A gestão do trabalho remoto passou de tendência à realidade para muitos líderes por conta da adoção do home office na pandemia. Em alguma medida, todos os gestores precisaram se adaptar para fazer o trabalho a distância funcionar.

Porém, ainda existem várias pontas soltas que são alinhadas com o tempo para garantir que a gestão no trabalho remoto seja tão eficiente quanto no presencial. Com a mudança no mundo do trabalho, fazer uma boa gestão de equipes ganhou novos significados e outras habilidades se tornaram importantes. 

Vamos conferir agora quais são. Neste post, você vai ver:

  • Habilidades da gestão do trabalho remoto;

  • Microgestão no trabalho remoto;

  • Gestão do trabalho remoto precisa de confiança;

  • Dicas para fazer uma boa gestão no trabalho remoto ;

  • Tendência ao trabalho remoto e híbrido;

  • Software para a gestão do trabalho remoto.

 

Habilidades da gestão do trabalho remoto

 

Um dos primeiros passos que precisamos dar na gestão do trabalho remoto é entender que ele não é melhor ou pior do que o presencial, ele apenas depende de outros fatores para funcionar bem.

A comunicação eficiente, por exemplo, no home office está apoiada em softwares de mensagens, trocas de arquivos e videoconferências, já que não podemos mais ir até a mesa dos colegas para explicar e tirar dúvidas. 

Desta forma, soft skills normalmente reconhecidas como de um líder, tais como autoconfiança e carisma no trabalho remoto acabam perdendo espaço para a proatividade e confiabilidade. Nesse momento, ações acabam valendo mais do que palavras.

Para isso, a contribuição de um gestor precisa ficar clara para o time, pois o senso de comunidade fica mais sensível em um ambiente remoto e o sentimento de pertencimento é essencial para fazer o trabalho funcionar.

Segundo uma pesquisa do Runrun.it, 22% dos 252 colaboradores de agências entrevistados se sentem mais sozinhos em home office.

As principais habilidades para fazer a gestão do trabalho remoto são: 

 

  • Capacidade de se comunicar de forma clara; 

  • Delegar tarefas

  • Oferecer feedbacks construtivos; 

  • Organização; 

  • Motivar a equipe; 

  • Construir relacionamentos de confiança. 

 

Microgestão no trabalho remoto

 

Como todos estão em fase de adaptação, o trabalho e as escolhas dos gestores impactam bastante a equipe e vice versa.

Por exemplo, se os gestores optarem pela microgestão e os colaboradores se sentiram pressionados, estressados e ansiosos, por consequência, vão enxergar com maus olhos o trabalho remoto. Esse modelo de gestão pode, até mesmo, provocar a síndrome do impostor.

A chave para eliminar esse cenário é a confiança e a boa administração das informações e prazos.

Com os gestores recaindo na microgestão, é possível que haja uma queda na produtividade – ainda mais se considerarmos o cenário de pandemia no qual estamos vivendo.

Conforme a pesquisa do Centro de Inovação da Escola de Administração de Empresas de São Paulo (FGV-EAESP), das 464 pessoas ouvidas 36% acham difícil ou muito difícil continuar com a mesma produtividade.

Para uma pesquisa do Runrun.it, citada anteriormente, os entrevistados indicam estar trabalhando mais horas para entregar a mesma quantidade de tarefas. Uma das hipóteses do estudo, no entanto, é que remotamente a aprovação de demandas pode estar ocorrendo em um ritmo mais lento.

 

Gestão do trabalho remoto precisa de confiança

 

Se os gestores não confiam em sua equipe e acreditam que os colaboradores não possuem as competências necessárias para desenvolver um bom trabalho, os funcionários se sentirão desmotivados.

Para construir uma relação de confiança recíproca, o primeiro passo é a delegação de tarefas. Dessa forma, você como gestor vai estar à disposição para dar direcionamentos e feedbacks enquanto o seu time desenvolve o trabalho. 

Para um controle do home office eficiente e não abusivo, delegue tarefas e acompanhe o seu desenvolvimento, isso melhora o clima da equipe e também aumenta a confiabilidade de ambos.

Eva Rimbau, professora de Recursos Humanos e Organização da Universidade Aberta da Catalunha, na Espanha, assinala, em entrevista ao El País, que o teletrabalho oferece “menos promoções, menos capacitação e menos feedback sobre o desempenho por estarem um pouco fora de vista”.

Por isso, é essencial que os líderes encontrem formas de lidar com as deficiências do trabalho remoto.

