Como anda a sua vida financeira? Você é uma pessoa endividada?

O endividamento das famílias brasileiras vêm crescendo ao longo dos anos e, mesmo que por vezes a taxa de endividamento das mesmas apresente uma leve redução, o cenário em que mais de 60 milhões de brasileiros encontram-se endividados, seja por meio de dívidas relacionadas ao uso indevido do cartão de crédito ou, mais especificamente, pelo uso inadequado do dinheiro, é muito preocupante.

Logo, se você é uma dentre as milhões de pessoas endividadas devido ao consumo exacerbado, saiba que sua atual condição financeira tem mais relação com as atitudes que toma diariamente e com a forma como lida com as suas finanças pessoais do que você imagina, e o simples hábito de construir uma  reserva de emergência poderia ter te evitado grandes problemas.

Portanto, mesmo que você esteja endividado, é essencial que você entenda que possui chances reais de reverter essa situação, iniciando esse processo com as simples práticas que citaremos neste artigo.

Lembre-se, a mudança deve começar em você!

 

1. Entenda o problema

 

Se você acumulou dívidas, o problema é seu e de mais ninguém. Sendo assim, somente você é capaz de se tirar dessa situação.

Muitas pessoas acham que não é possível  se livrar das dívidas por não ganhar o suficiente para quitá-las. Isso é um absurdo! 

Por mais desafiadora que seja, a tarefa de organizar-se financeiramente para quitar dívidas é perfeitamente possível, mesmo que o tempo necessário para que isso ocorra seja relativo para cada pessoa, nível de renda e de endividamento.

Dessa forma, entender o problema, assumir que suas dívidas são o resultado de escolhas de consumo errôneas, assim como, assumir-se como o principal causador e o único agente capaz de te tirar dessa situação, é o primeiro passo para acabar com as dívidas. 

O segundo é estar determinado a mudar a sua situação atual. 

A partir daí, você conseguirá  manter o foco e a disciplina para alcançar os objetivos planejados visando ter um futuro melhor.    

 

2. Levante suas dívidas

 

Agora que você assumiu a responsabilidade pelos seus atos, o próximo passo consiste em fazer um levantamento de TODAS as dívidas que você possui, conhecê-las (deve a quem e quanto?), e listá-las, para então negociar a melhor forma de pagamento com os seus credores.

Nesse ponto, um fator muito importante e que certamente é um diferencial é a chamada Memória de cálculo, ou seja, a descrição completa de todas as suas dívidas, desde o seu valor original, suas taxas de  juros e o tempo corrido. 

Só assim você saberá quanto deve de fato e conhecerá os fatores que fizeram as dívidas crescerem tanto. 

Uma dica: Ordene suas dívidas pelos juros vigentes e pague primeiro as com os juros mais altos.

 

3. Troque e renegocie dívidas

 

Tenha em mente que, assim como você quer pagar, o seu credor quer receber. 

Sendo assim, a renegociação da dívida pode não atender a todas as suas expectativas, no entanto,  deverá ser um negócio interessante para ambas as partes.

Desse modo, antes de entrar em contato com o seu credor, seja ele pessoa física, instituição financeira, lojas e afins, esteja preparado! 

Não faça acordos ou renegociações por telefone, muito menos de cabeça quente.

No momento da renegociação, é importante que você se faça presente junto ao seu credor e se prepare para já chegar na conversa com uma proposta. 

Além disso, muitas vezes, é prudente trocar dívidas com altos juros no mercado (as dívidas do rotativo do cartão de crédito e do cheque especial, por exemplo) por outras com juros mais baixos, contanto que estas caibam dentro do seu  orçamento e sejam capazes de equilibrar suas finanças.

Uma opção é fazer a negociação de suas dívidas online, pois além de não perder tempo no telefone, também é possível conseguir ótimos descontos.

emDia, já nasceu 100% digital: nela, leva-se menos de 5 minutos para concluir o cadastro e fechar uma proposta que poderá ser parcelada em até 120 vezes. Além disso, a pataforma conta com um game que permite que seus clientes ganhem pontos a cada parcela que for paga e troquem por premiações.  

Parte do grupo Santander, a empresa já garantiu que milhas de clientes negociassem dívidas e voltassem a ter crédito no mercado, de forma simples, rápida e segura!

 

4. Reduza despesas

 

Para sair das dívidas, tão importante quanto reconhecê-las e renegociá-las, é utilizar-se de meios que aumentem a sua capacidade de pagamento. 

Nesse caso, reduzir despesas e aumentar a renda são fundamentais, sendo assim parte da solução dos seus problemas. 

Ei, o hábito de reduzir despesas e  economizar anda longe de ser o bicho de sete cabeças que você está criando! Sabe o porquê? 

Simples: o hábito de fazer lista de compras antes de ir para o supermercado, comprar produtos "fora de época" com preços mais em conta e aproveitar promoções para comprar algo que você de fato precisa, por exemplo, farão uma grande diferença no seu bolso. E o melhor, com o mínimo de esforço. 

