A Engenharia é um ramo que abrange muitos conteúdos e possui diversas habilitações. Para desenvolvimento de tecnologias que solucionam problemas em áreas específicas, novas engenharias foram criadas, mas as tradicionais ainda possuem seu lugar no mercado de trabalho.

Mas qual engenharia fazer? É importante saber um pouco mais sobre as que estão em alta e onde elas podem atuar, para escolher a que você mais se identifica.

Aqui vai uma lista com as 24 graduações de Engenharia para te ajudar a decidir!


Engenharia Acústica

 

A Engenharia Acústica é responsável por todo o campo que compreende o som e vibrações. Sendo assim, o estudo e a pesquisa desse ramo da engenharia são voltados para a análise dos mecanismos de produção, transmissão e recepção do som.

O trabalho do engenheiro acústico torna-se indispensável em diversos níveis, com o objetivo de definir os limites sonoros de ambientes, encontrar as fontes de ruídos e buscar meios de evitar a poluição sonora que traz tantos males à sociedade.   

Porém, além do curso ser bem complexo, outro ponto ainda impede a formação de mais profissionais. Apenas uma universidade oferece o curso (Universidade Federal de Santa Maria - UFSM), segundo o MEC.

Mas se essa for a sua engenharia, não deixe de correr atrás dessa carreira!

 

Engenharia Aeronáutica

 

O foco do curso de Engenharia Aeronáutica é formar profissionais que sejam capazes de projetar os componentes e estrutura de aeronaves. Para isso, também é necessário que ele determine alguns pontos como material, tipo de alimentação, sensores utilizados e trem de pouso.

O engenheiro aeronáutico pode trabalhar, além dos projetos, com a manutenção das aeronaves, que precisam de revisões periódicas em toda a sua estrutura, além dos testes e simulações que precisam ser feitos constantemente.

Porém, além dos aviões e helicópteros, o profissional pode desenvolver projetos de Engenharia aeroespacial, que seriam os foguetes, satélites e sondas espaciais. Pode trabalhar não só na indústria, como também na construção de aeroportos, tráfego aéreo e tudo ligado à infraestrutura aeronáutica.

 

Engenharia Agrícola

 

A Engenharia Agrícola pesquisa e implanta novas tecnologias, utilizando conhecimentos de mecânica, elétrica e civil no âmbito rural. Pode-se entender que ela é a ponte entre a engenharia e agricultura.

Assim como em outras engenharias, seu objetivo é otimizar processos e potencializar recursos, porém, no ambiente de lavouras e criações.

Com o agronegócio, o mercado de trabalho para esta categoria tornou-se extenso e com boas oportunidades. No Brasil, a maior parte das oportunidades está nas fazendas, cooperativas, usinas de biocombustível e indústria de máquinas.

 

Engenharia de Alimentos

 

A Engenharia de Alimentos engloba práticas de industrialização, conservação, distribuição e comercialização de alimentos. Estipula padrões que devem ser seguidos durante a produção dos mesmos, como cor, valor nutricional e sabor.

Como lida com a produção do alimento em si, o profissional da área necessita de uma boa base de gerenciamento industrial e em tecnologias que auxiliam na melhoria da qualidade dos processos.

Além disso, também se espera do engenheiro de alimentos conhecimento nas áreas de química, físico-química e bioquímica, para a manipulação de compostos.

 

Engenharia Ambiental e Sanitária

 

Essa Engenharia é voltada para a área sustentável, de preservação do meio ambiente e saneamento básico. Possui duas vertentes, como diz o nome, a ambiental e a sanitária, sendo que cada uma possui um foco.

A parte ambiental é voltada para a aplicação e produção de tecnologia que auxilie na prevenção da poluição da água, do solo e do ar, assim como sua preservação. Além disso, o profissional da área é capaz de criar projetos que auxiliam na recuperação de áreas devastadas ou poluídas pela ação do homem.

Já na sanitária, há uma ênfase maior nos projetos de saneamento básico, exploração e uso da água. Portanto, os planejamentos de sistemas de tratamento de água e esgoto, abastecimento de água e limpeza urbana, entram nessa parte do curso.  

 

Engenharia Biomédica

 

Neste ramo da engenharia, os conhecimentos das ciências exatas e biológicas são conciliados, a fim de projetar equipamentos médicos mais avançados, que possibilitam examinar e diagnosticar de forma mais eficaz, assim como tecnologias que auxiliam nas cirurgias atuais e no desenvolvimento de próteses.

