Para otimizar e desenvolver ainda mais algumas atividades, principalmente as que participam de uma parcela da base econômica, é preciso que a tecnologia seja implantada no processo.

E nesse ponto há o surgimento da necessidade de criação de novas engenharias, que tem como seu papel integrar a tecnologia em diversos vieses.

Entre elas, temos a Engenharia de Pesca, a qual pode se tornar uma boa opção para escolha da sua carreira. Então, que tal conhecer um pouco mais sobre essa engenharia e entender o que ela é?

 

O que é Engenharia de Pesca?

 

A Engenharia de Pesca é um campo da engenharia que aborda conceitos da biologia e engenharia voltados para o bom aproveitamento dos recursos naturais aquáticos, por meio da tecnologia do pescado, da aquicultura e outras atividades de utilização e preservação desses recursos.

Ela forma profissionais que vem sendo muito procurados no mercado. Mas se engana quem pensa que ele só trabalha na costa, pois no rio também tem peixe, não é verdade?

Sendo assim, apesar de ser uma engenharia, que necessita de uma boa base na área das ciências exatas, a Engenharia de Pesca irá requerer que você tenha domínio (ou pelo menos um grande interesse) por biologia.

O perfil do graduando é, como eu disse acima, o aspirante de biologia e tecnologia, mas também aquele fera no joguinho pesca maluca!

 

 

Agora, sem brincadeira! Dá uma olhada nessas matérias que, provavelmente, vão aparecer na sua grade se você decidir entrar nesse curso.

 

Curso de Engenharia de Pesca

 

A base da graduação de Engenharia de Pesca é um pouco diferente das demais. No curso, apesar de também apresentar disciplinas de Matemática, Química e Física, as matérias da área de Ciências Biológicas já começam logo cedo e tomam conta da grade.

 

Exemplos:

 

  • Botânica Aquática

  • Zoologia Aquática

  • Malacologia

  • Microbiologia

  • Ecologia

  • Bioquímica

 

Após os primeiros anos, encontram-se as disciplinas mais específicas da Engenharia de Pesca em si. Temos como exemplo:

 

  • Dinâmicas de População Pesqueira

  • Máquinas e Motores Utilizados na Pesca e Aquicultura

  • Avaliação de Impactos Ambientais

  • Economia Pesqueira

  • Mecânica Aplicada à Pesca

  • Engenharia para Aquicultura

 

Nesse caso, utilizei as nomenclaturas da grade da UFRPE, que foi uma das universidades mais bem conceituadas pelo curso de Engenharia de Pesca no ENADE. Porém, os nomes das matérias e suas cargas horárias podem mudar de acordo com as instituições.

Além disso, o curso também possui estágio obrigatório e Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

 

Softwares que auxiliam na Engenharia de Pesca

 

Entre os softwares destacados para o graduando e profissional de Engenharia de Pesca, podemos destacar:

 

  • SEAPIS: o software tem como objetivo oferecer suporte aos técnicos e piscicultores no processo de planejamento do investimento e auxiliar a gestão econômica de empreendimentos da área, assim como a tomada de decisão.

  • InovaPeixe: possui várias ferramentas que auxiliam na gestão das pisciculturas, como a visualização de dados dos tanques, monitoramento preciso de estoque, entre outras funcionalidades.
     

Áreas de atuação

 

Se chegou até aqui, é porque está interessado, né? Então dá uma olhada nas áreas que você poderá atuar se você concluir o curso.

 

Biotecnologia

 

Na área de Biotecnologia são estudadas as substâncias presentes em outros organismos para serem utilizadas em produtos como remédios, cosméticos e até alimentos.


Aquicultura

 

O engenheiro especializado na área será responsável por toda a produção em cativeiro de seres aquáticos (peixes, caranguejos, algas, entre outros). Também cabe a ele avaliar se as condições do local de criação são adequadas.

 

Extensão Pesqueira

 

Essa área seria como uma consultoria para os pescadores de comunidades. O profissional passa para os pescadores boas práticas que aumentam a produtividade de maneira sustentável, dinamizando a atividade no local.

 

Administração e Economia Pesqueira

 

Outra atividade em que o engenheiro de pesca pode atuar é no projeto ou gerenciamento de empresas de pesca. Além disso, também pode oferecer consultoria a empresas, órgãos governamentais e não governamentais do setor.
 

Sustentabilidade

 

O engenheiro de pesca participa das pesquisas e estudos dos ecossistemas aquáticos (doce e salgada) para uma exploração sustentável e com preocupação com o meio ambiente, inclusive podendo descobrir novas espécies.

 

Tecnologia do Pescado

 

O especialista desse ramo é responsável por controlar e fiscalizar a higiene e técnicas de conservação e industrialização do pescado. O desenvolvimento de novos produtos também fica a cargo dessa área.
 

