home
Logo Voitto
  • Home do Blog

  • Materiais Educativos

  • Segmentos

  • Lean Seis Sigma

  • Metodologia Ágil

  • Microsoft Excel

  • Power BI

  • Liderança

  • Gestão

  • Finanças

  • Empreendedorismo

  • Tecnologia e Inovação

  • Carreira

  • Cursos

  • Colunistas

  • Sobre Nós

  • Voitto Casts

  • Seja um colunista

Thiago Gonçalves 20/08/2020 - 9 mins de leitura

WCM: o que é e como funciona?

Descubra o que é o World Class Manufacturing, quais são seus pilares e como iniciar a implantação dessa metodologia em uma empresa.

Ao longo da história, podemos conferir a evolução dos métodos e técnicas de gestão, principalmente após a Revolução Industrial, no século XVIII. Em busca da excelência e da geração máxima de valor, passamos por modelos como o Taylorismo e o Fordismo até chegar no Lean Manufacturing.

Você provavelmente já conhece a história por trás do surgimento da filosofia Lean, principalmente se você acompanha este Blog de forma regular. Mas onde entra o World Class Manufacturing nessa história?

Se quer saber a resposta para essa pergunta e ainda mais sobre WCM, continue lendo este artigo.

 

O que é WCM?

 

O que é WCM?

 

O WCM, World Class Manufacturing, é um conjunto de princípios e técnicas de gestão. Fundamentado em alguns pilares que serão posteriormente apresentados, essa metodologia foca nas melhores práticas para uma gestão com zero desperdício. Se isso soa familiar, é porque o WCM compartilha de inúmeras semelhanças com a filosofia Lean.

Em meados da década de 80, quando a Toyota se destacava cada vez mais das outras empresas pelo seu Sistema Toyota de Produção (de onde o Lean Manufacturing se originou), as empresas ocidentais precisavam achar uma maneira de se tornarem competitivas.

Assim, foi surgindo o conceito de “classe mundial”, ou seja, competir pela primazia, pela liderança de mercado. Foi uma questão de tempo até surgir a Manufatura de Classe Mundial, tendo sido aplicado de forma sistemática e bem sucedida pela FIAT no ano de 2009, salvando a Chrysler da falência.

O WCM pode ser, dessa forma, visto como uma adaptação do Lean Manufacturing voltado a atender algumas características culturais do ocidente, como a ansiedade por resultados mais imediatos.

 

Pilares do WCM

 

Pilares do WCM

 

O World Class Manufacturing é fundamentado em 10 pilares técnicos e 10 pilares gerenciais. São esses pilares que direcionam toda a metodologia.

Na base, estão os 10 pilares gerenciais:

 

  • Envolvimento e comprometimento da alta administração;
  • Definir os objetivos de forma clara;
  • Mapear todo o caminho para o WCM;
  • Alocar profissionais altamente qualificados;
  • Comprometimento de toda a organização;
  • Focar em melhoria contínua para obter competência organizacional;
  • Tempo e finanças;
  • Nível de expansão;
  • Nível de detalhes;
  • Motivação dos operadores.

 

Depois, estão os 10 pilares técnicos, que são:

 

  • Segurança;
  • Desdobramento dos custos;
  • Melhoria focada;
  • Manutenção autônoma e organização do ambiente de trabalho;
  • Manutenção planejada;
  • Controle de qualidade;
  • Logística e atendimento ao consumidor;
  • Gestão preventiva dos equipamentos;
  • Desenvolvimento das pessoas envolvidas;
  • Atenção ao meio ambiente.

 

Como é possível perceber, o World Class Manufacturing sofre forte influência do Sistema Toyota de Produção, da mesma forma que o Lean Manufacturing.

 

Como começar a implantar o WCM?

 

Como implementar o WCM?

Ao olhar para esses 20 pilares apresentados, surge a questão: como vou colocar isso em prática? Afinal de contas, uma empresa é composta de diversos setores diferentes, e implantar o WCM em todos é um grande desafio.

Esse desafio se dá pelo fato de que não basta colocar em prática as ferramentas e técnicas envolvidas no WCM, pois se fizermos isso, teremos uma otimização mal feita, que dependerá sempre de alguém supervisionando e impulsionando a equipe a seguir os padrões estabelecidos.

É necessário que seja feita uma mudança na cultura da empresa, no modo de pensar de todos, sem exceção. Começando pela alta gerência, e não pela base operacional, como se costuma fazer erroneamente em muitas empresas ocidentais.

Feito essa imersão na filosofia de não gerar desperdícios, é hora de implantar o WCM. Mas como já foi dito, fazer isso em toda a organização de uma vez é um grande desafio. Por isso, é melhor escolher uma área modelo para uma primeira estruturação da metodologia.

Para isso, geralmente se escolhe a área que apresenta o pior rendimento, pois é a que oferece maior oportunidade de melhoria. Assim, seguindo os pilares, deve-se alocar profissionais altamente qualificados para essa área, que aplicarão os métodos e princípios do WCM.

