Escolher um curso é o ponto de partida para dar início à sua carreira profissional e é parte essencial das nossas vidas.

Se você é interessado nas áreas de tecnologia e exatas, certamente a Engenharia já passou pela sua cabeça. Porém, esse é um campo que abrange diversos ramos, sendo alguns mais tradicionais e outros mais novos.

Nesse meio, a Engenharia Elétrica entra como uma alternativa que já participa do nosso meio há bastante tempo, sendo uma Engenharia tradicional. Contudo, também participa efetivamente no desenvolvimento de novas tecnologias.

Sendo uma área muito extensa, onde a eletricidade atua em grande parte dos processos atuais de desenvolvimento, é necessário conhecer um pouco mais sobre a Engenharia Elétrica, sua graduação e também o que vem após a formatura.   

 

O que é Engenharia Elétrica?

 

A Engenharia Elétrica é o estudo e aplicação de eletricidade, eletromagnetismo e eletrônica em diversas áreas de desenvolvimento. Porém, no cenário atual onde a eletricidade move o mundo, são muitos ramos e áreas de atuação para o engenheiro eletricista.

O seu início se deu no século XIX, com destaques para os trabalho de Georg Ohm, Michael Faraday e James Clerk Maxwell. Com o tempo os estudos e aplicações foram avançando cada vez mais e cada país começou a desenvolvê-la de maneiras e focos diferentes.

Sendo assim, o engenheiro elétrico, ou eletricista, lida com a aplicação de sistemas de automação, desenvolvimento de equipamentos e circuitos e geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, de acordo com a ênfase escolhida durante a faculdade.

 

Curso

 

O curso de Engenharia Elétrica tem como base comum as disciplinas da Matemática (Cálculos, Geometria Analítica, Equações Diferenciais, entre outras), Física, Química e Computação.

Como grande parte dos projetos do profissional de engenharia elétrica terão envolvimento no meio ambiente, o curso também conta com disciplinas de ecologia e ética.

Depois dos dois primeiros anos (se você conseguir manter o ritmo certo!) começam as disciplinas voltadas para a ênfase escolhida. Claro que cada universidade oferece diferentes matérias e ênfases com outras nomenclaturas e carga horária distintas.

Algumas universidades oferecem o curso de Engenharia Elétrica de maneira geral, com matérias optativas direcionadas para as habilitações. Outras, como a UFJF por exemplo, segmentam a Engenharia elétrica em 5 tipos:

 

  • Sistemas de Potência;

  • Sistemas Eletrônicos;

  • Robótica e Automação;

  • Energia;

  • Telecomunicações.

 

Esses são alguns exemplos de disciplinas gerais encontradas na maior parte dos cursos de Engenharia Elétrica:

 

  • Circuito Elétricos I e II;

  • Eletromagnetismo;

  • Princípios de Comunicação;

  • Conversão eletromecânica I e II;

  • Instalações Elétricas;

  • Eletrônica I e II;

  • Análise de Sistemas de Potência;

  • Materiais Elétricos;

  • Eletrônicas Analógica e Digital;

  • Sinais e Sistemas;

  • Transmissão e Distribuição.

 

Além dessas, também são destaques os laboratórios que fazem parte de algumas disciplinas, para aplicar o conhecimento na prática. Ao final do curso são necessárias horas de estágio e o trabalho de conclusão de curso (TCC).  

 

Softwares na Engenharia Elétrica

 

Em um curso que trata a todo momento de tecnologias, como a Engenharia Elétrica, os softwares são muito utilizados para o desenvolvimento de projetos. Para você conhecer alguns deles, vou listar 4 programas que auxiliam tanto o aluno quanto o profissional de Engenharia Elétrica:

  • Matlab: software de desenvolvimento que pode ser aplicado para diversos fins. Apresenta interfaces que permitem resolver, analisar e simular vários problemas na área da engenharia, utilizando linguagem própria, não muito diferente da C/C++, além da linguagem de blocos (Simulink).

  • ANAREDE: realiza análises de Sistemas Elétricos de Potência em regime permanente. Ele reúne programas de fluxo de potência, equivalente de redes, análise de contingências e sensibilidade de tensão e fluxo, além de análise de segurança de tensão. 

  • Multisim: é um software de projetos de circuitos para o ensino e pesquisa de eletrônica digital, analógica e de potência.

