Quando chega a hora de decidir qual curso de graduação escolher, para muita gente bate aquela dúvida, certo? Afinal, são tantas opções que se torna até difícil de escolher uma.

Muitas vezes, já se tem uma ideia do caminho a ser escolhido, com a aptidão para exatas e engenharia já demonstrada desde o colégio. Então, qual escolher?

Nesse artigo, vou falar sobre a Engenharia Mecânica, uma das várias opções dentro da engenharia. Vou te mostrar as principais características dessa profissão e, é claro, a pergunta que todos querem saber a resposta: quanto ganha?

Vamos lá?

 

O que é Engenharia Mecânica?

 

A Engenharia Mecânica é o ramo da engenharia responsável pelo projeto, desenvolvimento e manutenção de sistemas mecânicos. Assim, o engenheiro mecânico projeta e supervisiona máquinas e equipamentos que serão destinadas tanto à indústria quanto ao uso pessoal.

Desde o setor automobilístico ao siderúrgico, passando pelo setor de refrigeração, esse profissional possui uma gama de competências variada, podendo trabalhar em diversas áreas de atuação.

Vale ressaltar que a Engenharia Mecânica é uma das áreas de engenharia mais antigas da história, pois desde os primórdios da humanidade, criamos ferramentas e instrumentos para aumentar a capacidade humana e tornar nossa vida mais simples.

Alguns exemplos de equipamentos mecânicos remontam ao Antigo Egito, como as bombas d’água shaduf, que permitiram cultivar as lavouras o ano todo, e não apenas no período de cheia do rio Nilo.

Mas foi com a Revolução Industrial e o advento da máquina a vapor que essa área da engenharia foi oficializada, mais precisamente em 1847. Desde então, os avanços obtidos atingiram proporções espetaculares.

Se você olhar atentamente, é possível ver a presença da Engenharia Mecânica em todos os aspectos da vida moderna, como carros, aviões, tubulações, geladeiras, aparelhos de ar condicionado e usinas de geração de energia.

 

Principais áreas de atuação

 

Como já foi dito, o engenheiro mecânico é capaz de trabalhar em diversos setores diferentes, mas podemos destacar 4 áreas principais, que acabam englobando as outras.

Essas áreas são:

 

Térmica

 

A área térmica é uma das mais vastas da Engenharia Mecânica, possuindo várias aplicações diferentes. Nessa área, estão incluídas a Termodinâmica e Transferência de Calor. É aqui que entra a construção de motores, turbinas, sistemas de refrigeração, bombas de calor, entre outros.

A busca por eficiência é constante e o engenheiro está sempre preocupado com a questão da emissão de poluentes.

 

Fluidos

 

A área de Fluidos tem como base a Mecânica dos Fluidos, trabalhando com aplicação de máquinas hidráulicas e pneumáticas, tão importantes no nosso dia a dia, como por exemplo as bombas d’água, a direção hidráulica, o elevador hidráulico e outros equipamentos cujo funcionamento se baseia em fluidos, sejam eles líquidos ou gasosos.

 

Fabricação

 

Essa área foca nos processos de fabricação de máquinas e peças para essas máquinas. O conhecimento dos variados processos de fabricação é fundamental para qualquer engenheiro mecânico, independentemente de trabalhar ou não na área.

Processos como usinagem, soldagem, prensagem, laminação, trefilação, extrusão, entre tantos outros, são como o arroz e feijão desse profissional. Portanto, esse conhecimento deve estar bem sedimentado na mente do engenheiro mecânico.

 

Projetos

 

Uma das áreas mais desafiadoras e ao mesmo tempo gratificante, o setor de projetos é responsável por projetar (obviamente) novos equipamentos e peças para o maquinário, sempre antenado com as novas tecnologias que surgem de forma cada vez mais dinâmica.

 

Vale lembrar que em grande parte das vezes o engenheiro mecânico trabalhará em conjunto com outros profissionais de engenharia. Por exemplo, na área de processos ele trabalhará em conjunto com o engenheiro químico, na de geração de energia, atuará em conjunto com o engenheiro eletricista, e por aí vai.


 

Curso de Engenharia Mecânica

 

Se você está interessado, então deve estar querendo informações sobre o curso de Engenharia Mecânica, como onde cursar, quais são alguns dos softwares mais usados e algumas das disciplinas a serem destacadas, certo?

Pensando nisso, separei para você algumas informações que considero indispensáveis para todos que desejam seguir essa área. Confira!

 

Principais universidades

 

O primeiro passo é ingressar em uma universidade certificada pelo Ministério da Educação (MEC). Preparei uma lista com as 10 melhores universidades para o curso de Engenharia Mecânica de acordo com a nota do ENADE de 2013, 2014 e 2015.

 

 

Essa lista, como falei, foi feita de acordo com a nota do ENADE. Uma classificação mais completa, seguindo vários indicadores diferentes, como a avaliação do MEC e o número de professores com Doutorado e Mestrado, está disponível aqui.

 

Grade curricular

 

A grade curricular de um curso de Engenharia Mecânica pode variar de acordo com a universidade em questão. Em alguns casos, pode haver também uma variação no nome das disciplinas.

