Tom e Jerry, Pantera Cor de Rosa, Papa-Léguas… Se, assim como eu você assistiu muitos desenhos entre os anos de 1990 e 2000, provavelmente você deve ter uma ótima lembrança dessas animações. 

Eram desenhos simples e ao mesmo tempo muito cativantes. Além disso, ele possuíam um detalhe que, hoje em dia, com certeza despertaria a curiosidade de muitas crianças: os personagens não falavam uma única palavra.

 

 

A arte de se comunicar por gestos, a qual os desenhos animados dominavam com tanta perfeição, é conhecida como comunicação não verbal. 

Mas não é só nos programas voltados ao público infantil que a linguagem não verbal fez história. Charles Chaplin foi um dos um principais precursores desse tipo de comunicação, através dos seus filmes.

Com as suas expressões marcantes e o seu jeito singular ele despertou o entendimento e a emoção de muitas pessoas ao redor do mundo.

E quem não se lembra do Mr Bean? Ele também deixou a sua marca registrada no mundo da comunicação não verbal. Sempre com o seu famoso Mini Cooper amarelo e preto, o ator Rowan Atkinson foi o responsável por cenas memoráveis da dramaturgia mundial.

 


 

Então, que tal se inspirar nessas referências de comunicação não verbal e aperfeiçoar o jeito com que você se expressa? Afinal, esse tipo de linguagem é responsável por 55% da nossa comunicação.

 

Comunicação não verbal

 

Assim como citado anteriormente, a comunicação não verbal é a parte gestual e compreende o que o seu “corpo fala” a seu respeito. São os movimentos que você faz quando vai acenar para alguém ou quando está nervoso e não consegue parar de balançar a perna.

Em uma apresentação de trabalho, por exemplo, a linguagem não verbal reflete na postura que você deve adotar e no jeito como você articula os braços.

Porém, controlar a expressão corporal, de modo a passar segurança e atrair a atenção do  público, nem sempre é uma tarefa fácil.

Para te ajudar nessa tarefa, separamos as dicas que a jornalista Liliane Luchin possui sobre o assunto. Ela tem mais de 20 anos de experiência na área de comunicação, então com certeza vale a pena continuar lendo esse texto.

 

Seja natural

 

O conjunto das expressões faciais, posturais e corporais de cada pessoa é único. Logo,  tentar imitar o modo com que o outro apresenta um trabalho é um dos piores erros que você pode cometer.

É importante que você tenha ciência dos seus pontos de melhoria e procure mudá-los. Mas copiar os gestos de alguém pode fazer com que a sua apresentação fique muito artificial.

 

Movimente-se

 

Não fique parado durante toda a apresentação. Movimente-se com naturalidade e elegância a fim de aumentar a interação com o público e também para não se sentir desconfortável.

Uma análise do local, antes da apresentação, pode te dar uma noção dos melhores pontos para o seu deslocamento.

 

Gestos

 

A linguagem corporal pode passar uma imagem muito diferente do que você deseja falar.

Imagine a seguinte situação: O seu amigo está te contando sobre uma situação muito engraçada, mas ele permanece o tempo inteiro com as mãos no bolso e sem expressar nenhum sorriso.

Você logo vai ficar confuso e pensar que tem algo estranho, não é mesmo?

Em uma apresentação também é assim. Procure deixar os braços mais soltos que o do  amigo do exemplo anterior, mantendo os braços à frente do seu corpo e acima da linha da linha da cintura.

Procure fazer movimentos com a palma das suas mãos voltadas para cima, é um gesto que demonstra maior afinidade com a plateia, visto que dá a entender que você está sugerindo algo e não dando ordens.

Também é importante ficar atento ao movimento das suas pernas. Evite apoiar o peso da sua perna em uma só ou encostar em algum objeto.

O  mais indicado é manter as pernas levemente afastadas, mas sem rigidez, a fim de manter o equilíbrio.

 

Mantenha o contato visual

 

A maneira como nós olhamos para as pessoas diz muito sobre os nossos sentimentos.

Não olhar nos olhos do público durante a apresentação é sinal de timidez. Lembre-se que tão importante quanto os gestos, são as suas expressões faciais.

Logo, se você não se sente confortável em começar a sua apresentação olhando para o público, comece olhando para um ponto fixo, acima da platéia, e vá descendo o seu olhar na direção das pessoas gradualmente.

Através dessa técnica, você se sentirá muito mais confortável em olhar para o público ou até mesmo em chamar uma pessoa para ter uma conversa sincera, olho no olho.

 

Pratique

 

Viu como os seus movimentos corporais podem influenciar na sua apresentação? Afinal, tão importante quanto o seu tom de voz, ritmo e dicção é o jeito como os seus movimentos complementam a sua fala.

Então não deixe de praticar a arte da comunicação não verbal no seu dia a dia, pois além de melhorar a forma como você se expressa perante outras pessoas, você se sentirá muito mais seguro na hora de apresentar um trabalho.

Agora, se a sua intenção é aperfeiçoar ainda mais a sua comunicação, faça agora o curso de Oratória e Técnicas de Apresentação. Assim, você aprenderá táticas importantes como a do Storytelling, Pitch e muitos outros artifícios para uma apresentação de alto impacto.