Você é um investidor ou pensa em investir em um negócio? Não tem certeza sobre a rentabilidade de um investimento? A eficiência dos retornos investidos está em baixa?

O indicador ROA, a partir de um cálculo fácil, pode tirar suas dúvidas iniciais e auxiliá-lo a identificar os principais motivos que levaram o retorno a ser abaixo do esperado, além de apontar a melhor opção de negócio para investir.

Ficou curioso? Então, continue a leitura para entender mais sobre esse indicador.

 

 

O que é o ROA?

 

O retorno sobre os ativos ou Return on Assets (termo original da língua inglesa), mais conhecido como ROA, é um indicador que calcula a capacidade de uma empresa e/ou negócio gerar lucro a partir dos seus ativos. Com esse indicador, investidores e analistas podem avaliar o quanto um negócio pode retornar aos acionistas, além da eficiência dos seus gestores.

O ROA é um indicador de rentabilidade, ou seja, ele mede se a empresa está ganhando ou perdendo dinheiro em cima dos ativos, que podem ser estoque, máquinas, equipamentos, imóveis, investimentos, duplicatas a receber, entre outros.

Para ir além dos benefícios de monitorar esse indicador, te convido a baixar o nosso kit de planilhas de gestão financeira. Com esse kit, você receberá 21 planilhas para controlar as finanças na sua empresa e até mesmo na sua vida pessoal.

 

 

Existem outros indicadores de rentabilidade que podem ser usados, como o Retorno sobre Investimento - ROI e o Valor Presente Líquido - VPL. Usar mais de um indicador facilita a tomada de decisão e ajuda a identificar possíveis erros, inclusive no cálculo desses e de outros indicadores.

 

Como calcular o ROA?

 

 

Agora que você já sabe o que é o ROA e como ele é importante, vou ensinar você como calcular esse indicador financeiro! Você vai aprender como obter esse retorno, a partir da fórmula a seguir, de um maneira bem simples. Vejamos:

 

 

Você sabe como obter o Lucro Operacional? Se não, não se preocupe, é mais fácil do que você imagina. O Lucro Operacional você tira do DRE, que está disponível na imagem a seguir:

 

 

Já o Ativo Total pegamos o valor disponível no Balanço Patrimonial, como podemos ver a seguir:

 

 

Dessa forma, com os valores em mãos, podemos fazer o cálculo propriamente dito do ROA:

 

 

 

A partir do cálculo acima, vemos que o retorno sobre os ativos é de 555%. Esse valor mostra como a empresa e/ou negócio possui um retorno significativo em relação aos seus ativos.

Como você pode perceber o cálculo do ROA através da fórmula fornecida anteriormente é bem simples. No entanto, estudiosos da área de finanças utilizam a fórmula que usa o NOPAT, que é o Lucro Operacional após Impostos. Além dos impostos, o NOPAT subtrai os valores da depreciação. A fórmula com o NOPAT é bem parecida, como podemos ver  a seguir:

 

 

Assim, para entender melhor como funciona o cálculo desse indicador usando o NOPAT,  observe a tabela a seguir, que agora considera os impostos como 34%. Dessa forma, o valor circulado em vermelho é o Lucro Operacional descontando os impostos, ou seja, o Lucro Operacional 34% menor.

 

 

Então, o valor do ROA utilizando o NOPAT sofre uma alteração. Como podemos ver a seguir:

 

 

 

Assim, podemos ver que o retorno sobre os ativos cai, quando levamos em consideração os impostos. Por isso esta é a forma usada pelos profissionais da área de finanças, por trazer um valor mais preciso. É importante ressaltar que o NOPAT também leva em consideração a depreciação.

No exemplo que acabamos de ver, só consideramos os impostos, mas caso também tivéssemos subtraído a depreciação, o retorno seria ainda menor.

Dessa forma, as empresas precisam ter muito cuidado com os dados utilizados no cálculo de seus indicadores, como vimos no caso do ROA, pois ela pode estar tomando decisões em cima de dados ilusórios.

A fórmula mais simples de calcular o ROA deve ser usada apenas em negócios menores, onde não há necessidade de valores mais precisos.

 

Interpretando o ROA

 

 

A partir das informações fornecidas até o momento, você pode perceber que quanto maior o valor do ROA, ou seja, quanto maior o lucro operacional gerado pelo meu ativo, melhor é o indicador. Como o ROA é dado em porcentagem, facilita a interpretação dos investidores sobre a eficiência do negócio em converter ativos em dinheiro líquido.

