Grande parte dos trabalhadores enfrenta dificuldades dentro de suas empresas pois, de acordo com o autor, esses são tratados como objetos, não seres humanos. Para mudar isso, ele parte da noção de influência de um novo elemento de mudança na interação entre patrão e empregado, o conhecimento.

Na publicação, Covey defende um paradigma que diz que o empregado deve ser vistos como uma “pessoa completa” - com mente, corpo, coração e alma - e não apenas como uma ferramenta de produção que funciona 8 horas por dia.

Se interessou? Continue neste artigo que eu te conto mais!

 

Sobre a obra

 

O livro O 8º Hábito ensina como as pessoas podem ir ao encontro da sua voz interior e como elas podem ajudar a outras pessoas nessa jornada.

Ele também nos mostra o caminho da grandeza, pois nos dias atuais ser eficaz na vida profissional ou pessoal deixou de ser uma simples escolha. Hoje esses aspectos se tornaram essenciais.

O 8º Hábito é a versão do livro The 8th Habit. A sua 10ª Edição, em português, possui 411 páginas, 15 capítulos e 8 apêndices.

Além disso, esse livro é dividido em duas grandes partes: “ Encontre a sua Voz Interior” e “Inspire os Outros a Encontrar as Deles.

Se você  quer saber todos os detalhes sobre o tão famoso 8º hábito, que tal conferir a edição completa desse livro? Ela está disponível para compra no link:

 

Sobre o autor

 

De acordo com a revista Time, Stephen R. Covey está entre os vinte e cinco americanos mais influentes. Ele é cofundador da FranklinCovey Co, onde já atuou como vice-presidente, recebeu doze títulos honorários de doutorado e é autor de vários livros.

O seu livro mais famoso é o best-seller “The 7 Habits of Highly Effective People” (Os 7 hábitos das Pessoas Altamente Eficazes), o qual, segundo a Forbes, está entre os 10 livros de gestão mais influentes de todos os tempos.

 

Esse livro é indicado para quem?

 

Se você é uma pessoa que tem interesse em trabalhar com alegria e de forma eficiente, o 8º Hábito é o livro perfeito para você.

Este livro também é indicado para aqueles que desejam ser e aqueles que são grandes líderes.

E se você estiver se sentindo perdido ou insatisfeito com o desenrolar dos seus projetos pessoas e profissionais, não deixe de ler o 8º Hábito. Ele será extremamente útil para você.

 

Ideias principais do livro

 

  • O 8º hábito possui dois aspectos: encontrar sua voz única e ajudar outras pessoas a encontrarem as suas vozes únicas;

  • O 8º hábito depende do desenvolvimento dos primeiros sete hábitos;

  • A maioria das administrações opera sob um paradigma falho da Era Industrial;

  • Dê boas-vindas ao paradigma do Profissional do Conhecimento;

  • Todos têm uma escolha: você pode perseguir mediocridade ou excelência.

  • Seu poder de escolha reside em quatro elementos essenciais: mente, corpo, coração e alma;

  • Pessoas extraordinárias possuem quatro traços: visão, disciplina, paixão e consciência moral;

  • A principal proposta de dominar os 8 hábitos é servir outras pessoas;

 

Então, vamos lá? Neste resumo vamos te contar tudo o que você deseja saber sobre O 8º Hábito.

 

Overview: A dor, O problema e A solução

 

Nos três capítulos iniciais do 8º Hábito, o autor explica um pouco do propósito do livro. Ele se dispõe a mostrar às pessoas como elas podem sair de um estado de dor e chegar à solução dos seus problemas.

 

A dor

 

Stephen R. Covey começa o 8º Hábito com exemplos das reclamações mais frequentes das pessoas no dia a dia.

Segundo este mestre da liderança, a maioria da população reclama de certos aspectos, como:”Talvez eu não seja bom o suficiente” e “Ninguém me dá valor. Meu chefe nem tem ideia da minha capacidade”.

Ele também mostra alguns resultados de um questionário feito pela Harris Interactive e respondido por 23 mil profissionais.

Diante dessas informações, Covey evidenciou que as pessoas não se sentem motivadas nas organizações, elas se sentem perdidas e desmotivadas.

 

O Problema

 

O capítulo 2 evidencia como os problemas foram tratados ao longo das cinco eras da “voz civilização”: Era Caçador e Coletor, Era Agrícola, Era Industrial, Era da Informação do Trabalhador do Conhecimento e Era da Sabedoria.

Covey também aborda o poder do paradigma na vida das pessoas. E o ponto alto deste capítulo é o paradigma de Era Industrial.  

O velho paradigma da Era Industrial defendia que as pessoas eram uma entrada, da mesma maneira que materiais crus, como aço e energia. As pessoas, portanto, eram tratadas como “coisas”.

