Quando se procura uma carreira a seguir, é importante conhecer bem suas opções. Quando falamos dos cursos de Engenharia, temos as mais tradicionais e as mais novas, que muitas vezes são provenientes da necessidade de uma especialização em certo ramo.

Entre essas novas oportunidades, temos a Engenharia de Alimentos. Você conhece ou já ouviu falar algo sobre ela? Se já sabe que não se trata de construções feitas de comida, é um ótimo começo!

 

 

O que é Engenharia de Alimentos?

 

A Engenharia de Alimentos é um segmento da Engenharia que aborda todas as práticas relacionadas com a industrialização de alimentos, potencializando-as para que sejam realizadas com excelência.

O profissional da área possui conhecimentos multidisciplinares para desenvolver projetos na área de ciência e tecnologia dos alimentos, colaborar com a preservação da saúde pública (orienta, estipula padrões e fiscaliza) e atuando nas indústrias do setor.

Nesse curso superior, é necessário profundo conhecimento nos tipos de alimentos e nas técnicas de processamento para que sejam feitas as interações mais adequadas entre eles.

 

Curso de Engenharia de Alimentos

 

Na Engenharia de Alimentos, temos no ciclo básico disciplinas da área de Matemática, Física, Química, Bioquímica e Administração. Após os primeiros anos, começam as matérias específicas do curso.

Como destaque, temos (a nomenclatura e carga horária de cada disciplina pode variar de acordo com a instituição):  

  • Gestão da Qualidade;

  • Gestão Industrial;

  • Microbiologia;

  • Processamento e Tecnologia de Alimentos;

  • Tecnologia da Produção de Álcool e Bebidas Fermentadas;

  • Tecnologia de Embalagens;

  • Toxicologia dos Alimentos;

  • Tratamento de Resíduos;

  • Tecnologia de Produtos Vegetais.

 

Além disso, como as outras Engenharias, temos o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) e o estágio obrigatório ao final do curso.

 

Softwares que auxiliam a Engenharia de Alimentos

 

Todo cuidado é pouco quando se trata da fabricação e processamento de alimentos, sendo assim, a Engenharia de Alimentos conta com alguns softwares para que seu trabalho seja mais preciso e seguro.

Em relação à qualidade do alimento, temos softwares de HACCP (Hazard Analysis and Critical Control Point, ou em português, APPCC - Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle), como o MYHACCP, que facilita a gestão de operações e registros obrigatórios.

Para manter o padrão de BPF (Boas Práticas de Fabricação), são utilizados softwares como o DocNix. Com os módulos disponíveis, é possível realizar uma gestão da qualidade.

Além disso, o Excel é muito utilizado para resolução de problemas, planilhas de controle e checklists.

 

Áreas de atuação

 

O trabalho de atuação do engenheiro de alimentos possui seu foco nas indústrias alimentícias. Porém, dentro da mesma, ele é segmentado em 6 áreas, segundo a ABEA (Associação Brasileira dos Engenheiros de Alimentos):

 

Produção / Processos

 

Nessa área, o engenheiro de alimentos é responsável por realizar a racionalização e melhoria de processos e fluxos produtivos. Aqui, ele irá incrementar a qualidade e produtividade para redução dos custos industriais.

 

Garantia de Qualidade

 

Fica a cargo desse profissional a determinação dos padrões e controle de qualidade para os processos (desde a matéria-prima até o transporte do produto final).

Além disso, ele faz o planejamento e implantação de estruturas para análise e monitoramento destes processos, juntamente com o treinamento de pessoal para prática da qualidade como rotina operacional.

 

Pesquisa e Desenvolvimento

 

Desenvolvimento de novos produtos alimentícios e tecnologias com objetivo de atingir novos mercados. Reduz desperdícios, reutiliza subprodutos e aproveita os recursos naturais disponíveis da forma mais adequada.

 

Projetos

 

Aqui, é feito o planejamento, execução e implantação de projetos de unidades de processamento (“plant lay-out”, instalações industriais, equipamentos), bem como seu estudo de viabilidade econômica.