O objetivo do ROA é analisar se o ativo da organização em termos de caixa, equipamento, terreno, entre outros, é tão eficaz para gerar um aumento do lucro operacional, ou seja, se eu estou tendo um retorno satisfatório sobre o ativo.

No geral, para avaliar o resultado do ROA, é feita uma comparação com empresas do mesmo setor. As empresas de capital aberto têm essas informações disponíveis na internet e, assim, você consegue avaliar se o retorno sobre o ativo está melhor, pior ou igual às empresas concorrentes.

Outra forma de avaliar é a partir de uma análise interna, comparando o ROA dos anos anteriores com o do ano atual, para fazer melhorias na operação.

 

Benefícios do Retorno sobre Ativos

 

Além do benefício já demonstrado, que permite o investidor avaliar um negócio, podemos destacar outros, como:

  • Analisar se o lucro está aumentando ou diminuindo;

  • Avaliar a capacidade de produzir vendas a partir do ativos fixos;

  • Utilizar indicadores para medir a gestão do capital de giro;

  • Avaliar como está o rendimento da sua empresa em relação às suas concorrentes;

  • Medidas que avaliam as habilidades do gestor para administrar custos e despesas e também alocar recursos;

  • Capacidade máxima de custo de captação de recursos que a empresa pode suportar.

Podemos também destacar a importância do ROA no que se refere a alavancagem financeira, uma vez que, este indicador mede o retorno sobre ativos. Ativos estes que podem ter sido financiados por endividamento externo.

Assim, utilizando o ROA, uma empresa tem ideia do Grau de Alavancagem Financeira, ou seja, consegue medir o grau do seu retorno em cada ativo adquirido.

 

Como melhorar o ROA?

 

Antes de falar sobre como melhorar esse indicador, é importante citar as principais causas que levam as empresas a possuir um valor baixo do ROA, como:

  • Investir em projetos sem análise prévia sobre sua rentabilidade;

  • Elevados custos com despesas;

  • Ineficiência dos ativos devido a desperdícios ou falta de uso.

Assim, para aumentar o ROA, temos duas alternativas iniciais:

  • Aumentar o lucro operacional;

  • Diminuir ativos.

Geralmente, diminuir os ativos não é uma boa estratégia quando você quer crescer. Dessa forma, a melhor opção é aumentar o lucro operacional e manter o ativo. Existem algumas medidas que podem te ajudar a aumentar o lucro operacional, como aumentar a velocidade do seu negócio e/ou empresa, seja na rapidez da entrega ou no abastecimento de estoques.

A ferramentas tecnológicas também colaboram para aumentar a margem de lucro operacional, por diminuir os custos das empresas.

Além disso, é importante que a empresa esteja frequentemente reavaliando o seu negócio, visando melhorar a alocação de recursos, com o objetivo de incrementar os seus indicadores de rentabilidade, como é o caso do ROA.

Como já falamos aqui, utilizar outros indicadores de rentabilidade é importante para analisar com maior precisão os resultados obtidos e facilitar na tomada de decisão.

 

Fique ligado!

 

Nós já vimos a importância do indicador financeiro aqui abordado. Mas não é aconselhável usar o ROA quando estamos querendo comparar duas ou mais empresas.

Isso porque o cálculo desse indicador é baseado no Ativo Total, fornecido no Balanço Patrimonial, que não leva em consideração, o que conhecemos como ativo intangível.

Você deve estar se perguntando o que é ativo intangível, certo? Nada mais é que coisas que possuem um valor, mas não possui uma existência física, como é o caso das patentes.

Por isso, só é aconselhável usar o ROA sozinho quando queremos fazer uma comparação dentro de uma mesma empresa, como acontece nas avaliações das mudanças que ocorreram de um ano para o outro.

 

Agora você já está pronto para investir!

 

Finalizando, vemos que o objetivo central do ROA é saber qual o nível de lucratividade que a empresa apresenta em relação ao ativo que ela possui.

É importante ressaltar que, no cálculo do ROA, estamos apenas considerando o ativo e não de onde vem esse ativo.

Para conhecer melhor sobre esse e outros indicadores que são de grande importância para o mundo dos negócios, conheça o nosso curso gratuito de Fundamentos Essenciais da Gestão Financeira, um curso que vai te deixar por dentro dos principais conceitos financeiros.