Eu sei, a volta às aulas pode ser um tanto quanto desanimadora para muitos de nós, universitários. Nesse momento, nos levantamos bravamente e dizemos: nesse período as coisas serão diferentes! Vou me dedicar no início do período, nas primeiras provas!

E então, alguns meses depois lá estamos nós de novo, estudando como loucos para conseguir passar em todas as disciplinas. Então começamos a nos perguntar: como vencer esse mal que tanto nos aflige? Por que não conseguimos manter as promessas do começo do semestre?

Não comecem a chorar agora, meus caros leitores. Eu sei que a situação é dramática e desesperadora, mas agora é hora de nos apegarmos aos fatos. Devemos analisar os porquês desse ciclo vicioso ser uma constante na maior parte dos estudantes.

Nesse artigo, tentarei te mostrar a luz no fim do túnel (me incluo nessa), algumas dicas para vencer a procrastinação e chegar no final do período tranquilo e sem desespero. Sei que não é tão emocionante quanto ter que salvar o semestre em uma semana, mas é o mais recomendado para sua sanidade mental.

Vamos lá?

 

Análise de dados

 

Como assim? Do que você está falando, Thiago? Calma aí, jovem, vou chegar lá. Independente do curso que você faça, agora é uma boa hora para ser engenheiro ou pelo menos fazer uma análise de dados.

Mas que dados são esses? Os dados do período passado, é claro! Entendeu? Isso mesmo, esse é o momento para avaliar o que deu errado no período passado, por que você deixou tudo para a última hora.

Tente-se lembrar das festas que você foi quando deveria ter ficado estudando, do tempo desperdiçado no Instagram, Facebook e WhatsApp, e que no final das contas não mudou nada na sua vida. Posso estar parecendo seus pais agora, mas você sabe que é verdade.

Um bom meio de resolver isso, ou pelo menos se dar conta do tempo que você gasta com seu smartphone, é através do aplicativo Quality Time, que mede quanto tempo você gasta com cada app em seu celular, além de ser possível definir um alerta por tempo de uso e algumas outras funções. E não, não estamos recebendo nada por essa propaganda.

A questão é que não somente eu faço uso desse app, mas também outros colunistas desse blog, como Leonardo Rodrigues que, de acordo com suas próprias palavras: “Esse app me deixou com peso na consciência, pois pude perceber o tempo que perdi com coisas inúteis”.

Infelizmente, o aplicativo só está disponível para Android, mas existem alternativas semelhantes para iOS, como o aplicativo Freedom, por exemplo.

Voltando à volta às aulas, já analisamos os dados. Então, o que fazer agora? Vamos ao próximo tópico.

 

Planejamento

 

Planejar… Essa é uma palavra que causa arrepios a muita gente, inclusive esse que vos escreve. Afinal de contas, planejar exige dedicação e gasto de tempo, além de não ser nada divertido. Todavia, o planejamento é essencial para qualquer projeto, sendo a etapa mais importante do ciclo PDCA, por exemplo.

Projeto? Como assim projeto? É, uai (sou mineiro). O projeto “Passar de Período Ileso”. Diversão à parte, é preciso encarar esse projeto com seriedade e dedicação. Mas para que haja sucesso, é necessário planejar.

Ao montar sua grade de horários, já programe sua rotina de estudos. Aqui é a hora de delegar sua atenção. Você sabe do que estou falando, certo? Isso aí mesmo, trata-se de ponderar quais são as disciplinas que exigirão maior atenção e cuidado da sua parte.

Para aqueles que trabalham ou fazem estágio, conciliar a vida profissional e acadêmica pode ser bem complicado, por isso, nesse caso é ainda mais importante saber gerenciar bem seu tempo disponível para os estudos. Vale notar, inclusive, que essa habilidade é muito necessária no mercado de trabalho.

Para fazer esse planejamento, você pode utilizar o Excel, montando uma tabela com seus horários e definindo quais serão suas horas dedicadas de estudo para cada disciplina, além de poder conciliar com outras atividades da sua rotina, como momentos de lazer, por exemplo.

Portanto, é através de um bom planejamento que você conseguirá…

 

Não deixar tudo para a última hora

 

Esse conselho é o grande tabu do universitário, e eu me incluo mais uma vez nessa triste lista. Procrastinar é muito mais fácil e agradável, afinal por que se preocupar com algo que ainda tem um mês para ser feito, não é mesmo? Podemos concluir que: o “eu” de amanhã estará mais experiente que o “eu” de hoje, logo mais capacitado para a tarefa.

NÃO FAÇA ISSO! Fuja dessa doce tentação de postergar as tarefas, os estudos e seus compromissos. Ninguém está dizendo para agir de forma “bitolada”, ignorando sua vida pessoal, seus amigos e família. Não, não é isso.

 

 

Até porque momentos de lazer são essenciais para seu corpo e sua mente se recuperarem da desgastante rotina da faculdade. Você precisa recarregar suas baterias para poder continuar funcionando de forma adequada.

O ponto é: ao invés de se sobrecarregar com um monte de matéria para estudar ou projetos para fazer em alguns dias, por que não fazer um pouco cada dia com antecedência? Não custa tentar, não é mesmo?

Deixar para a última hora te deixará desanimado, o que resulta em um desempenho ruim e irregular, que por sua vez te obriga a estudar como louco, perdendo noites de sono. A combinação desses fatores, além de prejudicar seu desempenho, afetarão na sua saúde, gerando um ciclo vicioso que parece não ter fim.

 

E aí, preparado?

 

Depois dessas dicas, eu te pergunto: está disposto a mudar seus hábitos para conseguir cumprir as promessas feitas nessa volta às aulas? Tente seguir cada uma delas com determinação, porque elas são válidas e trarão o resultado desejado.

Tudo é uma questão de rotina, de transformar uma atividade em hábito. Se precisar de inspiração, você pode ler o livro O Poder do Hábito, de Charles Duhigg. Nesse livro, o autor aborda por que fazemos o que fazemos e, através de exemplos da vida de pessoas de sucesso, ele nos mostra o quão poderoso o hábito é nas nossas vidas.

Como você deve ter percebido ao longo do texto, o importante é que haja uma mudança de mentalidade, pois só assim que você conseguirá aplicar essas dicas e transformá-las em hábitos duradouros.

Com mais uma dica nos minutos finais, acabaram-se as desculpas para a procrastinação, certo? Agora que estamos entendidos, gostaria de saber sua opinião nos comentários. Diz aí o que achou desse artigo e se você tem alguma dica a mais.

Além de ajudar os outros leitores do blog, você estará me ajudando também, pode ter certeza. Ah, e se você tiver algum relato pessoal sobre algum hábito ruim que você tenha conseguido substituir por um bom, compartilhe conosco!

Sendo assim, boa volta às aulas!