Elas não eram gerenciadas como indivíduos constituídos de coração, mente, corpo e espírito, mas como objetos a serem controlados e que não eram confiáveis.

Apesar de as circunstâncias atuais terem mudado desde aquela época, o paradigma básico ainda persiste.

Os trabalhadores ainda são vistos como objetos, que devem ser cuidadosamente escrutinados e gerenciados para que consigam ter um desempenho eficiente.

Esse tipo de abordagem é cada vez mais disfuncional na era do profissional da informação. Sob a antiga abordagem, os funcionários vivenciam muita dificuldade e frustração em qualquer empresa, incluindo as bem-sucedidas. Felizmente, o paradigma do local de trabalho atual está mudando.

 

A solução

 

A solução de todos os nossos problemas! Parece até um sonho ouvir isso, não é mesmo? Pois é, o capítulo três nos dá um breve aperitivo de como o 8º hábito pode trazer resultados para a nossa vida pessoal e profissional.

Um trecho que se destaca nesta parte é: “...Essas pessoas apenas percebem que não podem esperar que o chefe ou a organização mude. Elas se tornam ilhas de excelência num mar de mediocridade”.

Afinal, todos nós temos o poder de fazer a escolha: viver com mediocridade ou lutar por grandeza. A boa notícia é que você sempre pode mudar seu pensamento, deixar a mediocridade para trás e perseguir a excelência.

Dessa forma, se você quer mudar o cenário ao seu redor, não espere que as pessoas ao seu redor mudem: comece a praticar o 8º hábito.

Praticar o 8º hábito significa encontrar a sua própria voz e ajudar outras pessoas a encontrarem as delas. Nesse contexto, a “voz” é o significado singular que cada pessoa oferece e que pode ser usado em seu trabalho.

 

Overview: Encontre a sua Voz Interior

 

Lembra que nós comentamos que esse livro é dividido em duas partes? Então, a primeira parte conta com dois capítulos.

No capítulo quais, o autor explica como você pode encontrar a sua voz interior. Para isso, ele fala sobre os presentes de nascença não-abertos. Já no capítulo cinco, ele explica que você pode expressar a sua voz interior por meio da visão, disciplina, paixão e consciência.

Mas fique tranquilo, você não está lendo o resumo do livro de nenhum excêntrico. Covey sabe bem que há um caminho tortuoso para chegar ao que ele denomina de uma  “vida de grandeza e contribuição”.

 


Encontre a sua voz interior - Presentes de nascença não-abertos

 

Encontrar sua voz única significa alcançar seu potencial inato. O autor desse livro retrata que o maior presente que você ganhou ao nascer foi a habilidade de decidir se você vai desenvolver suas plenas capacidades.

Você tem uma escolha no espaço ou no tempo entre cada ação e reação. Durante esse momento, reflita no que já aconteceu e determine sua resposta.

A habilidade de entender seu livre poder de decisão abre as portas para quatro habilidades vitais:

 

  1. Mente - QI (inteligência mental): muitas pessoas param por aqui quando estão avaliando inteligência, mas acabam sendo muito restritivas.
     

  2. Corpo - QP (inteligência física): essa forma de inteligência costuma passar despercebida, pois ela trabalha no subconsciente.

Por exemplo, você não precisa pensar para respirar ou fazer seu coração bater. Ainda assim, essa inteligência está reagindo constantemente ao ambiente para te manter saudável.
 

  1. Coração - QE (inteligência emocional): você precisa ser cuidadoso, sensível e ter empatia com outras pessoas para se comunicar de forma genuína.
    Uma pessoa com QE forte sabe o que dizer na hora certa, como sentir e como expressar seus sentimentos. Evidências sugerem que no longo prazo a QE pode ser mais determinante para o sucesso do que QI.

     

  2. Alma ou espírito - QS (inteligência espiritual): é a inteligência mais central pois direciona as atividades das outras três. Nossa busca por significado e propósito nos faz desenvolver nossa QS.

 

Overview: Expresse a sua voz interior - visão, disciplina, paixão e consciência

 

Para encontrar a sua voz, Covey diz que você  precisa ter contato com os quatro elementos citados anteriormente: mente, corpo, coração e espírito.

Mas, para expressá-la, é preciso que você eleve essas quatro formas de inteligência até suas maiores manifestações, que são: “visão”, “disciplina”, “paixão” e “consciência”.

Por meio de trabalho duro e muito esforço, os maiores realizadores do mundo conseguiram esse feito, sabe como? Eles usaram a seguinte combinação:

 

  1. Mente = visão: quando a mente está totalmente desenvolvida você ganha visão, a habilidade de discernir o potencial mais alto nas pessoas, instituições, causas e organizações.
    Pessoas que não exercitam a habilidade de criação da mente sofrem de falha de visão.

     

  2. Corpo = disciplina: você precisa de disciplina para transformar visão em realidade. A disciplina é o filho nascido do casamento da visão com comprometimento. Você precisa de ambos.
     

