O que é token?

 

A tradução literal da palavra “token” é “passe”, ou melhor, um código numérico. A ideia de token foi criada como alternativa para garantir a segurança de usuários de serviços e-banking, ou seja, que acessam bancos digitalmente.

Inicialmente, o token era fornecido por um dispositivo físico pelo qual os usuários recebiam uma senha instantânea e auto deletável.

Quando alguém acessa a conta bancária, além dos dados pessoais (como CPF e/ou RG) e a senha individual, a pessoa precisa fornecer o token que está no dispositivo.

Dessa forma, isso dificulta para o invasor fazer alguma operação em caso de roubo dos dados de algum usuário, tendo em vista que ele terá que ter acesso ao dispositivo físico que gera o token.

Hoje, o token pode ser fornecido de diferentes formas, como por SMS ou por e-mail. Sabe quando você precisa recuperar a senha do seu instagram e um código de confirmação é enviado para seu e-mail? Aquele código é um exemplo de token.

Isso mesmo, “um exemplo de token”. Essa palavrinha está relacionada não só com segurança, mas também com sistema financeiro. Não é a toa que muitas pessoas confundem “tokens” com criptomoedas.

Então, vamos conhecer o token em diferentes aplicações? Se liga no que você vai encontrar nesse artigo:

  • Principais funções do token;
  • Tipos de tokens;
  • O token dentro da blockchain e a relação com as criptomoedas;
  • Token e criptografia.

 

Funções dos tokens

 

Os tokens podem possuir duas funções principais:

1. Segurança: Como os códigos de verificação para redefinir uma senha ou confirmar um cadastrado.

2. RepresentaçãoEles são usados para representar um ativo. Sabe o que é um ativo? É a representação de algum “bem de valor” como uma moeda, um contrato ou uma propriedade.

Você já deve ter entendido superficialmente que os tokens são usados como mecanismo de segurança e que também são usados no contexto financeiro.

Em cada uma dessas funções, o token assume um papel diferente. Vamos conhecer esses papéis?

 

Principais tipos de token

 

Os tokens podem ser dos seguintes tipos:

1. Direito de acesso;

2. Ativo.

Na figura a seguir, temos exemplos de diferentes tokens que são comuns no nosso cotidiano.

Tokens ativos e tokens de direito de acesso

Quando o token assume função de segurança, ele é chamado de token de direito de acesso.

Como exemplos, temos  os códigos de confirmação para recuperação de senha no seu e-mail, o código do Uber Eats que chega por SMS quando você está fazendo a conta pela primeira vez e quando você entra no aplicativo do seu banco para fazer uma transferência.

Todos esses códigos são para conceder acesso para que você realize um serviço com segurança.

Não pense que é unicamente o código que vai proteger de algum ataque ou fraude. Na maioria dos casos, existe um mecanismo avançado de criptografia, como a função hash, envolvendo a criação do token de direito de acesso.

Lembra que eu falei que o token poderia ser fornecido por um dispositivo físico também? Os bancos costumam fornecer esse dispositivo aos clientes que possuem uma conta digital e solicitaram o recebimento do dispositivo.

Nesse caso, toda vez que o cliente vai utilizar o serviço de e-banking, ele recebe o token no dispositivo. Esse token ganha um nome especial: one time password (senha descartável) ou OTP, para os íntimos.

Quando o token é utilizado no contexto financeiro, ele é chamado de ativo.

Os tokens são comumentes confundidos com as criptomoedas, mas a verdade é que eles não são moedas virtuais. Eles assumem um papel importante dentro da blockchain e é o que veremos a seguir.

 

Tokens e criptomoedas: como se relacionam dentro da blockchain

 

As transações envolvendo as moedas virtuais, como o bitcoin, são registradas dentro da blockchain (ou cadeia de blocos). Aqui, o funcionamento dessas moedas é semelhante ao funcionamento das moeda fiduciária (as moedas que conhecemos e usamos hoje em dia, como o real e o dólar).

A grande diferença é a ausência de órgão financeiro centralizador na blockchain.

As criptomoedas são utilizadas como as moedas fiduciárias para a aquisição de bens e serviços. Os tokens não são criptomoedas, eles funcionam como “contratos”.

Quando uma empresa desenvolve serviços utilizando o blockchain (BaaS), ela precisa captar investimentos para desenvolver os negócios. Nesse caso, ela consegue os recursos através da venda de “partes” da empresa, igualmente às ações.

Essas partes vendidas da empresa são conhecidas como tokens ICO. Aqui, os tokens assumem a função de “poder de propriedade”.

Além disso, os tokens podem representar contratos feitos na blockchain. Esse é um conceito mais abstrato.

Se você firma um contrato com uma outra pessoa, garantindo um benefício ou um serviço dentro da blockchain, você está utilizando um “token contratual”.

Confuso?

Vou dar um exemplo para esclarecer isso. Sabe quando você foi em um parque de diversões e comprou uma pulseira que dava acesso a todos os brinquedos do parque por um dia inteiro? Bem, essa pulseira é um token contratual.

Ao comprá-la, você garantiu o seu direito de ter acesso aos serviços do parque. Mesmo que a bilheteria decida aumentar o preço, por exemplo, logo depois que você comprou sua pulseirinha, você continua com o seu direito de ir na montanha russa quantas vezes quiser.

Ficou mais claro?

A mesma ideia é para contratos firmados na blockchain. A cadeia de blocos mais famosa nessa área dos contratos é a Ethereum. Se você pesquisar sobre tokens e contratos inteligentes, essa vai ser a empresa que irá aparecer na maioria dos artigos.

 

Token e criptografia

 

Um tipo de token pouco conhecido mas que também vale a pena falar destacar é o Token PKI que significa Token Public Key Infrastructur. Por meio dele, é possível armazenar e transmitir informações com mais segurança. Semelhante ao caso dos tokens de direito de acesso, eles são utilizados para validar e confirmar a identidade do usuário.

No entanto, possuem aplicações mais jurídicas como: autenticidades de documentos, assinaturas digitais ou sigilo de arquivos. Os tokens PKI aplicam funções criptográficas para aumentar a segurança de dados, gerando códigos únicos e indecifráveis.

Viu como o termo token é utilizado em diferentes aplicações? É por isso que ele causa tanta confusão! Acho que você não imaginava que ele tinha significado dentro da blockchain ou que ele envolvesse conceitos de criptografia avançada para garantir segurança de documentos.

E por falar em criptografia, você gostaria de entender mais sobre isso entendendo conceitos de lógica de programação e sabendo codigificar em uma das linguagens mais populares hoje em dia? Se sim, confira o nosso curso totalmente gratuito de Fundamentos Essenciais Para Python.

Depois de concluir o curso, você será capaz de aplicar python para resolver problemas da sua área, desenvolver estruturas de código de diferentes níveis e estará preparado para entrar no mundo da computação. Gostou? É só clicar e se inscrever no botão abaixo.

Curso de fundamentos essenciais para python