O engenheiro biomédico pode desenvolver softwares capazes de armazenar num banco de dados os tipos de doenças e suas informações, para facilitar posteriormente os diagnósticos e tratamentos mais apropriados.

Porém, há também cargos dentro das clínicas e hospitais, gerenciando a montagem, instalação e manutenção dos aparelhos, além de preparar toda a equipe que irá operá-los.

 

Engenharia Cartográfica e de Agrimensura

 

A Engenharia Cartográfica e de Agrimensura, também conhecida por Engenharia Geográfica, Geoespacial ou Topográfica, é um ramo da engenharia voltado para a análise de dados geográficos e para a determinação, descrição e controle de espaços territoriais.

A formação dessa engenharia se dá de forma bastante abrangente e envolve diversos segmentos, gerando vasto campo de atuação. O profissional é responsável pela criação, organização e atualização de informações geográficas e topográficas.

Sendo assim, em todas as regiões do país encontram-se demanda para esses profissionais, para que eles coordenem, implantem e fiscalizem o mapeamento sistemático desses territórios.

 

Engenharia Civil

 

Essa Engenharia apresenta ao graduado a possibilidade de gerenciar e executar obras de diversos portes. Além de prédios, casas e shoppings, as construções de infraestrutura, como rodovias, ferrovias, viadutos, portos, metrôs e túneis também são responsabilidade dessa engenharia.

Fora a parte estrutural, o engenheiro civil fará estudo do solo onde será realizada a obra, especificará quais materiais serão usados, e também os tipos de instalações elétricas que serão adequadas.

Porém, algumas Universidades oferecem ênfases em algumas áreas dentro da Engenharia Civil, como o curso de Engenharia Civil Aeronáutica (ITA), que foca na construção de aeroportos e heliportos.

 

Engenharia da Computação

 

O foco principal da Engenharia da Computação é projetar hardwares, desenvolver softwares e aplicativos, e até mesmo criar novas linguagens e sistemas operacionais.

Em uma empresa, pode trabalhar no gerenciamento de redes de computadores e a manutenção deles.

A automação industrial e robótica também fazem parte do campo onde um engenheiro computacional pode atuar, sendo capaz de desenvolver sistemas digitais e softwares que auxiliam na programação de robôs.

 

Engenharia Elétrica

 

A Engenharia Elétrica é uma das áreas da engenharia que mais está presente em nossas vidas, já que a eletricidade virou uma necessidade básica. Está em constante evolução, impulsionando novas tecnologias para facilitar nosso dia a dia.

Sendo assim, o engenheiro eletricista possui um leque de opções para sua atuação, fazendo necessária as diversas habilitações que são oferecidas nas universidades.

Portanto, a ênfase de cada curso possibilitará a execução de projetos em cada área, como a geração e distribuição de energia elétrica, construção e controle de sistemas de automação nas indústrias e desenvolvimento de equipamentos eletrônicos.

Pode ser aplicada também na construção de sistemas e equipamentos na área de telecomunicações  e microeletrônica.

 

Engenharia Florestal

 

A Engenharia Florestal aborda tudo relacionado à floresta, desde o entendimento de ecologia, passando pela conservação de água, solo e seres, até o seu manejo. O engenheiro florestal atua nas áreas de gestão ambiental, manejo florestal, silvicultura, tecnologia de produtos florestais, mensuração florestal e sensoriamento remoto.

No curso, temos grande envolvimento das ciências exatas e biológicas, além da grande influência tecnológica com softwares de desenvolvimento de projetos e resolução de problemas.

No mercado de trabalho, as atividades que estão em alta são: apoio à produção florestal, fabricação de papel e extração de madeira. A profissão vem crescendo bastante nos últimos anos devido à preocupação com o meio ambiente e com uso sustentável dos recursos naturais.

 

Engenharia Física

 

A Engenharia Física é o campo da engenharia voltado para aplicação dos fenômenos físicos e todas as ferramentas proporcionadas pela Física e Matemática, implementando novas tecnologias.

Com sua formação generalista, o profissional de Engenharia Física pode atuar na resolução de problemas com uma  abordagem interdisciplinar e tecnologia de ponta. Entre as diversas áreas, temos como exemplo Energia, Meio Ambiente e Supercondutores.

