O conceito de algoritmo é o mais fundamental que existe na área da computação. Esse termo se popularizou bastante principalmente devido às redes sociais, já que eles controlam esses ambientes virtuais, além de gerarem uma série de polêmicas envolvendo privacidade de dados e publicidade abusiva.

Eles influenciam diversos aspectos de nossas vidas como os anúncios que vemos, vídeos recomendados e sugestões de filmes. E ainda mais: diversas empresas estão implementando algoritmos em seus processos seletivos, selecionando os melhores candidatos para determinada vaga.

Todas essas características demonstram porque entender esse conceito é muito importante. Por isso, nesse artigo vamos te explicar mais sobre o assunto por meio dos seguintes itens:

  • O que é algoritmo?

  • Para que servem os algoritmos?

  • Como funciona um algoritmo?

  • Tipos de algoritmos

Vamos lá!

 

O que é algoritmo?

 

Um algoritmo é uma sequência de passos lógicos necessários para executarmos uma  tarefa. Em outras palavras, é como se fosse um passo a passo para resolver um problema, com instruções simples e exatas.

Sua origem é incerta, mas o primeiro algoritmo realmente pode ser considerado o Algoritmo de Euclides, um famoso matemático grego. Entretanto, o termo “algoritmo” surgiu somente na Idade Média, devido ao persa Mu?ammad al-Khwarizmi, que desenvolveu o sistema numérico que utilizamos até hoje.

O conceito foi praticamente reinventado por Alan Turing e Alonzo Church, considerados os pais da ciência da computação. De acordo com eles, “é um conjunto não ambíguo e ordenado de passos executáveis que definem um processo finito”.

 

Para que servem os algoritmos?

 

Algoritmos pode ser utilizados em diversas situações que envolvem raciocínio lógico e organização ou otimização de processos. Quando nos deparamos com uma receita culinária, por exemplo, estamos vendo um algoritmo rudimentar, cuja função é instruir o cozinheiro a utilizar os ingredientes, seguindo os passos para fazer o prato.

Porém, sua aplicação mais relevante hoje em dia é na área da ciência da computação. Eles fazem parte da construção de qualquer programa de computador, desde uma rede social até um software de automação. Claro que estamos falando de algoritmos bastante complexos e estruturados nesses casos.

Um exemplo disso são os algoritmos das plataformas de streaming, que utilizam suas informações de preferência para te apresentar conteúdos de seu interesse. Eles estão cada vez mais refinados, principalmente por conta dos avanços no campo da inteligência artificial e machine learning.

Essas sequências de instruções são amplamente usadas em linguagens de programação. Essas são os meios pelos quais é possível se estruturar um algoritmo.

 

Como funciona um algoritmo?

 

Um algoritmo funciona da seguinte forma: uma informação de entrada (input) passa por diversas etapas que poderão alterar seu estado, gerando uma informação de saída (output). Teoria demais? Vamos ver um exemplo de simples.

Imagine se estivéssemos fazendo um bolo. Primeiramente, teríamos que ter os ingredientes (que serviriam como nossos inputs). Com eles, faremos uma série de etapas sequenciais: quebrar os ovos, misturá-los com a farinha, acrescentar o leite, e assim por diante. 

Depois que o cheirinho de bolo assado estivesse no ar, teríamos nosso output. Vários códigos de programação adotam essa estrutura básica. Um exemplo de algoritmo é o das redes sociais, que analisam seus interesses como inputs para definir qual publicidade irá te atrair mais.

Para construir um algoritmo, o primeiro passo é definir o problema a ser resolvido. Depois, fazemos uma análise para elaborar a sequência de passos que irão solucioná-lo. Por fim, traduzimos esses passos em uma linguagem de programação.

Só que os códigos de programação utilizam vários algoritmos diferentes para executar diferentes tarefas, organizados em blocos de informações. Ou seja, geralmente, em um mesmo código temos diversos algoritmos para fazer aquele programa funcionar.

Vamos ver um exemplo mais claro: você precisa ir do lugar A para o B e vai usar um app de GPS. Quando você inserir o destino, o aplicativo vai utilizar um algoritmo para verificar as rotas disponíveis, um para a intensidade de tráfego e, por fim, um terceiro algoritmo deve fazer a melhor opção de trajeto de acordo com essas informações.

 

Tipos de algoritmos

 

Agora que você entendeu o que é um algoritmo e como ele funciona, vamos te mostrar alguns dos tipos mais usados na programação: 

 

1. Descrição narrativa

 

A descrição narrativa é o modo mais comum em que podemos encontrar um algoritmo, até em nosso dia a dia. Ela consiste simplesmente em um relato, uma história, que mostra o passo a passo para resolver determinado problema. 

A vantagem desse tipo é que ele é mais fácil de ser elaborado e de ser entendido, porque é escrito em uma linguagem comum.

A desvantagem é que a linguagem às vezes abre espaço para duplas interpretações, o que pode causar dúvidas e fazer com que o algoritmo perca um pouco de sua objetividade.

O trabalho de um cientista da computação é justamente transformar essa descrição narrativa construída em nossa linguagem para uma série de comandos que o computador faz a leitura e compreende.
 

2. Fluxograma

 

fluxograma é uma ferramenta que possibilita simplificar e compreender qualquer processo, permitindo a visualização de todas as suas etapas. Por meio dele, podemos identificar gargalos, possibilidades de melhoria e gerar mais eficiência.

Ele é baseado na organização de informações com a utilização de símbolos. Existem diversos tipos de formas gráficas para representá-las: inputs, etapas, decisões, outputs, etc. Essas formas podem variar de acordo com o modelo adotado.

No caso de nosso interesse, ele é uma maneira de representação gráfica de um algoritmo, descrevendo suas etapas do início ao fim.

 

3. Pseudocódigo

 

O pseudocódigo já é o mais próximo que temos das linguagens de programação. Trata-se de uma série de comandos para executar uma tarefa. Porém, ele não é escrito em uma linguagem de programação, apesar de utilizar a mesma lógica.

Por isso, é muito utilizado para fins didáticos, auxiliando no estudo da lógica de programação para os iniciantes. Além disso, ele pode ser utilizado também para representar a ideia do código, como se fosse um rascunho. 

Isso auxilia a organizar os projetos, estruturando o funcionamento. Depois que o “esqueleto” estiver pronto, somente é necessário escrever o código de programação em si na linguagem escolhida.

 

Agora é a hora de dar o primeiro passo!

 

Neste artigo, você aprendeu um pouco mais sobre os algoritmos e sua relação com as linguagens de programação. Por meio deles, é possível estruturar a resolução de diversos problemas cotidianos, solucionando-os de uma forma exata e precisa.

Além disso, o domínio desse conceito permite que você possa ingressar numa carreira de desenvolvimento de software, ou ainda, de se destacar na posição em que você já ocupa.

Para começar sua trajetória nessa área, trazemos para você o curso Fundamentos Essenciais em Python. O Python é uma das linguagens de programação mais usadas atualmente e que te permitirá criar infinitas soluções úteis para seu dia a dia.

Ao realizar esse curso, você aprenderá a aplicar a lógica proposicional em programação; a usar o Python para solucionar as dificuldades do dia a dia; a resolver problemas usando técnicas orientadas por dados.

Aproveite essa oportunidade de aprendizado e faça sua inscrição agora!

Curso fundamentos essenciais para Python