Se você acompanha o nosso Blog, com certeza sabe o que é e para que serve o MS Excel, não é mesmo? Além disso, provavelmente também já tem algum conhecimento sobre gestão financeira, certo? Mas e sobre as funções financeiras no Excel?

Você pode estar se perguntando o que o Excel tem a ver com a área de finanças, e eu te digo que tem tudo a ver! O MS Excel é um facilitador, e nele podemos incluir as operações da gestão financeira.

Além disso, existem algumas fórmulas financeiras já prontas no software, para que assim, seja necessário apenas uma simples alocação de parâmetros. Com esse artigo, conheceremos algumas funções que envolvem prestações, juros e investimentos.

Neste post, irei unir essas duas áreas do conhecimento e assim, você poderá utilizar o conhecimento tanto no ambiente empresarial quanto em sua vida pessoal. Preparado? Então, vamos lá!

 

O que são funções financeiras no Excel?

 

Funções são fórmulas prontas que com base em um input, disponibilizam um output de acordo com o objetivo em questão.

Logo, funções financeiras no Excel são as funções com objetivo de calcular algum indicador financeiro já existente no MS Excel.

Simples, não? Vamos então ver algumas dessas funções tão úteis e aprender a como utilizá-la e interpretá-la por meio de exemplos?

 

Funções financeiras no Excel - PGTO

 

A função PGTO realiza o cálculo do pagamento de um empréstimo com base em pagamentos e em uma taxa de juros constantes.

Ela é muito utilizada também para realizar os cálculos de prestações de um investimento. Por exemplo, a compra de um imóvel ou um carro.

No Excel, para usar a função PGTO, são solicitados alguns dados de entrada, como mostrado a seguir.

Função PGTO (Taxa; nº períodos; valor presente; [valor futuro]; [tipo])

Mas o que significa cada um desses inputs? Confira na sequência.

  • Taxa: é a taxa de juros por período de um empréstimo;
  • Nº períodos: número total de pagamentos;
  • Valor presente: quantia total atual de uma série de pagamentos futuros;
  • Valor futuro: saldo em dinheiro que se deseja obter após o último pagamento;
  • Tipo: pode ser 1 (pagamento no início do período) ou 0 (pagamento no fim).

Se liga na dica do Grupo Voitto: sempre defina um referencial para movimentação financeira. Por exemplo: toda vez que tiver uma entrada financeira coloque o sinal positivo. Quando tiver uma saída colocar o sinal negativo. Parece bobo, mas muitos erros são ocasionados por conta disso.

 

Funções financeiras no Excel - Exemplo PGTO

 

Nada melhor do que um exemplo para verificar se realmente entendemos o que foi ensinado, certo? Por isso, preparei esse exemplo para você:

Suponha que você necessita efetuar um empréstimo bancário no valor de R$ 2.000 para quitar uma dívida pessoal. Pelas condições do acordo, o empréstimo será quitado em 12 parcelas, a uma taxa anual de 6% (0,5% ao mês).

A fim de verificar se seu orçamento é capaz de saldar o empréstimo, você deseja saber o valor mensal a ser pago.

 

 

Ou seja, deve-se pagar R$ 172,13 por mês para quitar a dívida. O valor aparece vermelho (ou entre parênteses) pois simula um pagamento, ou seja, uma saída de dinheiro.

 

Funções financeiras no Excel - VP, NPER, VPL e TIR

 

Neste momento, aprenderemos a fazer uma análise de investimento, identificando suas viabilidades financeiras e principais indicadores. Para isso, que tal irmos direto aos exemplos?

 

Exemplo

 

A LPM Empreiteira venceu a licitação para construção de umas das instalações das Olimpíadas 2016, no Rio de Janeiro, com investimento de R$ 781.500.000,00. Vamos calcular o lucro anual, o valor presente, o VPL, o payback e a TIR. Considerando uma taxa mínima de atratividade de 6% ao mês, este investimento é vantajoso para a empreiteira?

 

 

Vamos verificar qual é o nosso VP, valor presente, ou seja, qual a soma dos pagamentos ou lucros durantes os 35 anos descontado da taxa mínima de atratividade de 6%. A sintaxe da função VP é apresentada a seguir:

Função VP (taxa; nº períodos; pgto; [valor final]; [tipo]). Veja os argumentos dessa função:

  • Taxa: é o valor da taxa que os valores serão descontados;
  • Nº Períodos: é o número de períodos que esse pagamento vai perdurar, o tempo total do investimento;
  • Pgto: é o valor pago em cada período de capitalização.
  • [vf]: a função vf, valor futuro, é o valor residual do investimento, ou seja, é um valor recebido ao fim do período total. A venda da sucata do equipamento seria um exemplo. O fato de esse argumento estar entre colchetes indica que seu preenchimento é opcional.
  • [tipo]: o tipo é para identificar se os pagamentos são efetuados no início (1) ou no fim dos períodos de capitalização (0). Caso não preencha esse argumento, ele será 0.

