Quando pensamos em incubadora, nos vem à cabeça aquele local onde os bebês recém-nascidos ficam para crescer e se desenvolver, não é mesmo? Pois saiba que a ideia da incubadora de empresas é basicamente a mesma.

Segundo o IBGE, a maioria das empresas no Brasil fecha antes de completar cinco anos de existência e, considerando isso, vamos agora entender como as incubadoras de empresas trabalham para reverter esta situação. Para isso, esse artigo vai te mostrar:

  • O que é uma incubadora de empresas?
  • Como surgiram as incubadoras de empresas?
  • Como as incubadoras de empresa funcionam?
  • Quem pode utilizar?
  • Quais são os tipos de incubadoras de empresas?
  • Quais são os benefícios de se utilizar incubadoras de empresas?
  • Incubadoras brasileiras

Continue conosco neste artigo e aprenda tudo sobre esse conceito que vem revolucionando o empreendedorismo!

 

O que é uma incubadora de empresas?

 

Uma incubadora de empresas é uma instituição cujo objetivo é preparar, fortalecer e dar suporte à micro e pequenas empresas em estágio inicial para que elas sobrevivam no mercado.

As incubadoras oferecem serviços de gestão empresarial, suporte técnico e formações complementares para os empreendedores. Isso é feito por meio de um espaço físico estruturado com salas de reunião, internet e acesso a ferramentas e a equipamentos que são oferecidos às novas empresas.

Além disso, também é feito por meio de serviços administrativos como gestão financeira, marketing, análise mercadológica e assistência jurídica.

As incubadoras de empresas podem ajudar os novos negócios a conseguirem parceiras, cursos de capacitação, consultoria com especialistas e uma infinidade de outros benefícios.

A maioria das incubadoras sobrevive de recursos públicos e não possui fins lucrativos. Isso é interessante para o governo, pois aquece a economia do país, sendo também um incentivo para o setor de pesquisas e inovações tecnológicas.

A concorrência para conseguir que uma empresa seja aceita em uma incubadora é muito alta, visto as grandes vantagens que esse processo pode trazer. Por isso, é necessário que o negócio mesmo que em ideia inicial apresente uma estratégia condizente e com possibilidade de sucesso.

Para obter isso, é necessário se desenvolver. Por isso, oferecemos para você nossa formação gratuita em Fundamentos do Growth Hacking. No nosso curso você aprenderá a desenvolver uma taxa de crescimento exponencial por meio dos níveis de retenção de clientes e ampliação de receitas, além de praticar a cultura da constante experimentação. Aproveite!

 

Fundamentos do Growth Hacking

 

Vamos entender agora como o conceito de incubadoras de empresas surgiu?

 

Como surgiram as incubadoras de empresas?

 

O conceito de incubação de empresas surgiu nos Estados Unidos no ano de 1959, quando Joseph Mancuso abriu a Batavia Industrial Center em um armazém situado na cidade de Batavia, em Nova Iorque.

O processo foi se expandindo por todo país, através de parques tecnológicos, polos de pesquisa e centros de inovação, e, em seguida, espalhou-se pelo mundo.

No Brasil, as primeiras incubadoras surgiram na década de 80 por incentivo do professor Lynaldo Cavalcanti, o então presidente do CNPq.

 

Como as incubadoras de empresas funcionam?

 

Vamos falar agora sobre as etapas que constituem o processo de incubação:

 

1. Pré-incubação

 

É a fase inicial do projeto, o momento de preparação.

Aqui se apresenta a ideia para a incubadora, e as incubadas receberão suporte para que amadureçam o projeto ou protótipo. Nesta fase, também é avaliado se aquele negócio pode ser viável ou não.

 

2. Incubação

 

Após a aprovação do projeto, inicia-se o processo de incubação propriamente dito. Aqui as incubadoras oferecem apoio para os novos empreendimentos se desenvolverem, e eles têm que aproveitar todo suporte que puderem da melhor forma possível.

