Você com certeza já sabe da importância do Lean Manufacturing no meio industrial, não é mesmo? Pois é! Essa filosofia japonesa de grande sucesso mundial atingiu também outras áreas, como a área da saúde e por isso, agora você vai descobrir o que é Lean Heathcare e sua importância!

Você pode estar se questionando: “como assim? Como algo que é muito mais aplicado nas industrias pode ser aplicado na saúde?” E é isso que você irá ver nesse artigo! Como o Lean é aplicado em hospitais, clínicas e postos de saúde.

Aqui você verá tudo sobre essa filosofia, a sua história, o porquê de ela ir para a saúde, quais são os passos para você conseguir implementar, quais são as ferramentas utilizadas para auxiliar na implementação e por fim exemplos reais de sucesso. Preparado? Então vamos lá!

 

Mas o que é Lean Healthcare e como começou?

 

Precisar a data de implementação e onde começou é uma tarefa quase que impossível, mas sabemos que alguns hospitais começaram a experimentar esse método na década de 90.

Nessa época os desafios enfrentados na área de saúde eram muito grandes e complexos, deixando bem claro que os hospitais, laboratórios e unidades de medicina precisavam encontrar soluções que já eram praticadas em outras áreas de negócios, como as indústrias automobilísticas, por exemplo.

Afinal, o que é esse tal de Lean Healthcare? É um conjunto de conceitos e ferramentas do Lean aplicados na área da saúde, com objetivo de mudar a forma como todas as casas de saúde são organizadas e administradas.

Essa filosofia permite melhorar o atendimento dos pacientes e ainda promove o engajamento integral de funcionários e médicos na melhoria contínua, tudo isso procurando eliminar desperdícios que não agregam valor.

Relacionando com o contexto da saúde, segundo a definição do pai do Sistema Toyota de Produção, Taiichi Ohno, o Lean deve olhar de forma cronológica para o paciente, desde o momento que ele é encaminhado para um médico para realizar uma consulta ou tratamento, até o momento exato do atendimento realizado.

 

Por que a área da saúde precisa do Lean Healthcare?

 

Responder esse questionamento é muito fácil! Na área da saúde existem diversos processos com muitos desperdícios e também atividades que não agregam valor.

Essas atividades atrapalham os profissionais da saúde a realizarem sua principal missão, que é proporcionar a melhor assistência pessoal possível ao paciente e manter as pessoas saudáveis.

Além disso, esses problemas associados aos desperdícios no Lean podem tomar muito tempo dos profissionais de saúde, gerando uma grande dificuldade na criação de um ambiente acolhedor para o atendimento clínico.

Mas quais são os reais ganhos que o Lean Healthcare pode gerar? Pois bem, vou listar alguns deles, e você verá que realmente essa filosofia pode gerar grandes melhorias:

  1. Aumento da segurança do paciente;

  2. Redução de custos, do tempo de espera e de erros;

  3. Melhoria na disposição das equipes, entre outros.

A saúde é uma área muito delicada e de suma importância, e qualquer ganho pode fazer a diferença, pode salvar uma vida! Por isso, é desejável a aplicação do Lean nessa área, pois os ganhos serão imensos!

 

5 passos básicos que podem ser seguidos na implementação e quais são eles:

 

1º PASSO: Para começar a implementar, o ideal é escolher primeiro uma área ou uma cadeia de valor, pois não é nem um pouco prático implementar o Lean em toda a organização de uma só vez.

Mas como identificar em qual área começar? Uma boa estratégia para isso é analisar os motivadores estratégicos ou problemas que precisam de soluções mais imediatas. E os principais motivadores em uma empresa da área da saúde são:

  • Satisfação e segurança dos pacientes,

  • Tempo de espera;

  • Atraso na alta dos pacientes;

  • Qualidade do trabalho, entre outro.

 

2º PASSO: Neste segundo passo você deve conduzir uma avaliação em diversos departamentos, no prazo de duas semanas, para mapear a cadeia de valor.

