As relações humanas são a base para o nosso desenvolvimento humano. É por meio do contato com as pessoas que estão ao nosso redor que fortalecemos a nossa inteligência emocional.

Em qualquer profissão ou atividade que vamos executar, precisamos nos relacionar com outras pessoas e os vínculos que desenvolvemos ao longo das nossas vidas são fundamentais para a nossa felicidade.

Quer saber mais sobre as relações humanas? Então, confira o que vamos abordar ao longo deste artigo:

  • O que são as relações humanas?
  • Quais são os tipos de relações humanas?
  • A teoria das relações humanas;
  • A importância das relações humanas.

Mas, afinal, o que são a relações humanas?

 

O que são as relações humanas?

 

As relações humanas podem ser definidas como o conjunto de interações que realizamos com todos aqueles que estão ao nosso redor ao longo de toda a nossa vida.

A base para as relações humanas são os vínculos que desenvolvemos com as pessoas, seja na vida pessoal ou no ambiente de trabalho.

Elas são de suma importância para o desenvolvimento individual e intelectual de cada um de nós, visto que somos seres relacionais, ou seja, temos a necessidade de nos relacionarmos uns com os outros.

As relações que desenvolvemos podem ser positivas, gerando harmonia e satisfação, ou negativas, o que, na maioria das vezes, resulta em conflitos. A segunda situação é preocupante, principalmente no ambiente organizacional.

Para que as relações sejam harmoniosas e a produtividade dos colaboradores seja mantida, é necessário uma boa gestão dos recursos humanos.

Para te auxiliar nessa tarefa, separamos para você o nosso Kit de Planilhas de Recursos Humanos.

Ele contém nove planilhas. E o melhor de tudo: você pode baixá-las GRATUITAMENTE.

Clique no banner abaixo e garanta as suas planilhas agora mesmo!

[Kit] Planilhas de Recursos Humanos

Existem dois tipos de relações humanas, vamos conhecer quais são elas?

 

Quais são os tipos de relações humanas?

 

As relações humanas possuem dois tipos de classificação, sendo elas:

 

Interpessoal

 

As relações interpessoais são aquelas que desenvolvemos em nosso cotidiano, fruto das nossas vivências.

Elas compõem a nossa personalidade e nossas características.

 

Intrapessoal

 

A relação intrapessoal é aquela que desenvolvemos internamente. É o famoso “estou falando sozinha(o)”.

Está relacionado com um olhar interno, com a sua relação com o próprio eu.

Ela é fundamental para construirmos relações saudáveis com os outros. Isso porque, quando a fazemos, estamos praticando o autoconhecimento.

 

Para que as relações entre as pessoas sejam mais saudáveis e a nossa convivência seja satisfatória, é necessário o estudo das relações humanas. Vamos entender como tudo começou?

 

A teoria das relações humanas

 

A teoria das relações humanas começou a ser desenvolvida em 1927, por uma equipe de pesquisadores de Harvard, dirigida pelo médico especialista em psicopatologia Elton Mayo e pelo engenheiro Fritz Roethlisberger.

Eles avaliavam como simples mudanças no ambiente de trabalho poderiam afetar a produtividade dos trabalhadores.

Todos esses estudos vieram a calhar em 1930, após a Grande Depressão vivida nos Estados Unidos, quando o modelo econômico e as práticas trabalhistas começaram a ser reestruturadas.

Vamos entender quais eram as principais características dessa teoria?

 

Características da teoria das relações humanas

As principais características da teoria das relações humanas eram completamente diferentes do que se era empregado.

Os seus três princípios básicos são:

  • O homem não é uma máquina. Ele possui ações mais complexas.
  • Todos nós temos o nosso comportamento direcionado pelo sistema social, juntamente com as nossas necessidades biológicas.
  • As pessoas precisam de elementos sociais fundamentais para a sua sobrevivência, como, por exemplo: carinho, aprovação social, influência, proteção e autorrealização.