Planejamento Pesqueiro
 

O planejamento compreende a pesquisa do potencial pesqueiro de determinadas regiões e a elaboração de atividades para o seu desenvolvimento, para que o mercado explore esse potencial.

Cabe ao profissional da área também criar práticas de captura de organismos aquáticos.
 

Pesca x Aquicultura
 

Em muitos sites e até em universidades, os cursos de Engenharia de Pesca e de Engenharia de Aquicultura são entendidos como muito próximos ou equivalentes (erroneamente). Isso porque, levando em consideração sua base e grande parte das duas grades, a formação é muito próxima.

A diferenciação se dá no foco do curso. No caso da Engenharia de Pesca, encontra-se um direcionamento voltado para a pesca extrativa, atividades de ecologia, dinâmica de populações, ordenamento pesqueiro e também navegação.

Já a Engenharia de Aquicultura, não abrange atividade pesqueira e tem seu foco na criação de peixes, camarões, rãs, algas, entre outras espécies cultiváveis. Além disso, também participa do manejo e da construção de complexos aquícolas.
 

Universidades que oferecem a Engenharia de Pesca

 

São 24 as Universidades credenciadas pelo Ministério da Educação (MEC) com o nome de Engenharia de Pesca e 12 como Engenharia de Aquicultura. Porém, a maioria ainda não possui avaliação, pois ela só acontece após a primeira turma da universidade se forma.

 

Das instituições que já realizaram o ENADE, temos:

 

Pesca

 

 

Destas, apenas a UFRPE e UNIOESTE conseguiram nota máxima (5) na avaliação.

 

Aquicultura

 

 

Para saber mais sobre as avaliações e outras instituições, acesse o portal e-MEC (no site, vá em Consulta Textual).
 

Salário

 

Agora que você já sabe o que essa engenharia faz e quais as principais Universidades que a oferecem, está na hora de saber o salário desse profissional. Afinal, eu sei que você também está interessado nos peixes das notas de 100, não é mesmo?

 

 

Os valores são dispostos pela Lei 4.950/A, de 22 de abril de 1966, que especifica o salário mínimo dos profissionais de Engenharia no Brasil:

 

  • Jornada de 6 horas: 6 salários mínimos

  • Jornada de 7 horas: 7,25 salários mínimos

  • Jornada de 8 horas: 8,5 salários mínimos

 

Contudo, há bastante divergência entre os valores salariais oferecidos pelas indústrias no Brasil. Isso ocorre devido a fatores como o porte e a região onde se localiza a empresa, assim como o nível profissional do contratado.

Nas empresas, os níveis relacionados à engenharia são:

 

  • Trainee: até 2 anos no cargo;

  • Júnior: de 2 a 4 anos;

  • Pleno: de 4 a 6 anos;

  • Sênior: de 6 a 8 anos;

  • Master: mais de 8 anos.

 

Para uma média salarial do engenheiro de pesca no país, o site $alário.com.br realizou uma pesquisa e chegou ao valor de de R$ 3.736,05 no Brasil, com uma carga horária média de 43 horas semanais.

Conforme a pesquisa, a faixa de valores ficou entre R$ 2.652,59 e R$ 8.269,63. A amostra utilizada para o estudo foi de 64 salários.

As maiores oportunidades no mercado de trabalho da Engenharia de Pesca no país estão localizadas em Santa Catarina, onde se encontra o maior polo de indústria pesqueira do país.

Porém, o setor público apresenta vagas no Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente dos Recursos Naturais Renováveis), para efetuar a gestão de recursos pesqueiros e cuidar da política de fomento à pesca e à aquicultura no país.

Também no setor público, tem-se a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), tendo como função do engenheiro de pesca a inspeção do pescado e a prestação de assistência técnica ao produtor.

 

E aí, a Engenharia de Pesca te pescou?

 


 

A Engenharia de Pesca é uma área que só tende a ganhar mais visibilidade no país, devido ao grande potencial que o Brasil tem em suas mãos: uma vasta costa, rios enormes e recursos das mais variadas formas.

Sendo assim, se você realmente se interessou pela Engenharia de Pesca, pode ir sem medo! Mas olha, se ainda está com o pé atrás sobre a escolha da carreira, dá uma olhada na nossa série de engenharias que sai toda semana aqui no blog!

Ah, e deixa aquele comentário esperto com seu feedback nos contando como está sendo a escolha da sua carreira. :)

 

Dica Bônus

 

Essa é pra quem realmente já está pensando no futuro e já quer começar a se organizar! O curso de Introdução ao Excel vai iniciar a sua capacitação e te oferece ferramentas que podem te auxiliar a estruturar seu horário de estudo.

 

 

Assim, fica mais fácil para você se preparar e também para entrar com tudo no curso de engenharia que escolher!