Dessa forma, por estarmos lidando com apenas uma área da empresa, é possível ter um controle maior sobre o processo, garantindo o resultado esperado.

Então, depois de aplicar o WCM para uma área, podemos aplicar para o resto da empresa, levando as lições aprendidas, sabendo assim com maior precisão o que deve e não deve ser feito.

 

Sistema de auditoria WCM

 

Auditoria WCM

O WCM possui um sistema de auditoria que mede o nível de implementação do programa em uma empresa, unindo todos os sistemas e programas de uma organização em uma unidade completa.

Na avaliação é quantificado o nível de expansão, profundidade e maturidade de todos os pilares do WCM e com base no nível de desenvolvimento do sistema, a organização recebe uma certificação, que possui três níveis de desempenho. 

A seguir, comentaremos sobre cada um deles. Vem com a gente!

 

Fábrica de nível bronze

1. Possui bases bem implementadas, como o 5S, manutenção autônoma e gerenciamento visual

2. o nível bronze exige algumas técnicas de estratégia, então, uma empresa que está nesse nível, possui excelencia de negócio na área de atuação; 

3. no sistema de gestão, uma empresa de nível bronze pelo WCM foca apenas nos pilares prioritários para o seu negócio. 

 

Fábrica de nível prata

1. o nível de excelência agora é expandido para todos os setores da empresa, não mais apenas em áreas estratégicas; 

2. alcance de um nível de excelência mundial na área de atuação;

3. nesse nível a empresa implementa todos os pilares do WCM.

 

Fábrica de nível ouro 

Estado da arte - esse é um nível utópico para muitas organizações, pois exige uma dedicação muito alta em melhoria de processos. 

Porém existem empresas que conseguiram atingir o nível ouro e hoje são referência na implementação da gestão integrada e redução dos custos.  

Um exemplo é a fábrica da Iveco em Madri, que foi a primeira montadora a conquistar o nível ouro WCM em 2017.

 

Certificações WCM

 

Além das certificações que podem ser conquistadas pela empresa, o programa possui certificações pessoais, que servem como motivação para qualificar um profissional que tem o conhecimento dos métodos e ferramentas do programa.

As certificações possuem categorias iguais ao do Seis Sigma, porém as suas funções são um pouco diferentes, pois consideram o conhecimento das ferramentas WCM. São elas:

White Belt (WB): profissionais que demonstram o entendimento da teoria, das ferramentas WCM. Ele é um membro ativo do time e é treinamento com as principais ferramentas básicas do programa, como Kaizen e 5 porquês. Além disso, o profissional precisa saber aplicá-las de forma autônoma.

Yellow Belt (YB): esse profissional precisa liderar e implementar um projeto, com sucesso, seguindo um roteiro específico que combate perdas e demonstre conhecimento teórico do roteiro. 

Green Belt (GB): o profissional Green Belt deve realizar atividades semelhantes aos do White e Yellow, porém com maiores responsabilidades e em projetos mais complexos. Além disso, ele pode treinar, auxiliar e liderar times WCM a utilizar metodologias, ferramentas e sistemas. 

Black Belt (BB): é o profissional que possui certificado Green Belt em quatro pilares WCM. E, por possuir essa certificação, um Black Belt pode treinar, auxiliar, liderar, e mais ainda, pode certificar novos GB.

Master Black Belt (MBB): Além de ter as mesmas funções das certificações citadas acima, o Master Black Belt gerência locais onde Black Belts atuam. Esse profissional também deve possuir experiência superior a dois anos na implementação de um programa WCM. Além disso, ele precisa ter dois pilares adicionais aos de um Black Belt.

 

E aí, pronto para ser um profissional de classe mundial?

 

Agora você já sabe o que é WCM e quais são os pilares dessa metodologia crucial para se tornar um competidor de classe mundial. Afinal, para conseguir as melhores posições no mercado, é necessário otimizar ao máximo os seus processos produtivos com uma mentalidade de zero desperdício.

Mas não deixe somente para as empresas essa evolução de mentalidade produtiva e gerencial. Você também deve trabalhar para se tornar um profissional de maior produtividade.

E capacitação é com a Voitto mesmo, então não deixe de conferir nossos outros artigos, pois temos muito conteúdo para te capacitar tanto profissionalmente quanto pessoalmente. 

E já que o assunto deste artigo é WCM, nada melhor que começar hoje mesmo o seu curso GRATUITO de Introdução ao WCM com a gente, onde você irá ter aprender uma visão geral dos pilares, fundamentos e de métodos de otimização como o ECRS

Clique no botão abaixo, não perca essa oportunidade!

 

Curso de Introdução ao WCM

 

Não se esqueça de deixar seu comentário abaixo sobre o assunto, além de compartilhar com seus amigos que querem se tornar profissionais de classe mundial. Seu feedback é muito importante para nós!