A gestão das finanças pessoais é um assunto que interessa pessoas de todas as idades e que atuam nas mais variadas profissões. Sem um controle eficiente das finanças no dia a dia, a tendência é a pessoa gastar em excesso, acumular dívidas e arruinar completamente a vida financeira.

Por essa razão, nesse artigo você vai encontrar um conteúdo abordando essencialmente a importância do controle financeiro e dicas para uma eficiente organização das finanças pessoais. Entre os temas expostos estão:

  • O que é a gestão financeira pessoal?

  • Por que organizar as finanças pessoais?

  • 11 dicas para organizar as finanças pessoais.

 

O que é a gestão financeira pessoal?

 

A gestão financeira é um recurso fundamental nos dias de hoje. Ela consiste em um conjunto de práticas cujo objetivo é organizar de maneira correta os gastos e os lucros no dia a dia, facilitando o planejamento do seu orçamento mensal e evitando despesas desnecessárias.

A gestão financeira é ainda um apanhado de ações e procedimentos que analisam quais são as melhores maneiras para promover um bom planejamento, tanto nos gastos e lucros de uma empresa quanto das suas finanças pessoais.

 

Por que organizar as finanças pessoais?

 

Organizar as finanças pessoais é necessário porque permite obter um controle mais preciso dos seus ganhos e despesas diárias. Além disso, possibilita, em longo prazo, conferir mais fôlego para a sua situação financeira, evitando que todo mês as dívidas acumulem.

Por essa razão, não é de se duvidar que um bom planejamento financeiro traz benefícios até mesmo para a sua saúde, evitando preocupações e o estresse envolvendo as finanças do dia a dia.

Sendo assim, para você obter êxito na organização das finanças pessoais, confira o nosso Kit de Planilhas Gestão Financeiraé um material totalmente gratuito, que traz maneiras práticas para você manter a organização das suas finanças.

É só clicar na imagem abaixo e fazer o download:

kit de planilhas gestão financeira

Além disso, fique atento também para esse passo a passo com 11 dicas que irão ajudar você nessa tarefa. Vamos lá!

 

11 dicas para organizar as finanças pessoais

 

Não importa quanto dinheiro você ganha, o fato é que sem organizar as suas finanças pessoais você passará por problemas financeiros mais cedo ou mais tarde. Por isso, preste atenção nas dicas abaixo.

 

1 - Gaste menos do que você ganha

Falando assim até parece simples, mas para muitas pessoas não é tão fácil. Gastar dinheiro faz parte do hábito de muita gente, por isso, a solução é mudar de costume e começar a poupar.

Sabemos que substituir um hábito por outro não é fácil, mas felizmente existe algo que pode auxiliar nesse processo: a disciplina. Estabeleça metas e determine planos. Alguns exemplos disso podem ser almejar a compra de um carro ou de um imóvel dentro de dois anos.

Estipular planos com prazos determinados e dentro da sua realidade auxilia o uso do dinheiro com mais responsabilidade. Além disso, anotar os seus gastos ajuda você a definir limites.

Nesse caso, aplicativos de gestão financeira, como o Organizze, pode ser bastante eficiente no seu dia a dia.

 

2 - Monte uma planilha de gastos mensais

Por meio de uma planilha você terá uma noção precisa das suas finanças pessoais, pois elas permitem que você acompanhe o quanto você tem, quanto gastou e quanto deverá poupar.

Montar uma planilha é assegurar um método eficiente para você ter tudo sob controle, afinal, a gestão financeira envolve números e os números devem estar sempre visíveis para você.

Essa planilha também ajuda a identificar os gastos necessário e os gastos supérfluos que podem ser eliminados mensalmente, claro, sempre dentro das suas necessidades.

 

3 - Conte com a tecnologia

Quando o assunto é montar uma planilha, use a tecnologia a seu favor. Hoje em dia é possível optar por diversos aplicativos apropriados para isso. Alguns são gratuitos e também possuem versões premium com mais recursos.

Por meio de um bom software de gestão é possível organizar de maneira rápida, fácil e correta as suas finanças pessoais. O Excel é um exemplo de recurso que pode suprir muito bem a necessidade de ter uma planilha para o seu planejamento financeiro.

Já para soluções automatizadas, existem opções de aplicativos como o GuiaBolso, que está disponível para smartphones Android e iOS.

 

4 - Economize parte da sua renda todo mês

Agora, ciente que deve gastar menos do que ganha, que conta com softwares de gestão para montar planilhas, então você já deve começar a poupar parte da sua renda mensal. Faça os cálculos e veja o quanto você deve economizar.

Inicialmente a quantia não necessita ser grande, mas o ideal é que essa quantia fique entre 10% e 30% de todos os seus ganhos mensais.

Outro exemplo disso pode ser você poupar para garantir uma aposentadoria mais tranquila no futuro.

Sendo assim, é importante começar a poupar desde cedo, aplicando certa quantia mensalmente em um investimento de longo prazo, capaz de render até completar o valor necessário.

 

5 - Tenha uma reserva de emergência

A importância de economizar pode ser vista na hora de montar uma reserva de emergência. Lembre-se que problemas sempre chegam de repente. Pode ser uma reforma urgente na casa, algum defeito no carro ou até casos de doença.