Vai ser esse mapeamento da cadeia de valor, juntamente com a observação dos processos e as conversas com funcionários e pacientes que poderão ser usados para identificar desperdícios, retrabalho e outros processos que não agregam nenhum valor.

 

3º PASSO: Este passo visa identificar quais são as oportunidades de melhorias, seja no aumento de segurança do paciente, seja na qualidade do trabalho, economias em estoque ou na melhoria do tempo de espera.

 

4º PASSO: Este penúltimo passo tem como objetivo utilizar os kaizens para resolver diferentes tipos de projeto. Mas o que é um kaizen?

Basicamente, é uma metodologia que permite a operação do sistema enxuto dentro da filosofia do Lean Manufacturing. É importante lembrar que é uma ferramenta que pode ser adotada em empresas de qualquer porte.

Existem 3 tipos de kaizen que podem ser utilizados nessa ocasião: o ponto kaizen, evento kaizen e sistema kaizen. Os dois últimos serão os mais utilizados na implementação do Lean Healthcare.

 

5º PASSO: chegamos ao último passo, e ele fala sobre a grande importância do gerenciamento de mudança. Mas como assim?

O grande desafio da implementação do Lean relaciona-se com a dificuldade dos colaboradores em aceitar a mudança. Mudar os antigos processos pode causar má impressão. Os colaboradores podem passar por um ciclo de negação e medo antes de acreditar que as melhorias acabarão realmente se concretizando.

Por isso é fundamental um relacionamento mais próximo entre colaboradores e a liderança. Deve-se mostrar todos os benefícios do implemento e quais melhorias serão alcançadas, para assim, tornar mais fácil a aceitação de todos.

 

Quais são as ferramentas do Lean Healthcare?

 

Existem algumas ferramentas que podem auxiliar nesse processo de implementação do Lean em hospitais, clínicas e postos de saúde. Vou falar agora brevemente sobre as mais importantes e as mais utilizadas:

 

1 - Diagrama de Espaguete: basicamente ele é uma ferramenta que ajuda na visualização da otimização de um processo e que é de muito fácil aplicação.

Além disso, o Diagrama de Espaguete é uma ótima maneira de visualizar o fluxo em um processo e ilustrar os desperdícios que estão envolvidos no transporte ou movimentação do percurso que foi mapeado.

 

2 - 5S: é uma das ferramentas mais fáceis de ser utilizada, pois é de fácil entendimento, e tem como o principal foco aperfeiçoar o comportamento das pessoas e é baseada em 5 sensos, por isso o nome “5S”.

Basicamente, envolve uma mudança de hábitos e de atitudes, melhorando assim o ambiente de trabalho, ficando mais harmônico e consequentemente aperfeiçoando a qualidade de vida de dos funcionários.

Mas quais que são esses famosos 5S?

 

  • 1º Senso – Utilização/Descarte: apenas ter o necessário, separando o que é necessário do que não é, evitando todos os tipos de desperdício

  • 2º Senso – Ordenação: arrumar apenas o que for necessário utilizando uma metodologia eficiente para facilitar tanto o acesso quanto o manuseio. Apenas arrumar não é o suficiente, tem que estabelecer critérios para ordenação, pois só desse jeito que se consegue organizar tudo com eficácia.

  • 3º Senso – Limpeza: esse terceiro senso tem como objetivo manter o local de trabalho e os seus equipamentos totalmente limpos para o uso. A limpeza deve ser encarada como uma forma de inspeção, pois, se houver sistemática pode detectar e corrigir as falhas, para que na hora da produção funcione da melhor forma possível.

  • 4º Senso – Saúde: é um dos mais importantes, pois se preocupa com a saúde dos colaboradores em nível físico, mental e emocional e também com aspectos relacionados com a poluição ambiental.

  • 5º Senso – Autodisciplina: chegamos ao último senso, ele visa criar maior respeito e comprometimento em relação a empresa, cumprindo disciplinadamente o que foi solicitado.

 

3 - Gestão visual: esse sistema de comunicação visual serve para assegurar uma maior aderência aos padrões, de forma a completar o trabalho de acordo com a programação e sem nenhum erro.

