ERP e MRP são dois softwares que vêm ganhando cada vez mais notoriedade no mercado, devido às suas capacidades de otimizar os processos produtivos dentro de uma organização.

Mas, você já se perguntou o porquê de as ferramentas da tecnologia da informação estarem sendo cada vez mais utilizadas dentro do meio empresarial?

A resposta para essa questão não é muito complicada. Com um mercado cada vez mais competitivo, todas as indústrias preferem demandar a mão de obra humana para as ações realmente necessárias, como: negociações, gestão de pessoas e tomadas de decisões.

Então, se esse é o caso da sua empresa ou se você deseja saber mais a respeito de ERP e MRP, continue lendo este artigo e conheça também o MRP II, outro software amplamente utilizado.

 

O que é ERP?

 

O Enterprise Resources Planning (ERP) é um software ou um conjunto de softwares utilizados para automatizar a gestão empresarial.

Em português, esta palavra significa Planejamento Integrado de Recursos. E, como o próprio nome faz menção, este software tem a capacidade de integrar todas as áreas de uma empresa.

Além disso, com o uso do ERP, todos os dados da organização (desde o setor de compras até o de recursos humanos) são compartilhados em um único ambiente virtual, e as informações chegam em tempo real.

A linguagem utilizada também é bem simples, e uma das diferenças mais significativas é que os setores da empresa são chamados de módulos.

 

Exemplo de sistema ERP

 

Um sistema ERP mundialmente usado, é o SAP. Essa tecnologia funciona como um gigante banco de dados, promovendo um constante compartilhamento de dados por meio da integração entre os diversos setores de uma empresa e também pela possível conectividade com equipamentos promovida pela Internet das Coisas.

Dessa forma, um sistema como o SAP que promove esse tipo de integração, permite que decisões sejam tomadas de forma mais rápida e assertiva, economizando tempo e evitando desperdícios

Uma outra maneira de evitar desperdícios e promover a melhoria contínua para as empresas é por meio da metodologia Lean Seis Sigma. Vivemos em um mundo dinâmico, com mudanças constantes, e daí vem a importância de saber utilizar as ferramentas Lean: reduzir custos e otimizar processos já se tornou uma premissa.

Portanto, para aprender mais sobre essa metodologia, se inscreva em nosso curso de formação de White Belt em Lean Seis Sigma. Por meio dele, você irá adquirir conhecimentos básicos sobre melhoria contínua por meio de um método conhecido como DMAIC – Definir, Medir, Analisar, Melhorar (Improve) e Controlar. Aproveite!

 

Treinamento de White Belt em Lean Seis Sigma


Agora, vamos entender como o sistema ERP pode ser aplicado.

 

Exemplo de aplicação do sistema ERP

 

Para entender melhor a utilização do ERP, imagine uma empresa de varejo, na área da construção civil, que tenha 10 lojas espalhadas pelo Brasil.

Essas lojas possuem milhares de itens em estoque, mas como identificar qual o melhor momento de comprar mercadoria, a fim de que não falte e nem sobre produtos em excesso?

O ERP é responsável por fazer todo esse controle de estoque à medida que as mercadorias estão sendo entregues, ou seja, ele faz uma descrição detalhada da quantidade de produtos necessária para cada loja.

Este programa também tem a função de informar aos fornecedores, automaticamente, qual item deve ser entregue à qual loja da rede de materiais de construção e qual será o tempo de processamento e entrega dos materiais.

Após a realização da compra, os documentos de venda são importados automaticamente e todas as questões financeiras são resolvidas.

É claro que todas essas informações seguem o que foi predeterminado no momento da implantação do sistema ERP.

 

O que é MRP e MRP II?

 

MRP

 

O Material Requirement Planning (MRP), é um sistema utilizado para o planejamento de todas as necessidades materiais de uma linha de produção.

Este software foi desenvolvido na década de 70 e por meio dele é possível afirmar com uma maior precisão as listas de materiais necessários, as quantidades imprescindíveis e o tempo que os mesmos devem estar disponíveis para não prejudicar a produção.

