Todo mundo sabe que o mercado de trabalho está cada dia mais exigente e competitivo. Por isso, as empresas precisam sempre estar preparadas para tomar as melhores decisões estratégicas com o objetivo de evitar desperdícios e potencializar os ganhos.

Para isso, o melhor aliado de qualquer empresário ou gestor será sempre o conhecimento de tudo relacionado ao seu negócio.

Os mundos empresarial e contábil trazem muitas palavras e muitos termos próprios que possuem significados bem específicos. Para agravar a situação, muitos termos novos aparecem a cada dia.

Contudo, dois deles são mais antigos que andar para frente e sempre fizeram parte do vocabulário de vários gestores: estou falando sobre Lucro Bruto e Lucro Líquido.

Então, para não existir mais confusão, neste artigo, vou te mostrar de forma fácil o que são eles, como são calculados, suas principais diferenças e a importância na área financeira de qualquer empresa. Combinado?

 

O lucro na empresa

 

Não é difícil imaginar que a função de toda empresa e o desejo de todo empresário é gerar uma boa margem de lucro. Isso pode ser obtido pela revenda de produtos, prestação de serviços, entre outros.

Antes de começar, vamos primeiro deixar claro o conceito de lucro. De um jeito simples, o lucro é o retorno positivo sobre um investimento. Ele é calculado pela diferença entre a receita total e o que foi gasto em um projeto.

Entretanto, a definição contábil do lucro é um pouco mais elaborada que isso. Para explicar melhor como ele é calculado, podemos separar em duas formas diferentes: o lucro bruto e o lucro líquido.

Antes de entender sobre esses indicadores, vou explicar rapidamente o conceito dos custos e depois disso vai ficar muito fácil entender a diferença entre eles. Pode ser?

 

 

Custos variável, fixo e total

 

Como mencionei acima, após entender esse conceito dos custos, vai ser bem mais simples entender a diferença entre os tipos de lucro.

 

Custo variável

 

Os custos variáveis são assim chamados porque mudam de acordo com a quantidade produzida, ou seja, eles são o dinheiro que é gasto na produção do produto, desde os insumos e o transporte até o momento da venda.

No setor de serviços, abrange-se tudo o que for gasto para a entrega. Além disso, podemos citar também alguns impostos como ICMS, PIS/Cofins, ISS, que aumentam de acordo com a quantidade de mercadorias e serviços prestados.

A matéria-prima necessária para produzir qualquer item é um bom exemplo de custo variável, porque quanto mais se deseja produzir, maior será o custo com a aquisição.

 

Custos fixos

 

Já os custos fixos, como sugere o nome, não variam com a produção. Para exemplificar, posso citar aluguel, internet, IPTU. Então... Onde entra água, luz e telefone? Estes custos podem ser tanto fixos quanto variáveis – isso vai depender do seu modelo de negócio.

Apesar de sugerir que são imutáveis, isso não significa que sempre serão os mesmos e que não podem variar. Vários desses custos podem sofrer alterações, como o aluguel, que, geralmente uma vez ao ano, pode sofrer um incremento.

Mesmo assim, eles são classificados como custos fixos porque essa pequena mudança não vai causar variações na operação da empresa.

 

Custo total

 

Para finalizar, o custo total vai ser a soma dos custos fixos com os variáveis. Achou fáceis esses conceitos? Então você está pronto para entender a diferença entre lucro bruto e lucro líquido.

 

 

Diferença entre lucro bruto e lucro líquido

 

Lucro bruto

 

Lucro bruto, ou lucro das vendas ou lucro operacional bruto, é simplesmente a diferença entre o custo total arrecadado e o custo de produzir o produto ou serviço.

Agora de forma fácil: “Lucro Bruto = Receita total - Custos Variáveis”.

Para exemplificar, imagine que o total de vendas é R$ 100, mas que foram gastos R$ 40 para a produção. Assim, seu lucro bruto foi de R$ 60.

Para um varejista, por exemplo, o lucro bruto é o total acumulado de vendas feitas menos o custo de aquisição dos produtos.

 

Lucro líquido

 

O lucro líquido é um indicador mais objetivo, pois é o resultado contábil final de uma empresa. Ele leva em consideração todos os custos agregados, sendo utilizado como uma visão real do que realmente foi à margem de lucro final.

Para deixar a visualização mais fácil: “Lucro líquido = Receita total - Custo total”.

Seguindo o exemplo acima, se o total de vendas foi R$ 100, os gastos variáveis são R$ 40 e sua operação consumiu cerca de R$30 com os gastos fixos. Deduzidos os custos, chegamos à conclusão que você lucrou um total de R$ 20.

 

Então, qual a diferença?

 

Sobre o lucro líquido também incidem as despesas fixas e os impostos, diferentemente do lucro bruto.

Enquanto o lucro bruto retoma o custo da receita total menos o que se gastou, o lucro líquido é o próprio lucro bruto menos a dedução dos custos fixos e também dos impostos.

Aí está a diferença. Entre esses custos podemos citar:

 

  • Impostos sobre faturamento;

  • Tributação e encargos sobre folha e outros;

  • Aluguel ou manutenção da sede;

  • Telefone, água, luz, internet etc.;

  • Despesas com pessoal administrativo.
     

Como usar esses indicadores para tomar decisões?

 

É muito comum que empresários utilizem somente o lucro bruto para tomar decisões.

Basicamente eles partem da seguinte mentalidade: se um software de gestão ou ERP para minha empresa custa R$ 30 mil reais, quantos cursos teriam que ser vendidos para pagar o investimento?

Se um dos cursos custa R$ 2 mil, sendo que o custo de produção é por volta de R$ 1 mil, a resposta seria 30 cursos. Mas daí vem o erro que pode afetar o planejamento da empresa.

Nesse quadro, o gestor está supondo que o Lucro Bruto vai fazer o retorno sobre o investimento, ou seja, que somente um incremento nas vendas será suficiente para manter, mas não está levando em consideração os gastos fixos.

A melhor forma de fazer a análise de investimentos é considerar o lucro líquido, que é o último número no final da planilha, porque aí você tem a verdadeira noção de quanto terá à disposição para investir no negócio.

Outros indicadores que podem ser úteis para tomada de decisão são o DRE e o fluxo de caixa.

 

 

Não fique queimando dinheiro

 

Depois de descobrir a diferença entre lucro bruto e lucro líquido, você pôde perceber a importância de saber corretamente interpretar e aplicar esses indicadores no seu negócio.

No mundo de hoje, conhecimento se tornou o maior valor que podemos gerar para nós mesmos e para os outros. Por isso, preparamos um novo curso GRATUITO de Fundamentos Essenciais da Gestão Financeira.

Com ele você será capaz de entender diversos conceitos do mundo dos negócios e da contabilidade, perceber como funciona o valor do dinheiro no tempo e também quais são os erros mais comuns na gestão financeira.

Bom, todos sabem que é importante se capacitar, e o curso está aqui. Agora é com você!