Muito se engana quem pensa que, por conta da crise, este não é um bom momento para um engenheiro de produção. Pelo contrário, esta função se tornou ainda mais valorizada, mais importante para as empresas.

Vivemos uma fase em que as empresas precisam repensar seus processos e otimizar seus indicadores - e ninguém mais preparado que um engenheiro de produção para ter essa visão sistêmica. É isso que gera resultado! Afinal, o curso de engenharia de produção surgiu justamente com este objetivo, sabia?

A profissão foi “criada” para compreender todas as etapas de um processo - não apenas um projeto produtivo - e contribuir com os resultados das organizações. E isto é essencial, não é mesmo?

A função de engenheiro de produção se desdobra em 4 trajetórias possíveis para se posicionar no mercado de trabalho. Você conhece todas elas? Vamos conferi-las?
 

1. Trabalhar em uma multinacional

 

Esta opção é almejada por muitos: trabalhar em uma grande empresa, escolher um ambiente privado... Aqui, você pode se colocar para assumir uma posição de liderança, coordenação, gerência, diretoria, enfim, é necessário estar disposto a perseguir os desafios e metas!

No artigo Engenharia de Produção e Mercado de Trabalho, contei um pouco da minha trajetória na MRS Logística e como este trabalho foi engrandecedor para minha carreira.
 

2. Empreender

 

A formação em engenharia de produção é muito bacana porque permite uma visão holística de todo um processo. Desde o processo de suprimentos ao processo de definição estratégica, de gestão interna da organização, a mensuração dos recursos necessários para alcançar o resultado estabelecido...

Então, a especialização nesta área nos ajuda muito a desenvolver nossa competência empreendedora. Este é um caminho para aqueles que optam por ser donos do próprio negócio!

 

3. Ocupar um cargo público

 

Pense nos concursos públicos, nas possibilidades que existem dentro deste ambiente! É uma esfera muito mais estável e também muito interessante para um engenheiro de produção.

Tenho vários amigos que fizeram concursos da Petrobrás, da Polícia Federal e alguns outros concursos específicos... Eles estão muito realizados profissionalmente e, consequentemente, muito bem financeiramente.

 

4. Ambiente acadêmico  

 

Estamos chegando ao fim, e, por último, a carreira acadêmica - mas isto não quer dizer que esta área seja menos importante! Esta é a possibilidade de um engenheiro de produção multiplicar seu conhecimento, isso é algo muito nobre e tem sido muito valorizado.

É muito frequente o contato de universidades procurando por engenheiros de produção com a capacidade de dar aulas.

Como a gente sabe, nossa área está em alta e esse fervor pelo curso faz com que muitas escolas sejam criadas para poder desenvolver e capacitar novos profissionais. Por isso, estas universidades precisam de novos professores, com as devidas competências.

 

Qual é o melhor caminho para mim?

 

Esta é uma pergunta muito difícil de ser respondida porque, na verdade, a melhor trajetória é aquela que você mais se identifica! Você precisa analisar o que tem mais a ver com o seu perfil, com seus talentos pessoais, com suas habilidades, com seus anseios profissionais... Isto faz com que o processo seja, de fato, sustentável.

É essencial que você esteja, realmente, satisfeito com sua escolha, com sua realização profissional – o autoconhecimento é uma busca que sempre devemos trilhar.

Então, ao escolher um carreira que tenha sentido para você, com certeza tudo fará muito mais sentido, a realização profissional virá primeiro e o dinheiro passa a ser uma consequência disso tudo.

 

 

Espero ter contribuído com seu aprendizado!

Até logo,

Thiago.