Um sistema MRP eficaz também tem a capacidade de reduzir os estoques na cadeia de suprimentos, o que libera capital de giro e permite o investimento em outros áreas da indústria.

 

Exemplo de aplicação do MRP

 

O MRP é uma metodologia que possui uma ampla gama de aplicações no setor industrial.

Em uma fábrica de cadeiras, por exemplo, este sistema é responsável por delegar a quantidade de todos os materiais necessários para a fabricação das mesmas, como madeiras e parafusos.

 

MRP II

 

O Manufacturing Resources Planning (MRP II) surgiu nos anos 80 devido à necessidade de uma maior abrangência dos processos de fabricação.

Com o MRP II, ocorreu a inclusão de informações tanto sobre os recursos financeiros como da estrutura e mão de obra das linhas de produção. Dessa forma, a partir dessa fase, os gestores começaram a analisar, por meio deste sistema, o impacto futuro da produção sobre as finanças da empresas.

 

Exemplo de aplicação do MRP II

 

Podemos utilizar o mesmo exemplo do MRP, contudo, como o MRP II é um processo mais abrangente, neste caso também seriam realizados os procedimentos para saber qual será a demanda futura da produção de cadeiras e como isso impacta nos custos da empresa.

 

Qual a diferença entre ERP e MRP

 

Se você deseja apenas controlar a matéria prima dos processos de fabricação, o mais indicado é o MRP, mas se deseja analisar como essa produção afeta os custos futuros, escolha o MRP II. Já o ERP irá englobar todos os processos existentes dentro de uma organização.

Agora que você já sabe o que é ERP e MRP, que tal analisar as vantagens para perceber as diferenças de cada um? Assim, ficará muito mais fácil escolher o melhor software para a sua organização.

 

Vantagens do MRP

 

  • Melhor planejamento da produção e compras;

  • Conhecimento sobre as necessidade de insumos;

  • Auxílio nas tomadas de decisões a partir da simulação de cenários de demandas;

  • Maior controle de documentação das atividades desenvolvidas.

 

Vantagens do MRP II

 

  • Otimização do uso de máquinas e equipamentos;

  • Maior coordenação e controle da produção e estoque;

  • Reduções de hora extra e tempo ocioso;

  • Maior agilidade no conhecimento das consequências financeiras diante do que foi planejado e o que foi produzido.

 

Vantagens do ERP

 

  • Integração de todos os setores em uma única plataforma;

  • Diminuição do desperdício de materiais e mão de obra;

  • Melhoria da logística interna e externa;

  • Eliminação de controles manuais e duplicação de dados;

  • Detecção de erros e a consequente melhora de produtos e serviços.

 

Em relação as desvantagens desses sistemas, é possível citar os custos, pois quanto mais funções um sistema apresenta, maior o seu custo. Logo, o sistema ERP é o que possui mais despesas de implementação e manutenção.

 

E aí, já escolheu o seu software?

 

Como você pôde perceber, o ERP e MRP vieram para otimizar os processos produtivos dentro de uma organização. Dessa forma, cabe a você escolher qual sistema apresenta mais vantagens para a sua empresa.

Mas você está preparado para gerir uma equipe focada em resultados? Saber liderar pessoas com foco nos objetivos e metas da organização é fundamental para o sucesso da empresa. Para isso, é necessário desenvolver e controlar um sistema de gestão voltado para resultados, regido por metas bem definidas e executado por pessoas capacitadas.

Para te ajudar nisso, oferecemos nosso curso de Gestão para Resultados, no qual você irá aprender a desenvolver e aplicar métodos gerenciais eficazes que auxiliam no alcance, manutenção e melhoria de metas, direcionando a equipe para atingir resultados por meio da criação de um sistema de gestão eficiente e sustentável.

Não perca tempo e se inscreva!

Curso de gestão para resultados

 

Agora, eu quero saber a sua opinião, o que você achou deste artigo? Deixa o seu feedback aqui embaixo.