Há quem diga que a Engenharia e a Medicina não tem nada a ver, ou que são áreas completamente diferentes. Entretanto, se tratando de tecnologia e de meios para otimização de processos, sempre encontramos uma interseção com a engenharia.

Nesse ponto, chegamos na Engenharia Biomédica. Para quem ainda não se decidiu entre a área da saúde e das ciências exatas, tem-se aí uma boa opção. Mas é claro que, para escolher uma carreira, não basta apenas se afeiçoar pela área.

Sendo assim, nesse artigo você vai encontrar tudo o que precisa saber sobre o curso e a profissão de Engenharia Biomédica.

 

O que é Engenharia Biomédica

 

A Engenharia Biomédica é um ramo da engenharia voltado para a integração das ciências exatas e ciências da saúde (vale lembrar que o curso é considerado como parte das ciências exatas), onde é dada uma nova abordagem no âmbito da biologia e medicina.

O profissional da área trabalha, no geral, com a criação de técnicas que serão implantadas na prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças, além do desenvolvimento de equipamentos e próteses mais modernas e adequadas ao corpo humano.

No campo da saúde, a Engenharia Biomédica estuda e analisa os organismos vivos e suas propriedades do ponto de vista da engenharia, auxiliando cada vez mais a medicina a avançar de uma forma mais segura e eficaz.

 

 

Curso de Engenharia Biomédica

 

O ciclo básico do curso de Engenharia Biomédica é formado por uma reforçada base de disciplinas da Matemática, Física (maior parte voltada para a Mecânica), Química e muita biologia (inclusive Anatomia), além de Desenho e Programação.

Até o sexto período, são encontradas matérias da base e também as comuns na engenharia, como Circuitos Elétricos, Controle de Sistemas Dinâmicos e Eletrônica. Assim, no sétimo período é que as disciplinas específicas se iniciam. Exemplos:

 

  • Biomecânica

  • Biomateriais

  • Engenharia Clínica Hospitalar Avançada

  • Instrumentos Biomédicos

  • Biosensores

  • Engenharia Médica Aplicada

 

Ao final do curso, também é necessário realizar o estágio obrigatório supervisionado e o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

As nomenclaturas e cargas horárias das disciplinas podem mudar de instituição para instituição. Aqui, usei como base a grade curricular do curso oferecido pela UNIFESP.

 

Softwares na Engenharia Biomédica

 

É papel da Engenharia Biomédica, também, a criação de tecnologias e softwares para o auxílio da medicina, biomedicina e até odontologia.

Porém, durante a pesquisa sobre os softwares que são utilizados diretamente pelo graduando ou profissional da área de Engenharia Biomédica, pouco foi encontrado.

A maior parte são ligados ao uso durante cirurgias complexas, como os de mapeamento eletro-anatômico, mas nenhum que seja utilizado para formação do profissional.

Se você tem informações sobre algum software e deseja nos ajudar a complementar este artigo, não deixe de comentar aqui!

 

Áreas de atuação

 

Há uma grande demanda no mercado de trabalho por profissionais da área de Engenharia Biomédica, por ser um curso relativamente novo e pela crescente necessidade de avanços no campo da medicina.

Dessa maneira, conheça agora as principais áreas onde o engenheiro biomédico pode atuar:

 

Bioinformática

 

Da mesma forma que a ciência avança em descobertas no campo da biologia e medicina, o número de informações biológicas (doenças, propriedades, tratamentos, agentes causadores, entre outras) também cresce de forma exponencial.

Sendo assim, é papel do profissional da área desenvolver ferramentas (softwares e bancos de dados) para o processamento dessas informações, auxiliando no diagnóstico e no tratamento de doenças.

 

Engenharia Clínica

 

Na área de Engenharia Clínica, o engenheiro biomédico é responsável pela gestão dos equipamentos de operação em laboratórios, hospitais e clínicas.

Dentro dessa atuação, o profissional realiza a avaliação dos aparelhos e especifica os que precisam ser adquiridos, fazendo também sua instalação, manutenção e suporte técnico.

Além disso, fica a cargo dele treinar os funcionários que irão operar e utilizar esses aparelhos.

 

Desenvolvimento de Próteses e Biomateriais

 

O Desenvolvimento de Próteses é uma das principais áreas dentro da Engenharia Biomédica. O papel do engenheiro aqui é criar próteses que sejam mais adequadas ao corpo e às funções para as quais foram destinadas.

Mas, para isso, há também a necessidade do desenvolvimento de materiais que sejam mais compatíveis ao nosso corpo, ou seja, biocompatíveis. Dessa maneira, o profissional consegue reduzir ou até evitar rejeições do corpo em relação à prótese.

