A ICO é uma mistura dos conceitos de financiamento e crowdfunding, utilizando a tecnologia blockchain para captação de recursos para um empreendimento.

Devido ao fato de as ICOs estarem relacionadas à blockchain e à de descentralização, essa forma de investimento tem ganhado popularidade nos últimos anos.

Por meio da ICO, as startups e novas empresas conseguem angariar fundos significativos rapidamente, evitando processos burocráticos, que atrasam o desenvolvimento do produto e/ou serviço que elas pretendem oferecer.

Nesse texto, você vai conhecer mais sobre a ICO, descobrindo diferentes aspectos sobre esse tema, como:

  • O que é ICO?
  • A história da Oferta Inicial de Moedas;
  • As etapas de funcionamento;
  • Onde e como investir na Oferta Inicial de Moedas;
  • Empresas, ICO e fornecimento de serviços;
  • É seguro investir em ICO?

Interessado em saber mais do assunto? Então, continua a leitura!

 

O que é ICO?

 

ICO significa “Initial Coint Offer”, ou seja, Oferta Inicial de Moeda. A ICO funciona como uma IPO, ou seja, um método para captação de investimentos para empresas que utilizam algum recurso da tecnologia blockchain.

O mais comum é uma empresa criar e ofertar tokens (como ações ou criptomoedas) para venda no mercado e, com, isso captar os recursos.

Antes de você seguir no texto, quero deixar claro que tenho noção que, quando falamos de finanças e investimentos, termos como IPO, ROE, ROI e muitos outros causam bastante confusão.

Por isso, preparamos um curso de gratuito de gestão financeira para você dar os primeiros passos no entendimento sobre mundo de finanças e investimentos. Confere o curso gratuito abaixo!

Curso gratuito de fundamentos essenciais da gestão financeira

 

Depois de descobrir o conceito de ICO, que tal conhecer como a prática de oferta de moedas digitais começou?

 

A história das ICOs

 

Senta que lá vem história…

A primeira ICO apresentada no mercado foi a criptomoeda mastercoin da empresa de mesmo nome, em 2013. A MasterCoin utilizava a mesma rede blockchain do bitcoin.

Na  época, a oferta da empresa conseguiu arrecadar mais de US$ 5 milhões e, com isso, conseguiu capital para efetuar as soluções de inteligência para o processamento e gerenciamento numerário.

Depois do feito, outras empresas viram que era possível entrar na rede blockchain para conseguir captar recursos e desenvolver seus negócios.

Um case de sucesso na história das ICOs é a Ethereum. No entanto, dessa vez, diferente da MasterCoin, a Ethereum criou sua própria blockchain e a criptomoeda Ether (ETH).

A Ethereum se tornou uma das principais plataformas de blockchain hoje em dia, sendo referência quando falamos de contratos inteligentes.

Interessante, não é? Além das ICOs terem o potencial de trazer um retorno significativo para as empresas, o processo de funcionamento da oferta inicial de moedas não é tão complexo como muitos podem pensar.

Que tal aprofundar seus conhecimentos sobre o funcionamento da ICO? É só ler o próximo tópico?

 

As etapas de funcionamento da ICO

 

O funcionamento das ICOs é bastante simples. Consiste basicamente em três etapas: abertura, encerramento e distribuição.

 

Abertura

A empresa lança no mercado tokens ou criptomoedas e pessoas interessadas podem comprar com outra criptomoedas ou moedas fiduciárias (dólar ou real, por exemplo).

Parece incoerente a ideia de comprar uma criptomoeda com outra criptomoeda?

Bem, imagine que você acredita que a moeda que está sendo vendida tem possibilidade de se valorizar mais do que a moeda que você possui. Isso pode ser um bom negócio, não acha?

 

Encerramento

Aqui não deixamos a meta em aberto...

A oferta de moeda já entra no mercado com uma data de limite. Quando a data é atingida, é verificado se o capital atingido é maior ou igual ao capital desejado. Se sim, a ICO segue para a fase de distribuição. Se não, o capital retorna para as mãos dos investidores.

 

Distribuição

Caso o capital seja atingido, as criptomoedas ou os tokens são distribuídos e já podem ser utilizados pelos investidores.

Viu como as etapas para lançar uma ICO são simples? Veremos a seguir onde e como é possível fazer investimentos com essas ofertas iniciais de moeda.

 

Onde e como investir em ICO?

 

Vamos conhecer as principais redes que ofereceram criptomoedas e obtiveram um retorno positivo. Mas, antes disso, você precisa entender a relação entre a empresa, a rede blockchain e o token ou criptomoeda que vai para o mercado.

Uma empresa X pode criar uma rede blockchain própria ou utilizar alguma rede já existente para desenvolver seus tokens.

Você poderia utilizar a cadeia de blocos Bitcoin, criar um token chamado VC e ofertá-lo no mercado. Outra possibilidade é criar uma nova rede “Vocecoin” e desenvolver sua criptomoeda lá dentro.

Agora você que entendeu isso, vou responder à pergunta do tópico: “onde e como investir em ICO?”. Isso é bastante simples. Você precisa de internet, escolher uma carteira crypto e do dinheiro para investir.

A carteira crypto mais comum é a Ethereum onde as empresas costumam lançar suas ICOs. Mas, se a empresa tiver uma rede blockchain própria, ela pode lançar as ofertas de moeda dentro da carteira crypto dela mesma.

