A DRE é uma das obrigações contábeis mais importantes com as quais as empresas devem se preocupar.

No entanto, o Demonstrativo do Resultado do Exercício vai muito além disso e desempenha um papel fundamental para a saúde financeira da empresa.

Ele, juntamente com o fluxo de caixa, são considerados os relatórios mais importantes de uma empresa.

Quando o empresário quer saber se o seu empreendimento está tendo lucro ou prejuízo, é possível analisar através da DRE as receitas e rendimentos da organização.

Para esse tema nós separamos os seguintes tópicos para você:

  • O que é DRE?

  • O que é obrigatório na DRE?

  • Qual a diferenças entre DRE e Balanço Patrimonial;

  • Objetivos da DRE;

  • 5 Indicadores financeiros obtidos por meio da DRE;

  • Passo a passo para estruturar uma DRE;

  • Exemplo de DRE;

  • A DRE deve ser apurada por regime de caixa ou de competência?

  • Utilização da DRE na área de gestão.

 

O que é DRE?

 

A sigla DRE significa Demonstração do Resultado do Exercício e representa um relatório de obrigações legais que tem como objetivo detalhar atividades operacionais e não operacionais.

Entre essas obrigações incluí-se detalhar a formação do resultado líquido de um exercício pela confrontação das receitas, custos e despesas de uma empresa, apurados em relação ao conjunto de operações realizadas num determinado período, normalmente de doze meses.

Embora a lei exige uma DRE anual, algumas empresas realizam mensalmente para tratar assuntos administrativos e gerenciais.

Sendo assim, a DRE serve para demonstrar o lucro ou prejuízo no período determinado sem levar em conta o lucro de um período anterior ou possível prejuízo acumulado.

Podemos pensar na DRE como um resumo financeiro dos resultados operacionais da organização.

 

O que é obrigatório na DRE?

 

leis.png

 

Segundo o artigo 187 da Lei 6.404/1976 (Lei das Sociedades por Ações), a DRE deve conter:

  • A receita bruta das vendas e serviços, as deduções das vendas, os abatimentos e os impostos;

  • A receita líquida das vendas e serviços, o custo das mercadorias e serviços vendidos e o lucro bruto;

  • As despesas com as vendas, as despesas financeiras deduzidas das receitas, as despesas gerais e administrativas, e outras despesas operacionais;

  • O lucro ou prejuízo operacional, as outras receitas e as outras despesas;

  • O resultado do exercício antes do Imposto sobre a Renda e a provisão para o imposto;

  • As participações de debêntures, empregados, administradores e partes beneficiárias, mesmo na forma de instrumentos financeiros, e de instituições ou fundos de assistência ou previdência de empregados, que não se caracterizem como despesa;

  • O lucro ou prejuízo líquido do exercício e o seu montante por ação do capital social.

 

Qual a diferença entre DRE e Balanço Patrimonial

 

Ambos são demonstrativos contábeis da posição patrimonial de bens, direitos e obrigações que uma empresa possui; o Balanço Patrimonial avalia a evolução dos bens e obrigações do negócio, no decorrer do tempo. Já a DRE faz essa análise ao longo de um período de tempo.

Caso não tenha ficado claro imagine que se o negócio fosse uma pessoa, o Balanço Patrimonial mostraria seus bens, enquanto a DRE exibirá o quanto essa pessoa gastou e ganhou naquele ano analisado. 

Caso você tenha curiosidade em entender uma análise do Balanço Patrimonial, eu vou deixar o link para o nosso artigo completo sobre o assunto; é só clicar e aproveitar a leitura:

Artigo: Balanço Patrimonial: o que é e como analisar?

Além disso, nós temos um presente para você:

A Voitto criou um curso GRATUITO de Fundamentos Essenciais da Gestão Financeira, que irá englobar conceitos sobre contabilidade e, além disso, te ensinar a fazer uma DRE e a entender cada detalhe do Balanço Patrimonial de um negócio. 

Não perca tempo e comece agora mesmo. É só clicar no botão abaixo:

 

fundamentos essenciais da gestão financeira.png

 

Objetivos da DRE

 

Os principais objetivos de uma DRE são:

 

  • Regime tributário: é importante a avaliação do regime tributário para saber se a empresa está enquadrada no regime correto. Através de simulações, é possível saber se a empresa está pagando os menores impostos possíveis.

  • Comparação entre períodos: para saber, por exemplo, qual período deu mais lucro ou se algum período deu prejuízo, e assim investigar as raízes de um possível problema.

  • Geração de resultados: avaliar se as ferramentas e planejamentos utilizados para a gestão financeira da organização estão realmente dando bons resultados. Dessa forma, é possível saber se a empresa está no caminho certo ou se é necessário buscar outras alternativas.

