Marcados pela Revolução Industrial, os processos tradicionais de manufatura, como o  forjamento, soldagem, fundição e torneamento trouxeram inúmeros benefícios para a humanidade ao longo dos anos.

Se, quando a atividade predominante era o artesanato, um produto poderia demorar meses para ficar pronto, com o advento da manufatura tornou-se possível otimizar significativamente a produção industrial.

Todavia, a humanidade sempre esteve em busca de processos mais rápidos e com um maior nível de perfeição, o que possibilitou o surgimento de um novo tipo de processo: a Manufatura Aditiva.

Um dos pilares da quarta revolução industrial, a Manufatura Aditiva chegou para transformar  o modo com que os produtos são confeccionados. Segundo a IFI CLAIMS Patent Services, este tipo de tecnologia foi a segunda que mais se desenvolveu nos últimos tempos.

Então, vamos lá! Continue lendo este artigo e saiba o que é Manufatura Aditiva, como funciona e quais as suas principais aplicações. :D

 

O que é Manufatura Aditiva?

 

A Manufatura Aditiva, também conhecida como impressão 3D, configura-se como a confecção de objetos de geometria complexa a partir de um desenho elaborado no computador.

Esse tipo de tecnologia não é tão recente quanto parece, surgiu a cerca de 30 anos. Contudo, inicialmente a impressão 3D foi mais utilizada para a criação de protótipos e estudo de determinados conceitos.

Hoje, com a popularização deste tipo de manufatura avançada, essa invenção tecnológica se tornou importante em diversos setores da economia. A impressão 3D mostra resultados expressivos, desde o setor da saúde ao setor automotivo e aeronáutico.

 

Como funciona o processo de Manufatura Aditiva

 

A elaboração de uma peça por meio da manufatura aditiva é bem semelhante ao de uma impressão comum, em 2D. Todavia, ao invés de tinta é utilizado uma espécie de pó, gel ou algum filamento de metal ou plástico.

Durante o processo de confecção dessas peças, o material escolhido é adicionado em camadas, a fim de garantir que a matéria prima seja aproveitada ao máximo.

Na Manufatura Aditiva, os projetos são criados a partir de programas de modelagem 3D, como AutoCAD, SolidWorks, Sketchup, 3ds Max, Meshmixer, TinkerCAD, entre outros.

E, de acordo com o que foi elaborado nesses programas de desenho, é possível criar um objeto por meio da impressora 3D.

 

Aplicações da Manufatura Aditiva

 

Assim como foi mencionado anteriormente, hoje a Manufatura Aditiva é uma realidade nos mais variados setores da economia mundial.

Os fatores que mais favoreceram a aceitação deste tipo de metodologia são o aumento da facilidade de produzir peças mais detalhadas e o seu baixo custo em relação a determinados tipo de manufatura.

Nas instalações da indústria aeronáutica Airbus, na Alemanha, as impressoras 3D são utilizadas para produzir peças em metal para todos os seus modelos de avião. Segundo os responsáveis por essa companhia, os objetos impressos em 3D são mais leves, fortes e também mais baratos de produzir.

Já no setor automobilístico, a Manufatura Aditiva proporciona os mais variados benefícios. Peças de alta qualidade são confeccionadas com maior efetividade, uma vez que é possível realizar previamente testes com protótipos em 3D.

Algumas empresas conseguiram produzir até mesmo a estrutura de um veículo inteiro mediante a utilização desta tecnologia. A Local Motors é um exemplo disso, tendo confeccionado um carro denominado como Strati em apenas 44 horas.

E como não citar a área de saúde? A Manufatura Aditiva traz cada vez mais benefícios a esse setor.

A criação de próteses de baixo custo é um ótimo exemplo. Por meio de modelos impressos em 3D, é possível confeccionar braços biônicos os quais se adaptem a necessidade do paciente e que não tenham um custo tão alto quanto os disponíveis no mercado.

Para o mercado odontológico, a Manufatura Aditiva possibilitou a criação de próteses muito mais resistentes e confeccionadas em menor tempo.

Hoje, um dentista não precisa fazer um molde e mandar o mesmo para ser confeccionado em um laboratório. Com a impressora 3D, ele mesmo pode fazer a prótese em seu consultório.

Além disso, espera-se que no futuro a impressão 3D poderá ter a capacidade de imprimir células epiteliais. Assim, será possível substituir o tecidos queimados, de vítimas de queimaduras, pelos novos tecidos que serão formados por essas células.

Também se espera que órgãos humanos possam ser impressos, o que reduziria significativamente as filas de transplantes e muito mais vidas poderiam ser salvas.

 

Manufatura Aditiva: uma nova forma de construir o mundo

 

Deixaram-se as charretes, vieram os carros, trens, motos e os mais variados meios de transporte. O mundo está cheio de transformações e com a popularização da Manufatura Aditiva podemos esperar muito mais invenções tecnológicas no dia a dia.

Como a impressão 3D faz parte de algo muito maior, a Indústria 4.0, mudanças expressivas em outras áreas também estão a caminho.

Então, eu gostaria de saber a sua opinião. Como você acha que as revoluções tecnológicas impactarão o futuro? Aproveita e deixa o seu feedback sobre esse artigo. :D