O que você acha que seria mais vantajoso, em termos de custos, para uma indústria: manter um operador para supervisionar cada máquina da linha de produção, para identificar não conformidades e determinar ações corretivas, ou deixar que o erro siga em frente e a empresa arque com os custos de falhas, superiores aos de reparo? 

Obviamente, nenhuma das opções acima! Graças à tecnologia, hoje temos máquinas inteligentes, capazes de detectar anomalias e interromper a produção, sem que um operário tenha que ficar de vigia e passe horas ocioso nessa função. 

Essa capacidade, denominada pelo termo japonês Jidoka, surgiu ainda no início dos anos 1900, pelo fundador da Toyota, Sakichi Toyoda, através da criação de uma máquina de tear automática, que parava a produção quando um fio se quebrava.

A partir daí, o Jidoka se tornou um dos pilares do sistema Toyota de produção e permitiu reduzir muitos dos desperdícios causados pela falta de qualidade.

Então, vamos ver o que o Jidoka é, quais são os seus princípios e os seus benefícios, e como ele se relaciona com o Lean Manufacturing.

Para que você possa saber ainda mais sobre reduzir desperdícios, aumentar a produtividade e os lucros de uma empresa, baixe o nosso Ebook, Guia definitivo do Lean Seis Sigma, e tenha salvo com você um material rico em informações!

Para fazer o download, é só clicar na imagem abaixo:

 

 

O que é Jidoka

 

Jidoka consiste na “autonomação” da linha produtiva, ou seja, a junção da automação com um toque de inteligência humana. Objetivamente, o equipamento possui a capacidade de distinguir itens bons e defeituosos sem a necessidade de monitoramento por operários.

Assim que um produto defeituoso é identificado, a linha de produção para, a fim de que os operários possam resolver o problema. Também pode ser usada a técnica Andon, que, em japonês, significa “lâmpada”, para sinalizar a presença de não conformidades de forma automática. 

O Jidoka, muitas vezes, é esquecido como um dos dois pilares do Sistema Toyota de Produção, entretanto, sua utilização é essencial para garantir a qualidade em todo o sistema produtivo e prevenir gastos com falhas e desperdícios.

 

 

Como funciona o Just in Time

 

O outro pilar do Sistema Toyota de Produção, Just in Time, consiste em um sistema de produção no qual a movimentação de materiais e suprimentos é sincronizada, geralmente através de pequenos lotes, tendo como objetivo eliminar desperdícios. 

 

A ideia básica é produzir apenas o necessário, no momento necessário e na quantidade requerida.” (Taiichi Ohno)

 

Objetivos do Just in Time:

 

  • Eliminar as paralisações; 
  • Tornar o sistema flexível; 
  • Reduzir os tempos de setup e lead times
  • Eliminar o desperdício;  
  • Minimizar o material em processo; e 
  • Simplificar o processo.

 

Quais são os princípios do Jidoka?

 

De modo geral, pode-se destacar quatro passos:

 

  • Descoberta da anomalia;
  • Parada;
  • Correção do problema;
  • Investigação e correção da causa raiz.

 

  • No Jidoka, todos os operadores têm a autoridade de parar a linha de produção, caso algum problema seja detectado;
  • Empresas ocidentais, no geral, têm receio de parar a produção e perder dinheiro. O Jidoka, no entanto, não simplesmente para a linha. Ele realça o problema, o soluciona e corrige a causa raiz para que ele não volte a acontecer. 
  • Além de solucionar e evitar a recorrência de problemas, o Jidoka traz diversos benefícios para a empresa, como melhora da qualidade, aumento da produtividade, redução de custos e a motivação do colaborador. 

 

Como o Jidoka se relaciona o Lean Manufacturing?

 

O Lean Manufacturing é uma filosofia que busca, através de técnicas e conceitos específicos, uma produção enxuta, livre de desperdícios. 

Assim, a metodologia estipula 8 tipos de desperdícios que devem ser foco de redução: transporte, inventário, movimentação, espera, produção excessiva, processamento excessivo, conhecimento e defeitos. 

Então, pense comigo: com o Jidoka, o operário identifica o defeito assim que ele ocorre, realiza a parada da linha, corrige o problema e investiga a causa raiz. 

Desse modo, ele evita o processamento, o transporte e a movimentação do produto defeituoso nas próximas etapas da produção, além de reduzir o desperdício que seria causado se o item chegasse ao fim da linha, não pudesse ser mais corrigido e tivesse de ser descartado. 

Fica claro como muitos custos são evitados e a empresa se beneficia, não é mesmo? 

É por isso que o Jidoka deve caminhar junto ao Lean Manufacturing: ambos possuem o mesmo objetivo!

Somado a isso, outra importante premissa do sistema enxuto de produção é ir até onde o problema acontece, algo que vai totalmente de acordo o conceito Jidoka. Afinal, não basta corrigir o problema, é necessário estabelecer meios para que este não volte a ocorrer!

Com isso, é possível maximizar o valor das operações de um negócio, aumentar o valor agregado, reduzir o tempo de produção, diminuir os custos envolvidos, aumentar a eficiência do processo e, principalmente, diminuir os desperdícios da empresa.  

 

O Jidoka está por trás de várias outras ferramentas Lean como: 

  • No 5S, se uma ferramenta está fora do lugar e existe uma anomalia que deve ser tratada;
  • No Kanban, se produtos estão onde não deveriam estar e deve-se questionar por que foram movidos sem a autorização do cartão.

 

Que tal se tornar um especialista em Lean Manufacturing?

 

Agora que você aprendeu o que é Jidoka e como nivelar a produção, que tal aprender ainda mais sobre os fundamentos do Lean?

Deter conhecimentos sobre como reduzir desperdícios e custos, assim como aumentar a produtividade de uma empresa, através da produção enxuta, com certeza vai te trazer diversos benefícios em sua atuação profissional e fazer com que você se destaque no mercado!

Então, está esperando o quê? Confira o nosso curso de introdução ao Lean Manufacturing completamente gratuito, inicie a sua jornada pelo conhecimento e alcance resultados incríveis!

Para se inscrever, é só clicar no botão abaixo: