Cursos mais novos e não tradicionais muitas vezes não são nossas primeiras opções em vista, ao contrário das graduações de Engenharia Civil, Elétrica ou Mecânica.

Contudo, é importante abrir nosso leque quando iniciamos a procura por uma carreira. Nesse meio, para os inclinados à mecânica mas com gosto para o mar e suas embarcações, encontra-se a Engenharia Naval.

Então, que tal conhecer mais sobre essa engenharia que alcançou seu lugar no mercado e possui uma enorme importância na economia do país?

 

O que é Engenharia Naval?

 

A Engenharia Naval é (mais uma vez!) uma das especializações da Engenharia Mecânica, que se desenvolveu e se ampliou para diversos segmentos. Hoje, ela compreende conhecimentos e técnicas voltadas para a exploração de recursos marinhos.

Apesar da imagem do engenheiro naval ser ligada automaticamente à construção de navios, a profissão abrange outros segmentos muito importantes e que também são requisitados no mercado (isso você já vai ver no tópico de Áreas de Atuação).

Para entrar no curso de Engenharia Naval é necessário que você goste e, de preferência, seja bom nas ciências exatas. Além disso, se você curtia fazer barquinhos de papel na infância, já pode dizer que tem experiência na área!

 

 

Mas é claro que para se capacitar e se tornar um bom profissional, você terá que passar por diversas disciplinas. Então, continue acompanhando…

 

O curso de Engenharia Naval

 

No curso de graduação de Engenharia Naval, assim como nas outras engenharias, temos uma forte base de disciplinas da Matemática, Física e Química, além de Programação e Desenho. Logo após os primeiros anos, começam as matérias mais específicas do curso como:

 

  • Processos de Fabricação;

  • Mecânica dos Corpos Rígidos;

  • Tecnologia de Sistemas Oceânicos;

  • Resistência Estrutural;

  • Arquitetura Naval;

  • Máquinas Marítimas;

  • Hidrodinâmica;

  • Projeto de Sistemas de Máquinas;

  • Logística de Transporte Aquaviário;

 

Nos últimos períodos do curso, o graduando deve realizar o estágio obrigatório e também o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). É importante lembrar que a grade, os nomes e as cargas horárias podem mudar de acordo com a instituição escolhida.

 

Softwares que auxiliam a Engenharia Naval

 

No ambiente profissional, o engenheiro naval pode (e deve) utilizar softwares e ferramentas que o auxilie no planejamento e execução de várias etapas de projetos. Entre eles, temos:

 

  • AutoCAD: referência em todos os âmbitos das engenharias, o AutoCAD na indústria naval também é muito utilizado para realizar projetos de construção de embarcações.

  • ShipFlow: software especializado em simulação dinâmica de fluidos. É uma  ferramenta completa de CAD/CAE para otimização hidrodinâmica eficiente de navios.

  • WAMIT: realiza análises hidrodinâmicas através de estudo das interações de ondas com plataformas offshore e outras estruturas ou embarcações.

  • MAXSURF: essa ferramenta é voltada para modelagem tridimensional de cascos, realizando cálculos de estabilidade intacta, avaria probabilística e cálculos estruturais.

 

Áreas de Atuação da Engenharia Naval

 

No mercado, a Engenharia Naval se aplica aos setores de Construção Naval, Gerenciamento de Logística Fluvial e Marinha, Pesquisa e Desenvolvimento e Engenharia Oceânica.

 

Construção Naval

 

Nessa área, o engenheiro naval projeta e participa da construção de navios e outros sistemas flutuantes. Realiza a manutenção de embarcações e de seus componentes e cuida das especificações técnicas e operacionais da construção.

Além disso, participa da fiscalização e construção de plataformas marítimas de exploração de petróleo.

 

Gerenciamento de Logística Fluvial e Marinha

 

Aqui, o engenheiro naval é responsável pela logística do tráfego de embarcações. Ele planeja e organiza o transporte de carga marítimo e fluvial, organizando todas as etapas necessárias no envolvimento dessa atividade, como o embarque e o desembarque.

Também é papel desse profissional fiscalizar as operações que compreendem outros meios de transporte.

 

Pesquisa e Desenvolvimento

 

A área de P&D é bem abrangente para o profissional de Engenharia Naval. O estudo de novas tecnologias auxilia no segmento de construção naval, transporte marítimo, segurança das embarcações, operações de sistemas e muito mais.

 

Engenharia Oceânica

 

Na Engenharia Oceânica, o engenheiro se envolve no planejamento, construção e manutenção das redes das plataformas de petróleo, incluindo os tubos de exploração da matéria prima.

