Você sabia que seu corpo, especialmente em situações de tensão e apreensão, fala mais sobre você do que as palavras que saem da sua boca? A esse conjunto de ações não-verbais como gestos, movimentos faciais, postura, proximidade chamamos de linguagem corporal.

Sendo uma das primeiras formas de comunicação humana e também das mais expressivas, a linguagem corporal teve seus primeiros estudos científicos feitos por Charles Darwin, que foram publicados no livro “A expressão das emoções em homens e animais”. Nele são descritos como os animais também sentem raiva, medo, alegria e demonstram isso através de expressões.

Agora, imagine que está procurando um emprego, tudo o que vai dizer na entrevista já está ensaiado mas o que será que seu corpo está dizendo sobre você? Daí vem a importância de se aprender e trabalhar bem a linguagem corporal.

Durante as entrevistas de estágios ou emprego é comum se sentir agitado. Esse  nervosismo nos faz, nesses momentos em que tentamos usar as palavras certas e falar o que acreditamos ser o esperado, acabar esquecendo que a linguagem corporal exerce um papel fundamental, atraindo ou repelindo as outras pessoas mesmo antes que as palavras sejam ditas.

Então para ajudar na sua preparação, vou mostrar nesse artigo, o que sua linguagem corporal pode transmitir, dicas de como se comportar durante a entrevista e ainda falar dos erros mais comuns relacionados com a “leitura da linguagem corporal”. Está curioso? Então vamos!

 

O que sua linguagem corporal pode transmitir?

 

 

O modo como andamos, nos sentamos, olhamos, encaramos, a posição em que deixamos a cabeça, os gestos, a postura e o vestuário são observados durante a entrevista, e a linguagem corporal mesmo sendo algo inerente à natureza humana, costuma não receber o devido valor da maioria das pessoas.

Por isso os entrevistadores e especialistas são dotados de inteligência emocional e treinados em observar totalmente a linguagem corporal do entrevistado, para dele tirar informações valiosas que currículo nenhum dará. Para entender melhor, veja alguns exemplos práticos de como os examinadores podem ler suas atitudes:

 

  1. Um sorriso mostra que você está aberto a novos conhecimentos e que eles são bem-vindos a você, e além disso, transmite serenidade.

 

  1. Entrar na sala com postura ereta, cabeça erguida olhando nos olhos de quem o recebe dá a entender que você está confiante e seguro de seus objetivos.

 

  1. Entusiasmo dá maior importância e vitalidade ao que você está comunicando, mas em demasia, podem indicar nervosismo, insegurança e necessidade desmedida de autoafirmação.

 

  1. Já a cabeça muito erguida indica sentimentos próprios de superioridade ou um grande esforço em acobertar algum medo.

 

  1. Manter o contato visual constante com o interlocutor demonstra atenção e aceitação do que está sendo dito, mas isso não significa que seus olhos não podem desviar-se uma vez ou outra, e nem que você concorda em absoluto com tudo quanto está sendo dito.

 

  1. Já o olhar para baixo denota decepção e tristeza, e levantar as sobrancelhas indica dúvida, enquanto olhar para os lados mostra que você está pensando, não entendeu ou não concorda com o que está sendo dito.

 

  1. Gestos transmitem entusiasmo e dão maior ênfase durante uma conversa – enquanto uma pessoa agressiva ou invasiva debruça-se em cima da mesa, uma outra recatada ou fechada senta-se para trás da cadeira. Assim, controlar os gestos em demasia demonstra frieza ou pouco caso.

 

  1. Suas roupas também dizem muito sobre você e devem estar de acordo com o cargo que você busca (bem como sua bolsa, seu sapato, seu penteado e seus acessórios, no caso de você ser mulher – uma bolsa surrada demonstra desleixo, e sem combinar com o sapato, falta de bom-senso; cabelo bagunçado remete a incompetência e acessórios demais fazem aflorar uma emocionalidade exacerbada para o ambiente de trabalho).¹

 

  1. A distância que você assume do seu entrevistador revela como você encara sua relação com a pessoa: íntima, invasiva, comprometida, respeitosa, de trabalho, antagônica, competitiva, etc.

