Troca de Informações na Saúde Suplementar (TISS) é uma forma de canal de comunicação padronizada e de uso obrigatório para redes e para planos de saúde, sendo a principal responsável pela entrega de resultados rápidos e precisos.

Por meio dela, é possível garantir que processos fiquem mais práticos e fáceis para serem executados e, principalmente, que ruídos nos resultados de exames diminuam ou, até mesmo, deixem de existir na sua clínica ou consultório médico.

Sabendo da importância da TISS, organizamos as principais informações sobre esse padrão nos seguintes tópicos:

  • O que é Padrão TISS?

  • Benefícios da TISS;

  • Qual a importância da TISS?

  • Como funciona o padrão TISS.

Vamos ao conteúdo!

 

O que é padrão TISS?

 

TISS é um formulário padronizado que todas as empresas prestadoras de serviços de saúde estão submetidas a seguir, sejam elas operadoras de planos privados, clínicas, consultórios ou hospitais. Consiste na troca de informações em saúde suplementar. 

Com essa implantação, a comunicação fica mais eficiente e a área da saúde evita criar vários sistemas de informação diferentes.

A ideia de padronizar a informação nacional de saúde suplementar surgiu em 2005, partindo da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), órgão vinculado ao Ministério da Saúde.

Desde 2012, a resolução normativa de número 305 tornou obrigatório o uso da TISS, fazendo com que a prática se difundisse rapidamente entre os profissionais da área.

A partir dessa ação, o objetivo do Governo foi o de padronizar os processos, facilitando, assim, o acompanhamento por parte da ANS para tornar a troca de mensagens eletrônicas algo ainda mais rápido.

 

Benefícios da TISS

 

Os benefícios da TISS atingem beneficiários, pacientes, prestadores de serviços, operadoras de planos, ANS e qualquer outro envolvido que precise de uma informação de saúde suplementar. 

Entre alguns dos principais benefícios desta metodologia, podemos destacar fatores como:

  • Comunicação facilitada entre prestadores de serviços na área da saúde, operadoras de planos e ANS;

  • Mais segurança aos pacientes que dependem de planos;

  • Comunicação de fácil entendimento;

  • Mais agilidade na troca de informações entre agentes de saúde;

  • 100% informatizado.

Em especial, podemos destacar a maior agilidade e qualidade na assistência à saúde por parte dos agentes da área. 

Uma vez que o processo seja 100% digital e não use nenhuma forma holística, a informação não fica limitada geograficamente.

Mesmo que o paciente esteja em outro estado, todas as principais informações chegam a tempo ao médico responsável.

Além disso, a gestão da clínica fica mais clara, uma vez que o envio da mensagem está padronizada e todos têm acesso ao que cada ponto significa. 

 

Qual a importância da TISS?

 

A TISS é fundamental e faz toda a diferença por ser uma forma rápida e viável de padronizar os milhares de dados produzidos diariamente dos pacientes que recebem atendimento assistencial das operadoras de saúde. 

Devido à alta quantidade de informações, separá-las da melhor forma agiliza inúmeros processos.

De acordo com um levantamento divulgado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar, o país conta com 47 milhões de beneficiários de planos de saúde ativos. 

Esses números equivalem a quase 25% de toda população. Em outras palavras, se todo esse público tivesse as informações guardadas de forma unilateral, dificilmente os atendimentos seriam rápidos.

Felizmente e graças ao padrão TISS, todos os beneficiários estão assegurados diante fraudes. 

Mesmo que façam uma eventual mudança de plano, os erros tendem a ser diminuídos com o passar do tempo, graças ao avanço tecnológico e a troca de informações mais rápidas e precisas.

 

Penalidades de não usar o TISS

Se, por alguma razão, um agente da saúde ou uma operadora de planos não usar o padrão TISS, a ANS pode impor multas que variam entre 25 a 35 mil reais, sendo que existe uma possibilidade de acrescentar 10% do montante devido a cada repetição da infração.

 

Como funciona o padrão TISS?

 

O padrão TISS funciona unicamente no meio digital e deve ser enviado por meio do site da ANS, com dados sobre cinco componentes obrigatórios: 

  • Organizacional;

  • Conteúdo e estrutura;

  • Representação de conceitos em saúde;

  • Segurança e privacidade; e

  • Comunicação. 

Importante ressaltar que cada um dos itens costuma ser referente a uma informação diferente, como veremos a seguir.

 

Colocando a TISS em prática

O item organizacional se refere aos trâmites internos da empresa, explicando quais foram as regras usadas para tratamento de diagnósticos, os motivos da atualização do formulário e outros informações internas pertinentes.

Uma das partes mais importantes para a TISS funcionar é o componente conteúdo e estrutura. 

Nele, o médico gestor precisa preencher uma série de informações a respeito do paciente de forma hierárquica e padronizada. Entre as informações necessárias estão:

 

Diárias

Aqui, é importante especificar onde o paciente ficou, se foi uma sala de enfermagem, UTI, pediatria, etc.

 

Equipamentos

Neste caso, é importante falar sobre quais equipamentos precisaram ser usados para atender o paciente.

 

Materiais e medicamentos

Aplicando esse método específico, é possível descrever quais fármacos foram prescritos e a respectiva dosagem.

 

Gases

Quando falamos sobre as gases, nos referimos à quantidade estimada de material utilizado.

 

Exames

Já em relação aos exames, é importante explicar quais foram os exames solicitados no período de atendimento ou internação.

 

Honorários médicos

Com a implantação da TISS, é possível calcular o tempo de trabalho e, assim, ter uma remuneração baseada no demonstrativo de pagamento com base no piso.

 

Procedimentos

Já os procedimentos indicam quais foram as tarefas e as rotinas utilizadas pelo consultório e seus profissionais. 

Por fim, os outros três pontos restantes, representação de conceitos em saúde, segurança e privacidade, e comunicação são referentes às competências da TISS. 

Ou seja, mostra por qual razão esses documentos são pedidos como o envio que deve ser feito e quem deve subsidiar as ações de avaliação e de acompanhamento.

 

O sucesso é logo ali!

 

Neste artigo, você aprendeu um pouco mais sobre o padrão TISS de comunicação e como ele é uma das chaves para o sucesso de um atendimento bem sucedido!

Outra maneira de ser bem sucedido em seus atendimento é usar boas práticas de gestão, assim, você poderá oferecer o melhor de seus serviços a seus pacientes. Pensando em aprimorar suas habilidades nesse setor, trazemos para você o e-book Gestão para médicos!

Nele, você aprenderá a como gerir seu consultório, seu tempo e suas finanças. Não vai perder essa oportunidade, não é mesmo? Faça o download do e-book clicando no botão abaixo!

E-book gestão para médicos