O que são os vieses cognitivos?

Saiba o que são os vieses cognitivos, qual a sua importância, quais são os que estão mais presentes em nossas vidas e como identificá-los.

Thiago Coutinho 07/06/2021 - 6 mins de leitura

Seja nos mercados ou nas vendas, na psicologia ou nos negócios, todos sabemos que, ao menos em parte do tempo, o ser humano age de forma irracional. Por isso entender os vieses cognitivos nos traz valiosos insights sobre o comportamento humano no geral.

Diversas foram as tentativas de se modelar o ser humano como um agente totalmente racional. Afinal, é muito mais fácil prever o que um agente racional vai fazer. Todavia, sabemos que na prática isso não ocorre.

No estudo da Economia, por exemplo, há a Hipótese do Mercado Eficiente, ou as expectativas racionais, em que ambas, apesar de serem extremamente úteis e relevantes, apresentam suas limitações por não considerarem o lado irracional do homem (imagina modelar toda a incerteza e sentimentos individuais!).

Assim, apesar da nossa capacidade de raciocínio e uso da razão, ainda somos movidos também por gatilhos psicológicos involuntários quando agimos sem pensar direito, tomando decisões enviesadas que podem até mesmo dificultar avaliações do nosso desempenho em algumas áreas.

Então, se você quer entender de fato os vieses cognitivos, não deixe de acompanhar os tópicos abaixo até o final:

●     O que são vieses cognitivos e qual a importância deles?

●     Sinais e tipos de vieses cognitivas presentes em nossas vidas;

 

O que são vieses cognitivos e qual a importância deles?

 

Os vieses cognitivos são padrões sistemáticos de variação de uma decisão racional (normalmente apontados como um erro). Assim, o indivíduo trata a realidade de forma diferente da que ela realmente é (uma narrativa distorcida pelos vieses).

Esses vieses foram representados pela primeira vez em 1972 por Amos Tversky e Daniel Kahneman, com estudos que mostravam que em diversas situações o ser humano agia de forma diferente da racional.

Assim, os dois psicólogos definiram as diferenças entre as ações e julgamentos  de cada pessoa a partir de atalhos mentais para tomar decisões nem sempre racionais, procedimento este que foi chamado de heurística.

Desde a tomada de decisão estratégica, até o quão bem desenvolvida é sua capacidade de elaborar pensamentos críticos, entender os vieses cognitivos nos ajuda a sistematizar comportamentos e hábitos que muitas vezes são prejudiciais.

Afinal, para atingir o crescimento pessoal é necessário ir além desses gatilhos instintivos, ganhando ao máximo o controle das suas habilidades cognitivas. Ou seja, deve-se entender os vieses cognitivos para que se possa não ser dominado por eles.

Deve-se entender que os vieses cognitivos surgem de forma natural, seja por uma limitação na quantidade disponível de informação, seja por questões morais, ou até mesmo pela própria limitação de processar informações do cérebro humano.

Por isso, apenas estar ciente da existência de vieses cognitivos não faz eles irem embora espontaneamente. É preciso ativamente lutar contra esse processo instintivo (que, do ponto de vista do próprio indivíduo, parece natural e pertinente).

Está gostando do artigo até aqui? Esperamos que sim! Ficaremos muito felizes em te ajudar nessa jornada de Autoconhecimento e Autogerenciamento emocional. Por esse motivo, olha só o que temos para você! Baixe gratuitamente nosso Ebook sobre A Importância da Inteligência Emocional.

Nesse ebook, você será capaz de entender a importância e porque você deve desenvolver a Inteligência Emocional. Você desenvolverá melhor suas habilidades em se conhecer melhor, em se colocar no lugar do outro, em gerir melhor suas emoções e sentimentos e aprimorar sua capacidade com sociabilidade.

Baixe agora mesmo e veja como aplicar a IE no dia a dia impacta positivamente no seu comportamento pessoal e profissional!

Sinais e tipos de vieses cognitivos presentes em nossas vidas

 

Como foi explicado neste artigo, os vieses cognitivos fazem parte da natureza humana de forma instintiva. Assim, todos estão sujeitos a eles em algum nível.

