Atingir a inteligência emocional requer muito autoconhecimento. Para auxiliar nesse desenvolvimento, o uso de técnicas de meditação, de modo geral, são ótimas formas de se conectar consigo mesmo.

A mindfulness, ou atenção plena, é uma técnica de meditação que nos propõe a estarmos presentes, focados nas atividades que estamos exercendo e a abraçar os nossos sentimentos e emoções de modo empático.

A maior parte das atividades que executamos em nosso dia a dia fazemos de modo automático. Escovar os dentes, tomar banho, pentear o cabelo, dentre outras. Quantas vezes você já se observou fazendo essas tarefas? Quantas vezes você já penteou o cabelo sentindo a escova passar por entre os fios?

Na maior parte das vezes que estamos fazendo atividades corriqueiras, estamos pensando em outras situações. Geralmente, a nossa mente não está fixa no presente, mas sim, vagueando por entre os nossos pensamentos.

Mas, como nos ancorar no presente em meio a tantos pensamentos e situações que nos envolvem? É o que você vai descobrir ao longo dos seguintes tópicos:

  • O que é mindfulness (ou atenção plena)?
  • Os benefícios da prática de mindfulness;
  • 3 métodos para praticar a mindfulness.

Vamos lá?

Se, por acaso, enquanto você estiver lendo este texto, a sua mente começar a divagar entre outros pensamentos (sejam eles bons ou ruins), de forma suave, leve-a de volta ao conteúdo do texto. Assim você já está colocando em prática a mindfulness!

 

O que é mindfulness (ou atenção plena)?

 

Mindfulness, ou atenção plena, é a capacidade de focar no presente e resistir às distrações. É um exercício mental que exige foco e atenção em suas próprias emoções e sensações.

Praticar a mindfulness é uma forma de se concentrar no momento presente e abraçar as suas sensações corporais sem julgamento. É um processo de autoconhecimento.

Essa prática auxilia no desenvolvimento do controle emocional que nos leva a refletir antes de agir.

Segundo Daniel Goleman, autor dos bestsellers “Inteligência Emocional” e “Foco”, o nosso cérebro é como um músculo do nosso corpo que deve ser exercitado para que ele possa se desenvolver.

Ellen langer, considerada a mãe da mindfulness, foi uma das primeiras pessoas a estudar a técnica e a resume como “a simples arte de perceber coisas novas”.

Ela acredita que a técnica faz com que enxerguemos as coisas familiares como se fossem novas, nos permitindo manter o interesse por algo e, consequentemente, nos levando a prestar atenção.

Para que você possa entender um pouco mais sobre essa técnica veja o vídeo abaixo. É um TED talk do especialista em mindfulness Andy Puddicombe.

Agora que você já sabe o que é a mindfulness vamos conhecer quais são os benefícios dessa prática em nosso cotidiano.

 

Os benefícios da prática de mindfulness

 

Os benefícios dessa prática são comprovados cientificamente, o que faz com que empresas como Google, Salesforce e Goldman Sachs ofereçam treinamento de mindfulness para seus colaboradores.

Essa não é uma tarefa fácil, mas implementar essa técnica à sua corporação e incentivar seus funcionários a praticá-la pode aumentar a produtividade da sua empresa e aprimorar as suas práticas de liderança, dentre outros benefícios que impactarão diretamente em seu negócio.

Para que você possa entender melhor como os seus colaboradores se sentem no ambiente de trabalho e propor técnicas como a mindfulness para melhorar o desempenho deles, separamos a nossa Planilha de Clima Organizacional. Com ela você será capaz de avaliar o grau de satisfação das pessoas que integram a organização.

Clique no banner abaixo e baixe a planilha GRATUITAMENTE.

Planilha  de Clima Organizacional

Agora que você já conhece a nossa planilha de Pesquisa de clima organizacional você vai conhecer os  6 benefícios comprovados pela ciência de praticar a atenção plena segundo uma matéria da Forbes, sendo eles:

 

Diminuição da ansiedade

A ansiedade é um sentimento importante para o ser humano. Quem nunca sentiu aquele friozinho na barriga antes de uma apresentação? 

Senti-la, em algumas situações, permite que estejamos preparados para situações de ameaça.

O problema da ansiedade é quando os seus níveis são desproporcionais, causando transtornos de ansiedade.

Estudos comprovam que a prática de mindfulness pode reduzir a reatividade ao estresse cotidiano, melhorar a qualidade do sono e auxiliar na regulação emocional, o que permite à pessoa diferenciar ameaças reais de crenças equivocadas.

A prática de mindfulness nos permite a auto-observação consciente dos nossos pensamentos, nos ajudando a vê-los como eventos mentais. É como se estivéssemos observando a nossa ansiedade pela janela da nossa casa, ela lá fora e nós dentro do quarto.  

 

Redução da idade implícita e do preconceito racial

O preconceito, de modo geral, está relacionado a falsas crenças que impedem o ser humano de aceitar e respeitar a diferença.

A prática da atenção plena pode ajudar a combater esse viés racial através da quebra de associações automáticas feitas pelo nosso cérebro, sejam elas positivas ou negativas.

Um estudo realizado pela New York University constatou que há diferença no modo como o cérebro de uma pessoa branca reconhece outra da mesma raça e quando ela reconhece uma pessoa negra.

O estudo comprovou que a prática da meditação pode mudar essas reações inconscientes.