 

3. Pós-incubação

 

Quando a empresa já consegue se manter sozinha, ela deixa o processo de incubação. Mas ainda recebe, no começo, algumas consultorias especializadas para que não se perca.

 

Quem pode faz parte de uma incubadora?

 

Qualquer pessoa que tenha uma ideia inovadora e queira abrir o próprio negócio pode participar de uma incubadora de empresas.

Os projetos aceitos são os que são submetidos por:

  • Pessoa física: aqui geralmente se encaixam pesquisadores e profissionais que tenham alguma ideia inovadora;

  • Empresa existente: empresas já existentes precisam apresentar algum projeto de melhoria ou novos produtos e serviços;

  • Pessoa jurídica: alguma pessoa ou grupo de pessoas que queiram abrir uma empresa de base tecnológica.

 

Quais são os tipos de incubadoras?

 

Segundo o SEBRAE, os tipos de incubadoras são:

 

1. Incubadoras de base tecnológica

Abrigam empresas com tecnologias de alto valor agregado.

 

2. Incubadoras de setores tradicionais

São destinadas a empresas de setores tradicionais da economia que queiram agregar valor aos seus produtos e fazer incrementos no seu nível tecnológico.

 

3. Incubadoras mistas

Abriga empresas de base tecnológica e setores tradicionais.

 

4. Incubadoras de empresas de agronegócios

São destinadas à empresas que atuam no agronegócio e utilizam a incubadora para otimizar seu processos de gestão e desenvolvimento tecnológico.  

 

5. Incubadoras de cooperativas

Abrigam empreendimentos de associação por período médio de dois anos, instalados dentro ou fora do município. Representam uma das modalidades de incubadoras de setores tradicionais.

 

6. Incubadoras de empresas culturais

Abrigam empresas que possuem como valor agregado a arte e a cultura. 

 

7. Incubadoras de design

São destinadas a empreendimentos que estão ligados diretamente a área de design. 

 

8. Incubadora social

Apoia empreendimentos que tem origem em projetos sociais e que geram emprego e renda para a comunidade no qual estão inseridos. 

 

Quais são os benefícios das incubadoras de empresas?

 

Um dos principais benefícios é em como as incubadoras podem estimular as pequenas empresas, que tem como principal resultado a redução da taxa de mortalidade das mesmas em seus primeiros anos de vida

Segundo o SEBRAE, as principais causas para as empresas fecharem em seus primeiros anos são: falta de planejamento prévio, falta de gestão empresarial e comportamento empreendedor inadequado. Esses fatores contribuem para a ausência de requisitos básicos ao se tentar entender o mercado, como saber quem são seus clientes, concorrentes e fornecedores.

E é exatamente nesses pontos, de forma geral que as incubadoras de empresas atuam e investem, de forma a otimizar a gestão das pequenas empresas ou na validação de novas ideias. 

O reflexo disso, revelado segundo a pesquisa mais recente realizada também pelo SEBRAE, é de que a taxa de mortalidade das empresas incubadas é de apenas 20%, contra 60% das empresas que não passam por esse processo.  

 

Incubadoras brasileiras

 

Segundo a Associação Nacional das Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), o número de incubadoras de empresas vem crescendo cada vez mais, e a maioria está ligada à Universidades.

Isso ocorre porque, no Brasil, o principal nicho de pesquisas e inovações tecnológicas se concentra justamente nos centros de ensino superior.

Vamos citar aqui as maiores incubadoras do país:

 

Tem vontade de empreender?

 

Ser seu próprio chefe, ter liberdade de tempo e independência financeira são os principais fatores que motivam as pessoas a abrirem seu próprio negócio.

Se você quer saber como fazer isso desde o começo até alcançar o sucesso, este curso da Voitto de Formação Empreendedora é o ideal para você! Não perca seu tempo!

 

Curso de Formação Empreendedora