Quando falamos em gestão financeira, uma das primeiras coisas que nos vem à mente são os indicadores financeiros, não é mesmo? Afinal de contas, para se medir a saúde financeira de uma empresa ou mesmo analisar a viabilidade de um investimento, é necessário olhar para esse indicadores.

Existem vários indicadores para chegar a esses dados e, nesse blog, já falamos de alguns deles. Então, para facilitar sua vida, resolvi fazer um compilado com alguns dos indicadores financeiros mais importantes, com uma breve explicação sobre cada um deles e também o link para o respectivo artigo completo.

Alguns são indicadores de desempenho, outros retornam resultados como lucro líquido e liquidez corrente. Então, se você quer saber quais são esses indicadores financeiros e para que eles servem, fique ligado!

 

ROI

 

O ROI, ou Retorno sobre Investimento, é um indicador de rentabilidade que, como o próprio nome já diz, traz como resultado o retorno obtido a partir de um investimento feito, mostrando assim se tal investimento é rentável ou não.

Podendo ser calculado de duas formas, uma simples e outra complexa, a análise desse indicador diz que quanto maior ele for, melhor o investimento, e maior o retorno obtido. Assim, é possível identificar onde há maior lucro e onde podem ser implantadas melhorias para aumentar o ROI.

Porém, há que se ter cuidado ao usar o ROI, pois ele possui algumas deficiências, como sua incapacidade de analisar a duração do projeto a longo prazo, a inflação e a sazonalidade. Assim, é essencial ter cuidado ao fazer uso desse indicador, para não ser guiado em uma interpretação errada dos dados obtidos.

Seguindo essas orientações, esse indicador pode ajudar e muito na saúde financeira e na rentabilidade da empresa, ajudando principalmente na identificação de pontos de melhoria.

 

Payback

 

O Payback é um indicador financeiro que nos diz o tempo decorrido até que o lucro líquido de um investimento se iguale ao valor investido. É um indicador fácil de ser calculado e fornece uma ideia do grau de liquidez e de risco de um projeto.

Por isso, é um bom indicador para tempos de instabilidade do mercado financeiro, principalmente em projetos com vida limitada, visto que ele pode não ser muito adequado para projetos muito longos, pois não considera o fluxo de caixa após o ano de recuperação.

Existem dois tipos de payback, o simples e o descontado. Devido ao fato de o payback simples não considerar o valor do dinheiro no tempo e por não respeitar a equivalência entre taxas, matemáticos o consideram incorreto.

Para isso, existe o payback descontado, que faz uso de uma taxa de desconto de acordo com o interesse do investidor. Essa taxa geralmente é a Taxa Mínima de Atratividade, que é estipulada de acordo com o ganho que o investidor deseja receber.

Dessa forma, no payback descontado, todas as parcelas do fluxo de caixa terão essa taxa de desconto definida com base em um período específico, tornando os resultados mais confiáveis.

 

VPL

 

O VPL (Valor Presente Líquido) é definido como sendo o valor presente de pagamentos futuros descontando uma taxa de custo de capital. Ou seja, projetamos quais serão os fluxos de caixa associados a um investimento, e então trazemos esses retornos para o presente, para quanto esse dinheiro vale hoje.

Sendo um indicador de viabilidade econômica de um projeto, o VPL se destaca por confiabilidade e praticidade. Sua análise é bem simples, sendo um projeto considerado viável se obtiver VPL positivo e inviável, caso contrário.

Um ponto muito positivo do VPL é que ele considera o valor do dinheiro, pelo uso da taxa de desconto. Essa taxa de desconto é a TMA, Taxa Mínima de Atratividade, que é o retorno mínimo que o investidor desejar obter no projeto. Por isso, o VPL é bastante utilizado para gerar fluxo de caixa.

Mas como você pode estar pensando, uma dificuldade no uso do VPL é projetar os fluxos de caixa futuros com precisão, atividade que exige conhecimento de vários parâmetros e outros indicadores financeiros.

Alguns outros cuidados necessários dizem respeito ao tempo de duração do projeto e o valor do investimento inicial, pois projetos longos e com alto valor de capital investido tendem a apresentar um maior VPL, podendo levar levar a uma interpretação equivocada, pois podem existir outros projetos mais viáveis.

 

EBITDA


O EBITDA é um dos mais conhecidos indicadores financeiros, sendo bastante utilizado pelos investidores no mercado de ações por fornecer uma informação de qualidade acerca da rentabilidade de uma empresa.