Como está implícito no nome, os vieses cognitivos estão relacionados às situações em que se toma uma decisão enviesada. Nesse sentido, há diversos sinais que ajudam a indicar quando se está agindo sob influência de algum viés.

O viés de confirmação, por exemplo, pode ser identificado quando, por meio de uma memória seletiva, o indivíduo tende a dar mais valor e importância a informações que corroborem com o que ele quer acreditar.

Ou ainda o viés da ancoragem, em que a pessoa em questão se prende fortemente em uma informação, ancorando nela e tomando-a como base para todo o processo de decisão.

Assim, focar apenas nos pontos que corroboram com suas ideias, ou tomar uma comparação passada para guiar todo o processo de decisão são sinais claros da influência de vieses cognitivos.

Desse modo, são diversos os tipos de vieses cognitivos que existem e afetam a nossa vida. Portanto, segue uma lista com 3 principais tipos, todos eles amplamente presentes no nosso dia a dia:

 

Viés da Informação

O viés da informação trata da tendência de achar que sempre se precisa de mais informação para resolver um problema. Nesse caso, o indivíduo, enquanto explora todos os meios possíveis de informação, não se permite evoluir.

Obviamente que buscar muita informação nunca é errado, mas o viés começa quando, graças a uma busca exaustiva de análise de casos possíveis, não há o início do projeto na prática.

É o caso de quando a pessoa estuda diversos cursos e livros mas nunca se sente pronta para o mercado. Ou ainda quando você, mesmo sabendo qual filme vai assistir no final, fica horas buscando outros filmes na Netflix.

 

Viés do efeito Dunning-Kruger

Esse efeito explica bastante não apenas sobre a psicologia dos indivíduos, mas também sobre a situação de várias áreas, como a educação ou a qualidade dos debates em redes sociais.

O efeito Dunning-Kruger explica que indivíduos ignorantes em algum tema tendem a acreditar que sabem bem mais do que realmente sabem. Assim, essa postura gera uma sensação de superioridade falsa.

Dessa maneira, o ciclo se agrava ainda mais quando somado a outros vieses, como o de confirmação ou o da adesão, com vários outros falsos especialistas corroborando uns com os outros.

Ainda mais, o viés do efeito Dunning-Kruger faz com que os indivíduos, além de não reconhecerem sua falta de habilidade, ainda falhem em reconhecer verdadeiros especialistas.

 

Viés de sobrevivência

O viés cognitivo de sobrevivência trata da tendência de tomar como base para a explicação de um fenômeno apenas os sobreviventes. Assim, ficam de fora qualquer parcela que falhou no processo.

O perigo desse viés cognitivo fica claro no seu enunciado. A informação sobre a população que não chegou a obter a característica analisada é fundamental para se entender o quão provável é a falha e as melhores formas de evitá-la.

Um caso interessante ocorreu durante a 2º Guerra Mundial, quando, por analisar apenas os caças que voltavam da guerra, os engenheiros blindavam as partes mais danificadas deles.

Porém, como percebeu o matemático Abraham Wald, as partes que deveriam ser blindadas eram aquelas nas quais, ao serem atingidas, o caça não conseguiria voltar do combate.

Nessa abordagem fica claro a importância de se entender os vieses cognitivos (mais especificamente, o viés de sobrevivência).


Quero continuar me desenvolvendo!

A inteligência emocional é uma habilidade essencial para as nossas vidas, seja no âmbito profissional ou pessoal!

Aprenda com o curso de Inteligência Emocional para Negócios como lidar com as situações desafiadoras do cotidiano empresarial e como o autoconhecimento e a empatia são fundamentais nestes momentos. 

Além disso, ao longo do curso, você entenderá como desenvolver os quatros pilares da inteligência emocional e compreender como essas habilidades melhoram a sua performance no trabalho.

Então não perca tempo e se inscreva agora!

Inscreva-se em nossa newsletter e acompanhe de perto todas as novidades

Voltar ao topo