  • Proteus: programa que irá auxiliar na simulação de circuitos eletrônicos. Possui ferramentas com as quais você poderá montar esquemas virtuais e fazer testes, para saber quais os tipos de componentes devem ser usados e se funcionam daquela maneira, tornando mais fácil a montagem do circuito real!

 

Áreas de atuação

 

A Engenharia Elétrica hoje está presente em praticamente todos os processos do nosso dia a dia, quando vamos acender a luz, tomar um banho ou acessar a internet por exemplo. Então, certamente precisamos de profissionais especializados para atuar nessas e em muitas outras funções, não é mesmo?

Sendo assim, conheça um pouco mais sobre cada uma delas e veja com qual você se identifica mais!

 

Eletrotécnica ou Sistemas de Potência

 

Nessa área o engenheiro irá realizar projetos e construção dos sistemas elétricos de concessionárias de energia, usinas, estações e redes de geração de energia, assim como o desenvolvimento de equipamentos que serão usados na geração, transmissão e distribuição de energia.  

Além disso, também cabe a ele realizar a manutenção e ampliação das redes de alta tensão. Utiliza ferramentas computacionais e garante estabilidade e segurança dos sistemas elétricos.

 

Controle e Automação

 

A área de Controle e Automação realiza estudo e projetos de equipamentos eletrônicos para serem inseridos em processos industriais, como sensores e controles, produzindo sistemas inteligentes e até mesmo utilizando inteligência artificial para automação industrial.

O profissional que possui essa ênfase nessa área pode atuar principalmente na automação das linhas de produção. Essa mudança para sistemas automatizados vem tomando cada vez mais espaço nas indústrias do Brasil.   

 

Microeletrônica

 

Os projetos de Microeletrônica são focados nos circuitos integrados, que serão usados em equipamentos e sistemas de telecomunicação, computação, entre outros eletrônicos.

A fabricação e teste desses CIs também fica a cargo do profissional da área de microeletrônica.

 

Telecomunicações

 

No setor de Telecomunicações, são realizados os projetos e construções de equipamentos e sistemas de comunicação, assim como os de expansão de telefonia e telecomunicações por satélite e outras redes de comunicação.

O estudo do processamento de sinais é feito nessa área, além do desenvolvimento de  sistemas de áudio e vídeo e de propagação de ondas.

 

Eletrônica

 

Nessa área de atuação, são desenvolvidos circuitos eletrônicos para aquisição e transmissão de dados.

Pode ser feita a especificação de equipamentos eletro-eletrônicos,  análise de circuitos, concepção de sistemas eletrônicos diversos, simulação computacional e projeto de sistemas eletrônicos analógicos e digitais.   

 

Eletrônica de Potência

 

Essa área é mais voltada para o estudo de dispositivos eletrônicos ligados à acionamentos de máquinas elétricas, simulação de funcionamento de conversores e motores, assim como o seu controle.

É da competência do profissional focado nessa área a conversão, seja de energia mecânica, solar, eólica ou química (entre outras) para energia elétrica. Também fica a seu cargo a garantia de qualidade, rendimento e confiabilidade do sistema.

 

Instrumentação

 

Na área de Instrumentação são desenvolvidos equipamentos e projetos voltados para sistemas de medição e registro de dados.

Com a Instrumentação é possível a incrementação e o controle do sistema, a execução de funções de inspeção com mais rapidez e a simplificação de projetos de pesquisa, gerando um aumento do rendimento do sistema.

 

Sistemas Biomédicos

 

A área de Sistemas Biomédicos irá participar do projeto e construção de equipamentos médico-assistenciais em laboratórios, clínicas, consultórios odontológicos, indústrias farmacêuticas e hospitais, além da especificação e gestão dos mesmos.

 

Engenharia Elétrica na sociedade

 

O profissional de Engenharia Elétrica de hoje tem muito mais responsabilidades com a sociedade do que os de tempos passados. Há agora uma preocupação com o uso adequado do meio ambiente e dos recursos humanos.

Sendo assim, é necessária uma formação ampla e que estimule o pensamento crítico em diversas áreas do conhecimento, para que ele possa ser capaz de solucionar problemas de forma a ajudar o coletivo.  

Dessa maneira, seus projetos precisam ter um caráter sustentável social e economicamente, além de conciliá-los com as inovações tecnológicas.