Outra dificuldade do home office é que temos a sensação de estarmos em casa e no trabalho ao mesmo tempo. É preciso saber delimitar o período de dedicação para cada uma das funções do dia a dia.

O papel do gestor, neste cenário, é respeitar o período de trabalho e lazer dos colaboradores. Os aplicativos de conversas informais podem ser um bom veículo de interação, mas não devem ser usados de forma abusiva, como se a equipe precisasse estar à disposição 24 horas por dia. 

Os colaboradores se sentirão mais motivados no home office se houver uma gestão do tempo que respeite seus horários e o gestor precisa dar o exemplo.

Em entrevista ao El País, o professor de Psicologia Social da Faculdade de Relações Trabalhistas e Recursos Humanos de Granada, na Espanha, Francisco Díaz Bretones, lembra que o cansaço físico é mais facilmente recuperado do que o desgaste mental em uma atividade. 

 

Dicas para fazer uma boa gestão no trabalho remoto 

 

Além da confiança e respeito, existem outras ações que as empresas e os líderes podem fazer para melhorar a gestão no trabalho remoto. São elas: 

 

1. Comece as mudanças de cima

O board da empresa ou pessoas que possuem cargos c-level precisam adotar a mentalidade do trabalho remoto, incentivando os comportamentos favoráveis (como flexibilidade e autogestão).

Dessa forma, eles se tornam um exemplo a ser seguido, guiando a postura dos gestores e por consequência dos colaboradores.

 

2. Crie programas de apoio

Um relatório da Fundação Instituto de Administração (FIA), com 48 empresas do país, constatou que, em abril, 66% das organizações ouvidas faziam nenhum tipo de acompanhamento sobre a saúde mental no home office. Dentre os cuidados, estão:

  • Atendimento realizado pelo setor de recursos humanos (50%);

  • Atendimento com psicólogos da empresa (41%);

  • Material de apoio (43%) ;

  • Monitora a saúde mental e física por meio de pesquisas (39%);

  • Palestras (25%);

  • Treinamento aos líderes (20%);

  • Atendimento com psicólogos terceirizados (11%).

 

3. Faça feedbacks mais frequentes

Como novos processos estão sendo implementados é importante colher feedbacks dos gestores e também dos colaboradores para entender o que está “solto”, o que está funcionando e o que precisa ser melhorado.

 

4. Tenha momentos de interação

Para muitos colaboradores, as interações do trabalho estão sendo a principal forma de convívio. Para tornar o ambiente mais agradável, estimule conversas paralelas em momentos específicos, que não vou atrapalhar o fluxo de trabalho, mas vou estimular a sensação de pertencimento à equipe.

 

5. Converse com seus pares

Nesse momento, conversar com outros líderes que estão passando pela mesma situação pode ser um verdadeiro alívio. Entenda que esse não é o momento de esconder o jogo e sim trocar ideias para entender o que pode ser adaptado a sua realidade.

 

Tendência ao trabalho remoto e híbrido

 

A pandemia trouxe algumas mudanças permanentes para o mundo do trabalho.

Há, tanto empresas possibilitando o home office permanente aos colaboradores que se sentirem mais confortáveis, como também há médias e pequenas instituições encarando o teletrabalho como uma fonte de economia e entregando os lugares físicos, que usavam como escritório, para seguir no modelo remoto pós-pandemia.

Conforme mostra uma pesquisa do Runrun.it, mesmo esta sendo a primeira experiência para 80% dos entrevistados, 85,6% dos gestores ouvidos gostariam de continuar remotamente.

Em relação aos colaboradores, o desejo por operar a distância cai para 57,5%. Em relação ao trabalho híbrido, os funcionários demonstram uma inclinação de 81,5% à adoção do modelo que alterna dias presenciais e remotos de trabalho. 

 

Software para a gestão do trabalho remoto  

 

Ao trabalhar remotamente é importante que os gestores tenham também as melhores ferramentas para garantir que a comunicação, o fluxo de trabalho e as entregas estejam ocorrendo como deveriam.

O Runrun.it é uma plataforma completa para a gestão no trabalho remoto, já que permite que você tenha a visão do todo e acompanhe as tarefas em que a sua equipe está trabalhando em uma única página.

Além disso, você registra informações e decisões importantes em um único lugar. Obtenham também relatórios gerenciais automatizados de produtividade, alocação do tempo e de custos, tudo para facilitar a sua gestão! Crie agora a sua conta grátis no runrun.it.

 

Texto produzido em parceria com o Runrun.it.