e-commerce é, atualmente, parte fundamental da economia do Brasil e do mundo. Sendo um termo que remete a negócios online, através da compra e venda de produtos ou serviços pela internet, se tornou uma tendência tão ou mais fixa do que os pontos de comércio.

Aqueles que desejam dar início a uma loja virtual e, mais do que isso, ter sucesso nessa empreitada, devem saber algumas coisas pontuais sobre esse tipo de negócio:

  • O que é um e-commerce?

  • Como atua o e-commerce no Brasil?

  • Como funciona o e-commerce?

  • Quais são os principais tipos de e-commerce?

  • Como criar uma loja virtual?

  • Como fazer a análise e controle do e-commerce?

  • Especialize-se!

Cada um desses pontos será debatido individualmente e de forma profunda, permitindo que o caminho para o sucesso se torne mais simples e fácil de alcançar.

 

O que é um e-commerce?

 

e-commerce é uma forma de se referir a uma loja virtual. Ele foi criado em 1979 por Michael Aldrich e tende apenas a se expandir, especialmente para quem está em busca de otimizar seus lucros sem depender de empresas que não a sua própria.

De acordo com uma pesquisa da Webshoppers, estima-se que em 2020 cerca de 70% das vendas dos e-commerces serão feitas via celular.

Com os dados acima é possível perceber que mesmo que as lojas físicas ainda estejam distribuídas por todo país, as vendas online estão ganhando cada vez mais espaço.

Porém, para entrar nesse universo, é muito importante utilizar as ferramentas certas para cada tipo de negócio online em termos de marketing e vendas.

Então, além de todas as informações que serão abordadas neste artigo, contar com um bom kit de ferramentas é um bom começo.

E para te ajudar nisso, não deixe de baixar nosso KIT gratuito de marketing e vendas! É só clicar na imagem abaixo e fazer o download:

 

banner do kit de planilha marketing e vendas

 

Como atua o e-commerce no Brasil?

 

e-commerce é parte de um movimento em constante ascensão. O Brasil, por sua vez, configura como o 10º país que mais aposta nele em todo o mundo.

De forma geral, pode-se dizer que a venda online no Brasil já é um estilo de negócio consolidado, sendo mais do que possível contar com ele como fonte única – e lucrativa – de renda.

A SBVC, Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo, ranqueou empresas que são excelentes exemplos para comprovar isso, como o Magazine Luiza, Walmart Brasil, Saraiva, Privallia e Netshoes.

Todo esse sucesso, porém, não surgiu do nada. Uma série de medidas foram tomadas, fatores foram analisados e estudos foram feitos. Antes de saber mais sobre eles, é preciso entender como funciona um negócio online na prática.

 

Como funciona o e-commerce?

 

Uma loja virtual funciona a partir da união de diversos fatores buscados por compradores na atualidade: conforto, praticidade, segurança, variedade, personalização e agilidade.

 

Conforto

Fazer compras diretamente da sua cama, a qualquer hora do dia, por meio de um clique, agora é possível.

e-commerce oferece esse nível de conforto para seus consumidores, o que faz com que eles, muitas vezes, prefiram contar com essa opção a levantar-se, trocar-se, ir a espaços físicos, enfrentar filas e muito mais.

 

Praticidade

A grande maioria dos negócios online da atualidade já se focam em oferecer opções para seus clientes que tornam todo o processo de compra mais simples.

Lojas virtuais de roupas, por exemplo, já dispõem de quadros compilando tamanhos, números e até mesmo descrições de tecidos, permitindo que seus clientes comprem peças que realmente se adequa às suas necessidades.

O uso de filtros de pesquisa também torna todo o processo de compras mais simples e eficiente, fazendo com que os clientes não percam tempo buscando, precisamente, pelo que desejam comprar dentre de um site

 

Segurança

Muitas pessoas evitavam o universo de compras online há alguns anos por medo de terem seus dados roubados – como os do cartão de crédito, nunca receberem os produtos pelos quais pagaram, serem enganados...

Hoje, esses medos têm ficado cada vez mais para trás. Sistemas de segurança modernos, comprovados e eficientes têm sido colocados à prova e, até o momento, não têm decepcionado.

 

Variedade

Não só diversos itens podem ser analisados dentro de uma loja virtual; dezenas de sites podem ser abertos ao mesmo tempo, garantindo que os consumidores tenham acesso à uma vasta gama de opções antes de finalizar uma compra.

 

Personalização

A tendência das lojas online de personalizarem seu atendimento é apenas mais um exemplo da importância de temas como UX e UI DesignFocar-se no cliente é essencial para qualquer negócio da atualidade.

 

Agilidade

Um clique. Isso é tudo que é necessário para colocar um produto em um carrinho de compras virtual. Por meio de adição de alguns dados simples e pontuais, qualquer compra pode ser fechada.

É justamente esse tipo de facilidade que o consumidor final da atualidade têm buscado – e é assim que deve funcionar um e-commerce de qualidade.

Em suma, ele diz respeito a um siteblog – ou até mesmo redes sociais -  que apostam em vender produtos, serviços e soluções. 