 

Prevenção à depressão

Através da prática de mindfulness conseguimos ter uma outra percepção de mundo, encarando os desafios de forma mais aberta. Ela nos proporciona um sentimento de calma, felicidade, bem estar e nos ajuda a sermos mais resilientes.

Geralmente, quando estamos em um estado depressivo lidamos com muitos pensamentos negativos, sentimentos de culpa e falsas crenças. A mindfulness nos ajuda a entender o que está acontecendo em nosso interior e responder a isso com compaixão.

Estudos realizados na Universidade de Oxford demonstrou ótimos resultados em pacientes propensos a ter depressão através da terapia cognitiva baseada na mindfulness (MBCT).

 

Aumento da satisfação com o corpo

A insatisfação corporal é uma fonte de sofrimento entre diversas pessoas, principalmente entre as mulheres.

A autocompaixão, praticada nas técnicas de atenção plena, auxilia na aceitação do seu estado corporal. Isso pode levar as pessoas a, ao invés de se julgarem pela sua aparência, se aceitarem como são e, se for preciso, fazer melhorias para manter a saúde.

 

Melhora da cognição

A prática da atenção plena melhora significativamente a memória de trabalho, aumenta a nossa capacidade de manter a atenção e melhora o funcionamento executivo do cérebro.

 

Auxílio da diminuição das distrações do cérebro

Uma pesquisa realizada pela Harvard comprovou que pessoas que participaram de um treinamento de meditação mindfulness conseguiram regular o fluxo das sensações sensoriais do cérebro, diminuindo as distrações. 

 

E então? Desfrutar desses benefícios te interessam? 

Então continue lendo este artigo que no próximo tópico vou te ensinar a como praticar a mindfulness em momentos diferentes do seu dia!

 

3 métodos para praticar a mindfulness

 

A prática de mindfulness é rápida e é uma ótima alternativa para quem se vê perdido em meio as tarefas cotidianas e não encontra tempo para se dedicar a si próprio.

Com apenas 10 minutos do seu dia é possível praticar a atenção plena.

Pode ser feita em qualquer lugar e em qualquer situação, basta você se concentrar na sua respiração e nas sensações que está sentindo no momento.

Vamos te mostrar 3 formas de praticar mindfulness também indicadas pelo Instituto Brasileiro de Mindfulness, sendo elas:

 

1. Prática de 3 minutos (ou 3 passos) de mindfulness

 

Essa prática é uma das mais simples de atenção plena. Nela prática dedicamos um minuto a cada passo.

Passo 1: Sente-se ou deite-se em uma posição confortável. Deixe o seu corpo se estabilizar na posição escolhida e, lentamente, leve a sua atenção para o seu corpo. Permita-se sentir as sensações físicas, como por exemplo, o contato do seu corpo com a superfície em que ele se encontra. Feche os seus olhos ou deixe-os entreabertos.

Perceba quais são os seus pensamentos e emoções.

Passo 2: Comece a levar, lentamente, a sua atenção para a sua respiração. Perceba como o seu abdômen infla quando você inspira e como ele esvazia quando você expira.

Deixe a sua respiração seguir o fluxo natural dela, sem alterá-la.

Passo 3: Agora, traga a sua atenção novamente para o seu corpo. Perceba o local em que você se encontra, os sons, os objetos e a temperatura.

Abra os seus olhos devagar, terminando assim este momento de meditação.

 

2. Mindfulness de respiração

 

Nessa prática vamos passar mais tempo prestando atenção no ritmo da nossa respiração.

A respiração será a nossa âncora de atenção.

Sentado ou deitado em uma posição confortável você irá prestar atenção na forma como você está respirando.

Quando você perceber que os seus pensamentos estão te levando para outro lugar, volte, de forma gentil, a prestar atenção em sua respiração.

Faça isso quantas vezes forem necessárias para que você se acalme e se sinta ligado ao presente.

 

3. Body Scan

 

Aqui, a sua âncora será o seu corpo nas sensações ao longo da sua cabeça, até a ponta dos pés.

Nesse escaneamento corporal você prestará atenção em todo o seu corpo e, se por acaso a sua mente se distrair, gentilmente, traga ela de volta para a prática.

Faça esse exercício de 5 a 10 minutos por dia.

Lembre-se que em cada um desses exercícios você está fortalecendo e ensinando a sua mente a ter atenção plena!

Além dessas três práticas existem infinitos modos de aplicar a mindfulness com tempos variados e com diversas ancoragens.

Existem vários aplicativos para essa prática com meditações guiadas, além de vídeos no YouTube que podem te auxiliar nesse processo de autodesenvolvimento.

 

Agora que você já sabe o que é mindfulness …

 

Agora que você já sabe o que é mindfulness, como praticar e sabe da importância da atenção plena no meio corporativo está na hora de fazer alguma coisa, não é?

O primeiro passo é colocar em prática essas técnicas que te ensinamos em seu cotidiano e o próximo é levar essa prática para a sua empresa.

 

Mas como fazer isso?

É necessário que você conheça os seus colaboradores e, para isso, é importante uma boa gestão de pessoas.

Para que você possa fortalecer esse pilar em sua empresa separamos para você o nosso curso de Estruturação de Sistema de Recursos Humanos

Com ele você irá aprender a gerir os recursos mais importantes da sua empresa: as pessoas. Você será capaz de entender como melhorar a relação com seus colaboradores, fazer e aplicar uma pesquisa de clima de forma efetiva e muito mais.

Clique no botão abaixo e comece, agora mesmo, a mudar a forma como você gere os seus colaboradores!

Curso de Estruturação de Sistema de Recursos Humanos