Por isso, para não ser pego de surpresa, tenha uma determinada quantia de reserva, pois ela será de grande ajuda em momentos de crise ou de mudanças drásticas.

Para isso, vale a dica de guardar uma determinada quantia dos seus ganhos todos os meses e aplicar em alguma forma de investimento de médio e longo prazo.

 

6 - Corte gastos supérfluos

Ninguém falou que administrar as finanças pessoais seria fácil, mas sim, seria necessário. Por essa razão, é importante cortar do seu dia a dia aqueles gastos que você pode perfeitamente evitar.

Aquela pizza no final de semana, o cinema ou uma viagem, todos eles são elementos relacionados ao lazer e que, por mais difícil que seja, devem ser eliminados caso pesem demais no seu orçamento.

No entanto, é preciso ponderar o que de fato é supérfluo ou não ao seu estilo de vida. Se você não consegue ficar sem um determinado item ou prioriza certos hábitos, então é necessário fazer alguma troca e eliminar aqueles gastos que você julga menos importantes.

 

7 - Faça investimentos corretos

Tão importante quanto poupar, é fazer render o que foi poupado. Só assim você vai compensar tanto sacrifício. Portanto, é pertinente aplicar tal quantia em investimentos que no futuro proporcionem algum rendimento.

Pesquise hoje em dia quais são os melhores investimentos. Investir em ações, por exemplo, é uma boa alternativa, porém, elas são mais recomendadas para investidores mais experientes.

Outra opção, nesse caso, é escolher aplicações onde é possível encontrar mais segurança e estabilidade, tais como investir no Tesouro Direto ou nos CDB’s.

 

8 - Cuidado ao usar o cartão de crédito

O cartão de crédito é o atalho mais eficiente para o acúmulo de dívidas. Posto isso, o ideal é, sempre que possível, efetuar compras à vista ou reduzir o número total de parcelas.

São as parcelas que muitas vezes tornam as pessoas reféns das taxas de juros. Para evitar esse tipo de problema, prefira efetuar os seus pagamentos no ato da compra quando possível e evite prestações que se prolongam por meses.

Além disso, evite também as “comprinhas” de pequeno valor, pois o acúmulo das mesmas acaba gerando um montante de dívidas desnecessário e que poderia ser evitado.

Uma dica é deixar o cartão de crédito sempre em casa e não só levá-lo na carteira quando há uma decisão certa de compra. Isso é uma boa estratégia principalmente para aqueles que são mais compulsivos ou não podem ver uma promoção.

 

9 - Estabeleça metas

Manter o foco em um determinado objetivo vai ajudar você a criar o hábito de economizar e de ficar mais atento para as suas finanças pessoais.

Nesse caso, estabeleça metas que você poderá atingir em longo prazo, tais como comprar um carro dentro de dois anos, ou reformar a casa no final do ano, por exemplo.

Outro tipo de meta que pode ser determinada é pagar, antes de tudo, as suas dívidas. Por isso é válido encontrar maneiras para negociar melhores condições com os bancos.

Para cumprir essas metas vale novamente recorrer aos aplicativos ou programas. Comece determinando uma quantia a ser poupada mensalmente ou estabeleça todo mês alguns itens e “pequenos luxos” que podem ser eliminados mensalmente.

 

10 - Saiba que administrar as finanças pessoais é um trabalho constante

Ter controle dos seus gastos não é um processo que possui início, meio e fim, mas pelo contrário, o gerenciamento da sua vida financeira é algo que deve ser constante no seu dia a dia.

Não é por acaso que muitos dizem que economizar se trata basicamente de uma questão de hábito e disciplina.

Uma maneira eficiente para controlar isso é por meio de uma lista. Por isso, sempre que você for efetuar compras, anote antes o que você está precisando e compre apenas os itens nessa lista.

Desse modo você não irá trazer produtos desnecessários e irá economizar.

 

11 - Invista em conhecimento sobre o assunto

O gerenciamento financeiro bem feito pode ser realizado seguindo essas dicas práticas e simples. No entanto, nunca é demais entender acerca desse tema. Hoje em dia há uma ampla quantidade de informações sobre vida financeira pessoal, gestão de finanças e empreendedorismo.

Quanto mais você tiver controle sobre o seu dinheiro, menos o dinheiro vai controlar você. Essa é uma verdade básica para quem quer viver bem e com o mínimo de preocupações.

 

As finanças pessoais fazem parte do nosso cotidiano

 

Se você quer ter mais controle sobre o seu dinheiro e não passar o mês sempre no aperto, vale apostar nessas dicas e em outros conhecimentos sobre assunto.

Um exemplo claro disso é o curso Fundamentos da Gestão Financeira desenvolvido pelo Grupo Voitto. Com esse treinamento você terá à disposição conteúdos relevantes a respeito desse assunto, tais como noções de contabilidade, fluxo de caixa e outros tópicos fundamentais.

Clique no botão abaixo e comece agora mesmo, é gratuito:

fundamentos essenciais da gestão financeira