Para ser bem-sucedido, é preciso que seja possível compilar, em um só local, todas as características acima explicitadas.

 

Quais são os principais tipos de e-commerce?

 

Existem, pelos menos, 7 grandes grupos e tipos de lojas virtuais. Eles são: M-CommerceB2AB2BB2C, C2B, C2C e C2G.

Dentre eles, um dos modelos de negócio mais usados da atualidade é o B2B business to business.

O comércio entre empresas é bastante usado no universo online. Em suma, ao invés de se focar no consumidor final, a venda online acontece por meio de relações comerciais entre negócios.

Esse movimento, além de otimizar os serviços que as empresas oferecem para os consumidores, ainda permite que bons negócios sejam feitos entre empresas de forma a beneficiar ambos os lados da moeda.

Também sendo chamado de venda corporativa, nesse caso o cliente é, para uma empresa, tanto consumidor quanto fornecedor. Além disso, ele é um catalisador para parcerias e a criação de novas estratégias de vendas.

 

Como criar uma loja virtual?

ilustração de uma compra e-commerce

 

Criar uma loja virtual é algo que depende de uma série de fatores. Porém, hoje em dia, é algo extremamente simples de ser feito. 

O primeiro passo para construir um negócio online é escolher um nicho, área ou mercado em que se deseja atuar. 

Centenas de e-commerce são abertos todos os dias e, para sobreviver em meio a uma concorrência grande e clientes exigentes, é preciso estudar, pesquisar, saber o que se está fazendo e buscar inovar. Alguns fatores a serem considerados são:

 

Nicho

Beleza, alimentação, moda, varejo, consultorias. As áreas disponíveis para quem deseja obter sucesso por meio de uma loja virtual são diversas.

Dentro delas existem, ainda, milhares de nichos... beleza jovem, alimentação vegana, moda para gestantes e consultorias financeiras são apenas alguns exemplos deles.

Segmentar para ter sucesso em um negócio online é fundamental. Contudo, essa segmentação não deve ser cega. Ela deve se enquadrar nas necessidades de cada vendedor, gestor e empresário e deve ser parte de um cenário de autoridade.

Sem a certeza de que você é o melhor no nicho que atua (ou um dos melhores) não há motivos para o seu público comprar com você e não com concorrentes.

 

Público-alvo / persona

Ao saber em qual mercado, área e nicho você deseja estar incluso, é chegada a hora de definir para quem você venderá produtos, soluções e serviços.

Quantos anos tem seus principais e potenciais compradores? Onde eles moram? Com quem conversam online? Quais são seus hobbies? Qual plataforma online eles mais usam na hora de comprar?

Esses são dados que aproximam você de seu público-alvo. Ao reunir todas essas – e mais características – como as citadas em uma pessoa fictícia, que atua como seu cliente ideal, tem-se a persona.

Conhecer seu público-alvo e persona é fundamental para ter sucesso ao criar estratégias que atinjam aqueles que realmente desejam comprar o que você tem a oferecer.

 

Conhecimento de mercado (interno / externo)

Tendo todos os pontos acima em mente, é hora de, continuamente, observar como seu mercado tem se movimentado. Quais fatores externos o alimentam e modificam?

Alguns exemplos são a política e a economia. Da mesma forma, quais fatores internos atuam sobre ele? A análise de concorrentes, novos e antigos fornecedores trarão essa resposta.

O que é importante, portanto, é se manter atualizado. Estudar, pesquisar, mensurar e criar planos de ação que adequem um negócio ao seu mercado é sempre primordial para o sucesso de qualquer loja virtual.

 

Escolha da plataforma 

As plataformas de divulgação de um produto ou serviço são variados. Porém, de nada adianta usar todos e não chegar em seu público.

Efetue pesquisas diversas, como as de mercado, para saber onde está seu público. Ele está no Facebook? Em fóruns? Em aplicativos específicos para seu nicho? Algumas pessoas preferem comprar pelas redes sociais, enquanto outras só confiam em sites.

Saber realmente onde estão seus consumidores e direcionar suas estratégias para eles é essencial para divulgar boas ideias e soluções. Afinal, seus produtos devem ser fáceis de serem encontrados por seus clientes – e ajuda muito estar no local certo, na hora certa.

Além disso é importante fazer uma avaliação detalhada para a escolha da plataforma que irá hospedar o seu site. Pois existem três tipos disponíveis no mercado: gratuita, pagas e de código fonte aberto. 

Na hora da escolha você precisa levar em conta alguns critérios que farão a diferença, são eles:

  • Plataformas mais usuais: faça pesquisas e veja se aquela plataforma que está no seu radar de escolha também hospeda sites de diferentes portes e nichos; 

  • Qualidade do sistema de hospedagem: a velocidade do seu site depende diretamente do servidor que ele estará hospedado; 

  • Sistema de atendimento e prestação de serviços de qualidade: procure uma plataforma que ofereça um bom serviço de atendimento e suporte, para te ajudar em eventuais problemas técnicos;

  • Plataforma com funcionalidade ágil: por fim, escolha uma plataforma que esteja sempre buscando por melhorias. Afinal, o mercado evolui muito rápido e você precisa acompanhar as mudanças.