Na área da saúde utiliza-se a gestão visual para definir a escala de trabalho, apresentar resultados de produtividade, apoiar a gestão dos leitos e também pode auxiliar na criação de sinais visuais para o departamento de emergência.

 

4 - Fluxo contínuo e Kanban: o fluxo contínuo é usado na movimentação, com pacientes ou para fornecer um serviço entre processos com o mínimo ou nenhum tempo de espera.

Na área da saúde, para criar um fluxo contínuo utiliza-se muito a ferramenta Kanban.

Mas o que é o Kanban? É uma forma de comunicação entre processos através de cartões coloridos dizendo exatamente o que é necessário e o prazo. Falando da área da saúde, o Kanban pode ser utilizado no encaminhamento de pacientes para exames, na reposição de itens do estoque e também no abastecimento da farmácia em um hospital.

 

5- Poka Yoke: ele também é conhecido como “dispositivo à prova de erros” e é uma forma de pensarmos em mecanismos que façam a prevenção de erros nos processos. O objetivo principal é sempre buscar o estágio de “defeito zero”.

Vou exemplificar o Poka Yoke na área da saúde para o seu melhor entendimento. Imagine um laboratório de análises clínicas, onde para coletar o sangue eles precisam de tubos com cores e formatos diferentes para evitar erros. Isso é um exemplo de Poka Yoke.

 

Está na hora de conhecer exemplos de hospitais que conseguiram sucesso implementando o Lean Healthcare. Vamos lá?

 

Os primeiros hospitais que tiveram resultados com a implementação dessa filosofia, foram os dos Estados Unidos.

O primeiro exemplo é sobre o Hospital ThedaCare, situado no estado de Wisconsin. Ele conseguiu reduzir o tempo de espera por internação para pacientes de cirurgia ortopédicas de 14 semanas para incríveis 31 horas, gerando assim, um aumento do índice de satisfação do paciente de 68% para 90%.

Outro exemplo estadunidense é do Hospital Avera McKennan, em Dakota do Sul, que através do Lean Healthcare reduziu em 29% o tempo de permanência dos pacientes e gerou uma economia de mais de 1 milhão de dólares na construção de novos departamentos de emergência.

Você pode estar achando que só surtiu efeito em hospitais estrangeiros, mas está enganado! Um exemplo no Brasil é do Hospital São Camilo-Pompéia, que implementou o Lean em seu pronto socorro e conseguiu aumentar de 32% para 90% o número de pacientes atendidos em até 10 minutos.

Esses são apenas alguns exemplos de muitos que existem. Os ganhos com o implemento são muitos e a tendência é de que cada vez mais as casas de saúde “abram a cabeça” e resolvam aderir essa filosofia, gerando bons frutos tanto para elas quanto para os pacientes.

 

Realmente, o Lean Healthcare mudou os processos da saúde

 

A filosofia Lean vem revolucionando diversas indústrias dos 4 cantos do mundo. E agora chegou nos hospitais, clínicas e com certeza chegou para ficar! Mesmo ainda sendo uma filosofia muito jovem, ela já trouxe significativos resultados para diversos hospitais, como você pôde ver nesse artigo.

Eu sei que é difícil esse processo de implementação, porém os resultados são grandiosos, e além de melhorar o processo como todo, pode salvar vidas!

 

“Depois da virtude, é o conhecimento o que eleva um homem sobre os demais”

 

Aposto que essa frase do poeta inglês Joseph Addison te inspirou a buscar mais conhecimento, não é mesmo? Então, nós da Voitto podemos te auxiliar nesse processo!

Quer saber como? Agora que você já sabe o que é Lean Healthcare, pode conhecer mais através do nosso novo curso online de Introdução ao Lean Manufacturing e o melhor de tudo, ele é gratuito. Neste curso você saberá mais a respeito do Lean e de grande parte de suas ferramentas. Você não pode de jeito nenhum perder essa oportunidade. Então clique no botão abaixo e se inscreva já!