Dos dias 12 a 14 de maio de 2020, durante a quarentena contra o Coronavírus, a Voitto proporcionou à todos os seus clientes, amigos e parceiros o Workshop “Mercado de Trabalho Pós Coronavírus”.

O evento, organizado em formato de uma live por videoconferência no Youtube, foi realizado sem discumprir o distanciamento social, atendendo aos conselhos dos principais órgãos de saúde para o enfrentamento da pandemia.

No Workshop, foram discutidos justamente os efeitos do Coronavírus na sociedade atual e quais serão os possíveis impactos permanentes nas nossas maneiras de conviver e, principalmente, trabalhar.

 

Thiago Coutinho | Workshop Mercado de Trabalho Pós Covid | Martha Gabriel

 

Conhecendo Martha Gabriel

 

Apesar de dispensar apresentações, Martha Gabriel, nossa convidada do terceiro dia de Workshop merece ser muito bem apresentada e enaltecida por seus feitos!

Então se liga na experiência dessa incrível profissional!

Martha é engenheira com pós em marketing, pós em design, mestrado e doutorado em Artes, Educação Executiva no MIT, futurista pelo Institute for the Future, dá aula de inteligência artificial na PUC-SP e também na parte de negócios da Dom Cabral e do Insper.

Além de tudo isso, Martha é escritora, com 6 livros publicados; consultora; especialista na área de educação, tecnologias e inovações; palestrante do keynote internacional, com mais de 75 palestras no exterior, 3 premiações em congressos nos EUA, e ainda, 5 TEDx.

Preparado a ouvir o que ela tem a dizer sobre o mercado de trabalho pós Coronavírus? Se ajeita na cadeira e se prepara, porque agora você vai descobrir, com dicas da Martha, “Como se Adaptar ao Mercado de Trabalho do Futuro?”.

 

Como se Adaptar ao Mercado de Trabalho do Futuro?

 

Neste tópico adaptamos, em forma de dicas e insights, o bate-papo realizado na live, entre o Thiago Coutinho (CEO da Voitto) e nossa convidada Martha Gabriel.

 

Quais são as transformações digitais que vieram pra ficar?

Sabemos que estávamos todos em transformação digital desde muito antes da pandemia. O que aconteceu foi que o Coronavírus acelerou muito todo este processo e trouxe a tona vários cenários imaginados para o futuro.

A pandemia confirmou alguns cenários esperados e negou outros. Porém, podemos dizer que, o que claramente veio para ficar foi o Home Office e a Educação a Distância (EAD).

Espera-se porém, que no pós coronavírus a realidade seja menos rígida do que a de agora.

O cenário esperado apresentará modelos de trabalho híbridos, flexibilizando a escolha da empresa e do trabalhador entre as opções de trabalhar em casa ou no ambiente de trabalho e, também, das escolas e alunos, tendo tanto aulas presenciais quanto à distância.

E isso acarreta em outras previsões, que abrangem, por exemplo, o setor imobiliário: casas deverão se adaptar a essa nova realidade, com lugar próprio para o Home-office.

 

Você sabe o que é Low Touch Economy?

Low Touch Economy é um modelo de mercado e economia que também chegou para ficar. Trata-se da reconfiguração dos espaços físicos e dos hábitos visando o mínimo de toque e proximidade entre as pessoas.

Para ajudar em tudo isso, a robotização já é um fato e a tendência é se expandir. Robôs já podem ser vistos em hotéis, em serviços de entregas, em serviços de fiscalização, recebendo pagamentos e em muitas outras aplicações.

 

Que impactos econômicos podemos esperar após a pandemia?

Para se pensar nos impactos do Coronavírus, tanto no Brasil quanto no exterior, devemos pensar no tipo e no tamanho do negócio em questão.

Um estudo da JPMorgan aponta que nos Estados Unidos, metade dos pequenos negócios possui uma reserva financeira para se manter, de portas fechadas, por uma média de apenas 27 dias.

Segundo o Sebrae, no Brasil a realidade é ainda pior. Empresas de Pequeno Porte têm em média 21 dias de caixa suficiente para se manter, Microempresas têm cerca de 12 dias e os MEIs apenas 8.

Isso significa que muitos destes já não abrirão após a crise, enquanto a maioria dos grandes têm caixa para se manter e reabrir num futuro talvez mais promissor.

Porém existem setores que, independente do tamanho, terão que passar por uma reformulação total para voltar a dar certo. Entre elas: companhias aéreas, turismo, eventos, dentre outras tão fortemente atingidas.

A dica para sair bem desta crise, na sua área de interesse é: analise a cadeia produtiva inteira. Saber como os fornecedores e as principais saídas do seu produto se comportavam e estão se comportando durante a crise, te dará base para tomar ações mais assertivas, tanto agora, como após a crise.

 

Quais são as principais competências do profissional para se adaptar a esse novo momento?

 

Costuma-se falar muito na criatividade como a principal habilidade requerida no mercado atual, e todas as outras Soft Skills também estão muito em alta.