Além da Ethereum, outras carteiras comuns são das plataformas Waves, NEO e NXT.

 

Ethereum

Dentro da Ethereum, uma das ICOs mais conhecidas e populares é o token Rede Golem (GNT). Criado e oferecido pela empresa Golem, esse token funcionava como garantia de um serviço para alocar poder computacional, ou seja, os detentores desse token poderiam utilizar certa quantidade da capacidade computacional da blockchain Ethereum para fins próprios.

Com a iniciativa, a Golem conseguiu arrecadar 820000 ETH (pouco mais de US$ 8,6 milhões). 

 

Waves

A Waves é uma plataforma blockchain que ganhou bastante notoriedade e destaque dentro do mundo das ICOs. Ela permite que os usuários utilizem plug-ins para operar dentro da rede, o que facilita as operações aumentando o número de transações por segundo.

As principais ICOs lançadas dentro da Waves foram os lançamentos dos tokens da zrCoin, ChronoTech e da MobileGo, que arrecadaram US$ 7 milhões, US$ 5,4 milhões e incríveis US$ 53 milhões , respectivamente.

 

NEO

A NEO é mais uma rede blockchain revolucionária, que aplica um protocolo de operação otimizado (e polêmico) com uma taxa de 1000 transações por segundo. A polêmica envolvendo a NEO diz respeito ao fato de essa rede não ser tão descentralizada quanto se espera de uma rede blockchain.

Mas, isso não vem ao caso. O importante aqui é a NEO possui cerca de 30 ICOs dentro da sua plataforma. Alguns ICOs já são considerados sucessos, com arrecadações de mais de US$ 14 milhões.

 

NXT

O NXT é uma rede blockchain com a criptomoeda NXT, declarada pelo fundador anônimo como o descendente otimizado do bitcoin, corrigindo algumas falhas e melhorando os processos de operação.

Quando o NXT foi à ICO, ele valia US$ 0,0000168. Hoje, está em torno de US$ 0,213. O que representa um retorno de mais de 1.200.000%. Um retorno astronômico para quem decidiu investir no NXT.

Curioso para saber quais empresas fornecem serviços baseadas em ICOs? Segue a leitura!

 

Empresas, ICOs e fornecimento de serviços

 

Anteriormente, no exemplo das carteiras digitais da NEO, Waves e Ethereum, você viu algumas ICOs bem sucedidas. Além daquelas, você vai ver, a seguir, algumas empresas que utilizam a tecnologia blockchain como serviço e com o dinheiro arrecadado na oferta de ICO conseguiram oferecer soluções bastante interessantes.

 

1. ChronoTech

 

A ChronoTech está propondo a utilização da rede blockchain no setor de recursos humanos e contratações. Ela oferece um serviço de folha de pagamento por automatizada, banco de dados para recrutamento e conexão entre indivíduos a oportunidades de trabalho.

O token criado foi o TIME e arrecadou US$ 5,4 milhões em 2017.

 

2. IOTA

 

Já imaginou a sua geladeira identificando os produtos que estão faltando, entrando em contato com um supermercado, fazendo o pedido e realizando o pagamento automaticamente?

Parece cena de filme? Sim, mas essa é a realidade da IOTA. A empresa criou a criptomoeda IOTA para funcionar em transações realizadas por eletrodomésticos que utilizam tecnologia de internet das coisas (IoT).

A ICO realizada em 2015 faturou mais de US$ 400.000. 

 

3. Lisk

 

Essa empresa é conhecida por ser a primeira plataforma que oferece um serviço de “blockchain modular”, ou seja, uma rede em que as funcionalidades da blockchain já estão previamente programadas, tornando mais amigável o desenvolvimento de projetos utilizando a cadeia de blocos.

A Lisk criou a criptomoeda LSK e realizou a ICO entre fevereiro e março de 2016 arrecadando perto de US$ 5,7 milhões. Na época, o token LSK foi vendido por US$ 0,076 e agora vale cerca de US$ 20,24.

Agora imagino que você esteja se perguntando se vale a pena investir em ICO. É isso que vamos te explicar no próximo tópico!

 

É seguro investir em ICO?

 

O mundo de investimento pode lhe trazer muito retorno, mas você precisa ter consciência do que está fazendo. Ainda mais quando falamos de investimento dentro da blockchain.

Antes de investir em uma ICO, você precisa conferir com muito cuidado as seguintes informações:

 

  1. Whitepaper: é um documento sobre as informações da ICO, deixando claro onde o dinheiro do investimento será aplicado e o que será desenvolvido.
     
  2. Equipe: é outra informação que deve constar no whitepaper, para que antes de fazer um investimento, você possa conferir as pessoas que estão por trás daquele empreendimento, buscar dados sobre elas e verificar se há credibilidade nelas.
     
  3. Liquidez: deve ficar claro como você vai receber um retorno do seu investimento.

 

Preparado para investir?

 

Depois de ler sobre essas empresas, investimentos e ICOs que deram certo, você pode ter se animado com a possibilidade de realizar os seus próprios investimentos.

Caso tenha se interessado, você precisa aprender noções de finanças, os principais indicadores financeiros e possuir um método passo a passo para não se perder quando estiver investindo.

Tudo isso e mais, você encontra no nosso curso de gestão financeira e análise de investimentos. Clique no botão abaixo e confira!

Curso de gestão financeira e análise de investimentos