Muitas empresas de sucesso mundial, como a 3M, a DELL, a Embraer, entre outras, mudaram seu jeito de pensar a produção, otimizando todo o seu processo. Mas aí você me pergunta: “Como é que elas conseguiram isso”?

Pois bem, a resposta se dá com apenas duas palavrinhas: Lean Manufacturing! Ou caso não entenda inglês, Manufatura Enxuta, em português. Isso mesmo, essa filosofia de gestão juntamente com suas ferramentas mudaram o processo de produção do mundo inteiro.

Ah, legal. Mas o que é esse tal de Lean Manufacturing? Eu sei que você está lendo esse artigo a procura dessa informação. Então relaxa! Vou lhe falar tudo sobre essa filosofia, desde o seu surgimento até como aplicar na prática.

Então primeiramente, para que você possa entender realmente em o que se trata essa filosofia, em como que ele funciona, e como posso implementar na sua empresa, é preciso compreender a motivação do seu surgimento.

É preciso voltar ao passado para entender, se prepare para adquirir uma dose de conhecimento. Então, senta que lá vem história...

 

De onde que surgiu esse termo tão famoso?

 

O surgimento desse termo surgiu através de um livro chamado “A máquina que mudou o mundo”, publicado no ano de 1990, pelos autores americanos: James Womack, Daniel Jones e Daniel Ross.

Mas o que essa obra mostra? Ela traz os conceitos e métodos de trabalhos aplicados ao Sistema Toyota de Produção (STP), que fundamentou esse novo sistema produtivo. Porém disso falarei mais a frente.

E esse livro é muito utilizado até hoje nas escolas e faculdades.  Isso para auxiliar na formação de novos líderes e gestores e mostrá-los como que podem, num futuro não tão distante melhorar o sistema de produção da sua empresa.

Então essa filosofia de gerenciamento surgiu nos EUA, certo? Errado! Ela surgiu em uma empresa automobilística no Japão, chamada Toyota Motor Corporation, muito tempo antes da publicação do livro.

Obviamente eles não conheciam o “Lean Manufacturing”. Então como que eles referenciaram essa filosofia? Utilizavam o termo TPS (Toyota Production System).

 

Mas então qual foi a motivação para seu surgimento?

 

A motivação foi a necessidade! Apenas isso? Sim! Agora você vai entender o porquê dessa necessidade

Você certamente já ouviu alguma vez na sua vida sobre a 2ª Guerra Mundial, não já? Então, ela que foi a responsável pelo surgimento dessa filosofia.

O Japão foi simplesmente devastado nesse período, as cidades de Hiroshima e Nagasaki foram as que sofreram as maiores consequências. Só que todo o país ficou socialmente, politicamente e economicamente devastado.

No pós-guerra houve uma demanda enorme por diversos produtos para a reconstrução do país, como alimentos básicos, materiais para construção de casas, peças de roupas, entre outras.

No entanto, as empresas que forneciam esses produtos apostavam na produção em massa, tendo grandes ganhos na quantidade, porém baixa variedade de produtos.

Mas, além desses materiais básicos para a reconstrução, também existia a necessidade da fabricação dos transportes, e é nesse período que a Toyota entra em ação. Vamos ver como?

Era impossível para a empresa automobilística produzir “em massa”, pois carecia grandes pátios para estoque de material, e, além disso, esse tipo de produção se restringia a produzir produtos iguais e além de grandes gastos com investimentos.

Mas como poderia mudar esse sistema produtivo? Este foi o mesmo questionamento que os engenheiros e gestores da empresa fizeram.

Eles até chegaram a pensar em implementar o sistema fordista na indústria japonesa, chegaram a fazer várias visitas em empresas estadunidenses. Porém não foi à frente.

Com isso, como bons asiáticos que são, resolveram revolucionar. Resolveram criar um processo produtivo no qual não necessitava de altos estoques, que manteria um fluxo de caixa muito mais rápido e que conseguisse atender as diversas demandas, produzindo com eficiência produtos personalizados. Ousados, não?

Este processo mais tarde se chamaria de Sistema Toyota de Produção (TPS).

Este novo sistema gerou resultado? Sim! E gerou de forma meteórica. Em poucos anos não só a Toyota, mas também outras empresas japonesas, que aderiram ao modelo de produção enxuta, já exportavam produtos competitivos no mercado internacional.

Rapidamente, o Japão já progredia e se estabilizava economicamente. Em pouco tempo o Lean Manufacturing já se espalhava pelo mundo e conquistava todo o mercado industrial. Incrível, não é mesmo?

Agora chega de história, e vamos entender mais como funciona essa filosofia.

 

Quais eram e ainda são os objetivos do Lean Manufacturing?

 

Como seu próprio nome diz, este sistema busca funcionar da maneira mais enxuta possível, buscando sempre reduzir os seus 8 desperdícios.

Mas o que são esses desperdícios? São todos aqueles fatores que não agregam valor ao produto que está sendo comercializado sob a perspectiva do cliente.

Foram listados em 7 desperdícios: transporte, inventário, movimentação, espera, produção excessiva, processamento excessivo e defeitos.

Não você não contou errado, eu realmente citei apenas 7 desperdícios. É porque mais tarde entrou o oitavo, o conhecimento.

Portanto, o principal objetivo do Lean Manufacturing é eliminar ou reduzir desperdícios gerados pelos mais diversos processos de uma empresa.

Isso traz grandes benefícios para a empresa, como uma maior produtividade, e consequentemente o seu nível de competitividade também cresce. 

 

Como aplicar o Lean na prática?

 

Para isso é preciso ir até onde o problema acontece! A implementação adequada do Lean Manufacturing visa a eliminação dos processos e atividades que não agregam valor para o cliente, o que pode ser feito por meio da aplicação do Kaizen.

Para isso, torna-se substancial estudar a empresa, observar e medir os dados, analisar os desvios e utilizar ferramentas simples, qualitativas e gerenciais para trabalhar o problema e resolvê-lo.

Além disso, conversar com os colaboradores também é uma boa pedida, pois eles se sentem mais à vontade para expor suas opiniões, dar palpites para a melhoria de todo o processo, tendo uma maior autonomia.

É aí que o Lean Manufacturing cumpre seus objetivos: maximizando o valor das operações de um negócio, aumentando o valor agregado, reduzindo tempo de produção, diminuindo os custos envolvidos, aumentando a eficiência do processo e, principalmente, diminuindo os desperdícios da empresa.  

 

E por que é importante conscientizar a todos na minha empresa?

 

Não basta apenas os gerentes e engenheiros da empresa conhecerem as vantagens do sistema Lean; a classe operária também possui a mesma necessidade de compreender a importância do pensamento enxuto que está por trás das inúmeras práticas e ferramentas hoje aplicadas no ambiente industrial.

Todos têm que remar na mesma direção, para que assim essa filosofia seja aplicada de forma correta, mais rápida, gerando bons frutos no futuro.

 

Conhecimento nunca é demais!

 

E aí, gostou de aprender e entender mais sobre esse pensamento enxuto que começou no Japão e disseminou nos 4 cantos do mundo? Espero que sim, porém, você pode saber ainda mais. Sabe como?

Através do nosso novíssimo curso gratuito de Introdução ao Lean Manufacturing disponível em nossa plataforma online. Neste curso, você conhecerá mais dessa filosofia e as suas principais ferramentas.

Não vai perder essa chance, né?