Porém, na opinião da Martha, a criatividade não é a habilidade principal. Este cargo, para ela, é ocupado pelo Pensamento Crítico!

Sem o pensamento crítico você não consegue nem mesmo usar a criatividade de maneira adequada. A segunda, sem a primeira, torna-se um exercício prazeroso de ser feito, porém mal direcionado, o que não gera inovação.

Martha cita estudos que comprovam que a maioria das pessoas com um bom pensamento crítico tem a vida boa. Já quem tem Q.I. alto, nem sempre.

A dificuldade do pensamento crítico é que esta habilidade não nasce com ninguém. Ela precisa ser ensinada e dela se derivam muitas outras.

Martha cita algumas outras habilidades necessárias no mundo atual. São elas:

  • Adaptabilidade: ou se adapta ou morre;

  • Criatividade: depois de aprender o pensamento crítico, a pessoa se encontra preparada para direcionar a sua criatividade corretamente;

  • Simbiose Tecnológica: entenda sobre tecnologia, pois ela é o principal vetor de inovação do mundo;

  • Resiliência: o futuro é cada vez mais incerto e acelerado, a resiliência é base para se manter neste processo;

  • Autonomia: pense com a própria cabeça, aja e não tenha medo de tomar decisões.

 

Como desenvolver estas habilidades?

 

Para isso, a primeira dica é: no panic!

Imersos na crise ou não, mudanças estão sempre acontecendo em um mundo tão inovador, globalizado e disruptivo.

Se entramos em pânico diante delas, não pensamos direito. Isso compromete justamente a habilidade citada como principal no tópico anterior: o Pensamento Crítico.

Por isso tome cuidados para que seu cérebro esteja sempre saudável, atentando-se para sua saúde mental.

Além disso, Martha indica a leitura do livro "Antifrágil" de Nassim Taleb, para que se aprenda a tornar-se antifrágil e abraçar as incertezas.

Por fim, busque também por agilidade nas suas execuções e aprendizado contínuo.

 

Quais formações técnicas os estudantes de graduação devem desenvolver para oportunidades pós covid?

 

Martha fala sobre computação, porém explica que deve-se buscar uma formação bem aprofundada.

Entre as áreas de capacitação citadas por ela estão: especialista em Inteligência Artificial, Machine Learning, Data Science, Gestão de Pessoas, Internet das Coisas, 5G, Big Data, Robótica, Impressão 3D, Nano Tecnologia, Blockchain, Computação Quântica e CRISPR.

"A tecnologia não substitui profissões. A Tecnologia substitui atividades!"

Tudo o que puder ser automatizado será! Não brigue com a automatização. Utilize-a ao seu favor e saiba que a habilidade de se adaptar rapidamente e lidar com problemas complexos é o que te proporcionará diferencial nesta nova era.

 

Inteligência Artificial e Inteligência Humana conseguirão trabalhar juntas?

 

É importante ressaltar que Inteligência Artificial e Inteligência Humana tem habilidades distintas.

A IA hoje, por exemplo, faz poucas coisas por vez, enquanto o ser humano tem a habilidade de fazer, apesar de ter menor exatidão, várias tarefas ao mesmo tempo, com pensamento crítico.

O ideal é combinar as duas coisas para criar um potencial muito maior.

É como um motorista de Uber, que utiliza o Waze para saber o caminho, mas usa seu pensamento crítico para decidir fazer uma rota diferente, quando o app, devido a algum tipo de erro, indica a entrada em um beco escuro e sem saída as 2 da madrugada.

 

A pandemia pode antecipar mudanças no modelo de ensino tradicional?

 

Antes da pandemia, já era de ciência de todos que o ensino tradicional não condizia com as necessidades atuais da sociedade.

Martha ressalta a importância do ensino da Filosofia para incentivo ao pensamento crítico. Porém explica que a filosofia precisa do contato com outros indivíduos para interação, entendimento, debate e crescimento.

Os conteúdos precisam ser mais diversos para o crescimento de pessoas com perfis diferentes. A partir de um currículo mínimo deve-se criar vertentes de habilidades adequadas para escolha de para cada um.

Tudo isso precisa ser feito utilizando o melhor do ensino online e o melhor do offline, no que Martha chama de "Oneline", um método que utiliza o melhor dos dois mundos.

 

Para continuar acompanhando o trabalho da Martha...

 

Não deixe de conferir seu site e seu instagram.

Martha deu uma aula sobre adaptação ao mercado de trabalho que nos aguarda. De dicas de habilidades para se desenvolver, até previsões de possibilidades para o futuro da educação e do mercado, Martha enriqueceu o Workshop com um conteúdo muito agregador.

Se você quiser assistir ao vídeo da live do Workshop, clique aqui, ou acesse o canal da Voitto no Youtube, nele você tem acesso aos outros dias de Workshop e muitos outros conteúdos incríveis.

Gostou do conteúdo e quer inovar? Você precisará de agilidade na execução das suas ideias! Para isso, confira já o curso gratuito de Introdução ao Agile Scrum.

 

Curso de Introdução ao Agile Scrum