimento na empresa, para o salário dos  colaboradores e o lucro dos empresários, investidores e acionistas.

Porém, para atingir um bom resultado aqui, não se esqueça de que todas as outras etapas merecem atenção semelhante.

Nesta etapa, tome atitudes que busquem valorizar o seu produto, avaliá-lo financeiramente segundo seu real valor para o cliente e ainda, fornecer ao cliente boas opções de pagamento.

 

Indicação

Quando o  usuário tem uma boa experiência de compra, uso do seu produto ou serviço e assistência no pós-compra, a tendência natural é que ele se torne um divulgador e promotor da sua marca.

Dessa maneira, você obtém um canal de marketing mais barato, além de um agente que gera confiabilidade e autoridade para a sua marca.

Aqui é importante que você facilite os meios de compartilhamento do seu conteúdo na web e fomente esse tipo de ação com incentivos.

Lembre-se de que, para uma boa indicação, a qualidade do seu produto deve ser excepcional. Se um cliente satisfeito costuma fazer cinco indicações, um cliente insatisfeito fará ao menos cinquenta detrações.

 

Sem o Growth Hacking sua empresa perde a chance de um crescimento exponencial

 

Agora que você já entendeu como funciona o Growth Hacking, como o Growth Mindset se relaciona com o clássico PDCA, com as Metodologias Ágeis (Scrum) e as principais estratégias do Funil do Growth, você deve ter percebido o potencial que esse framework têm de levar o crescimento da sua empresa a outro patamar.

A cada segundo que você deixa de aplicar esse método tão poderoso, você está perdendo a chance de aumentar sua base de clientes, de alargar o topo e o fundo do seu funil e de elevar a retenção e a receita do seu negócio.

Por isso, não perca mais esse tempo tão valioso, torne a sua empresa competitiva e se destaque no seu mercado com as melhores técnicas de gestão. Para isso, inscreva-se já no curso gratuito de  Fundamentos do Growth Hacking da Voitto. Com ele, você aprenderá estratégias que facilitam a tomada de decisão e fomentam a melhoria contínua na sua empresa.

Curso gratuito de Fundamentos de Growth Hacking