A planilha MASP vem de um método estruturado que organiza e orienta a forma como analisamos todas as atividades envolvidas na solução de problemas. Nossa planilha utiliza ferramentas consagradas de qualidade, que direcionam para atuação na causa fundamental do problema, garantindo ações eficazes e sustentáveis.

 

Veja na vídeo-aula abaixo o funcionamento da planilha MASP

 

 

O Método de Análise e Solução de Problemas (MASP) é uma forma sistemática de realização de ações corretivas e preventivas para eliminar a causa de não conformidades, reduzindo refugos e retrabalhos. O MASP utiliza o conceito do PDCA, que é um ciclo de desenvolvimento que tem foco na melhoria contínua. Assim, a panilha MASP se baseia na obtenção de dados que justifiquem ou comprovem fatos previamente levantados e comprovadamente causem problemas.

O objetivo dessa ferramenta é possibilitar a aplicação do MASP de forma correta, simples e sem complicações, com o intuito de obter ganhos reais no processo.

Abaixo é representada a tela inicial da planilha MASP, que mostra um panorama geral da ferramenta.

 

 

Detalhes do Problema

 

A aba de nome “Identificação” tem por objetivo delinear o problema a ser atacado. Como pode ser visto abaixo, aqui iremos cadastrar as informações do problema, de modo a caracterizá-lo corretamente.

 

 

A aba subsequente recebe o nome de “Estratificação”. Aqui iremos estratificar (quebrar) o problema, de modo a realizar a priorização das causas que mais o influenciam. No campo destacado abaixo, o título atribuído ao problema na aba anterior será remetido para cá automaticamente. Nos campos abaixo, apenas a coluna “Quantidade / Valor” deverá ser preenchida. O restante será calculado de maneira automática através das fórmulas.

 

 

Como resultado, temos um gráfico de Pareto para realizar a priorização das causas. Esse gráfico é criado de maneira automática, dado o preenchimento da coluna “Quantidade / Valor”.

 

 

Dessa forma é possível verificar clara e rapidamente quais as causas representam maior influência no problema estudado.

 

Análise das Causas e das Hipóteses

 

Agora iremos levantar as causas-raiz desse problema, de modo a eliminá-la permanentemente. Nos retângulos em branco iremos cadastrar as possíveis causas, dentro de cada variante correspondente. A literatura indica os 6 M’s tradicionais nas causas dos problemas: Meio Ambiente, Mão de Obra, Método, Máquina, Meio de Medição e Matéria-Prima. Esses itens estão sugeridos por serem amplamente utilizados na literatura, mas podem ser perfeitamente ajustáveis às necessidades específicas do usuário.

Seguindo a variante, iremos cadastrar o item de acordo com a mesma. Por exemplo: na variante “Mão de Obra”, cadastramos o tem “Falta de Qualificação”, como uma possível causa raiz do problema identificado.

 

 

Dessa forma iremos cadastrar quantos itens forem necessários, no objetivo de encontrar a causa raiz do problema. Lembrando que no retângulo cinza colocaremos o efeito, isto é, o problema verificado.

Subsequentemente, na aba “Análise das hipóteses”, temos a seguinte estrutura apresentada:

 

 

 Os campos de nome “Causa” serão automaticamente preenchidos, dado o cadastramento na aba anterior. Nessa aba deveremos cadastrar o nome do participante no campo , bem como atribuir uma nota ao mesmo.

Dessa forma iremos contabilizar a quantidade total de pontos que essa causa tem, com base na quantidade de pessoas que para ela contribuem.

 

Cinco Porquês, Plano de Ação e  Acompanhamento

 

Utilizaremos a técnica dos 5 Porquês no intuito de, mais uma vez, encontrar a causa raiz do problema, de modo a solucioná-la permanentemente.

A técnica consiste em olhar par ao problema e perguntar-se “Porque” cinco vezes.

Na planilha, temos a estrutura abaixo:

 

 

Ela já calcula, automaticamente, o item que obteve maior pontuação na etapa anterior “Análise das Hipóteses”, organizando-os de forma decrescente. Desse modo, resta agora realizar as perguntas e cadastrar as informações.

Encontrada a causa-raiz do problema, deve-se agora traçar meios para solucioná-la. Faremos isso por meio de Planos de Ação.

 

 

De modo a realizar um acompanhamento sistemático dos planos de ação, na referida aba iremos cadastrar as informações pertinentes, como mostrado na figura acima.

Delineado o problema e definida a forma de solucionar a sua causa-raiz, devemos agora realizar um acompanhamento das ações que serão implementadas.

 

 

Com as informações acima, podemos agora controlar o andamento das ações descritas, de modo a controlar a eliminação da causa-raiz do problema do processo estudado.

 

 

Separei alguns estudos de caso com referências sobre o assunto para que você de continuidade na sua capacitação!