Compreende ao engenheiro especializado na área, também, a resolução de problemas que surgem ou possam surgir em embarcações e outros sistemas flutuantes.

 

Aquecimento do setor naval

 

A baixa no setor naval vem desde o período pós 2014, onde diversos estaleiros foram fechados em todo o país afetados pela crise política e da Petrobras.

Porém, segundo o site Portos e Navios, o clima foi de otimismo na feira Marintec South America 2018/Man.U.Tec 2018, com a perspectiva de retomada de crescimento em 2019.

O gerente do departamento de Gás, Petróleo e Cadeia Produtiva do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luiz Marcelo Martins Almeida, afirma que 2018 deve ser o último ano de crise para o setor naval.

Segundo ele, a alta na cotação do petróleo e os projetos adquiridos nos leilões dos últimos anos são fatores que irão impulsionar as empresas petrolíferas à retomar os investimentos em embarcações.

Sérgio Bacci, vice-presidente do Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval), ressalta também a retomada da indústria naval através do recurso do Fundo da Marinha Mercante (FMM), que permitirá à Marinha a renovação de parte de sua frota, aumentando a demanda no mercado.

 

Universidades que oferecem Engenharia Naval

 

Agora, é preciso conhecer as instituições que oferecem o curso de Engenharia Naval para encontrar o melhor lugar para você estudar. No Brasil, temos seis universidades credenciadas pelo Ministério da Educação (MEC):

 

 

Além dessas, temos na Universidade Federal do Rio Grande (FURG) o curso de Engenharia Mecânica Naval.

Para saber as notas dessas e outras universidades em todas as avaliações do MEC, acesse o portal e-MEC (no site, vá em Consulta Textual para encontrar as informações).

 

Salário e Mercado

 

Se você está querendo saber o salário do profissional de Engenharia Naval para decidir se realmente quer fazer o curso, se prepare pois vai descobrir agora!

No Brasil, a Lei 4.950/A, de 22 de abril de 1966 dispõe sobre salário mínimo dos profissionais de Engenharia, Arquitetura, Química e Agronomia:

 

  • Jornada de 6 horas: 6 salários mínimos

  • Jornada de 7 horas: 7,25 salários mínimos

  • Jornada de 8 horas: 8,5 salários mínimos

 

No entanto, quando estamos no mercado de trabalho, os valores podem destoar bastante uns dos outros. Isso porque ocorrem alguns fatores que influenciam diretamente nessas variações, como: a região onde se localiza a empresa, o seu porte e também o nível de experiência profissional do empregado.

Nas empresas, os níveis relacionados à engenharia são:

 

  • Trainee: até 2 anos no cargo;

  • Júnior: de 2 a 4 anos;

  • Pleno: de 4 a 6 anos;

  • Sênior: de 6 a 8 anos;

  • Master: mais de 8 anos.

 

Sendo assim, alguns sites como o  $alário.com.br realizam pesquisas (nesse caso com 92 salários de amostra) para encontrar a média salarial real dos engenheiros navais.

De acordo com a pesquisa, a média encontrada, com uma carga horária de 42 horas semanais, é de R$ 10.640,45, aqui no Brasil. A faixa salarial mostrada pelo site fica entre R$ 7.554,72 e R$ 23.373,81.

Para encontrar valores de empresas reconhecidas, procurei no blog Love Mondays (outra fonte que também uso para pesquisa de salários) e o resultado foi:

 

  • Petrobras: R$ 12.526,00

  • Marinha do Brasil: R$ 10.390,00

  • Amazul: R$ 9.680,00

 

Pronto para construir seu navio?

 

 

Agora que você conheceu todos os detalhes do curso e da profissão de Engenharia Naval, você pode começar a vislumbrar seu futuro nessa área, seja construindo embarcações ou em outros segmentos de atuação!

Entretanto, se você ainda tem alguma dúvida quanto ao caminho que deve seguir, acompanhe nossa série de engenharias que sai toda semana aqui no blog. Ah, e se ainda restou alguma dúvida ou sentiu falta de algum conteúdo, comenta aí e me dê seu feedback. :)

Dica Bônus

 

Essa é pra quem realmente já está pensando no futuro e já quer começar a se organizar! O curso de Introdução ao Excel vai iniciar a sua capacitação e te oferece ferramentas que podem te auxiliar a estruturar seu horário de estudo.

 

 

Assim, fica mais fácil para você se preparar e também para entrar com tudo no curso de engenharia que escolher!