Para chegar às suas conclusões, os pesquisadores dividiram os seus estudos em quatro fases, sendo elas:

 

Primeira fase

A primeira fase estudou o impacto que a iluminação teria sobre a produtividade das operárias.

Para esse estudo eles utilizaram três grupos.

O primeiro trabalhava em um ambiente no qual a iluminação era constante, o outro a intensidade da luz variava e no terceiro grupo a iluminação era reduzida.

O resultado do experimento foi:

Os três grupos obtiveram um acréscimo na produtividade.

Então, qual foi a conclusão?

A produtividade das funcionárias não estava relacionada apenas com as questões ergonômicas, mas também psicológicas. Elas precisavam de atenção.

Com esses resultados eles partiram para a segunda fase do experimento.

 

Segunda fase

Nessa fase, foram divididos dois grupos. Um deles era formado por seis mulheres, sendo que, cinco delas eram responsáveis por montar uma parte dos aparelhos eletrônicos, denominada relés. A outra era responsável por ajudá-las, fornecendo ferramentas que eram necessárias para a execução da tarefa.

Esse era o time experimental.

Um outro grupo era formado por cinco funcionárias e um contador, que contava quantas peças tinham sido produzidas.

Essa era a equipe de controle.

O estudo identificou que o time experimental produziu mais devido a supervisão branda, sem cobranças e quantificação do trabalho.

Nesse grupo, o ambiente era mais agradável, as funcionárias construíram uma relação de amizade e um sentimento de colaboração e empatia.

Já na equipe de controle, o clima de competitividade imperava e o individualismo era reforçado.

 

Terceira fase

Nesse estágio da pesquisa, deu-se mais atenção às questões emocionais e às relações interpessoais no ambiente de trabalho.

Iniciou-se o programa de entrevistas, que tinha por objetivo receber um feedback dos funcionários a respeito das suas atribuições, saber o que eles sentiam.

Nessa fase, foi descoberta uma organização composta pelos operários que servia como uma rede de apoio para que eles se protegessem das suas chefias.

 

Quarta fase

Na quarta fase, os estudos foram direcionados para entender a rede de apoio dos operários.

Foi apresentada uma alternativa que seria vantajosa para todos. Foi oferecido um aumento para todos os funcionários, caso a produção geral crescesse.

Todos aceitaram e o resultado foi um sentimento de solidariedade, a fim de, ao final do mês, todos receberam um aumento. 

 

Conclusões de toda essa experiência

Depois de todo esse estudo, a conclusão foi que as relações sociais criadas no ambiente de trabalho têm grande influencia na produtividade.

Pode parecer uma conclusão simples e até óbvia, mas foi por meio dessas constatações que ocorreram grandes mudanças nas organizações, o que ajudou a estruturar da área de recursos humanos.

 

A importância das relações humanas

 

As relações humanas vão muito além de um bom convívio com as pessoas ao seu redor. Elas têm impacto em nossa motivação, em nossa produtividade e em nossa satisfação.

No ambiente profissional elas possuem um espaço especial tendo em vista que as habilidades de trabalhar em grupo e de se comunicar são muito valorizadas nas organizações.

As empresas são formadas por pessoas e, para que as atividades sejam realizadas com sucesso, é necessário um bom relacionamento entre elas.

Para que você possa ter uma boa gestão dos recursos humanos da sua empresa, separamos o nosso Curso de Estruturação de Sistema de Recursos Humanos.

Com ele você aprenderá sobre todos os processos necessários para gerir os recursos mais valiosos da sua organização. Desde a contratação, com a estruturação de processos seletivos, até práticas para manter os seus colaboradores engajados.

Além disso, você será capaz de resolver problemas complexos, entender técnicas para manter resultados alcançados e muito mais.

Clique no botão abaixo e comece a se capacitar agora mesmo!

Curso de Estruturação de Sistema de Recursos Humanos