  3. Coração = paixão: aqueles que desenvolvem um coração sábio sentem o fogo apaixonante da convicção, uma chama que sustenta a disciplina necessária para alcançar a visão.
    A paixão passa por encontrar e usar sua voz única para conseguir grandes realizações.

     

  4. Espírito = consciência: desenvolver sua identidade mental vai te guiar para os melhores caminhos, como se fosse uma bússola interna.

 

Overview: Inspire os outros a encontrar as vozes deles


Você já teve ou tem alguém que te serve como inspiração? Ou aquela pessoa que acreditou em você mais do que você mesmo? Essas pessoas nos levam para outro patamar, elas nos fazem acreditar que podemos caminhar para a excelência.

No 8º hábito, Covey conta que, quando mais novo, ele teve um líder que acreditou muito mais na capacidade dele do que ele mesmo. Essa atitude fez com que ele descobrisse qual trabalho gostaria de executar pelo resto da vida e também o ajudou a encontrar a sua própria “voz”.

Logo, na segunda parte desse livro, o autor explica a importância de inspirar os outros a encontrarem as vozes deles.

De acordo com Covey, o processo de Inspirar outros a encontrarem as próprias vozes pode ser sintetizado por duas palavras: FOCO e  EXECUÇÃO.

Então vamos lá, veja como você pode ajudar outras pessoas a alcançarem a excelência.

 

Inspire os outros a encontrar as vozes deles - O desafio da liderança

 

Definitivamente, liderança é a habilidade de ajudar as pessoas a entenderem seu real valor e potencial, para que possam adequar sua vida de acordo com isso.

Desse modo, o autor retrata a importância de liderar pessoas e gerenciar coisas

dentro das organizações. Pois muitas vezes os líderes dão mais importância ao gerenciamento das funções burocráticas do que à sua equipe.

Grande parte desse erro ocorre porque a visão da Era Industrial falhou em nutrir confiança, posicionou o chefe no centro de toda a atividade, tirou o poder das pessoas e desalinhou os interesses individuais e os da organização.

 

Foco - Modelar e descobrir caminhos

 

O Foco é a parte inicial do processo, é ele que auxilia no desbravamento de novos caminhos.

E para entender essa parte do processo, é necessário que você entenda dois tipos de vozes: a da influência e a da confiabilidade.

 

A voz da influência

 

Se você quer influenciar alguém a ser um grande líder, por exemplo, você deve ser um grande líder.

Mas, para ser um influenciador, você deve ser o que Covey chama de compensador. Em um barco ou avião, um compensador é o pequeno leme que praticamente move a máquina inteira.

Nas organizações bem-sucedidas, os compensadores implícitos influenciam ao praticar bons exemplos.

 

A voz da confiança

 

Para ser um líder, você precisa provar ser digno de confiança. A maioria das falhas de liderança normalmente são causadas por falhas de caráter.

Todo líder deve dar exemplos de valores fundamentais, como manter promessas e demonstrar honestidade e integridade.

 

Execução - Alinhar e Fortalecer

 

A execução está relacionada em ajudar aos outros a encontrarem as suas próprias vozes, ela aborda o alinhamento e fortalecimento desse processo. E, para isso, é necessário que você desenvolva a voz da execução e também a voz do fortalecimento.

 

A voz do fortalecimento




 

 

Por que você deve fortalecer outras pessoas a encontrarem as suas próprias vozes? Bom, considere as alternativas:

Você pode tentar liderar controlando-as, o que raramente se prova satisfatório. Ou, então, você pode abdicar da responsabilidade e deixar que façam o que desejarem. Isso também não parece ser muito inteligente.

A solução, então, é dar às pessoas “autonomia dirigida”. Trabalhe com elas para estabelecer objetivos e forneça autonomia para que elas possam alcançá-los.

 

A Era da Sabedoria

 

Chegamos aos últimos capítulos do 8º Hábito, e neles Covey conclui que encontrar a própria voz, e ajudar os outros a encontrar as suas vozes, é essencial para questões de liderança, grandeza pessoal e sucesso das organizações.

 

O 8º hábito e o ponto crítico

 

Você precisa preencher seis lacunas para fazer com que o fortalecimento das pessoas ocorra de fato:

 

1. A lacuna da clareza

 

A velha abordagem da Era Industrial consistia em anunciar um programa para os trabalhadores e esperar que eles entendessem. Como isso nem sempre acontecia, eles esperavam para ver o que acontecia.

As novas iniciativas do paradigma em transição precisam de identificação e envolvimento dos trabalhadores.

 

2. A lacuna do comprometimento

 

Em vez de “vender” novas ideias aos trabalhadores, o 8º hábito respeita as pessoas como um todo. A organização adaptada à nova cultura corporativa leva em conta o bem-estar do corpo, mente, coração e alma de cada indivíduo.