 

¹No caso de homens, as mesmas prerrogativas podem ser ditas sobre o uso de gravatas, abotoaduras, cores de ternos e escolhas de camisas que dão muito contraste com o resto ou com a cor da pele.

 

Erros mais comuns relacionados à linguagem corporal

 

 

Lembre-se disso: o corpo fala, mas nem sempre ele diz o que gostaríamos! Muito da nossa linguagem corporal é involuntário, um reflexo natural das nossas emoções. A grande questão é que com um pouco de treino conseguimos controlar melhor esses reflexos para que eles transmitam exatamente o que queremos.

No site empregos.com.br, a especialista em entrevistas e também consultora do Hay Group Brasil, Priscila Mendes, e João Pedro Caiado, consultor em Recursos Humanos e fundador da Human Development Organization, dão as dicas sobre os erros mais comuns relacionados a “leitura da linguagem corporal” na hora da entrevista de emprego e da dinâmica de grupo.

 

  • Fique atento, braços cruzados mostram descontentamento e falta de conexão com o outro, isto é, o canal de comunicação é fechado entre você e o entrevistador.

 

  • Segurar a bolsa ou a caneta insistentemente pode estar relacionado a uma postura defensiva, o que para o selecionador, demonstra insegurança.

 

  • Não olhar diretamente para o entrevistador é o erro mais frequente, pois revela que o candidato sente medo e não confia em si mesmo.

 

  • Já aqueles que gostam de se sentar na beirada da cadeira indicam que preferem o desconforto, pois desejam encerrar aquilo o mais rápido possível e ir embora.

 

  • Mexer braços e pernas em demasia é visto como uma resposta natural do corpo  quando você está nervoso ou ansioso. Passar toda hora a mão no cabelo ou qualquer outro tique demonstra essa ansiedade; em contrapartida, ficar totalmente estático não é a melhor opção. “Você é um produto que tem vida”, dizem os consultores.

 

Mas calma, para todo problema há uma solução:

 

  • Sentar-se no encosto da cadeira e inclinar-se um pouco deixa o candidato automaticamente mais seguro e relaxado, mostrando ao selecionador uma atitude positiva com o momento, na medida em que você vai em sua direção.

 

  • Repousar os braços no apoio da cadeira evita cometer os erros descritos: “Se a cadeira não possuir apoio, é só pousar as mãos sobre as pernas – sem cruzar os braços, claro.”

 

  • Olhar nos olhos do entrevistador e encará-lo (sem parecer maluco, é claro) transmite confiança e cria empatia.

 

  • Acenar com a cabeça em negativa ou concordância de acordo com a situação demonstra suas sensações e mostra que você está entusiasmado com a conversa.

 

  • “É imprescindível que, ao cumprimentar o entrevistador, você dê um aperto de mão firme e confiante. Isso irá demonstrar que você sentiu confiança na entrevista.”, afirma Caiado.

 

Preste atenção ao seu tom de voz, para que ao falar, você seja entendido da forma como pretende. É preciso ter cuidado para conseguir transmitir a imagem de que você sabe do que está falando, mas sem parecer arrogante.

 

Nunca pare de aprender sobre linguagem corporal

 

Como você deve ter percebido, a comunicação não verbal é importantíssima num processo seletivo, sendo um quesito com grande influência na avaliação do entrevistador. Suas expressões faciais te entregam e confirmam ou negam o que você diz. Por outro lado, a linguagem corporal deve ser sempre um ponto de atenção para todo candidato.

Certo, agora você já aprendeu como seu corpo fala por você, e se você acompanha nosso Blog, já deve saber o que fazer antes, durante e após uma entrevista de emprego, além de saber como se comportar em uma dinâmica de grupo, não é mesmo?

Então, o que acha de saber tudo sobre processos seletivos? Para isso, não deixe de se inscrever em nosso curso Como Ter Sucesso em um Processo Seletivo! Esperamos você!