 

Imagiologia

 

A Imagiologia é uma área onde o engenheiro biomédico trabalha diretamente com as técnicas utilizadas no auxílio do diagnóstico, como radiografia, tomografia, ultrassonografia, ressonância magnética e fluoroscopia.

 

Desenvolvimento de equipamentos

 

Nessa área, o engenheiro utiliza seu conhecimento técnico para planejar, desenvolver e implantar equipamentos e aparelhos que serão utilizados nos centros de saúde.

Podem ser tanto os complexos aparelhos utilizados em cirurgias e tratamentos, quanto os mais “simples”, como kits de diagnóstico utilizados em postos e consultórios, que facilitam e agilizam a identificação de doenças.

 

Engenharia Biomédica X Biomedicina

 

Há uma grande diferença quando se trata desses dois cursos. A primeira delas, de modo geral, é que a Engenharia Biomédica é baseada nas ciências exatas e a Biomedicina nas ciências biológicas.

Mas, se você curte as duas áreas e ainda está na dúvida, entenda que, pela formação, o curso de Biomedicina é voltado para as formas de diagnóstico e tratamento das doenças humanas, além de outras atividades que envolvem substâncias orgânicas e microorganismos.

Já a Engenharia Biomédica trabalha com a parte de projeto, instalação e manutenção dos aparelhos e equipamentos do âmbito da medicina, biomedicina e odontologia. Sendo assim,  o profissional não se encaixa na área da saúde.

 

Universidades que oferecem Engenharia Biomédica

 

Segundo o site do Ministério da Educação (MEC), são 24 as instituições credenciadas que oferecem o curso de graduação de Engenharia Biomédica no país. Utilizando como método de avaliação o ENADE, temos como as melhores instituições (nota 4 de 5):

 

 

Porém, você pode acessar o portal e-MEC para conhecer outros métodos de avaliação e encontrar outras instituições que sejam mais adequadas ou estejam mais perto de você (no site, vá em Consulta Textual).  

 

Salário do engenheiro biomédico

 

Mas quanto ganha um engenheiro biomédico? Depois de conhecer tudo sobre a graduação em Engenharia Biomédica e suas áreas de atuação, está na hora de responder essa pergunta, não é mesmo?

Para regulamentar o salário da categoria, temos no Brasil a Lei 4.950/A, de 22 de abril de 1966, que dispõe sobre salário mínimo dos profissionais de Química, Engenharia, Arquitetura e Agronomia:   

 

  • Jornada de 6 horas: 6 salários mínimos

  • Jornada de 7 horas: 7,25 salários mínimos

  • Jornada de 8 horas: 8,5 salários mínimos

 

Porém, podemos ver que existem fatores que influenciam nos valores oferecidos por cada empresa. Entre eles, temos o porte e a região onde a empresa se localiza, o setor e também o nível de experiência profissional do candidato.

Nas empresas, os níveis relacionados à engenharia são:

 

  • Trainee: até 2 anos no cargo;

  • Júnior: de 2 a 4 anos;

  • Pleno: de 4 a 6 anos;

  • Sênior: de 6 a 8 anos;

  • Master: mais de 8 anos.
     

Em muitos sites, os valores salariais são designados para o profissional de Biomedicina. Como vimos, essa informação é errônea, dado que tanto a formação quanto a atuação dessas duas áreas são distintas.

Segundo o Guia de Profissões e Salários da Catho, a média geral do país é de R$ 5.400.

Porém, nas indústrias podemos encontrar valores mais altos em relação à outros setores, com valor médio de R$ 10.132 para supervisão e R$ 16.120 para gerência.

 

Vai escolher a Engenharia Biomédica?

 

Sendo uma carreira em ascensão, onde o mercado carece de profissionais interdisciplinares, a Engenharia Biomédica se torna uma opção ideal para os que têm interesse pelas ciências exatas e pela área da saúde.

Porém, é claro que você não precisa parar por aqui. Se ainda tem dúvidas sobre seguir essa carreira e deseja conhecer outras, confere nossa Série de Engenharias para se informar sobre suas opções!

Além disso, não se esqueça de deixar seu comentário com o feedback sobre o artigo e sobre o processo de escolha da sua carreira. :)

 

Dica Bônus

 

Essa é pra quem realmente já está pensando no futuro e quer começar a se organizar! O curso de Introdução ao Excel vai iniciar a sua capacitação e, para isso, oferece a você ferramentas que podem te auxiliar a estruturar seu horário de estudo.

 

 

Assim, fica mais fácil para você se preparar e também para entrar com tudo no curso de engenharia que escolher!