Você já ouviu falar sobre cadeia de valor? Quando nós decompomos uma organização em suas atividades estratégicas, torna-se possível analisar e diferenciar cada atividade com base em seu valor.

Essa análise é fundamental para a análise do planejamento e controle da produção de uma indústria e você vai entender o porquê através dos seguintes tópicos que esse artigo vai abordar:

  • O que é cadeia de valor?
  • Quais são as atividades principais da cadeia de valor?
  • 3 benefícios da cadeia de valor;
  • Qual é a relação entre a cadeia de suprimentos e a cadeia de valor?

Além de ser fundamental para a análise do PCP, a cadeia de valor também é muito importante para garantir e avaliar a qualidade dos processos. Interessado(a) em saber mais sobre as 7 ferramentas da qualidade? Não deixe de ler o nosso e-book fresquinho cheio de novidades sobre o tema para você!

Clique e confira o nosso e-book!

 

O que é cadeia de valor?

 

A cadeia de valor, criada por Michel Porter, autor de diversos livros de estratégia e competitividade, abrange todos os processos de uma organização desde a extração de matéria-prima até a distribuição do produto, se diferenciando da cadeia produtiva pelo conceito de valor atribuído por cada etapa.

Ou seja, na cadeia de Valor de Porter, o que é evidenciado em cada processo são as atividades que a organização realiza para gerar valor aos clientes.

Dessa forma, a maneira como as atividades são realizadas determina os custos e afeta os lucros da empresa, fazendo com que a organização tenha uma vantagem competitiva e, consequentemente, um crescimento econômico.

Portanto, a cadeia de valor permite a compreensão e análise do fluxo de valor agregado a cada etapa e ao consumidor final.

 

Quais são as atividades principais da cadeia de valor?

 

Como você viu, a cadeia de valor auxilia uma organização a analisar quais são as suas fontes de valor. A ferramenta é dividida em atividades primárias e atividades de apoio realizadas pela organização, como você vai ver a seguir.

 

Atividades Primárias

  • Logística interna ou de entrada: atividades relacionadas com recebimento de matéria-prima e insumos que serão posteriormente transformados no produto final;

  • Operações: maquinário, embalagens, manutenção de equipamentos, produção e todas as atividades de criação de valor que são envolvidas na transformação da matéria-prima no produto final;

  • Logística externa ou de saída: atividades relacionadas com a entrega dos produtos ou serviços aos clientes;

  • Marketing e vendas: processos utilizados para converter o lead e realizar a venda de produtos/serviços;

  • Serviço: processo que garante o sucesso do cliente e o pós vendas.

 

Atividades de apoio

  • Infraestrutura: atividades que inclui a gestão de processos uma maneira geral (área administrativa, financeira, contábil, etc);

  • Gestão de RH: atividades relacionadas à área de recursos humanos, como a admissão e treinamento de novos colaboradores;

  • Desenvolvimento tecnológico: investimentos em tecnologia para melhorar os processos produtivos da empresa;

  • Aquisição/compras: compra de insumos e de matéria-prima para fazer a empresa produzir e operar. 

Cadeia de Valor

 

3 benefícios da cadeia de valor

 

Como você já viu, é por meio da cadeia de valor que um gestor consegue visualizar os custos e lucros de uma organização, o que pode ser muito benéfico para a estratégia de uma empresa.

Mas não é só esse benefício que a análise da cadeia de valor traz, como você vai ver a seguir.

 

1. Identificação de processos que não agregam valor

 

A partir da análise da cadeia de valor, é possível visualizar todos os processos, incluindo os que não estão agregando valor à cadeia.

Dessa forma, o gestor conseguirá reestruturar os processos, ou seja, rearranjar as atividades para que sejam realizadas de maneira ideal e a empresa conseguir gerar valor.

Se os processos não gerarem o valor necessário para trazer lucros para a organização, não é viável continuar com eles.

 

2. Potencialização de processos que agregam valor

 

Da mesma forma que a cadeia de valor permite a identificação de processos que não geram valor, ela também permite a identificação dos que mais geram. A partir disso, é possível traçar planos e estratégias para potencializar essas atividades.

Essas estratégias podem incluir tecnologias e inovações nos processos produtivos, para que a empresa tenha lucros e consiga ter a vantagem competitiva.

 

3. Auxílio no planejamento estratégico

 

A cadeia de valor é uma ferramenta essencial para o auxílio da construção e manutenção do planejamento estratégico da empresa.

Isso porque, ter a ciência de processos que precisam ser reformulados e processos que precisam ser potencializados, facilita a elaboração de um plano futuro da empresa.

 

Qual é a relação entre a cadeia de suprimentos e a cadeia de valor?

 

Como nós sabemos, a cadeia de suprimentos se concentra no abastecimento e compra de matérias-primas, desde a produção até a distribuição do produto final.

Além disso, seu principal objetivo é gerar a satisfação do cliente, atendendo a todos os seus requisitos.

Já a cadeia de valor se concentra em atividades de adição de valor nas atividades para alcançar o máximo valor para seus clientes.

Portanto, a principal diferença entre as duas cadeias é que a cadeia de suprimentos foca no acompanhamento do produto em toda a linha de produção até o cliente e a cadeia de valor foca a partir dos requisitos do cliente, em que os processos podem ser alterados para atenderem a ele.

 

Entendeu tudo sobre a cadeia de valor?

 

Agora que você já sabe o que é a cadeia produtiva e a sua relação direta com o PCP, que tal fazer um curso gratuito sobre Fundamentos de Planejamento e Controle da Produção?

Nesse curso você será capaz de avaliar os processos de uma empresa quanto aos objetivos de desempenho, relacionar a estratégia da organização com o planejamento da produção e obter uma visão sistêmica do seu negócio!

Para saber mais, clique no botão abaixo!

Clique e confira o nosso curso!