O Sistema Toyota de Produção (TPS) foi desenvolvido no Japão pelo engenheiro Taiichi Ohno, logo após a Segunda Guerra Mundial, e foi baseado no modelo de linha de produção de Henry Ford e Frederick Taylor. 

A metodologia conta com dois pilares fundamentais, que consiste na eliminação de desperdícios e produção com qualidade. Tais princípios resultaram no conceito de produção enxuta, também conhecida como Lean Manufacturing.  

O Sistema Toyota de Produção deixou de ser uma ferramenta empresarial usada somente pela companhia que a criou: a Toyota Motor Corporation.

Hoje em dia, várias outras indústrias automobilísticas como a sua própria concorrente Volkswagen, o fornecedor de autopeças Bosch e a fabricante de radiadores Dehr adotam várias de suas ferramentas em seus processos administrativos e industriais.

E esta mútua aplicação não para por aqui. Demais fábricas manufatureiras como a francesa Danone e a siderúrgica Gerdau são apenas alguns dos exemplos, que já incluem também hospitais, bancos, seguradoras e até startups em todo o mundo.

O que leva o crédito desta facilidade de implantação genérica do Lean Manufacturing são seus princípios e fundamentos enxutos, que quando ajustados nos respectivos contextos de cada companhia, se mostram perfeitamente adequados para serem implantados com sucesso nestas diferentes organizações.

Poranto, é com base nesta versatilidade de atuação que, agora, você irá conhecer as 5 razões que levam toda empresa a querer adotar o modelo Toyota de produção!

Mas antes de começarmos, vou deixar um presente para você: um Ebook do Lean Manufacturing de A a Z, onde você vai encontrar conceitos, métricas e ferramentas dessa metodologia. Não perca tempo! É só clicar na imagem abaixo. 

 

Confira as 5 razões que levam toda empresa a querer ser como a Toyota!

 

1. Processos rápidos, flexíveis e eficientes

 

A implantação do Sistema Toyota de Produção proporciona a obtenção de processos altamente produtivos e flexíveis muito por conta de suas ferramentas disponíveis que obedecem ao conceito Just in Time: a busca constante por melhores práticas que promovam um fluxo de produção suave e eficiente capaz de suportar a demanda puxada pelo cliente.

O Mapeamento do Fluxo de Valor (VSM), o programa 5S e as técnicas Kanban e SMED são apenas algumas das ferramentas mais utilizadas no ambiente industrial para aumentar a produtividade destes processos através da eliminação de desperdícios.


 

2. Produtos variados, confiáveis e inovadores

 

Se a primeira razão para a implantação do Sistema Toyota de Produção é resultante da flexibilidade e produtividade dos processos críticos de uma empresa, a segunda é decorrente da sua capacidade de ofertar produtos altamente variados e competitivos. Isto acontece por causa da consistência e autonomia que estes processos enxutos são operados.

A forma de manter esta condição viva se dá pelo conceito Jidoka, que aliado aos dispositivos Poka-Yoke, procuram garantir que a linha de montagem esteja cada vez mais capacitada para operar a prova de qualquer erro, já que são eles os geradores de produtos defeituosos.


 

3. Fluxo operacional estável e ininterrupto

 

Como vimos até aqui, o Lean Manufacturing por meio de suas ferramentas possibilita o alcance de processos extremamente eficientes que geram produtos altamente competitivos, não é verdade? Todo este cenário se revela então muito mais justificado para implantar um fluxo de produção puxado pelo cliente.

O conceito do Takt Time é empregado para assegurar que a vilã dos desperdícios enxutos não acontença: a super produção. Com isto garantido, os gestores têm uma melhor maneira para implantar melhorias sabendo que os gastos indesejáveis com estoque excessivo, processos ineficientes e produtos defeituosos sejam cada vez menores.


 

4. Colaboradores engajados e motivados

 

 

A força de trabalho de uma empresa enxuta é considerada como a chave para o sucesso do seu negócio. E isso vai desde o ajudante operacional até o diretor executivo

A diversidade cultural nestas companhias e a relação de integridade e respeito por parte de cada membro em discutir suas diferentes visões e opiniões é extremamente estimulada, já que diferentes cabeças pensam melhor que uma, não é mesmo?

Ao ingressar em uma empresa que adota o modelo Toyota de Produção, o novo colaborador é costumeiramente apresentado a todos os processos produtivos e administrativos que contemplam a organização.

Tratando-se de cultura enxuta, até mesmo os funcionários do nível mais simples e operacional podem contribuir com suas ideias de melhoria e se tornarem também os agentes de mudança em prol do crescimento competitivo da empresa.

 

5. Indicadores de desempenho constantemente estimulados

 

Uma organização que implementa o Sistema Toyota de Produção como seu sistema de gestão sempre busca melhorar: desenvolver produtos mais competitivos, processos mais produtivos, programas de treinamento mais eficazes, deixar seus clientes mais satisfeitos, e por aí vai.

A base deste fundamento peculiar é a filosofia Kaizen, que por meio de sua metodologia objetiva combater todos os desperdícios de uma organização promovendo a adoção de práticas e procedimentos mais eficientes e sustentáveis.

 

Quer gerenciar a implantação do Sistema Toyota de Produção na sua empresa e torná-la mais competitiva?

 

Já imaginou você gerenciando a implantação do Lean na sua área e até toda empresa?

Isto não é impossível e muito menos difícil de acontecer. Mas já te adianto, o caminho mais eficaz para conquistar esta competência é por meio da capacitação.

A Voitto oferece o curso gratuito de Introdução ao Lean Manufacturing para atender precisamente esta demanda de profissionais: interessados em conhecer muito mais a fundo a metodologia enxuta e em descobrir como aplicar toda a sua variedade de ferramentas!

 

 

 

Gostou do nosso artigo? Então deixe o seu comentário, seu feedback é muito importante para nós!