Você sofre de glossofobia? Palavrinha estranha, não é mesmo? Glossofobia é o nome dado ao medo excessivo de falar em público e, nesses casos, as medidas a serem tomadas são mais sérias, contando inclusive com a ajuda de profissionais capacitados a lidar com esse tipo de problema, como psicólogos.

Essas 6 dicas para falar bem em público se destinam ao quadro geral de pessoas, visto que grande parte de nós possui esse receio. Se olharmos para o mercado atual, veremos que a necessidade de falar bem em público é cada vez maior, devido ao avanço das comunicações e da tecnologia.

Assim, saber como apresentar uma ideia, como defender uma tese, como expor dados de um relatório em uma reunião com os diretores da empresa é essencial para alcançar o sucesso profissional. E isso vale para o meio acadêmico também, afinal o estudante precisa apresentar trabalhos para sua classe, um TCC para a banca examinadora, e por aí vai.

Então, pegue um papel e caneta, ou ainda seu smartphone, e anote essas dicas, pois tenho certeza de que elas te ajudarão.

 

1. Estude bastante o assunto sobre o qual vai falar

 

A primeira das 6 dicas para falar bem em público é bem simples, certo? Simples, mas fundamental. Se estamos discursando sobre um assunto que dominamos, nos sentimos imediatamente mais confiantes, o que é um fator primordial para uma boa apresentação.

Portanto, é necessário que você estude bastante o assunto da palestra em questão. Saiba mais do que apenas o suficiente para preencher o tempo da apresentação. Quanto mais conhecimento você tiver, mais autoridade você possuirá no assunto, passando maior credibilidade para a plateia.

O contrário também é verdade, pois se você não tem domínio do assunto, acaba transparecendo isso para o público e, consequentemente, sua apresentação cairá em descrédito. Além disso, falar de assuntos dos quais se tem pouco conhecimento te deixará mais inseguro, o que influenciará negativamente no seu discurso.

Logo, não deixe de dar a devida atenção à preparação para a palestra, dado que esse é um dos pontos principais de qualquer apresentação. Se você considerar útil, pode levar um papel com os principais tópicos, informações e dados anotados, o que te ajudará a não perder foco.

Mas lembre-se de não ficar preso à folha, pois apenas ler na frente da plateia tem um efeito muito ruim em sua apresentação. As anotações estão ali apenas para te guiar, o que o público quer é ouvir o que você tem a dizer.

 

2. Esteja atento à sua linguagem corporal

 

Nesse blog, sabemos o quão importante a linguagem corporal é, tendo inclusive já falado sobre como ela afeta sua imagem em uma entrevista de emprego (confira aqui). O que seu corpo transmite enquanto você fala é fundamental para uma correta interpretação da mensagem.

Nosso subconsciente envia uma mensagem automática que demonstra como você está se sentindo. Assim, você pode muito bem estar dizendo algo, mas seu corpo pode estar enviando a mensagem contrária. Como evitar isso?

Treinando sua linguagem corporal. Sim, é possível moldá-la a seu favor. Por exemplo, modificar o tom de voz dependendo do que você quer em determinado momento, usando um tom mais alto para demonstrar animação ou diminuir o tom para atrair a atenção do ouvinte e enfatizar uma informação.

Outra pergunta que fica é: o que fazer com as mãos? Parte essencial da linguagem corporal, as mãos são motivo de embaraço para muita gente quando precisa falar em público.

Pode ser difícil não cruzar os braços ou não colocar as mãos no bolso devido à insegurança ou timidez, mas é necessário que se evite esses gestos, pois passam uma mensagem negativa para a audiência, como se você estivesse fechando a ligação com os ouvintes.

Use suas mãos como ferramentas de explicação, pontuando o que você tem a dizer, envolvendo o público com gestos que criam uma conexão entre o palestrante e a plateia.

Um exemplo simples é gesticular com a palma da mão virada para cima, o que demonstra um sentimento de ligação com o público. Você está sugerindo, informando, e não dando ordens.