  • Ponto de equilíbrio: este é o ponto que nos diz o quanto a empresa precisa vender para cobrir todos os custos e a partir daí começar a ter lucro. Através da DRE, é possível saber o ponto de equilíbrio da organização.

  • Indicadores financeiros: outro objetivo é acompanhar os indicadores financeiros. Falaremos mais sobre eles no próximo tópico.

 

5 Indicadores financeiros obtidos por meio da DRE

 

análise de indicadores financeiros.png

 

A seguir, falaremos sobre os indicadores financeiros que podem ser obtidos através de uma DRE:

 

Retorno sobre ativos

Os ativos de uma empresa representam o valor do investimento necessário para que a empresa funcione, sendo assim o retorno sobre ativos é o quanto a empresa tem de retorno sobre os ativos investidos. O valor é obtido da seguinte forma:

RSA = Lucro Líquido / Ativo Total

 

Margem líquida 

Conhecida como retorno sobre vendas e demonstra qual foi o percentual de faturamento e avalia se esse percentual se tornou lucro líquido.

RSV = Lucro Líquido / Vendas

 

Retorno sobre o patrimônio líquido 

Esse indicador demonstra o quanto os investimentos diretos dos sócios proporcionam de lucro.

RSPL = Lucro Líquido / Patrimônio Líquido

 

Lucratividade 

Esse indicador financeiro permite que um empreendedor saiba a eficiência da empresa em gerar lucro.

IL = Receita total / Lucro Líquido

 

Margem de contribuição 

O indicador de margem de contribuição permite saber o quanto do faturamento gerado contribui para a geração de lucro e cobertura das despesas fixas.

Conheça nosso artigo completo sobre o assunto - Margem de contribuição e lucratividade: como calcular?

 

 

Passo a passo para estruturar uma DRE

 

Vamos te ensinar 7 passos para elaborar uma DRE! Acompanhe abaixo:

 

1. Receita Bruta: some todas as suas vendas, seja produto ou serviço. Se houve algum cancelamento e você precisou devolver o dinheiro não se esqueça de abater este valor.

2. Tributação: adicione todos os impostos pagos. Lembre-se do imposto de renda e contribuições sociais.

3. Despesas de vendas e serviços prestados: nesse item, você deve colocar as despesas com matéria-prima e materiais.

4. Despesas administrativas: aqui, entram os gastos para que a empresa funcione. Como por exemplo, conta de energia elétrica, água e despesas com funcionários.

5. Despesas financeiras: são os juros e as despesas bancárias.

6. Despesas gerais: são aquelas que não são corriqueiras.

7. Dividendos e retiradas: aqui, são somadas as retiradas dos sócios e também aquela distribuição de lucro que algumas empresas fazem com os funcionários.

Abaixo você encontra um modelo de DRE.

 

Exemplo de DRE

 

exemplo de um DRE.png

 

A DRE deve ser apurada por regime de caixa ou de competência?

 

No regime de competência, tanto as vendas quanto as compras são contabilizadas no momento em que elas ocorrem, não importando se o pagamento será efetuado agora ou daqui a um mês.

Enquanto no regime de caixa, despesas e receitas só serão contabilizadas no momento que o pagamento ou recebimento for efetuado.

Sendo assim, a DRE deve ser apurada por regime de competência.

 

Utilização da DRE na área de gestão

 

Como vimos anteriormente, fazer a DRE é uma obrigação contábil da empresa, certo?

Mas como foi dito, é possível a obtenção de diversos indicadores que possibilitam a análise minuciosa da situação financeira da organização. Você não só pode como deve utilizar esses dados na gestão financeira da empresa.

A DRE permite tanto a análise vertical quanto horizontal das despesas. É vertical a análise de diferentes contas em um mesmo intervalo de tempo. Já a análise horizontal é a evolução de uma mesma conta em um intervalo de tempo. Ambas possuem a mesma importância na hora de tomar decisões.

Por meio da DRE, podemos saber, por exemplo, se a empresa se encaixa no Simples Nacional, que é um regime tributário facilitado e simplificado para micro e pequenas empresas.

 

Entendeu tudo sobre DRE?

 

Como você pôde perceber, a DRE é uma importante ferramenta para gerenciar seu negócio. Através dele, obtêm-se informações importantes sobre a saúde financeira da organização.

E, a partir daí, é possível detectar se há pontos de melhoria e, se houver, quais medidas devem ser tomadas.

Para ampliar ainda mais seu conhecimento sobre gestão financeira, a Voitto preparou para você um curso sobre Gestão Financeira e Análise de Investimentos, que aborda todos os assuntos tratados nesse artigo. 

Clique e confira o seu conteúdo:

 

curso de gestão financeira e análise de investimentos.png

 

Não se esqueça de deixar seu comentário nos dizendo o que você achou desse artigo, além das suas dúvidas, para que eu possa te responder. Aguardo seu feedback!