Cost Deployment é uma ferramenta estratégica que auxilia o gestor de uma empresa na tomada de decisão, além de ser uma das principais ferramentas usadas para o gerenciamento do WCM (World Class Manufacturing). 

Com o uso desta ferramenta, é possível priorizar as ações para alcançar o resultado esperado de uma forma mais efetiva, tendo a garantia dos resultados traçados no final do processo.  

A seguir, vamos conhecer a definição de Cost Deployment e, mais adiante, veremos os sete passos para a implementação dessa ferramenta estratégica. 

Vem com a gente!

 

O que é Cost Deployment?

 

Cost Deployment ou desdobramento de custos é uma ferramenta estratégica usada para criar uma ligação entre as áreas que precisam ser melhoradas e os resultados do desempenho de melhorias. Essa estratégia é concretizada através dos pilares técnicos do WCM, que são mensurados a partir dos KPI’s

O método tem a capacidade de transformar custos de perdas, que são quantificados em um indicador comum de mesma unidade. A partir disso, a ferramenta permite definir  estratégias de melhoria que vão gerar impactos na redução de perdas, desperdícios ou atividades que não agregam valor ao produto. 

Já que estamos falando sobre controle de processos, eu vou deixar para você um eBook que ensinará o passo a passo para criar um Gráfico de Controle. 

Com essa ferramenta, você terá auxílio nos processos de gestão da qualidade. Então não deixe de pegar o seu presente, é só clicar na imagem abaixo! 

 

 

Como é estruturado o Cost Deployment?

 

O diferencial do Cost Deployment consiste na identificação sistemática de perdas e desperdícios na área analisada para depois transformá-la em poupanças. Desta forma, é possível remover a causa, avaliar detalhadamente os custos da atividade que foi removida, e, assim, melhorar o desempenho. Legal, né?

Desta maneira, o Cost Deployment é estruturado em sete matrizes, cada uma responsável por uma etapa do processo; são elas:

Processo: matriz A - localiza as perdas;

Perdas: matriz B - identifica a causa das perdas;

Custos: matriz C - valoriza as perdas;

Metodologia: matriz D - define uma metodologia para a remoção das perdas;

Projetos: matriz E - custo/benefício. 

Evolução: matriz F - plano de ação;

Orçamento: matriz G - ligação entre projetos e orçamento. 

Com essa divisão, podemos perceber que o Cost Deployment diferencia perdas de desperdícios. Sendo as perdas relacionadas ao input que estava destinado ao processo de produção, mas não foi utilizado. Já os desperdícios estão relacionados ao excesso de input que foi destinado na produção de output.   

As perdas e desperdícios podem ser agrupadas em três categorias, de acordo com a sua origem. São elas:

 

Perdas em máquinas

  • perdas que influenciam na disponibilidade técnica ou no tempo de produção;

  • perdas que prejudicam o tempo efetivo de produção, e consequentemente, interferem na eficiência das entregas;

  • perdas que prejudicam o tempo efetivo de produção com qualidade, e, consequentemente, interferem no nível de qualidade;

  • perdas nos equipamentos, como disponibilidade teórica ou tempo, mas que não geram impactos no OEE.

 

Perdas em pessoal

  • perdas de gestão que influenciam no tempo de espera por materiais ou instruções de superiores;

  • perdas com ações operacionais;

  • perdas de organização da linha de produção, como falhas na automação;

  • perdas com retrabalhos, falha na automação, controle e erros humanos.

 

Perdas em materiais

  • perda no uso de materiais;

  • perdas de energia;

  • perdas na manutenção.

 

7 passos para a implementação do Cost Deployment 

 

 

Os passos para implementação do Cost Deployment podem ser separados em três segmentos que visam a identificação, o planejamento e o acompanhamento. 

O segmento de identificação consiste do passo 1 ao 4 do processo de implementação, em que é feita a identificação e o entendimento das perdas. 

No planejamento, que envolve os passos 5 e 6, é realizada a definição dos métodos e a execução dos projetos que serão usados para combater as perdas.

Por último, temos o segmento que realiza o acompanhamento e a avaliação dos resultados - passo 7, no qual se avaliam os impactos que foram gerados na redução dos custos. 

A seguir estão os passos do pilar de desdobramento de custos: 

1. Identificar os custos totais da fábrica; criar objetivos para a redução de custos; estabelecer metas para a redução dos custos totais de produção por processo;

2. Identificar qualitativamente e quantitativamente as perdas e desperdícios dos processos; classificar as perdas; 

3. Separar em perdas causais e perdas resultantes;  

4. Mensurar o cálculo das perdas e desperdícios identificados que resultam em custos; 

5. Identificar os métodos para recuperar as perdas e desperdícios;

6. Estimar os custos para melhoria e a proporcional redução de perdas e desperdícios; 

7. Estabelecer e implementar um plano de melhoria; criar um plano de monitoramento e retornar ao passo 4. 

 

Quer ser tornar um profissional de classe mundial?

 

Até aqui você conheceu a eficiência da ferramenta Cost Deployment e quais passos são necessários para implementá-la em um negócio. 

Agora chegou a hora de conhecer o sistema de gestão integrado WCM!

Com o curso de Introdução ao World Class Manufacturing você vai aprender os principais conceitos, método de trabalho e sistema de implementação. 

Então se você achou o Cost Deployment uma ferramenta essencial para o controle do seu negócio, não perca tempo e conheça o programa que vai potencializar os seus conhecimentos. 

Gostou do nosso artigo? Deixe o seu comentário contando o que você achou e não esquece de compartilhar com aquele seu amigo que deseja estar sempre por dentro das novidades.