Dessa maneira , é essencial ter em mente que, no curso, você terá contato com todo tipo de conhecimento, para que possa aplicá-lo nos mais diversos segmentos.

 

Engenharia Hídrica

 

A Engenharia Hídrica é o campo especializado na exploração e na gestão de recursos hídricos. Através dela, há o planejamento da utilização desses recursos, com o objetivo de prevenir ou até mesmo evitar impactos negativos causados por atividades humanas.

Um dos objetivos da Engenharia Hídrica é a utilização de seus conhecimentos em tecnologias para solucionar os problemas relacionados com o desperdício e a escassez dos recursos hídricos, considerando os aspectos ambientais, sociais, políticos e econômicos.

No cenário atual, com a crescente conscientização do uso da água em diversas regiões, o trabalho do engenheiro hídrico vem se tornando cada vez mais indispensável.

 

Engenharia de Materiais

 

A Engenharia de Materiais tem seu foco na pesquisa de novas possibilidades na área dos materiais. Além de criar, o profissional da área também seleciona, especifica e implementa os novos materiais e compostos no meio industrial, encontrando aplicações para eles.

No curso, o graduando encontrará disciplinas voltadas principalmente para as áreas física e química, com técnicas de tratamento, análise e processamento de materiais.  

A especialização do engenheiro de materiais se dá nas áreas de polímeros, metais e cerâmicas. No mercado de trabalho, ele pode atuar em uma gama de setores. Hoje, os mais aquecidos são a construção civil, fábricas de cimento, cerâmica e vidro.

 

Engenharia Mecânica

 

Embora seja uma das mais tradicionais, a Engenharia Mecânica ainda possui um lugar de destaque no desenvolvimento do país, já que atua em inúmeros campos dentro da indústria.

O engenheiro mecânico é capaz de desenvolver e aplicar projetos para a criação de veículos, sistemas termodinâmicos, motores e máquinas, além da obtenção de moldes para a produção de peças.  

Porém, a manutenção de máquinas é um ponto em evidência no mercado de trabalho para o engenheiro mecânico. Na indústria, os setores automobilístico, petrolífero e aeronáutico, são boas opções de aplicação da área.

 

Engenharia Mecatrônica

 

A Engenharia Mecatrônica é focada nas novas tecnologias provenientes da mecânica, eletrônica e computação, e por isso há para o profissional da área uma gama de oportunidades no mercado de trabalho.

Sua área de atuação é voltada para controle e automação de sistemas e linhas de montagens, desenvolvimento de tecnologias que auxiliam na manutenção de equipamentos e criação de softwares que controlam robôs e sistemas mecânicos.   

Contudo, além das tradicionais indústrias que empregam o engenheiro mecatrônico, como a automobilística, aeronáutica e petroquímica, empresas de tecnologia da informação estão contratando cada vez mais para a produção de softwares.

 

Engenharia Metalúrgica

 

O curso de Engenharia Metalúrgica se concentra nos estudos dos materiais, em especial os metais e suas propriedades. Todo o processo de extração e refino do minério, e também a obtenção do produto final, é acompanhado pelo engenheiro metalúrgico.

Além disso, o profissional é capaz de realizar combinações de metais com alguns tipos de materiais para a formação de novos compostos e ligas, muitas vezes encontrando propriedades químicas, físicas e metalúrgicas novas.     

No mercado de trabalho, o engenheiro metalúrgico atua nas indústrias automobilística, siderúrgica, de armamento, aeronáutica, além de empresas nos setores mecânico e de mineração.

 

Engenharia de Minas

 

A Engenharia de Minas estuda e aplica tecnologias e métodos de aproveitamento de alguns recursos oferecidos pela terra, os minérios.

Compreende atividades de lavra (extração de minérios) e prospecção de recursos minerais (que podem ser minérios, águas minerais e hidrocarbonetos), além dos processos de tratamento e refinação dos mesmos.

Sendo uma atividade com grande relevância na economia do país e participando de uma parcela considerável do PIB brasileiro, a mineração gera um grande quantidade de empregos, com ênfase nas mineradoras do Sudeste, mas também em todo o país.

 

Engenharia Naval

 

O profissional de Engenharia Naval atua na indústria nos setores de construção naval, projetos de sistemas oceânicos e gerenciamento de transporte. É responsabilidade dele os projetos de estrutura e de equipamentos das embarcações, além de supervisionar cada etapa e verificar a qualidade dos materiais.

