Você acordou em um daqueles dias em que a lista de tarefas parece se estender cada vez mais e a hora passa sempre mais devagar (ou mais rápido)?

Passou o dia inteiro atualizando status em redes sociais, tendo devaneios ou mesmo apenas esperando o tempo passar ao invés de se preocupar com atividades que possuem maior prioridade?

Ou simplesmente sente que poderia utilizar melhor o seu tempo e aumentar sua produtividade?

 

 

Se você respondeu sim para alguma das perguntas acima, então você está no lugar certo!

A procrastinação pode ajudar a fazer com que pensamentos como “ainda há muito tempo para fazer isso” ou “não preciso fazer agora, pode ser mais tarde” se tornem frequentes, principalmente quando levamos em consideração o conhecido “jeitinho brasileiro” de fazer as atividades.

Por isso, nos tópicos abaixo iremos discutir boas práticas para impulsionar o seu dia e te ajudar a vencer a procrastinação:

 

1. Mude seu Mindset

 

O mindset é a forma como a sua mente está configurada para pensar, ou seja, como você enxerga e interpreta o mundo ao seu redor. E, por consequência, seu modo de pensar reflete os seus hábitos.

Por isso é comum vermos pessoas extremamente empolgadas ao iniciar uma tarefa mas que, dias depois, já nem mesmo se lembram de que tinham começado.

Isso ocorre porque muitas vezes estamos em um momento de excitação e euforia inicial, e sem a disciplina ou a consciência de que é necessário dar continuidade às atividades, esse momento é perdido e nossa mente começa a dar mais valor a outras coisas.

Dessa forma, para garantir que está valorizando e priorizando as funções certas no seu dia, é necessário alterar sua configuração mental. Ou seja, o primeiro passo para conseguir alterar seus hábitos é modificando também o seu mindset.

E, como não é uma tarefa fácil, será necessário muita força de vontade e determinação.

Quer saber mais? Dá uma olhada no nosso Pocket Book sobre o livro Mindset - Carol S. Dweck e entenda melhor sobre!

 

2. Comece com as pequenas coisas

 

Dê um passo de cada vez. Para eliminar o hábito de procrastinar não é necessário iniciar abraçando o mundo da noite para o dia.

De acordo com William H. McRaven, ex-integrante da Marinha de elite dos EUA (SEAL) e autor do best-seller “Faça sua cama – pequenas coisas podem mudar sua vida... e talvez o mundo”, o primeiro passo para mudar o mundo é arrumar a cama todos os dias logo após acordar.

Essa afirmação está relacionada à forma como o seu cérebro interpreta as suas ações. Fazer pequenas tarefas ao longo do dia faz com que você obtenha, pouco a pouco, o senso de orgulho pela sua conclusão, incentivando-o a realizar novas tarefas.

Além disso, a sensação de que é possível fazer pequenas tarefas diárias garante a segurança da possibilidade da realização de tarefas maiores e mais trabalhosas. Afinal, se não é possível fazer o básico, o avançado se torna algo aparentemente inalcançável.

 

3. Escolha um ambiente adequado

 

De repente a poeira no canto da mesa se tornou o foco de atenção? Ou a paisagem na janela se mostrou mais interessante?

A má escolha do ambiente de trabalho ou da realização de algumas tarefas também é um problema. Ficar em locais que facilitam a distração e a perda do foco é um erro comum cometido pela maioria das pessoas, estando entre as causas comuns da procrastinação.

Entretanto, é importante se certificar de que não haverá formas de desconcentração ao seu redor, tendo em vista que isso irá garantir que sua atenção seja fixada em suas responsabilidades por um tempo maior, levando ao ganho de produtividade.

Sendo assim, verifique seu ambiente. Quais materiais não deveriam estar ali ou poderiam ser alocados em outro lugar?

Reflexões como essa irão te ajudar a pensar melhor sobre o assunto e ajudar a manter o local de forma ideal.

 

4. Atente-se ao seu controle emocional

 

Um bom procrastinador evita suas atividades utilizando sempre este argumento: “Não estou com humor para isso, amanhã eu faço”.

Entretanto, de acordo com Joseph Ferrari, professor de psicologia na Universidade DePaul (EUA), essa reação é apenas uma forma de lidar com as emoções com as quais você não está acostumado ou preparado para enfrentar no momento, gerando um ciclo vicioso.

Assim, evite deixar que sensações como medo de falha ou sentimento de incapacidade te impeçam de fazer algo necessário: não tenha medo de agir ou de errar.

Além disso, erros são essenciais para que possamos aprender com nossos resultados.

 

5. Tenha um plano

 

Agora que já estipulamos algumas premissas básicas, é necessário definir quais atividades de fatos serão cumpridas.

Para isso, é necessário criar uma lista com todas as atividades pendentes existentes.