Agora que já estão entendidos os argumentos, vamos preencher:

 

 

Perceba que o argumento “pgto” foi preenchido como negativo, isto acontece porque o Excel considera que esse é um valor de saída do caixa, mas no nosso caso ele é um valor de entrada. Por isso, temos de inverter o sinal para que não retorne a um valor de lucro acumulado negativo.

Já o VPL é o valor dos fluxos de entrada menos os fluxos de saída, corrigidos no tempo. É o lucro do projeto.

O Payback Descontado indica quanto tempo será necessário para quitarmos todo o investimento inicial. O nome descontado vem do fato de levar em conta o valor temporal do dinheiro.

A função que retorna o Payback é a função NPER (taxa; pgto; vp; [vf]; [tipo]), que indica o número de períodos que é necessário para obter o retorno do investimento ou quitar um empréstimo, por exemplo. Tais argumentos, nós já sabemos seus significados, certo?

Efetuando essas operações aqui mencionadas, temos o seguinte cenário para a solução:

 

 

Interpretando os valores acima, temos que o prazo para retorno do investimento é em torno de 13,3 anos e um saldo final positivo.

Em um período de 35 anos, o investimento é recuperado, remunerado à taxa exigida de 6% e ainda cria um grande valor.

Agora, trabalharemos o VPL novamente e a TIR. Perceba que, na primeira parte, temos um pagamento anual fixo (lucro de R$ 87.000.000,00) e calculamos o Valor Presente Líquido atualizando os fluxos futuros e descontando do valor do investimento inicial.

De uma maneira alternativa, e que reflete a maioria dos casos, essa série de pagamentos varia entre os períodos. Para esse exemplo, usaremos a tabela a seguir:

 

 

Neste caso, podemos utilizar diretamente a função “=VPL(taxa;valores)”. Basta selecionar a taxa e o intervalo que contém os valores a partir do mês 1. Ele retorna o valor desses fluxos automaticamente.

Após isso, é só subtrair o valor do investimento inicial e temos a resposta do VPL.

Outro importante indicador que será trabalhado agora é a chamada Taxa Interna de Retorno, a TIR. Ela é a taxa que faz com que o VPL seja nulo.

Se perguntarmos: nas fórmulas “VP” ou “VPL” acima, qual a taxa faria com que o valor presente retornado fosse zero? Essa é a TIR.

 

 

Para usarmos essa função, devemos inserir no campo “Valores” os fluxos de caixa referentes ao período. Esses fluxos são compostos por um investimento inicial e uma sucessão de lucros constantes por 35 anos. Ou seja, calcula a taxa de uma série de pagamentos futuros de um investimento.

Note que não preenchemos o argumento “[estimativa]”. Este é um valor estimado da TIR, que seria utilizado inicialmente para o cálculo. O cálculo da TIR é realizado através de interações, portanto quanto mais próximo do real for o valor da estimativa, menos iterações serão necessárias.

Essa função financeira no Excel é usada para avaliar projetos de investimento, pois é sua taxa de retorno. Se, por exemplo, possuirmos uma TIR muito baixa, indica que a taxa de retorno do projeto é baixa.

No exemplo acima, nossa TIR foi de 10,83%, significando que o nosso retorno é superior aos 6% cobrados, o que indicaria que o projeto seria aceito, pois é capaz de remunerar a taxa exigida.

A TIR, VPL e Payback conjugados são alguns dos indicadores mais utilizados em análise de projetos de investimento.

Só por curiosidade, repita o cálculo do “VP”, mas agora coloque a TIR como taxa e veja o que ocorre: o valor é nulo!

 

Funções financeiras no Excel - Principais erros

 

O principal erro de qualquer função financeira é a definição equivocada dos referenciais positivos e negativos.

Se adotar como referencial que todas as entradas são positivas, mantenha esse referencial até o final.

Outro ponto de atenção é o sinal dos valores presentes nas células. Eles são grande fonte de erros, como já mencionei neste artigo.

 

Funções financeiras no Excel - Saiba mais!

 

Agora que você já sabe quais são as principais funções financeiras no Excel, bem como aplicá-las, que tal aprender um pouco mais de gestão financeira com o Grupo Voitto?

Disponibilizamos GRATUITAMENTE o curso Fundamentos Essenciais da Gestão Financeira, mas se você quer se aprofundar ainda mais no conteúdo, te convido a se matricular no curso de Gestão Financeira e Análise de Investimentos.

Se o seu foco é o Excel e você tem pouco conhecimento no software, nós também deixamos GRATUITAMENTE o curso online de Introdução ao Excel 2016. Mas se você já tem um conhecimento básico de Excel e quer se tornar uma espécie de ninja do software, o curso indicado para você é o Formação Master em MS Excel.

Nesse curso, você terá um contato com a versão mais atual desse software, irá aprender desde o básico até o avançado da ferramenta MS Excel para assim alavancar de forma considerável suas planilhas nas mais diversas áreas de atuação.

 

 

E aí, gostou desse conteúdo? Suas dúvidas foram esclarecidas? Conta pra gente e nos ajude a melhorar ainda mais esse post e ajudar mais pessoas. Seu feedback é importante para nós.