No setor de sistemas oceânicos, são encontradas soluções de problemas que envolvem as embarcações e outros flutuantes, estabelecendo as especificações técnicas e operacionais. Já na parte de gerenciamento de transporte, o graduado gerencia o tráfego marítimo e fluvial, coordenando o embarque e desembarque de cargas.

No mercado de trabalho, as empresas que empregam o engenheiro naval são os estaleiros, companhias de navegação e administração de hidrovias.

 

Engenharia de Pesca

 

A Engenharia de Pesca aborda conceitos da biologia e engenharia voltados para o bom aproveitamento dos recursos naturais aquáticos, por meio da tecnologia.

O profissional da área pode atuar em diversas áreas, principalmente quanto à sustentabilidade, planejamento pesqueiro, aquicultura, biotecnologia e auxílio junto à comunidade pesqueira (extensão pesqueira).

No mercado de trabalho, as melhores oportunidades do país estão localizadas em Santa Catarina, onde se encontra o maior polo de indústria pesqueira do Brasil.

 

Engenharia de Petróleo

 

A Engenharia de Petróleo tem como sua especialidade atuar em todos os processos voltados para a cadeia produtiva de óleo ou gás natural (hidrocarbonetos).

Dessa forma, fica a cargo do engenheiro de petróleo planejar e supervisionar a logística das operações de exploração, produção, refino, transporte e comercialização do petróleo.

As melhores oportunidades estão na costa dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, onde ficam as maiores reservas petrolíferas e consequentemente as maiores indústrias do setor.

 

Engenharia de Produção

 

Na indústria, cabe ao engenheiro de produção o planejamento e controle de toda a linha produtiva, gerenciando recursos (humanos, materiais e financeiros) e cuidando do controle de qualidade dos produtos e serviços.

Também é capaz de realizar simulações de processos, para prever problemas e encontrar soluções mais rapidamente. Estabelece prazos e padrões de qualidade, administra mão de obra, seleciona materiais e cuida da armazenagem e distribuição de produtos.  

Sendo assim, a Engenharia de Produção deve estar presente em quase todos os empreendimentos, não apenas na indústria, como também em lojas de varejo, bancos, setor de serviços, entre outras, sempre aplicando conhecimentos técnicos que aumentam a produtividade e otimizam o processo.

 

Engenharia Química

 

Esta engenharia trabalha com desenvolvimento e aplicação de processos físico-químicos na indústria. Cria e faz melhorias em métodos de produção de materiais químicos ou que passam por algum tipo de tratamento químico.  

O engenheiro químico deve supervisionar as etapas de obtenção de matérias-primas e sua transformação em produto. Tem como objetivo também, definir métodos e normas para que todo o processo produtivo seja menos agressivo ao meio ambiente, atentando-se para a estocagem, movimentação e descarte de materiais.

Fica a cargo do profissional de Engenharia Química a fiscalização e os projetos de construção e montagem de todas as instalações onde o tratamento químico será realizado, criando meios de reduzir custos e pesquisando tecnologias que possam contribuir para o aperfeiçoamento de toda a produção química.

 

Engenharia de Segurança do Trabalho

 

A Engenharia de Segurança do Trabalho tem como sua principal atividade a prevenção de riscos (ao meio ambiente e aos trabalhadores) dentro do ambiente de trabalho, com ênfase no âmbito fabril.

Além de elaborar e supervisionar planos de prevenção de riscos ambientais e acidentes, cabe ao profissional fiscalizar os equipamentos de segurança e higiene do trabalho, gerar laudos técnicos, planejar atividades de ergonomia e orientar a CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) da empresa.

O mercado de trabalho do engenheiro de segurança do trabalho é voltado para as  indústrias de construção civil, químicas e petroquímicas, mineradoras, alimentícias, siderúrgicas, metalúrgicas e farmacêuticas.


Agora já sabe qual engenharia fazer?

 

Há uma gama de engenharias oferecidas nas Universidades, e suas aplicações são infinitas, tornando difícil decidir com qual você mais se identifica e qual engenharia fazer, não é mesmo?

Porém, espero ter facilitado para você mostrando um pouco mais sobre as que estão em alta no mercado e o que elas fazem.

Aproveita e comenta qual ramo da Engenharia você mais se identificou ou se tem alguma dúvida a respeito dessa profissão!