Resolvi destacar para você algumas das principais disciplinas do curso, já desconsiderando o ciclo básico comum a quase todas as engenharias, que são as disciplinas de Cálculo, Física, Equações Diferenciais, entre outras. Segue a lista com algumas matérias mais específicas:

 

  • Máquinas Térmicas

  • Elementos de Máquinas

  • Mecânica dos Fluidos

  • Sistemas Fluidomecânicos

  • Mecânica

  • Resistência dos Materiais

  • Refrigeração

 

Existem variações dessas disciplinas que, conforme já falei, são definidas pela universidade, desde que atendam aos requisitos mínimos estipulados pelo MEC. Em relação ao tempo, o curso tem uma duração média de 5 anos.

Vale ressaltar que o curso de Engenharia Mecânica pede Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) e estágio supervisionado como requisito obrigatório para graduação. Afinal de contas, o estágio é uma grande oportunidade para o estudante se familiarizar com o ambiente de trabalho, além de poder estabelecer um networking, o que é muito importante no mundo profissional.

 

Softwares mais utilizados

 

Alguns softwares fazem parte da vida do engenheiro mecânico e alguns outros ele acabará entrando em contato em algum momento da graduação ou da carreira. Separei alguns deles com uma breve explicação abaixo:

 

Matlab: software de desenvolvimento que pode ser aplicado para diversos fins. Apresenta interfaces que permitem resolver, analisar e simular vários problemas na área da engenharia, utilizando linguagem própria, não muito diferente da C/C++, além da linguagem de blocos (Simulink).

 

SolidWorks: foi criado para facilitar a vida de engenheiros e projetistas. Ele possibilita não só a criação (em 2D e 3D) de peças, como também a simulação de resistência, durabilidade e diversas outras características, facilitando e muito o desenvolvimento do produto.

 

FluidSIM: software muito utilizado para a criação e simulação de sistemas eletropneumáticos e eletrohidráulicos. É muito utilizado na Engenharia Mecânica na parte de automação industrial.

 

SMath: muito útil para se trabalhar com vários cálculos matemáticos, servindo de grande auxílio para o engenheiro, além de já exibir os cálculos formatados, o que é ideal para se colocar no TCC.

 

Microsoft Excel: esse software não poderia faltar. O conhecimento de Excel é muito importante para o engenheiro mecânico, pois as planilhas eletrônicas são muito úteis na organização de dados e tabelas, além de servir principalmente na hora de apresentar um relatório.

 

Ansys: software utilizado para simulações de engenharia, permitindo análises minuciosas do comportamento de máquinas e peças. Possui uma versão estudantil gratuita para uso acadêmico.

 

Existem vários outros softwares que o engenheiro mecânico pode utilizar para auxiliar em tarefas rotineiras em sua carreira, como o AutoCAD e o EES.

 

Salário do engenheiro mecânico

 

Esta é a pergunta que não quer calar: quanto o engenheiro mecânico ganha? Afinal de contas, saber quais são as médias salariais ao adentrar no mercado de trabalho é necessário para motivar os estudantes e também para não criar falsas expectativas.

A primeira coisa que você precisa saber é que a Engenharia Mecânica é uma profissão regulamentada, de acordo com a Lei 4.950/A, de 22 de abril de 1966. Ou seja, isso significa que ela possui um salário mínimo profissional de acordo com o salário mínimo vigente e a jornada diária.

Assim, de acordo com essa lei, o salário mínimo de um engenheiro mecânico é:

 

  • Jornada de 6 horas: 6 salários mínimos

  • Jornada de 7 horas: 7,25 salários mínimos

  • Jornada de 8 horas: 8,5 salários mínimos

 

Mas você pode estar pensando: “isso não diz muita coisa, preciso de dados reais”. Sabendo disso, trouxe para você informações de salário reais, postados por engenheiros mecânicos no Love Mondays, site em que profissionais colocam seus cargos e seus salários, e o site cria uma média desses salários, além de mostrar a variação salarial.

De acordo com 507 salários postados (até momento dessa publicação), a média foi de R$ 8.534/mês, com a maior parte dos salários ficando entre R$ 5.803 e R$10.406 por mês.

Algumas empresas ou instituições a se destacar são:

 

  • Vale: R$ 15.479

  • General Electric (GE): R$ 11.471

  • Petrobrás: R$ 11.369

  • Ford: R$ 11.100

  • Marinha do Brasil: R$ 10.624

 

E aí, o que achou? Como você pode ver, mesmo em meio ao momento não tão favorável do país e com a inevitável diminuição das ofertas de vagas, o engenheiro mecânico ainda continua tendo um salário acima da média do país.

 

Fique ligado!

 

Gostou deste artigo sobre Engenharia Mecânica? Então continue acompanhando essa série sobre as várias Engenharias que temos no país, pois toda sexta estaremos escrevendo sobre uma diferente.

Não se esqueça de deixar seu comentário e se ficou com uma dúvida, manda pra gente também. Nosso propósito é esclarecer todas as suas questões. Aguardamos seu feedback!

 

Dica Bônus

 

Essa é pra quem realmente já está pensando no futuro e já quer começar a se organizar! O curso de Introdução ao Excel vai iniciar a sua capacitação e te oferece ferramentas que podem te auxiliar a estruturar seu horário de estudo.

 

 

Assim, fica mais fácil para você se preparar e também para entrar com tudo no curso de engenharia que escolher!