O engenheiro eletricista tem um grande papel dentro da sociedade globalizada do século XXI, contribuindo para o desenvolvimento de pesquisas nas áreas técnicas e científica. É seu papel estabelecer matrizes energéticas e contribuir para a criação de novos produtos elétricos e eletrônicos.

A exemplo disso, temos o avanço da exploração da energia fotovoltaica, que por conseguinte passou a ser cada vez mais utilizada em empresas e até mesmo em residências.

A geração de energia elétrica é feita através de painéis que recebem os raios solares, de forma bem simples e sem mecanismos móveis. Uma das principais vantagens é que a geração dessa energia é renovável e não gera resíduos, assim não prejudica o meio ambiente.

Outro exemplo de contribuição à sociedade é o carro elétrico. Apesar de ainda não ser tão popular, os fabricantes dos carros elétricos veem ele como uma solução de transporte para o futuro (talvez mais próximo do que imaginamos).

Apesar de ainda faltar um longo caminho a seguir até que o carro elétrico substitua os carros movidos à combustíveis fósseis, essa tecnologia vem tomando espaço devido à todas suas vantagens.

Como não possuem motor à gasolina, os carros elétricos são muito mais silenciosos e não emitem fumaça no escapamento, o que elimina a preocupação com a poluição sonora e ambiental.

 

Universidades

 

Se você se interessou pelo curso e deseja saber em qual instituição de ensino pode cursá-lo, aqui vai uma lista das 10 melhores universidades do país certificadas pelo  Ministério da Educação (MEC), segundo as notas do ENADE dos anos 2013, 2014 e 2015:

 

 

Porém, existem outras formas de classificação além do ENADE, como Avaliação do mercado e Qualidade do ensino. Clicando aqui, você terá acesso a uma classificação mais completa.

 

Salário

 

Mas quanto ganha um engenheiro eletricista? Agora que você já sabe sobre a graduação de Engenharia Elétrica e suas áreas de atuação, está na hora de responder essa pergunta, não é mesmo?

No Brasil, temos a Lei 4.950/A, de 22 de abril de 1966, que especifica o salário mínimo dos profissionais de Engenharia. E pela Lei mencionada:

 

  • Jornada de 6 horas: 6 salários mínimos

  • Jornada de 7 horas: 7,25 salários mínimos

  • Jornada de 8 horas: 8,5 salários mínimos      

 

Porém, para valores mais reais de quem participa efetivamente no mercado, encontrei no blog Love Mondays valores salariais divulgados por engenheiros que participam do blog.

Com base nesses dados, a média, por mês, de um salário de engenheiro eletricista é de R$ 8.124,00, sendo que a maior faixa se encontra entre os valores de R$ 969,00 e R$ 7.906,00. Já foram postados 831 salários até o momento dessa publicação.

Algumas das grandes empresas listadas e seus respectivos salários:     

 

  • Eletrobras: R$ 10.128,00
  • Petrobras: R$ 10.126,00
  • Energisa: R$ 7.389,00
  • CEMIG: R$ 6.619,00

 

Contudo, assim como nas outras engenharias, o mercado de trabalho de Engenharia Elétrica também sofreu um baque com a retração da economia, mas mesmo assim mantêm um padrão salarial alto em relação à média do país.   

 

A Engenharia Elétrica é a sua?

 


 

 

Como você viu, a influência da Engenharia Elétrica no nosso dia a dia e na sociedade como um todo é imensa. Muitas vezes não nos damos conta de onde ela pode estar, mas quando falta eletricidade, a nossa vida praticamente para.

São tantas áreas de atuação, e tantas formas de contribuir para o desenvolvimento social, que com certeza você deve ter se identificado com alguma (ou algumas) delas!

Porém, se você ainda está na dúvida e quer conhecer mais sobre as outras engenharias, não deixe de conferir nossa série! Toda sexta vamos te apresentar uma nova oportunidade para a sua carreira, fique ligado!

 

Dica Bônus

 

Essa é pra quem realmente já está pensando no futuro e já quer começar a se organizar! O curso de Introdução ao Excel vai iniciar a sua capacitação e te oferece ferramentas que podem te auxiliar a estruturar seu horário de estudo.

 

 

Assim, fica mais fácil para você se preparar e também para entrar com tudo no curso de engenharia que escolher!