 

Comercial / Marketing

 

O engenheiro aplica seu conhecimento técnico para realizar, de forma diferenciada, trabalho de marketing, prospecção e abertura de mercados, assistência técnica, desenvolvimento de produtos junto aos clientes e apoio à área de vendas.

 

Fiscalização de Alimentos e Bebidas

 

Essa área de atuação se dá junto aos órgãos governamentais de âmbito municipal, estadual e federal. Tem como objetivo estabelecer padrões de qualidade e identidade de produtos, e aplicar esses padrões em indústrias, garantindo assim, os direitos do consumidor.

 

Engenharia de Alimentos X Nutrição

 

Algumas pessoas têm dúvidas quanto à diferença entre o que se estuda na Nutrição e Engenharia de Alimentos. Bem, ainda que envolva o alimento em si, cada curso o aborda de maneiras distintas.

Na Engenharia de Alimentos, o foco se encontra nos processos de produção, conservação e comercialização do alimento, tudo com garantia de qualidade. Além disso, também realiza a gestão dos processos e desenvolve tecnologias ligadas à produção do alimento.

Já a Nutrição tem sua ênfase no estudo de nutrientes e como ele se comporta no organismo humano. Cabe ao profissional da área coordenar a alimentação em instituições como escolas, empresas, hospitais, entre outros. Indica uma alimentação saudável de acordo com as necessidades do indivíduo.

 

Universidades que oferecem Engenharia de Alimentos

 

Para começar uma graduação nessa área, é interessante conhecer as melhores instituições de ensino do país. O site ENEMVirtual destacou 9 faculdades com nota 5 na avaliação do Ministério da Educação (MEC):

 

 

Porém, se você já tem alguma instituição em mente e gostaria de ver qual a sua nota nesses quesitos, consulte o site e-MEC para maiores informações (no site, vá em Consulta Avançada para efetuar a pesquisa).

 

Salário

 

E por último, um ponto complicado, mas do interesse de todos: o salário. No Brasil, temos a Lei 4.950/A, de 22 de abril de 1966, que dispõe sobre salário mínimo dos profissionais de Engenharia no Brasil:

 

  • Jornada de 6 horas: 6 salários mínimos

  • Jornada de 7 horas: 7,25 salários mínimos

  • Jornada de 8 horas: 8,5 salários mínimos   

 

Contudo, o salário dos engenheiros no mercado de trabalho variam muito. Isso porque temos diversas atuações dentro de uma mesma empresa, que podem possuir maior relevância, onde o profissional vai “subindo de nível” e, consequentemente, o salário também aumenta.

Além disso, leva-se em consideração o porte da empresa, a região do país onde está localizada e a jornada de trabalho na qual o engenheiro irá trabalhar.

De acordo com o site $alário.com.br, que fez uma pesquisa com amostra de 143 salários em todo Brasil, a faixa salarial do engenheiro de alimentos fica entre R$ 2.887,21 e R$ 9.041,53. Com a jornada de trabalho de 43 horas, a média salarial foi de R$ 4.066,50.

 

Vai escolher a Engenharia de Alimentos?

 


 

Bem, agora que você já conheceu tudo sobre o curso e a profissão de Engenharia de Alimentos (e sabe que não se trata de construir prédios com comida!), provavelmente se identificou com alguma das suas áreas de atuação.

Contudo, se ainda está com dúvidas em qual carreira seguir, continue acompanhando nossa série sobre Engenharias que sai toda sexta aqui no blog!

Ah, e não se esqueça de comentar o que você achou do artigo, seu feedback é muito importante para nós :)

 

Dica Bônus

 

Essa é pra quem realmente já está pensando no futuro e já quer começar a se organizar! O curso de Introdução ao Excel vai iniciar a sua capacitação e te oferece ferramentas que podem te auxiliar a estruturar seu horário de estudo.

 

 

Assim, fica mais fácil para você se preparar e também para entrar com tudo no curso de engenharia que escolher!