Para melhor se informar sobre este tópico, você pode assistir o vídeo abaixo, oriundo de um dos eventos TEDx. O palestrante, Allan Pease, fala exatamente sobre o uso das mãos na linguagem corporal, mostrando o quanto elas influenciam em seu discurso. Legendas em Português (Brasil) estão disponíveis.

 

 

Tenha cuidado para não ser exagerado, se movimentando em excesso, o que acaba distraindo a audiência. Lembre-se de que o segredo é ser natural.

 

3. Conte uma boa história

 

Já reparou como nos lembramos melhor de histórias do que dados e fatos? E por que isso acontece? Porque é assim que nosso cérebro funciona. Nos sentimos mais seguros ao dirigir um carro do que ao voar, mesmo que as estatísticas mostrem o contrário. E isso se deve às histórias marcantes sobre acidentes de avião.

É exatamente por isso que a capacidade de contar uma boa história (storytelling) é tão valorizada na hora de fazer uma apresentação que gera impacto nos ouvintes. Portanto, é necessário desenvolver essa habilidade, pois através dela você consegue criar uma conexão emocional com a plateia.

Uma vez criada essa conexão emocional, seu discurso será mais prontamente aceito e lembrado. Com isso, sua confiança aumentará e você se sentirá mais à vontade na frente das pessoas.

 

4. Conheça seu público

 

Essa é mais uma das dicas para falar bem em público que não podem ser ignoradas de forma alguma. Por quê? Bem, porque você precisará adaptar o que você vai falar de acordo com quem vai ouvir.

Imagine que você vai discursar sobre assuntos jurídicos para pessoas que não têm conhecimento da área. Se você fizer uso de termos técnicos e jargões, os ouvintes entenderão muito pouco do que está sendo dito. Assim, qual será o proveito a ser tirado de sua apresentação? Nenhum.

Existe uma frase que é atribuída a Albert Einstein que diz: “Se você não consegue explicar algo de modo simples, é porque não entendeu bem a coisa”. Sendo assim, você precisa ter em mente de que sua mensagem deve ser compreendida, pois essa é a marca de um bom discurso.

 

5. Utilize recursos visuais

 

Se for possível, faça uso de recursos visuais na sua apresentação, pois as pessoas se lembram muito melhor do que veem do que o que apenas ouvem. Sendo assim, ao expor seu conteúdo de forma visual, com a ajuda de um software como o PowerPoint, você conseguirá obter mais êxito na propagação da sua mensagem.

Esteja atento ao conteúdo dos slides, pois eles estão ali apenas para te auxiliar na apresentação. Portanto, fuja dos textos longos, animações e coisas do tipo. Não se esqueça de que o foco do discurso ainda é o que você diz.

 

6. Aprenda com cada experiência

 

De nada adianta você ler essas dicas para falar bem em público se você não estiver disposto a manter uma evolução constante. Para você não ficar estagnado em um mesmo nível sempre, você precisa aprender com seus erros e acertos.

O caminho para se tornar um grande orador não é rápido, pelo contrário, é algo que exige tempo e dedicação. Para saber como melhorar, esteja atento ao feedback dado pelo público. Até você mesmo consegue perceber alguns erros cometidos após uma apresentação, que podem ser lapidados.

Assim, mantendo essa mentalidade de aprendizado constante, você naturalmente se tornará um palestrante melhor, e o medo de falar em público terá sido vencido, se tornando apenas um “friozinho na barriga”.

 

E aí, está se sentindo confiante?

 

Depois dessas 6 dicas para falar bem em público, você deve até mesmo estar ansioso para colocá-las em prática, certo? Bem, talvez não seja para tanto ainda, mas você com certeza já se sente mais confiante.

Então, que tal se tornar o mestre dos palcos, o supremo conhecedor da arte de falar em público? Não sabe como? Fique tranquilo, pois nós sabemos. Basta se inscrever em nosso curso sobre Oratória e Técnicas de Apresentação.



 

Não deixe de nos dizer o que você achou dessas dicas nos comentários. Se você tem alguma dica que não foi mencionada, compartilhe conosco também. E não se esqueça de compartilhar esse post. Agradecemos pelo feedback!