 

Segurança e seriedade

Sem segurança comprovada e seriedade no que faz, é improvável que qualquer cliente finalize uma compra. 

No momento em que os dados pessoais de um consumidor forem pedidos, como os do cartão de crédito, se não houver acesso a sistemas seguros, ele certamente irá buscar a concorrência.

Bons exemplos de inserção de segurança em um site são a criptografia, que pode ser obtida pelo SSL (Secure Socket Layer) o uso de firewalls de segurança, como o WAF (Web Application Firewall) e a utilização de um selo Site Blindado, como o Pentest.

 

Redes sociais e divulgação

A divulgação é uma parte fundamental de qualquer negócio online. Afinal, de nada adianta ter uma excelente ideia se ela não é lida ou ouvida por ninguém.

Uma excelente forma de divulgar produtos e serviços é por meio das redes sociais. Porém, a dica de análise de plataforma ainda está válida, aqui.

Se você fizer seus anúncios pelo Facebook se, na verdade, seu público está no Twitter, será como falar com as paredes.

 

Feedback 

O relacionamento com o cliente é parte fundamental de qualquer e-commerce

Um dos melhores pontos de se apostar em uma loja virtual é que, por meio dela, os consumidores podem deixar suas opiniões de forma livre e direta nas próprias plataformas – ou pelas redes sociais.

Se livrar da ideia de que opiniões negativas não devem ser levadas em conta é primordial para criar um bom relacionamento com seus consumidores.

Respeite o feedback dado a um serviço, mesmo que ele pareça negativo. Ao se sentir contemplado, é certo que seu público lembrará de você.

 

Criando um e-commerce na prática

Todas as dicas acima dadas dizem a respeito à forma de iniciar um negócio online. Tendo-as em mãos, é hora de adentrar na parte prática do processo.

Para isso, é preciso compreender qual é a estrutura de um e-commerce. Ela inclui:

  • Suporte 24 horas: para sempre estar disponível para informar seus clientes sobre o que você vende e tirar suas principais dúvidas;

  • Planos de pagamento para receber pelas vendas: seja por meio de plataformas de pagamento como o Mercado Pago, o PagSeguro ou por boleto bancário e cartão;

  • Hospedagem do site: para garantir um site estável e que não cai, mesmo com muitos acessos;

  • Certificados de segurança: como os citados acima e que trazem credibilidade para seu negócio, além de garantir que as compras sejam fechadas.

  • Ferramentas de marketing e mensuração: como as do Google Analytics e das redes sociais, que garantem que seus serviços estão chegando até seu público-alvo (além de informar quem é ele e onde está).

Escolha seu siteblog, rede social ou o que preferir e crie para ele uma boa logomarca, slogan e design.

Em seguida, alimente-o com conteúdo relevantes, variando em estratégias e mantendo constância em suas postagens. Escolha, também, um domínio confiável para o seu site e opções de segurança eficientes.

Hospede seu site com algum provedor confiável, garantindo que ele suporte acessos rápidos e em alto volume, jamais deixando seus clientes esperando. Por fim, aposte em otimizar seu negócio online para os mecanismos de pesquisa. 

Isso acontece por meio da aplicação de técnicas de SEO – Search Engine Optimization.

 

Como fazer a análise e controle do e-commerce?

ilustração de análise e controle e-commerce

 

Quando sua loja virtual estiver em pleno funcionamento, será preciso monitorá-la constantemente. Isso servirá não só para conhecer seus resultados, mas também para otimizá-los.

Ao perceber que as vendas andam fracas, por exemplo, deverá ser feita uma nova análise de todos os pontos citados nesse artigo, solucionando gargalos no processo e buscando por inovações no processo de vendas.

Existem diversas ferramentas que podem auxiliar no processo de mensuração e análise de dados de uma loja virtual. 

Alguns exemplos são: 

  • Ferramentas do Google Analytics – que mensuram taxas de rejeição, a eficiência das páginas de seu site, etc;

  • Softwares ERP (Enterprise Resource Planning) – que organizam dados e integram soluções online e offline;

  • WMS (Warehouse Managemente System) – que controla a entrada e saída de mercadorias.

Algumas delas estão até mesmo dentro dos sites e redes sociais, como a aba “informações” da rede social Instagram, que mostra se a divulgação do seu e-commerce tem sido satisfatória por meio dele (por meio de dados como alcance, idade do público-alvo e sua localização). Outro exemplo é o Facebook Insights.

 

Especialize-se!

 

Milhares de lojas virtuais surgem todos os dias e, para se destacar entre elas, é fundamental seguir boas práticas de empreendedorismo.

Para se especializar no assunto, é possível contar com o curso de Formação Empreendedora da Voitto. 

Ele ensina o empreendedor a trilhar o caminho do sucesso por meio do empreendedorismo e, se assim desejar, garantir o máximo de lucro possível advindo de seu próprio e-commerce!

banner do curso de formação empreendedora