Após, serão definidos quais serão os critérios de prioridade para sua execução, os quais deverão guiar a organização da lista: é preciso elencar quais atividades serão realizadas no dia e quais serão realizadas em outro momento.

Alguns possíveis critérios são: nível de dificuldade de execução da tarefa (recomendável mesclar níveis diferentes, evitando deixar as mais complexas para depois), data de entrega, impacto esperado, entre outros.

Assim, deve-se buscar compreender também como essas atividades serão desenvolvidas e quanto tempo suas execuções irão levar.

E, para isso, qualquer técnica é válida: utilizar agendas (físicas ou on-line), escrever em blocos de nota ou mesmo recorrer ao Excel.

Com base nisso, busque cumprir a lista sempre que possível, levando em conta também sua capacidade de execução (não é necessário se sobrecarregar).

 

6. Tenha metas e estabeleça um prazo

 

Todo plano de ação possui uma finalidade. Quais são os resultados esperados pela realização dos planos estipulados? E qual é a data limite para que isso aconteça?

A definição de uma meta é importante para que se possa haver um parâmetro. Conseguir identificar se o resultado gerado por determinada atividade obteve o resultado previsto só será possível se você souber onde pretende chegar.

Outro ponto importante é a definição de uma data limite. Determinar um prazo permite que você possa se organizar ao longo do tempo de execução para conciliar os trabalhos necessários com outras atividades, evitando estresse e sobrecarga.

Além disso, quando não definimos uma data limite para a realização de uma tarefa, consideramos que a mesma poderá ser feita a qualquer momento, facilitando a sua não-realização ou a realização de outras atividades em seu detrimento.

Manter em mente os resultados desejados e um prazo viável e bem definido irá fazer com que seu cérebro sinta uma maior obrigação de cumprir sua realização.

 

7. Crie lembretes

 

Após um dia atarefado, algumas ideias e necessidades acabam escapando do pensamento, fazendo com que sejam esquecidas por um longo período e retomadas apenas quando sua execução for extremamente necessária.

A melhor maneira de manter em mente o que deve ser feito é criando formas de lembrá-la disso, fazendo com que a informação não seja perdida.

Assim, vale a criatividade: despertadores, post-its no escritório, calendários, agendas, lembretes via celular. O importante é garantir que nenhuma atividade será esquecida, lembrando sempre de manter a organização necessária.

 

8. Estabeleça recompensas

 

Já imaginou se no final de todo arco-íris houvesse um pote de ouro? Localizá-lo com certeza valeria muito a pena!

Você pode utilizar essa analogia para a realização de atividades: ao final de cada atividade se permitir utilizar redes sociais por determinado período de tempo, ou dar um passeio ao seu local favorito ao final do dia, por exemplo.

Aqui, a única regra é garantir que as recompensas finais sejam algo que façam todo o trabalho valer a pena.

Essa técnica está ligada à motivação. Quando sentimos que iremos ganhar algo valioso em retorno, tendemos a ter maior vitalidade e vontade em ter envolvimento com a execução.

 

 

9. Organize-se

 

Com toda a estratégia de execução já definida, é preciso ter foco, determinação, disciplina e… organização!

Reajustar seu dia de maneira que o seu tempo seja utilizado da melhor maneira possível e de forma eficiente vai contribuir para que a procrastinação não aconteça.

Uma técnica de organização bastante difundida é conhecida como Pomodoro. Em italiano, significa “tomate”; isso porque o seu criador, Francesco Cirillo, utilizava um temporizador com este formato.

De acordo com Cirillo, é possível estimular o foco e contribuir para o aumento da agilidade do cérebro dividindo o fluxo de trabalho em alguns blocos de concentração intensa.

O primeiro passo é dividir seu tempo em períodos curtos de 25 minutos cada (que seriam chamados de “pomodoro”). Durante esse tempo, o trabalho ininterrupto é essencial, onde a lista de afazeres será cumprida.

Ao final do temporizador, o progresso das atividades deverá ser anotado na lista de execução e haverá um intervalo de 5 minutos, onde você pode aproveitar para realizar atividades diversas que não estejam relacionadas às atividades que estava fazendo.

Ao longo do dia, as pausas podem se tornar maiores, limitando-as de 15 a 30 minutos. Assim, o seu cérebro será mais oxigenado, permitindo que o processamento de informações ocorra de modo mais rápido.

 

10. Faça agora o que poderia ser feito amanhã!

 

Nada de deixar para depois.

Deixe a preguiça de lado e dê início, hoje, àqueles planos que já estão formulados há meses!

Não importa se são planos pessoais ou profissionais, eles só serão realizados assim que saírem do papel, e só falta você partir para ação.

E aí? Não sabe por onde começar? Confira nossas matérias a seguir e dê início agora mesmo:

 

E então, você ainda está aqui?

Deixe o seu feedback: a sua opinião é muito importante pra nós. E, o mais importante: siga as dicas deste artigo e aja AGORA MESMO! Xô, procrastinação!