A Gestão de Custos é fundamental para evitar gastos desnecessários, bem como acompanhar de perto a situação da financeira de uma empresa.

Essa gestão financeira também é essencial para guiar o gestor a tomar decisões e elaborar estratégias com mais segurança, o ajudando a melhorar as atividades da empresa.

Para compreender melhor sobre como a sua empresa pode se beneficiar diante de uma Gestão de Custos eficiente, você vai encontrar neste artigo os seguintes tópicos:

  • O que é Gestão de Custos?

  • Importância da Gestão de Custos para as empresas;

  • Quais os benefícios?

  • Principais erros;

  • Tipos de Custos;

  • Como fazer a Gestão de Custos?

 

O que é Gestão de Custos?

 

A Gestão de Custos é o gerenciamento bem feito dos gastos realizados tanto nas grandes quanto nas pequenas empresas. Ela consiste em um conjunto de procedimentos que avaliam de forma precisa a contabilização das despesas da empresa e as tomadas de decisões para administrá-las.

Se o empreendedor tem o objetivo de estabelecer bases fortes para o seu negócio deve dar prioridade para a gestão dos custos, pois eles são todos os investimentos necessários para que uma empresa possa tocar suas atividades cotidianas. 

Caso seja efetuada de maneira equivocada, a Gestão de Custos afeta de forma direta os resultados, gerando deficiência no serviço prestado e queda no faturamento.

Por outro lado, uma gestão bem feita permite estabelecer preços com margens de lucros maiores. Nesse aspecto, podemos elencar a seguir os principais objetivos da Gestão de Custos:

  • Obter um melhor controle dos gastos;

  • Estabelecer com mais segurança o preço nos produtos;

  • Contar com informações precisas;

  • Aumentar a lucratividade.

 

Importância da Gestão de Custos para as empresas

 

A importância da Gestão de Custos para as empresas reside no fato de que ela permite obter um maior controle dos gastos, realizar uma precificação adequada dos produtos e gerenciar mais uma série de fatores fundamentais para o êxito da empresa.

Uma empresa que não leva em conta uma boa gestão dos seus custos é prejudicada em vários setores, registrando gastos desordenados, realizando investimentos desprovidos de qualquer critério e perdendo credibilidade entre os funcionários e até entre os clientes.   

Para ter um bom controle dos custos, a disciplina é sua maior aliada. Uma equipe de gestão precisa estar preparada para análises constantes dos procedimentos financeiros, saber os procedimentos para detalhá-los em planilhas e cronogramas e ser capaz de captar formas de investimentos para o crescimento sustentável da empresa. 

Essas medidas fazem parte do controle de qualidade e estão diretamente relacionadas com a Gestão de Custos. 

Logo a seguir vamos entender os fatores que tornam a Gestão de Custos uma atividade muito importante. Continue com a gente!

 

Quais os benefícios da Gestão de Custos?

 

benefícios da gestão de custos

 

É muito importante para o empreendedor saber equilibrar as contas do seu negócio. Saber definir o que entra e o que sai, quando é o momento de expandir e quando é necessário reduzir os custos. 

Sendo assim, ter o controle sobre os custos de matéria-prima, mão de obra e outras contas que fazem parte do seu negócio é o grande diferencial para o crescimento. Veja abaixo quais os benefícios da Gestão de Custo para uma empresa:

 

A empresa se torna mais competitiva

Isso ocorre porque o negócio flui de forma dinâmica, com gastos reduzidos e investimentos realizados de maneira adequada. Com isso, a empresa ganha mais segurança, pois o gestor sabe como e no quê investir.

 

A empresa ganha equilíbrio

Além disso, a empresa é gerenciada de maneira equilibrada, pois o gestor consegue detectar com mais facilidade a melhor relação entre custo e benefício. Desse modo, ele encontra subsídios para não elevar os seus gastos com matérias-primas, mas ainda assim investindo em qualidade.

Ou seja, o gestor busca os itens mais econômicos para a produção de cada produto, mas sem perder o foco na qualidade desses materiais.