 

3. A lacuna da tradução

 

Objetivos grandiosos devem ser traduzidos em atividades no mundo real. Para o profissional do conhecimento, isso não é feito por meio de descrições de um trabalho, mas pelo alinhamento de metas e incentivos para alcançar os resultados desejados.

 

4. A lacuna da permissão

 

No pensamento antigo, pessoas eram um gasto e equipamentos eram vistos como investimento. A melhor ideia atual é estabelecer um painel que combine resultados desejados com capacidades.

Isso garante que os funcionários vejam como as estruturas da empresa estão alinhadas e permite que esses cumpram objetivos essenciais.

 

5. A lacuna da sinergia

 

Para ter sinergia, os gerentes precisam entender a “terceira alternativa”. Quando duas ideias entram em conflito, os gestores podem chegar, com empatia e pensamento criativo, a uma terceira via que agrade a todos.

Essa é a “Terceira Alternativa”, uma forma de comunicação que harmoniza variados interesses.

 

6. A lacuna da responsabilidade

 

Antigamente, o método utilizado era o de recompensas e punições. A nova forma envolve responsabilidades mútuas e uma comparação aberta do progresso no cumprimento da meta desejada. O painel mostra continuamente o andamento do objetivo.

 

Usando nossas vozes com sabedoria para servir aos outros

 

O caminho definitivo para o cultivo dos oito hábitos é servir aos outros. As organizações, por exemplo: a real razão pela qual elas existem é para servir as necessidades das pessoas.

Logo, nas suas ações do dia a dia, a pergunta não deve ser “o que eu ganho com isso?”, mas sim “o que eu consigo fornecer para os outros com isso?”

Lembre-se que, ao iniciar o processo de encontrar a sua própria voz, sua jornada deve terminar em um cenário em que você ajuda outras pessoas a encontrarem suas vozes.

Cada pessoa é preciosa, e não existe um limite real para o que uma empresa pode alcançar quando liderança se torna uma escolha, não uma posição.

 

O que outros autores dizem a respeito?

 

Para Charles Duhigg, em O Poder do Hábito, qualquer um que queira mudar um comportamento precisa da capacidade de acreditar que as coisas vão melhorar.

O autor James Clear, em Atomic Habits cita que o principal gatilho para ativar um hábito é o contexto, por isso é importante mudar o ambiente para estimular seus melhores hábitos.

No livro Inteligência Emocional, o autor Daniel Goleman explica que quanto melhor você for ao sentir as emoções dos outros e controlar os sinais que você mesmo envia, mais poderá controlar o efeito que você tem sobre outras pessoas.

 

Certo, mas como posso aplicar isso à minha vida?

 

O 8º Hábito pode ser aplicado em todos os setores da sua vida, do pessoal ao profissional.

Quando você encontra a própria voz, o processo de comunicação com as outras pessoas muda completamente. Você aprende a se expressar e passa a ser o autor da sua própria vida, e também pode ajudar outras pessoas a encontrarem as suas próprias vozes.

Além disso, o 8º hábito é essencial para os grandes líderes.

 

O que achou?

 

Gostou do resumo? Deixe o seu feedback. A sua opinião é muito importante para nós!

Além disso, se você se interessou pelo livro, pode aproveitar e adquiri-lo na Amazon, basta clicar abaixo:


 

 

Finalmente você terá a oportunidade de estudar com referências em liderança e gestão e fazer parte de uma rede de alta performance para desenvolver habilidades e se preparar para o emprego dos sonhos!

A Voitto Premium é um plano de assinatura criado para quem está em busca de uma solução acessível para se preparar para os desafios do mercado.

No nosso clube de vantagens, os assinantes têm acesso aos cursos, mentorias, VoittoCast, Power Hacks, Let’s Grow, conteúdos exclusivos, além de uma rede de Networking conectada e engajada. Seja Premium!
 

 

Nota:
O conteúdo apresentado acima traduz a visão e análise crítica da nossa equipe de redatores, respeitando os fundamentos de propriedade intelectual no Brasil (artigo 8, inciso I).
Nenhuma parte do livro está sendo copiada. São conteúdos únicos e exclusivos, sempre dando créditos aos autores e indicando o link para aquisição da obra completa. A Voitto respeita o código de direitos autorais de acordo com o estabelecido na legislação brasileira, Lei número 9.610/98.
Este conteúdo é de propriedade exclusiva da Voitto e está protegido pela Lei de Direitos Autorais em seus artigos 46, I, (a) e em seu artigo 47, isto porque não se trata de reprodução e também não lhe implicam qualquer descrédito, pelo contrário, o direito moral é protegido e, como ressaltado anteriormente, o leitor recebe um link para adquirir a obra. É proibida a reprodução desse material sem a autorização da empresa.