E mais, não esqueça de cortar despesas desnecessárias! Preze pela sua saúde financeira evitando comprar bens de que não necessita.

 

5. Tenha uma fonte de renda extra

 

Dinheiro extra nunca é demais, não é mesmo?! Muito pelo contrário, é bem-vindo em todas as situações.

Uma excelente forma de complementar a sua renda e te auxiliar no processo de saída das dívidas, sem dúvidas, encontra-se no aumento das suas receitas. 

Seja por meio de um aumento no salário, ou até mesmo um complemento provindo de  fontes de renda extra

E para quem pensa que isso é impossível, em meio a uma rotina de trabalho em tempo integral e estudos, em alguns casos, a venda e aluguel de objetos online, como também a venda de milhas do cartão de crédito são uma alternativa. 

Já para aqueles que possuem um tempo de sobra maior, escrever para blogs, tirar e comercializar fotos, somam-se às diversas opções.

 

6. Crie um orçamento

 

Sem ter noção de quanto gasta diariamente fica difícil saber quando conseguirá quitar todas as dívidas.

Por isso, criar um orçamento e estabelecer metas de gastos é imprescindível para quem sonha em sair das dívidas.

Em função disso, utilizar uma ferramenta de  planejamento financeiro com o intuito principal de prever suas despesas e organizar as finanças pessoais é de suma importância. 

Neste ponto, as técnicas de orçamento (instrumento fundamental para quem deseja colocar as contas em dia e mudar a sua realidade financeira) deverão ser colocadas em prática.

Realizar o seu controle financeiro e planejar as finanças é uma atitude primordial para prosperar.

 

7. Aceite que irá se limitar

 

Nem tudo na vida são flores, muito menos quando você possui um fluxo de gastos maior do que os seus ganhos e, como se isso não bastasse, possui dívidas acumuladas. 

Aceitar que irá se limitar, que é preciso se privar de certos bens e lazeres em alguns momentos, faz parte do processo. 

Afinal, ninguém pode esperar que sua vida mude sem antes mudar suas atitudes, isto é, não espere resultados diferentes mantendo as mesmas atitudes que te trouxeram onde está hoje. 

Então, aprenda a dizer não a festas, reuniões, viagens e roupas caras que pesam no seu orçamento, buscando alternativas mais baratas que possam suprir suas necessidades sem afetar seus objetivos financeiros negativamente. 

Nessa sua missão de saída das dívidas, você precisará se impor regras e desafios que te auxiliem a juntar uma maior quantia de dinheiro para negociar com seus credores e te ajudem a alcançar uma vida mais estável, com mais liberdade e independência financeira.

 

8. Defina uma meta de poupança

 

Pague-se primeiro criando uma meta de poupança, reservando e investindo um valor mensal do seu salário, seja para montar uma reserva de emergência ou pagar dívidas, e até mesmo garantir a sua aposentadoria, etc. 

O ideal é separar de 10% a 20% da sua renda mensal líquida para este determinado fim útil.

Além disso, em casos mais graves, será preciso economizar ainda mais e reservar uma porcentagem maior para conseguir quitar seus débitos e sair do vermelho.

 

9. Negocie sempre e compre à vista

 

Geralmente, bens comprados à vista tem desconto.

Logo, comprar à vista é muito mais que um hábito saudável para a sua vida financeira, é uma estratégia!

Essa estratégia te permitirá economizar em compras planejadas, gerando assim um saldo positivo em seu orçamento, mantendo o equilíbrio das suas finanças. 

Por isso, pessoas que possuem inteligência financeira, negociam sempre e optam por comprar à vista.

 

10. Utilize um gerenciador financeiro

 

Controlar suas despesas e receitas é um passo essencial para sanar suas dívidas e colocar suas finanças no verde novamente.

E o melhor, é um hábito que se constrói diariamente e que vem ficando cada vez mais fácil de ser acompanhado por meio da utilização de apps de gerenciamento financeiro.

Na minha opinião, essa é a melhor alternativa para fazer um controle eficiente do seu orçamento. 

Ao utilizar um  app de controle financeiro, é possível gerenciar todas as suas entradas e saídas de dinheiro, e assim, visualizar suas despesas classificadas por categorias, podendo reduzir ou cortar aquelas com maior peso em seu orçamento, começando por gastos supérfluos e contas de serviços não utilizados. 

 

Conclusão

 

Aumente seus conhecimentos sobre  educação financeira e aproveite todas estas dicas para fazer a mudança que deseja na sua vida.

Ao gerenciar seus gastos com sabedoria e mudar alguns de seus hábitos de consumo, fica muito mais fácil sair das dívidas.

E mais, não espere por resultados imediatos, tudo faz parte de um processo. 

Os seus resultados virão conforme ocorra uma readaptação do seu estilo de vida e sejam postas em prática as lições que você está aprendendo.