 

Você passa a entender melhor o seu negócio

Ao realizar uma eficiente Gestão de Custos, é possível identificar quais dos seus produtos ou serviços proporcionam mais lucro, qual necessita ser riscado da lista de produção e qual deve ser produzido em maior quantidade para suprir a demanda.

Graças a essa característica o negócio tem plenas condições de ser bem gerenciado, inclusive, se torna mais fácil entregar um produto ou serviço de qualidade comprovada.

 

Você tem condições de melhorar o seu planejamento

A Gestão de Custos possibilita uma previsão do fechamento financeiro no final do mês. Isso porque saber o quanto foi vendido durante o período ajuda a planejar o mês seguinte, ou até mesmo criar ações que aumentam as vendas nas últimas semanas de um mês que está indo mal.

 

Principais erros na Gestão de Custos

 

Há erros bem comuns quando o assunto é a Gestão de Custos. Entre eles podemos observar alguns logo abaixo: 

 

Não conhecer todos os custos

Não identificar quais são os custos do seu negócio e como eles afetam os seus lucros é um erro crasso em qualquer organização. Por essa razão, é preciso verificar tudo que gera gastos e interferem nos resultados.

Sendo assim, é necessário estar atento para os chamados “custos invisíveis”, que atrapalham o alcance dos seus objetivos. Alguns exemplos disso são os gastos de perdas na produtividade e desperdícios.

 

Não controlar o estoque

Não ter controle do estoque gera perdas, excessos e desperdícios dos produtos. E tudo isso influencia os custos na sua empresa.

Além do mais, ficar a par dos custos relacionados ao estoque (armazenagem, custo do produto, mão de obra, entre outros) é essencial para que seja possível realizar a precificação correta.

Para fazer uma ótima gestão do seu estoque, nós trouxemos um material totalmente gratuito para você: planilha de gestão de estoque!

Clique na imagem e faça o download

planilha de gestão de estoque

 

Não ter controle sobre o fluxo de caixa

Saber como está o seu fluxo de caixa é essencial para a uma eficiente Gestão de Custos. De uma forma geral, não olhar para o caixa deixa o gestor desprovido de informações acerca do retorno financeiro em suas atividades.

Esse é um procedimento arriscado, pois não mostra de maneira efetiva como anda a saúde econômica da empresa.

Sendo assim, é pertinente que o controle de fluxo de caixa seja feito de maneira adequada. Isso possibilita alinhar as entradas do caixa com a Gestão de Custos. Para facilitar tais procedimentos é relevante utilizar recursos especializados para isso, tais como planilhas no Excel.

 

Não utilizar a tecnologia

No atual contexto tecnológico, não faltam softwares apropriados para a Gestão de Custos aptos a organizar estoques e auxiliarem no controle do fluxo do caixa.

Tais tecnologias promovem um aceleramento de todos os procedimentos relacionados com a Gestão de Custos. Além do mais, esses softwares armazenam os dados de forma segura.

Graças a eles é possível obter um gerenciamento mais preciso do seu negócio, levando em conta todos os aspectos relevantes dele.

 

Ignorar o custo e o preço de venda dos produtos e serviços

Caso o custo para produzir uma mercadoria ou prestar um serviço seja menor que o preço de venda, é necessário analisar e calcular onde está o erro, pois isso pode, em pouco tempo, tornar o negócio inviável.

O ideal é manter o custo de produção sempre abaixo do preço de venda. Para conseguir isso, estude técnicas capazes de proporcionar um bom equilíbrio. Veja quais materiais, insumos e outros recursos são usados e então estipule o preço.

Lembre-se que para efetuar uma precificação correta, liste os produtos que você disponibiliza, estabeleça uma margem de lucro, observe o mercado e considere também o valor percebido pelo cliente.

 

Tipos de Custos

 

como fazer a gestão de custos

 

Para fazer uma boa Gestão de Custos é necessário ficar atento em quais são os tipos de gastos mais comuns, bem como utilizar softwares que auxiliam na gestão. 

 

Custos diretos

Eles estão relacionados aos produtos ou serviços que a empresa disponibiliza na sua área de atuação. Consistem em custos diretamente voltados para se chegar ao valor final do produto ou do serviço oferecido.