EBITDA significa Earns Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization, que significa Lucros Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização, sendo por isso também chamado de LAJIDA.

Logo, esse indicador representa quanto a empresa gera de caixa de fato, informação muito importante para a análise de investimentos a serem feitos nessa determinada empresa. Assim, é possível saber se a empresa tem capacidade de pagar suas dívidas.

Ao retirarmos os juros, impostos, depreciação e amortização, estamos retirando aquilo que não afeta de forma direto no fluxo de caixa. Isso nivela mais as empresas, principalmente a nível internacional, onde diferentes leis tributárias e formas diferentes de se calcular a depreciação e amortização tornam um comparativo entre empresas desigual.

Entretanto, há que se ter muito cuidado na análise do EBITDA, pois muitas empresas mascaram resultados negativos através de um EBITDA positivo. Por exemplo, embora a depreciação e a amortização não afetem de forma direta o fluxo de caixa da empresa, elas podem influenciar consideravelmente no resultado final da empresa.

Isso acontece principalmente em empresas que possuem muitos ativos imobilizados, como imóveis e máquinas. Portanto, uma análise do EBITDA de forma isolada demonstraria uma rentabilidade que a empresa, de fato, não possui.

 

TIR

 

A TIR (Taxa Interna de Retorno) é mais um indicador usado para medir a viabilidade econômica de um investimento. Ela está diretamente ligada ao VPL, pois é a taxa de desconto necessária para fazer com que ele seja zero, porque quando o VPL atinge zero significa que tudo que foi investido retornou.

Assim, a TIR avalia qual o percentual de retorno de um projeto. Certo, mas como saber se o percentual de retorno encontrado é bom ou não? Para isso, a TIR é comparada com a TMA e, se for maior, o investimento é classificado como viável. Geralmente, há mais fatores envolvidos também.

A TIR deve ser entendida como a taxa de crescimento esperado de um projeto. Costuma ser empregado em conjunto com o VPL para obter uma imagem mais clara do valor gerado pelo investimento.

Esse uso conjunto ajuda a prevenir alguns equívocos relacionados com a interpretação da Taxa Interna de Retorno. Um projeto pode ter uma TIR mais baixa, mas um VPL alto, o que significa que ele gera ganhos de forma lenta e constante, o que adiciona valor à empresa.

Assim, mais uma vez, é necessário ter cuidado na interpretação desse indicador, o que evita cair em armadilhas. É por isso que um bom investidor nunca olhará para um indicador financeiro isoladamente, mas sempre o analisará em conjunto com outros.

 

ROA

 

O ROA é o Retorno sobre Ativos, ou seja, a capacidade de uma empresa de gerar lucros a partir dos ativos. Dessa forma, esse indicador de rentabilidade mede se a empresa está ganhando ou perdendo dinheiro com seu estoque, maquinário, imóveis, investimentos, entre outros.

Quanto maior for o Lucro Operacional da empresa, maior será o ROA. Esse indicador é muito usado em comparativos com outras empresas, principalmente as de capital aberto, porque é muito útil para os acionistas para ver a eficiência da empresa em converter ativos em dinheiro líquido.

Dessa forma, esse indicador é muito útil para medir o Grau de Alavancagem Financeira. Assim, para aumentar esse indicador, a empresa deve focar em aumentar o Lucro Operacional ou diminuir os ativos, o que não é a melhor opção para quem busca crescimento.

 

Índice de Lucratividade

 

O Índice de Lucratividade (IL) mede, como o nome já diz, a capacidade de uma empresa de gerar lucro, podendo ser aplicado também a uma área específica da empresa. Através desse indicador, é possível saber se as estratégias adotadas pela empresa estão funcionando ou não.

Assim, se o IL > 1, significa que há lucro, pois para uma quantidade investida, o retorno é maior. Portanto, de forma simplista, quanto maior o IL, melhor.

Algumas das vantagens desse indicador são que ele considera o valor do dinheiro no tempo e também leva em conta projetos com desembolso constantes. Um ponto negativo é que o cálculo pode vir a se tornar bastante complexo.

 

E aí, que tal aprender mais?

 

Agora que você aprendeu sobre alguns indicadores financeiros, que tal saber mais sobre a gestão financeira? Para isso, a Voitto preparou para você gratuitamente o curso Fundamentos Essenciais da Gestão Financeira, onde você será introduzido aos principais conceitos da área.

 

 

Não se esqueça de deixar seu comentário nos dizendo o que você achou desse artigo, além das suas dúvidas, para que eu possa te responder. Aguardo seu feedback!