Sendo assim, os custos diretos podem ser identificados e mensurados com facilidade. Alguns exemplos são as matérias-primas utilizadas na produção direta do produto, bem como a mão de obra contratada para prestar os serviços finais da organização.

 

Custos indiretos

Não estão relacionados com a principal atividade realizada pela empresa, ou seja, são custos que até afetam a produção, tanto do produto quanto do serviço, porém não se relacionam diretamente com eles. 

Alguns exemplos disso são os gastos com água, energia, internet, aluguel do estabelecimento, entre outros.

 

Custos fixos

Eles não sofrem variação de valor, independentemente da produção do mês. Um exemplo de custo fixo é o aluguel do espaço onde a empresa realiza o seu trabalho. Ele sempre terá um preço fixo que provavelmente não irá mudar até o contrato de locação ser vencido.

 

Custos variáveis

São estipulados conforme a produtividade da empresa e um exemplo disso é a matéria-prima usada para a produção. Se a quantidade de produto a ser produzida for grande, haverá a necessidade de obter mais suprimentos.

 

Levando em consideração os tipos de custos citados, alguns dos mais comuns são:

  • Contratação de funcionários;

  • Logística;

  • Água;

  • Energia Elétrica;

  • Aquisição de materiais;

  • Transporte;

  • Equipamentos;

  • Salários;

  • Impostos;

  • Materiais de empresa.

 

Como fazer a Gestão de Custos?

 

Abaixo você encontra 3 dicas para te ajudar a fazer a gestão de custos do seu negócio. Confere aí:

 

1. Redução de gastos desnecessários

Reduzir ao máximo os custos que são considerados dispensáveis é a base para uma boa Gestão de Custos. Por meio dessa redução é possível manter a saúde financeira da empresa em dia, mantendo o foco em gastar apenas naquilo que é necessário.

Uma forma de assegurar essa redução e priorizar apenas os gastos essenciais é a utilização de softwares de gestão ERP. Tais tecnologias permitem o planejamento de recursos da empresa de forma eficiente. 

Alguns exemplos de softwares que exercem tais funções são o Stoq, o Odoo, o Disoft e o XTuple. De uma forma geral eles gerenciam o volume de vendas, oferecem histórico de clientes e efetuam o controle de estoque.   

 

2. Precificação adequada

Estabelecer preços adequados dos seus produtos reflete também na qualidade do atendimento da sua empresa. Sendo assim, para você estabelecer preços corretos, é pertinente avaliar os preços praticados pelos concorrentes.

Isso possibilita ter uma noção mais precisa para você determinar os seus. Além disso, utilize algumas equações na contabilidade para traçar indicadores que facilitam a composição do preço, uma delas é o percentual do Custo Fixo.

 

3. Tenha tudo anotado

Um bom empreendedor deve ter todos os dados organizados para que nada saia errado na sua Gestão de Custos. Ficar por dentro dos dados do seu negócio facilita na tomada de decisões e também na adoção das melhores estratégias.

Para anotar e organizar tudo, sem deixar escapar nada, tenha em mãos uma boa planilha. Nesse caso, a dica é a utilização do Excel, pois é uma ferramenta bastante conhecida, intuitiva e dotada de recursos que te deixam a par dos principais gastos da sua empresa.

A Gestão de Custos é fundamental para o êxito de qualquer negócio. Sem um bom gerenciamento, o funcionamento e o futuro da empresa ficam comprometidos.

Portanto, fique atento para as melhores práticas que proporcionam um controle dos gastos e um melhor equilíbrio do seu fluxo de caixa.

 

Seja um profissional qualificado!

 

Para ter sucesso como empreendedor e alavancar a sua carreira, não deixe de conhecer o nosso curso Formação Empreendedora

Com ele você terá uma formação completa com técnicas de gestão e capacidade de execução por meio de cinco etapas, que são: definição da proposta de valor, análise de mercado, lançamento do protótipo ou MVP, melhoria e controle e gerenciamento. 

Clique no botão abaixo e conheça:

curso de formação empreendedora